Blog do Refribom - Capa

Carlos Refribom: Morador da cidade de Parauapebas desde 1997 iniciou sua carreira no jornalismo como representante comercial nos jornais locais, depois foi repórter de polícia e cidade por dois anos; em agosto de 2004, fundou o Carajás o Jornal e segue até os dias de hoje com esse trabalho reconhecido no sul e sudeste do Pará. Graduado em pedagogia pela FACIBRA em 2014  e pós graduado em comunicação eleitoral e marketing político, pela faculdade Estácio, Refribom coloca a disposição dos seus leitores, um Blog de referência em informação política da microrregião do Carajás.

 

Por: Redação Carajás O Jornal

A Câmara Municipal de Canaã dos Carajás, através do presidente da Casa Jean Carlos Ribeiro (PDT) em sessão ordinária do dia 11 de fevereiro de 2015, cobrou mais respeito da mineradora Vale e suas prestadoras de serviços, em relação ao recrutamento de mão de obra local.

Em entrevista para o jornalista do Carajás O Jornal, falou o que acha e o que é preciso se fazer para resolver problema das pessoas que ainda estão desempregadas no município de Canaã dos Carajás.

“No ano passado tivemos várias reunião com a direção da Vale do Projeto S11D, assim também com diretores da terceirizadas, e desde janeiro deste ano estamos buscado o diálogo para tentar amenizar o índice de desemprego local, como representantes do povo somos cobrados.

Está difícil é gabinete cheio o tempo todo de pessoas a procura de emprego, sabemos do momento é início de ano período chuvoso, as vagas realmente são limitadas, mais o problema não é esse.       É que as contratações estão sendo feitas no escritório das terceirizadas, descumprido um compromisso feito em reuniões com a própria Vale, que era pra ser 70 % dos empregados fosse do município, mais sabemos que não temos todas essa mão de obra, e que todos os contratados seria via SINE conforme o perfil de cada candidato e das necessidades das empresas, do qual a própria Mineradora fortalece.

não temos o poder de ir lá na empresa, diz a elas que são obrigadas a isso ou aquilo, mas a Vale como responsável pelo da grandeza do Projeto S11D, dentro do munícipio, pedimos para os responsável do Projeto que converse com as terceirizadas, que existe o SINE no município e que a mão de obra tem que passar pelo SINE, vale lembrar que toda área administrativa da empresa são formada por empregados de fora, já que não seleciona profissionais nessa área local, que contrate pelo menos a  mão de obra “mais pesada” ajudante, pedreiro, carpinteiro, armador se não contratar esses profissionais então que vai ser empregado em Canaã? Mas segundo as terceirizadas não tem interesse de selecionar de Canaã por que não querem ficar alojados, mas geramelmente que mora em Canaã, não vai quere mesmo ficar, é claro que dormir em casa com sua família, tem os seus negócios e quem vem de fora de outros estados, fica e só volta quando realmente seu contrato terminar e ou em seus férias.

o queremos é que a Vale seja realmente uma pareceria de verdade, que ela possa chamar as terceirizadas e falar que existe esse compromisso com o município, no ano que se passou as coisas andaram um pouco, mas atualmente as coisa tem desandado, em nosso município também existem profissionais qualificados,  e quem recebe essa cobrança somos nós que fomos eleitos, prefeito, vereadores para representa a população de deste município, e como vereador e presidente dessa Casa de Lei, vou continuar a cobrar uma resposta da Vele, é inadmissível estão passando por cima da necessidade do nosso povo, afetado a assim, geração de emprego e renda para o nosso povo local, não somos contra a ninguém que vem a Canaã, trabalhar, sonhar e ter uma vida melhor de formar alguma, estamos dizendo que povo de Canaã não está tendo oportunidade, se as coisas não melhorarem, vamos mobilizar a população e faz uma audiência pública, com presidente da Câmara de vereadores de Canaã dos Carajás, estou ao lado do povo”, Finalizou Jean Carlos Ribeiro.

Realizado nesta manhã de quarta-feira, do dia 11 de fevereiro de 2015, no plenarinho da Câmara de Vereadores de Parauapebas, através do novo Presidente da Casa Ivanaldo Braz Silva Simplício(SDD), apresentou a sua nova equipe de assessoria de comunicação para imprensa, formada pelo comunicador Fábio Sacramento, o jornalista Waldir Silva e as auxiliares Josiane Quintino e Nayara Cristina, que convidou os profissionais da imprensa para uma parceria durante os próximos dois anos.

Na formação da mesa esteve presente, os vereadores João do Feijão (SDD), Odilon Rocha (SDD), Francisco Amaral Pavão (SDD) e Bruno Soares (PP), que falaram da importância da imprensa local com a Câmara Municipal.

O evento foi, marcado com perguntas e respostas: onde o presidente eleito para o biênio 2015 / 2016, respondeu as dúvidas do jornalistas e repórteres. Que relataram o despeito da presidência anterior da Câmara Vereadores com a imprensa, que nos dois anos anteriores na presidência do então vereador Josineto Feitosa de Oliveira (SDD), não agradou a grande maioria dos profissionais de imprensa.

Na oportunidade todos profissionais da imprensa presente, que fizeram o uso da palavra, bombardearam o ex-presidente, e questionamentos sobre mais de R$ 1 milhão que foram licitados para serem gastos com veículos de comunicação, e que segundo os jornalistas, não foram investidos na imprensa. O presidente até pediu aos jornalistas que não tocasse no nome do ex-presidente Josineto Feitosa, mas foi impossível, pois será muito difícil não tocar neste assunto.

Durante o seu mandato como Presidente da Casa de Leis, a imprensa noticiou e denunciou várias irregularidades no seu biênio, como por exemplo, supostos funcionários fantasmas que, não trabalhava na Câmara, mas recebem salários, muitos deles ultrapassando a quantia de cinco mil reais.

Ascom | PMM

Alessandra Gonçalves

 

A Secretaria de Segurança Institucional (SMSI) realizou no final da tarde desta terça-feira (10), uma fiscalização na entrada da Marabá Pioneira, reunindo os demais órgãos de segurança que atuam na cidade. O objetivo era coibir diversos atos infracionais relacionados ao trânsito.

A ação contou com 35 homens, sendo 25 do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano (DMTU) e do GOPE (Grupo Operacional Pronto Emprego), especializado da Guarda Municipal.

Os principais alvos da fiscalização eram condutores não habilitados, sem capacete e CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo).

Segundo Júlio Araújo Netto, secretário interino da SMSI, o objetivo da ação era fazer uma orientação pedagógica aos condutores. “A gente quer que eles se conscientizem e essas ações irão ocorrer semanalmente em vários núcleos da cidade”, adiantou.

Ele disse ainda que essas fiscalizações também combatem a criminalidade, uma vez que no momento em que são abordados e revistados é verificado se os condutores estão armados ou com drogas. “Por isso, a gente conta também com o apoio da Polícia Militar”.

Carnaval

Os órgãos de segurança municipais também farão a operação Carnaval, que terá início na próxima sexta-feira (14) e segue até terça-feira (17). Participarão da ação 55 agentes da Guarda Municipal; 45 do DMTU e 25 agentes patrimoniais. 

 

 

No último fim de semana, sábado (7) e domingo (8), o prefeito João Salame ciceroneou mais três grupos de representantes da sociedade civil organizada de Marabá na visita às obras que sua administração vem executando em todos os núcleos residenciais urbanos. São pacotes de serviços em todas as áreas, como infraestrutura urbana, com drenagem e asfaltamento de ruas, construção, reforma e ampliação de escolas e centros de saúde, construção de creches, construção e revitalização de praças, investimentos nos hospitais Municipal e Materno Infantil, melhorias na educação e investimentos na cultura, nos esportes e no lazer e no setor da economia, entre outros para melhorar a qualidade de vida da população.

No sábado, o ex-vereador e Sebastião Ferreira Neto – o Ferreirinha –, presidente do Águia Futebol Clube de Marabá, liderou um grupo de desportistas e empresários no City Tour; no domingo quem visitou as obras da administração do prefeito João Salame foram os servidores da Controladoria Geral do Município (Congem) e um grupo de jovens internautas; e evangélicos da Igreja Assembleia de Deus do Bairro Santa Rosa, na Marabá Pioneira.

Desde abril do ano passado o prefeito promove esse tipo de visita. Ele entende que é uma prestação de contas feita diretamente aos interessados, os habitantes da cidade, as pessoas que contribuem com a economia do município e que, em verdade, são os donos do dinheiro público.

“É uma forma de mostrar a transparência do nosso governo, de levar as pessoas aos locais em que as obras estão sendo feitas e detalhar na oportunidade o valor de cada uma, a origem do dinheiro e também de explicar porque esta ou aquela obra está parada”, afirma João Salame, que durante as visitas faz questão de responder aos questionamentos das pessoas, ali, ao vivo.

Hoje em Marabá a prefeitura está executando o maior pacote de obras jamais visto em 100 anos de história do município, como o asfaltamento de 377 ruas até o final deste ano, todas com drenagem, o que garante maior vida ao asfalto e como nunca havia sido feito na história da cidade.

“Já temos contratado e com dinheiro na conta, até o final deste ano, nada menos que 250 quilômetros de asfalto, quase o dobro dos 150 quilômetros feitos em 100 anos”, destaca o prefeito, lembrando ainda a recuperação de 3 mil quilômetros de estradas vicinais, já realizada, facilitando a vida dos agricultores familiares de Marabá e melhorando o abastecimento na cidade.

Além das vicinais, Salame enumerou também várias outras obras na zona rural, como a criação de 70 tanques para o desenvolvimento da piscicultura, construção de quadras cobertas, melhorias em escolas, envio de médicos para as localidades e a aquisição de ambulâncias. “Quando nós assumimos, o município tinha apenas uma ambulância e, assim mesmo, quebrada. Hoje temos 14 ambulâncias, duas delas equipadas com UTI”, contabilizou ele.

Salame cita ainda outro marco de sua administração, a construção de 22 creches e todos os núcleos da cidade, lembrando novamente que “em 100 anos de história foram construídas apenas três creches em Marabá”.

O prefeito mostra também, in loco, que as escolas que estão sendo ampliadas e as que estão em construção seguem um novo padrão, com salas amplas e climatizadas, biblioteca, sala de leitura, laboratórios de informática com acesso à Internet, merenda escolar de primeira qualidade e com produtos adquiridos de agricultores do município e até um Disque-Merenda, para que os próprios estudantes façam sugestões ou reclamações diante de qualquer problema que possa surgir.

João Salame também anunciou a criação de três escolas de tempo integral, a revitalização das feiras da Folha 28, Laranjeiras e Marabá Pioneira e a reforma total das praças São Francisco, Duque de Caxias e São Félix de Valois.

Ao final de cada City Tour, é fácil perceber no semblante e nos comentários dos participantes a surpresa com tantas obras em execução. O sentimento é de alívio e certeza de que a administração está trabalhando muito, sobretudo pela periferia, como prometeu João Salame ainda em campanha.

Quem resume bem essa reação é o ex-vereador Ferreirinha: “Saímos dessa visita com sentimento de alívio, sobretudo depois de ver o projeto responsável que ele [João Salame] tem para Marabá. Isso mostra a seriedade e a responsabilidade que o prefeito tem para com a cidade. Hoje nós tivemos a oportunidade de ver obras que jamais imaginávamos e eu tenho a certeza de que você [João] está realmente fazendo um grande trabalho no município”.

Ascom/PMM

Por: Redação Carajás O Jornal

Muito suor e muitas alegrias renovam as esperanças da equipe do Carajás o Jornal que completou dez anos nas ruas de Parauapebas e região do Carajás e chegou à marca histórica de 600 edições. O Carajás o Jornal é o segundo a atingir a marca de 600 edições de todos os outros que nasceram em Parauapebas. O início dos trabalhos se deram na eleição de 2004 quando o então candidato a prefeito Darci Lermem era oposição do grupo Salmem e ganhava as eleições daquele ano, o semanário que acabara de nascer foi de grande importância no momento, e de lá pra cá vem a cada dia se fortalecendo e mostrando seu peso e seu valor perante as autoridades e personalidades de toda região do Carajás. Com uma forte penetração nos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Eldorado dos Carajás e Curionópolis, o semanário tem contribuído consideravelmente com todas as classes sociais da região, apresentando soluções e apontando os caminhos para o nosso desenvolvimento.

Dessa forma nossa equipe entrevistou algumas personalidades que de uma forma ou de outra contribuíram pra que o Carajás o Jornal se fortalecesse cada vez mais. Acompanhe as entrevistas.

Carajás o jornal. O senhor é um dos que estavam presente no nascimento do jornal, como hoje o senhor vê a chegada da edição 600?

Darci Lermem-ex-prefeito de Parauapebas

Darci Lermem- Olhando um pouco para trás, olhando a história do jornal, ela até se confunde com a história recente de Parauapebas, o jornal hoje é uma fonte de notícias interessante desde do seu nascimento em 2004, eu mesmo quando quero pesquisar alguns assuntos de Parauapebas e principalmente de política, não pode deixar o Carajás o Jornal de lado, talvez seja hoje a fonte mais completa de informações que nós tenhamos nessa região, tanto da vida política, quanto da vida social, recreativa, tudo que acontece de bom e de ruim, as principais notícias podemos ver no Carajás o Jornal. Ele viveu essa história, e continua vivendo, quando nós estivermos velhinhos, vovôs, com oitenta anos, a gente vai voltar no tempo e olhar nossa história. Eu tenho guardado as primeiras 50 edições do Carajás o Jornal, ganhei gentilmente de presente do meu amigo Carlos Refribom, essas edições ela conta minha história no início do nosso governo, tenho guardado com muito carinho e vejo de vez em quando, acredito que foi e está sendo muito trabalho e persistência pra manter esse jornal na ruas da região, certamente essa é uma tarefa difícil, diante de tantos jornais que eu já vi nascer e morrer logo em seguida.

Quero pra finalizar dizer que me sinto honrado em fazer parte do início do Carajás o Jornal e hoje ele chegar em 600 edições, uma marca importante pra nossa região, desejo que chegue na edição 700,800,1000 e muito mais, além disso eu sempre visito o Site de notícias do Carajás o Jornal, lá eu me informo como estão os bastidores políticos da nossa cidade, uma marca forte da coluna “Só Política” trazida por Carlos Refribom, desejo muito sucesso a toda equipe e que possamos nos manter informado.

Carajás o Jornal- o senhor também foi um dos que acompanhou o nascimento do jornal, como o senhor vê essa edição 600?

Pedro Alcantara- ex-secretario e diretor da Plangecom

Pedro Alcântara- Pra mim é uma grande satisfação falar do Carajás o Jornal, eu estive presente nesse início, o Carlos Refribom, com uma máquina e um gravador na mão, naquela época até as pessoas pensava que ele era doido e que aquilo era apenas um momento político e que não ia em frente, mas ele sabia onde queria chegar, nos dias atuais o Carajás o Jornal completou seus dez anos e 600 edições, eu acredito que estarei falando dos seus 50 anos logo, pela força e pela garra que tem a direção desse jornal, por mais que apareça as dificuldades, mas a equipe desse jornal tem garra e vão à luta, nós podemos ver com facilidade que é um dos jornais que mais adquiriu credibilidade perante seus anunciantes, leitores e admiradores como eu, é uma marca que vem denunciando com responsabilidade, na hora certa, sem perseguição a ninguém, isso é muito importante. Parabéns a toda equipe do Carajás o Jornal e quero continuar perto dessa família.

Carajás o Jornal- Como o senhor avalia a chegada da edição 600?

Shirleam Rodrigues- Coordenador da Juventude

Shirleam Rodrigues- Avalio o Carajás o Jornal como um dos primeiros colocados da nossa região, acredito que outras pessoas veem isso também, ele vem sempre esclarecendo as principais notícias pra nossa população, a cada dia eu vejo que realmente tem credibilidade junto as classes sociais e políticas, isso faz um diferencial pra nós que precisamos da informação. Eu estou acompanhando esse jornal desde o seu nascimento, sei que teve muitas dificuldades pra essa equipe, mas o resultado está aí, 600 edições, meus parabéns.

Carajás o Jornal- o senhor também acompanhou o nascimento do jornal, qual sua avaliação disso?

Reticlif Barbosa- Engenheiro e empresário

Reticlif Barbosa- Eu vi nascer o Carajás o Jornal, vi muitas reportagens que mudava as opiniões das pessoas, nesses dez anos, pra mim está sendo como uma semente que eu vi sendo plantada, regada e hoje está com galhos, frutos e sombrosa. Vejo o Carajás o Jornal um jornal respeitado pelas autoridades e com matérias boas e isso é importante pra nós, esclarecendo nossa população de fatos e acontecimentos da nossa cidade. Eu consegui ver esse crescimento jornalístico que houve nesses anos, é uma fonte séria de informação, lugar onde podemos se certificar que a linha editorial dele trabalha com a verdade, é confiável pra nossa população. Parabéns a equipe.

Carajás o Jornal- o senhor também acompanhou esse trabalho ao longo desses dez anos, como o senhor avalia essa edição 600?

Judsom- secretário de Urbanismo

Judsom- É muito interessante e prestativo pra nós que somos moradores dessa região, ter um jornal impresso e consequentemente o digital também, nós temos por exemplo municípios no Pará e Tocantins muito maior de população que Parauapebas e eles não tem um jornal impresso pra se informar. Nós temos acompanhado o crescimento da mídia local e o Carajás o Jornal já tem seu lugar garantido ao sol, quando se fala em jornalismo impresso e digital nessa região, não podemos deixar de lado o Carajás o Jornal, ele já está inserido no seio da nossa comunidade, é um jornal que transmite credibilidade pra nossa população, a mídia tem um papel fundamental na vida do cidadão e isso é importante, vocês representam o quarto poder.

Com certeza o Carajás o Jornal contribui e muito para o desenvolvimento da nossa cidade, meus agradecimentos em tudo que já fez por nossa região e que continue fazendo.

Diante da imprensa local, nesta manhã de quarta-feira (11), no plenarinho da câmara de vereadores de Parauapebas, o novo presidente da casa Ivanaldo Braz (SDD), apresentou a sua nova equipe de assessoria de comunicação, formada pelo Sr. Fábio Sacramento, o jornalista Waldir Silva, Josiane Quintino e Nayara Cristina, que estará à disposição da imprensa nos próximos dois anos.

E segundo o presidente afirmou que a princípio será cerca 90 mil reais para gastar com a imprensa, e que ainda na próxima quarta-feira (18) será publicado um edital para licitação de uma agência de publicidade que trabalhará com a Câmara de Parauapebas. Também se fez presente, os vereadores João do Feijão (SDD), Odilon Rocha (SDD), Francisco Amaral Pavão (SDD) e Bruno Soares (PP), que falaram da importância da imprensa local com a Câmara Municipal.

Da redação: Agência Pará de Notícias 

Um saldo de 17.016 postos de trabalhos gerados e mais de 400 mil admissões colocaram o Pará pela segunda vez como o maior gerador de empregos formais entre os estados da região Norte em 2014. O novo mapa do emprego formal no Pará foi divulgado nesta quinta-feira, 5, pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) e pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese-Pará), com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

A análise do Dieese mostra que 76% dos postos de trabalho foram gerados no interior do estado, enquanto que na capital esse percentual foi de 24%. Destaque para o município de Altamira, que foi o maior gerador de postos de trabalho entre os municípios com mais de 30 mil habitantes, registrando um saldo positivo de 4.749, que equivale a 27,91% do saldo total de postos de trabalhos gerados em todo o Estado no ano de 2014.

Segundo a análise do Dieese, a maioria dos setores econômicos do Estado apresentou saldo positivo de empregos formais. A exceção ficou por conta da Agropecuária, que teve déficit de 40 postos de trabalhos. Entre os setores com melhor desempenho estão Serviço, com 7.746 postos de trabalhos, seguido pela Construção Civil (3.401) e Comércio (3.155). Segundo o supervisor técnico do Dieese, Roberto Sena, em oito anos o Pará dobrou o número de empregos gerados com carteira assinada.

Os dados mostram, ainda, que 60% dos trabalhadores permanecem até, no máximo, um ano no emprego e que 81% são demitidos sem justa causa. A maioria desses trabalhadores tem Ensino Médio completo, mas baixo nível salarial. Para Roberto Sena, “isso ocorre devido à baixa qualificação dos profissionais, que acabam sendo dispensados pelas empresas por não possuírem o perfil da vaga de emprego”.

Segundo o secretário adjunto de Trabalho, Emprego e Renda, Everson Costa, o estado receberá novos investimentos nos próximos anos, o que resultará na geração de novos postos de emprego. “A meta do governo é buscar parcerias com os setores públicos e privados para investirmos na educação e qualificação da mão de obra em todo o Pará. Dessa forma poderemos gerar empregos melhores e com melhor remuneração, assegurando a permanência de um maior número de trabalhadores em seus postos”, destacou.

Ainda segundo Everson, com a criação da nova secretaria - que uniu as políticas de assistência social e de trabalho, emprego e renda - ampliou-se também o público atendido, que agora inclui aquelas pessoas em situação de vulnerabilidade social e beneficiários dos programas sociais do governo federal.

Inara Soares

Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda

(Texto: Fabiane Barbosa/ Fotos: Helder Messiahs)

Prefeito determina reajuste de 38,96% no vale alimentação dos servidores municipais Em reunião extraordinária da Mesa de Negociação Permanente com os sindicatos, o prefeito João Salame acertou na última quarta-feira (4) o reajuste de 38,96% no vale alimentação dos servidores municipais. Com isso o benefício passa de R$ 161,20 para R$ 224,00.

Outro ponto discutido foi a implantação do piso salarial dos motoristas e operadores de máquinas da prefeitura. Será encaminhado um projeto de lei para aprovação na Câmara Municipal de Marabá (CMM) estabelecendo que motoristas deixarão de receber salário mínimo para receber R$ 1380,00 e que os operadores de máquina passarão a receber 1572,00. O projeto de lei deve passar por votação no fim do mês, quando a CMM volta do recesso.

Já sobre os salários de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate de Endemias (ACE) ficou definido que o prefeito participará de nova reunião com o secretário de Saúde e o Sintesp (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Pará) para ajustar os valores retroativos, bem como o pagamento do incentivo financeiro concedido pelo governo federal no final do ano. O piso financeiro da Educação também estava na pauta de discussão e ficou acertado que os servidores receberão este mês o pagamento retroativo a janeiro.

Ainda foi autorizada pelo prefeito a criação das portarias para montagem das comissões dos Planos de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) Geral, da Saúde, Regime Jurídico e Instituto de Saúde do Servidor. Por fim ficou acertado que haverá reunião específica para tratar da arrecadação municipal. Participaram da reunião representantes do Servimar (Sindicato dos Servidores de Marabá), do Sintepp (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará) e do Sintesp (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Pará), além de representantes das secretarias de Administração (Semad), de Planejamento (Seplan), de Saúde (SMS), Educação (Semed), e da Procuradoria Geral do Município (Progem).

Do G1, com informações do Jornal Nacional

Opção é avaliada em meio à crise no setor, informou o Jornal Nacional. Índices de chuvas continuam abaixo do esperado nos últimos meses O governo estuda ampliar em um mês o horário de verão, que está em curso desde o dia 19 de outubro com previsão de término em 22 de fevereiro, para economizar energia. Segundo informações do Jornal Nacional, a possibilidade é analisada diante do cenário atual de crise do setor elétrico e com os índices de chuva abaixo do esperado nos últimos meses.

O horário de verão está em curso em onze estados das regiões Sul e Sudeste, mais o Distrito Federal. O governo espera reduzir em 4,5% o consumo de energia no horário de pico. "Faremos uma avaliação no dia 12 de fevereiro para que nós possamos ter uma previsibilidade com relação ao ritmo hidrológico do final do mês de fevereiro e do começo do mês de março. E aí sim tomaremos uma decisão com relação ao horário de verão", disse o ministro Minas e Energia, Eduardo Braga.

Na entrevista ao Jornal Nacional, Braga também afirmou que, para enfrentar o problema da falta de chuvas, contará também com a energia gerada pela termelétrica de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, que tem potência instalada de 640 megawatts. Em 2013, o governo afirmou que só recorreria à energia de Uruguaiana em caso de extrema necessidade. Para a termelétrica entrar em operação, a Argentina tem que autorizar a utilização de um gasoduto. A empresa responsável por Uruguaina afirmou que espera para este mês o fornecimento de gás para a usina voltar a funcionar. O ministro também confirmou que a partir de primeiro de março, as distribuidoras vão lançar uma campanha de conscientização para economia energia. Veja o site do Jornal Nacional.

Economia de água

Para especialistas do setor elétrico, a economia de água dos reservatórios das hidrelétricas, apesar de pequena, é importante diante do cenário de crise. “Essa economia [de 0,4%] não é de se jogar fora diante da atual circunstância”, diz Roberto Brandão, pesquisador do Grupo de Estudos. “Os benefícios não são gigantescos, mas ainda são significativos, continua valendo a pena. Qualquer economia de água dos reservatórios é válida”, diz o presidente do Instituto Acende Brasil, Claudio Sales. Do Setor Elétrico (Gesel), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). De acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), entre 2010 e 2014 o horário de verão resultou em economia de R$ 835 milhões para os consumidores, devido à eletricidade que deixou de ser gerada pelo uso da luz do sol. Para a edição 2014/2015 do horário de verão, a economia estimada inicialmente é de R$ 278 milhões, 31% menos do que na edição passada (R$ 405 milhões). Esses valores, porém, são muito pequenos diante dos gastos do setor elétrico e não chegam ter impacto nas contas de luz.

Benefícios

O governo alega que o horário de verão evita investimentos de cerca de R$ 4 bilhões ao ano, com mais geração e sistemas de transmissão de eletricidade. Segundo o Ministério de Minas e Energia, ele permite um melhor aproveitamento da luz solar e “maior racionalidade no uso da eletricidade.” Outra vantagem, diz o ministério, é o aumento da segurança do sistema elétrico e maior flexibilidade para a realização de manutenções, além de redução da pressão sobre o meio ambiente e nas tarifas cobradas pelo serviço. O horário de verão foi aplicado no Brasil pela primeira vez no verão de 1931/1932.

Consumo na ponta

Entretanto outro efeito do horário de verão, que é o de evitar picos de consumo de energia no chamado horário de ponta (entre 18h e 21h), “perdeu um pouco da relevância” nos últimos anos, aponta Roberto Brandão, da UFRJ. Por conta do aumento no uso do ar-condicionado no país, mais recentemente os picos de consumo de eletricidade durante o verão começaram a ser registrados no início ou meio da tarde, entre 14h e 16h. No passado, esse pico era registrado entre 18h e 21h, devido ao aumento do consumo gerado pelo uso de eletrodomésticos quando as pessoas saem do trabalho e voltam para as suas casas, junto com a iluminação pública nas cidades. “Nos últimos anos, o horário de verão perdeu um pouco da sua relevância porque houve mudança no padrão de horário de ponta no Brasil”, diz o pesquisador. Ele aponta, porém, que continua sendo importante equilibrar a demanda por energia no fim do dia.

Para o professor de engenharia elétrica da Universidade de Brasília (UnB), Rafael Shayani, o horário de verão continua sendo importante para “evitar a sobrecarga” do sistema elétrico durante o verão e até mesmo apagões. “O horário de verão é necessário na medida em que a demanda por energia no Brasil está crescendo e o setor elétrico não consegue acompanhá-la. Ela visa evitar um apagão”, diz ele.

Fonte: Wellington Borges - Ascom PMCC

Reconhecedor do trabalho do homem do campo no município de Canaã dos Carajás, o prefeito Jeová Andrade recebeu nesta quinta-feira (5), em seu gabinete, representantes do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Canaã dos Carajás (STTR). Marcaram presença o presidente da entidade representativa, José Ribamar da Silva (O Pixiliga), diretores e membros do sindicato, além do chefe de Gabinete do município, Edilson Valadares.

Os trabalhadores reconheceram o trabalho que vem sido prestado pela prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento e Produção Rural, com melhoria de estradas, incentivo à produção e extensão rural.

O prefeito Jeová tem destacado sempre a necessidade de diversificar a economia do município, que, segundo ele, “precisa voltar a produzir no campo”. A ligação forte com o trabalho no campo está presente desde o surgimento de Canaã.

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink