×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 934
JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 932

A Câmara Municipal de Canaã dos Carajás anunciou que as sessões ordinárias acontecerão sem a presença de público, os atendimentos nos gabinetes também estão suspensos no período de 15 dias.

As medidas foram tomadas visando colaborar com a prevenção não só dos funcionários da Casa de Leis e vereadores, mas também da cidade. A resolução foi defendida pelo presidente da Casa, vereador Wilson Leite e aprovada por unanimidade entre os parlamentares.

A restrição das atividades se dará durante a vigência do Decreto Municipal. “Nosso objetivo é evitar a proliferação desse vírus. Não queremos criar nenhum tipo de pânico, mas, neste momento, é necessário que recuemos. Seguindo a orientação do Decreto Municipal, o legislativo cumpre sua parte no que diz respeito aos cuidados com a saúde de todos”, pontua o presidente da Casa. 

As sessões serão transmitidas pelas redes sociais da câmara. 

A novela continua, mas dessa vez a promessa é que os dias já estão contados para o capítulo final. A nova eleição do Conselho Tutelar está marcada para o dia 16 de fevereiro, munícipes podem votar em 22 escolas municipais.

Candidatos a conselheiro tiraram suas dúvidas 

A campanha para os candidatos teve início na quarta-feira, 22, e se estenderá até o dia 14 de fevereiro. Em reunião dos candidatos com o presidente do Comdcap, Aldo Serra e o promotor da 5ª Vara da Justiça da Infância e da Juventude, Josiel Gomes, foram esclarecidas algumas dúvidas sobre o edital que rege a eleição.

“Nesse período nós iremos divulgar junto aos eleitores, fazer  publicidade em relação aos candidatos para essa eleição que não é obrigatória mais facultativa, mas é importante  que o eleitor saiba exercer sua cidadania frente a tantas questões que temos visto de violação de direitos, é importante que a comunidade tenha essa consciência”, afirmou ou presidente do Comdcap.

Presidente do Comdcap, Aldo Serra

Aldo Serra afirmou ainda que a comissão eleitoral irá trabalhar para que erros ocorridos não sejam repetidos, também será incluído mais 5 urnas de votação. “Durante esse período estaremos trabalhando para executar um planejamento para que não venha ocorrer as mesmas dificuldade que tivemos no passado, e que tenhamos uma eleição tranquila”, disse.

Promotor de Justiça, Josiel Gomes, afirmou que o Ministério Público irá acompanhar a eleição 

Para esta nova eleição o Ministério Público acompanhará de perto e também serão empregados mais alguns recursos. 55 Urnas serão distribuídas em 22 polos de votação, os mesmos da eleição anterior. “Aqui tratamos das regras da eleição e os erros a serem corrigidos, como a apuração feita logo após a votação causando um estremo cansaço e submetendo os apuradores ao aumento de uma margem de erro, e nessa eleição, para que não ocorra erros, a apuração ocorrerá no dia seguinte. Aos candidatos peço que façam sua propaganda da melhor forma possível, aos que vão trabalhar conosco que façam seu trabalho com afim, sabemos que estamos trabalhando para a sociedade, e que ela depende muito dos nossos conselheiros tutelares”, denotou, Josiel Gomes, Promotor de Justiça.

Locais de Votação

Escola Pitágoras (Carajás)

CEUP- Centro Universitário de Parauapebas (Cidade Nona)

Escola Paulista Fontelles de Lima (Rio Verde)

Escola Jean Piaget (Liberdade)

Escola Carlos Henrique (Bairro da Paz)

Escola Faruk Salmen (Bairro Guanabara)

Escola Mário Lago (Complexo VS10)

Escola António Vilhena (Cedere I)

Escola Deyse Lorrane (Novo Brasil)

Escola Terezinha de Jesus (Cidade Jardim)

Escola Dorothy Stang (Cidade Jardim)

Escola Nelson Mandela (Tropical)

Escola Eunice Moreira (Barrio Vila Rica)

Escola Paulo Freire (Palmares Sul)

Escola Crescendo na Prática (Palmares II)

Escola Milton Martins (Nova Carajás)

Escola Monteiro Lobato (Vila Paulo Fontelles)

Escola Alegria do Saber (Vila Sansão)

Escola Olga da Silva (Altamira)

Escola Domingos Cardoso (Casas Populares)

Escola Santa Tereza (Vila Valentim Serra)

Escola Fernando Pessoa (Barrio dos Minérios)

(Samara Guimarães)

 

A Imprensa Oficial do Estado do Pará (Ioepa) irá firmar um contrato com a Prefeitura Municipal de Parauapebas (PMP), para a produção e a implantação do diário oficial eletrônico daquele município. Os trâmites do processo de contratação para este serviço, por meio do sistema e-Diário, foram tratados em uma reunião nesta terça-feira (21), na sede da Ioepa, entre o presidente da autarquia, Jorge Panzera, o secretário de Planejamento de Parauapebas, João José Correa; e as analistas de sistema Kerla Dias dos Santos e Eliene de Nazaré Nascimento Paixão, da PMP.

De acordo com a analista de sistemas da Prefeitura de Parauapebas, Eliene de Nazaré Nascimento Paixão, a conversa foi muito frutífera. “Foi excelente. Já chegamos ao senso comum e esperamos agora dar andamento na execução, para concluir o processo o mais rápido possível”, disse Eliene.

Secretário de Planejamento João José Correia e presidente da Ioepa Jorge Panzera

Jorge Panzera ressaltou o ineditismo da parceria entra a autarquia e a Prefeitura de Parauapebas. “Trata-se de uma iniciativa inédita entre uma imprensa oficial e uma prefeitura. A prefeitura de Parauapebas criou o seu Diário Oficial do Município e vai contratar a Ioepa, que atuará em parceria com técnicos da PMP, para nós produzirmos o diário oficial eletrônico deles”, disse Panzera, informando ainda que até o mês de fevereiro deste ano, o contrato deverá ser assinado.

Texto Ailson Braga

Fotos Eduardo Rosas

Ascom/Ioepa

A Vale vai investir cerca de R$ 20 milhões na implantação de um sistema inteligente de gestão de energia com o objetivo de melhorar o desempenho de equipamentos e automatização de processos ao longo de sua cadeia produtiva, da mina ao porto, contribuindo para reduzir as emissões atmosféricas da empresa. O SmartEnergy, como foi batizado o sistema, prevê a instalação, até 2021, de 2 mil medidores inteligentes de energia elétrica em 57 unidades operacionais e em grandes equipamentos da empresa no Brasil - por exemplo, em circuito de moagem de minério, transportadores de correias de longa distância e sistemas de bombeamento. O medidor inteligente permite a redução de perdas de produção através da avaliação contínua da qualidade da energia e identificação das causas de falhas no fornecimento. Em testes realizados com a tecnologia em duas minas, a empresa obteve uma economia de R$ 90 milhões por ano com eliminação de paradas de equipamentos após o acionamento inadequado da proteção elétrica.

Segundo o coordenador do Projeto de Eficiência Energética da Vale, Renato Arantes, os medidores inteligentes detectam variações de tensão e de corrente elétrica com extrema precisão, o que é importante para o ajuste dos protetores. Eles registram também o consumo de energia e enviam os dados ao SmartEnergy, que, por sua vez, viabiliza interações com vários sistemas corporativos, permitindo o gerenciamento de programas de eficiência energética, entre outras funções. "Muitas vezes, o sistema de proteção elétrica desliga equipamentos ou processos importantes  por conta de oscilações de energia  que poderiam ser suportadas perfeitamente, sem trazer qualquer risco para as operações. Essas pequenas interrupções impactam na produtividade, pois é preciso reiniciar os equipamentos e processos e, até que eles voltem à capacidade de operação normal, gasta-se energia desnecessariamente, sem contar o impacto na produção e também no aumento de emissões CO2 da empresa", explica Arantes. 

A coordenadora de TI do SmartEnergy, Laysa Mello, explica que o sistema irá padronizar os dados gerados pelos medidores inteligentes com o intuito de produzir análises de performance do uso da energia na empresa. "Essa padronização ajuda a operação a planejar melhor o consumo e a demanda por energia em todas as operações, pois temos maior disponibilização e precisão dos dados que não tínhamos antes", explica.  Embora seja um software de prateleira, ou seja, já disponível no mercado, o SmartEnergy teve que ser customizado para as necessidades da Vale. Uma equipe de 65 empregados foi treinada para operar o sistema já implantado em minas do Pará e de Minas Gerais e no Complexo Portuário Ponta da Madeira, em São Luís (MA). 

A partir de 2020,  a Vale vai estender o uso do equipamento para suas operações no mundo. Em 10 anos, num cenário intermediário, a empresa estima economizar R$ 920 milhões com energia elétrica a partir da instalação dos medidores inteligentes e da automatização de gestão de processos em plantas do Brasil e do exterior. Neste cenário, calcula-se um corte de 120 mil toneladas de GEE/ano, o que representa às emissões relativas ao consumo médio de 14,4 mil casas por ano. Para o cálculo, foram consideradas variáveis como custo da energia elétrica, preços do minério de ferro, níquel e cobre e a produção da Vale. No longo prazo, o projeto também terá foco na redução dos demais combustíveis utilizados pela Vale, como diesel, gás natural e o bunker usado nos navios mineraleiros. Portanto, o potencial de redução de emissões é ainda maior. Em reunião recente com investidores em Nova York e Londres, a empresa anunciou meta de longo prazo de neutralizar as emissões de CO2 de suas operações até 2050 e também a revisão da sua meta de redução de emissão até 2030, a fim de alinhá-la ao Acordo de Paris. O percentual de corte será anunciado no primeiro semestre de 2020. 

Os medidores inteligentes já foram testados em 2017 nas minas de ferro do S11D e de cobre do Salobo, no Sudeste do Pará. Salobo registrou redução de 107 horas de paradas indevidas na produção, motivadas por problemas relacionados à qualidade da energia, o que refletiu em um aumento de produção de 1,2 milhão de toneladas/ano na comparação entre 2017 e 2018.  No caso de S11D, foram evitadas 18 horas anuais de paralisações de produção na planta, resultando em um aumento de 130 mil toneladas na produção anual. Até o final deste ano de 2019, no S11D, serão interligados ao SmartEnergy mais de 100 medidores inteligentes.
Outros cenários

Além do cenário intermediário, a Vale avaliou mais dois: um conservador e outro otimista (agressivo), para estimar a economia de 10 anos com a universalização dos medidores inteligentes em suas unidades espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. No cenário conservador, haveria uma economia de cerca de R$ 370 milhões e um corte de 60 mil toneladas de GEE/ano, o equivalente às emissões relativas ao consumo médio de energia de 7,2 mil casas por um ano. No cenário agressivo, o ganho seria de aproximadamente R$ 1,4 bilhão e redução de 180 mil toneladas na emissão de GEE/ano, que representa às emissões relativas ao consumo médio de 21,5 mil casas/ano.

No final da amanhã desta segunda feira (30), no palácio do governo, o governador Helder Barbalho, na presença da secretária de Educação Leila Freire, sancionou a lei que autoriza o reajuste de 2,17% sobre o salário dos professores da educação básica da rede pública estadual. O Projeto de lei, encaminhado pelo Estado para a Assembleia Legislativa no último dia 23, foi aprovado por unanimidade entre os deputados.

Foto: Bruno Cecim / Ag.Pará

"Este foi um compromisso que eu firmei ainda em campanha, quando desde 2015 os professores não recebiam o reajuste. Agora em 2019, no primeiro ano da nossa gestão, estamos garantindo este direito para incentivar e, cada vez mais, reafirmar a importância deste movimento de reconstrução da educação para garantir o futuro do Estado do Pará", Helder Barbalho, governador do Pará.

Agora, a partir do dia 1º de janeiro, os profissionais da educação irão receber o vencimento com valores equiparados ao Piso Nacional do Magistério referente ao ano de 2019, que foi reajustado em 4,17%. O pagamento da atualização (realizada a cada ano, conforme o previsto no artigo 5° da Lei do Piso Nacional) não era feito há 4 anos pelo Estado.

"Com esta lei o governo cumpre o compromisso que havia feito, de pagar o referente ao Piso Nacional de 2019. Então, neste ano, o Estado já havia repassado um percentual de 2%, agora complementa com mais outro percentual de 2,17%, atualizando para 4,17% o salário dos educadores. É uma conquista", explicou a secretária de Educação, Leila Freire, se referindo ao reajuste concedido pelo governo em abril deste ano e que se soma ao aumento disposto na lei sancionada.

Foto: Bruno Cecim / Ag.Pará

Os deputados estaduais, Igor Normando e Nilce Pinheiro, representaram os parlamentares na ocasião de assinatura do documento que sancionou a lei. "É um momento importante, de valorização dos professores, em que a Assembleia foi protagonista junto com o Governo, aprovando por unanimidade e dando aos professores uma condição de trabalho cada vez melhor. Poder contribuir para que isso se concretizasse e entregar aos servidores que dedicam suas vidas a ensinar outros é, sem sombra de dúvida, firmar o papel de todos nós na garantia dos direitos e do melhor pro Pará", disse o deputado Igor Normando.

O momento também representa um ano de contas públicas em dia. De acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, o reajuste só pode ser concedido após o Estado atingir o equilíbrio fiscal.

"O governador entregou o projeto de lei e, no mesmo dia, nós aprovamos. Fizemos isso com celeridade por conta da importância e a necessidade de garantir esse direito. Nos honra muito fazer parte disso, porque também é um compromisso nosso com a categoria. Foram muitos debates, muitas audiências públicas. Atendemos diversas vezes a categoria e estávamos almejando isso. Realmente o governador cumpriu a palavra que deu, sem ferir a Lei da responsabilidade fiscal", disse a deputada Nilce Pinheiro. 

(Agência Pará)

Atualmente 88 municípios paraenses estão interligados à Rede de Telecomunicações do Estado. Mais 21 serão incluídos até o final deste ano, totalizando 109 municípios, o que representa cerca de 76% dos 144 municípios paraenses interligados. 

Durante o ano de 2019, a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa) realizou várias ações compreendendo as transformações das demandas tecnológicas e serviços. “Estamos sempre prontos e à frente para nos mantermos como um importante instrumento de desenvolvimento do Estado do Pará em benefício de toda a sociedade”, destacou o presidente da empresa, Marcos Brandão da Costa.

Aplicativos foram desenvolvidos sempre buscando a maior rapidez nas informações e no auxílio às demandas da população. Em abril e Prodepa lançou o “Navega Aqui” para auxiliar na travessia de embarcações na Alça Viária e a população usuária das balsas que trafegam na região após queda de parte da ponte do Rio Moju.

Marcos BrandãoFoto: Divulgação / PRODEPA

O aplicativo “KDaBerlinda” foi reformulado em 2019. Ele auxilia a população na localização das 12 romarias realizadas durante a quadra nazarena (Círio de Nazaré). “Esse ano o número de usuários do aplicativo cresceu 176% e o quantidade de dowloads nas lojas IOS e Android aumentou 70%. A quantidade de visualizações na página do aplicativo subiu 43%”, diz o presidente da Prodepa.

Vários projetos foram firmados e outros continuados para aumentar interligação à rede de dados mundial. “O governo do Estado, através da Prodepa, solicitou à Corporação Andina de Fomento (CAF) empréstimo na ordem de US$ 12,5 milhões para investimentos ao longo de 2 anos em benefício a 15 novos municípios nas regiões sudeste, Baixo Amazonas e Nordeste paraense”, destaca Brandão.

O Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX), contrapartida à construção da usina de Belo Monte, entrará esse ano na sua segunda fase. Em 2017 a Prodepa recebeu R$ 10 mi para investimentos em infovias, redes metropolitanas e redes ópticas na região do Xingu.

Na primeira fase do projeto em 2018 foram beneficiados os municípios de Anapu, Brasil Novo, Medicilândia. Vitória do Xingu, Placas e Senador José Porfírio. Na segunda fase serão beneficiados os municípios de Porto de Moz e Gurupá. Na terceira etapa os benefícios chegarão ao município de São Félix do Xingu, na área de influência do Rio Xingu.

Por conta da desoneração feita pelo Estado do Pará para beneficiar a construção do linhão de transmissão de Manaus/Macapá/Oriximiná, a Prodepa receberá compensações para a ativação da rota de fibras ópticas que vai interligar os municípios de Tucuruí/Anapu/Almeirim/Oriximiná. É o chamado projeto Isolux que também terá andamento durante todo esse ano.

“Através de acordos de cooperação técnica firmados com o Banpará, a Prodepa irá beneficiar nos 4 primeiros meses deste ano os municípios de Muaná, Alenquer, Curralinho, Almeirim e Floresta do Araguaia com melhorias e ampliação na rede”, diz Marcos Brandão.

(Agência Pará)

Um grande coro contra a devastação ambiental ecoou por três cantos da cidade de Imperatriz na sexta-feira, 25 de outubro, cerca de 300 pessoas entre elas quebradeiras de coco babaçu, quilombolas e indígenas, todos de comunidades tradicionais e integrantes das organizações e movimentos sociais da Articulação Tocantinense de Agroecologia (ATA), protestaram contra os danos ambientais.

As manifestações aconteceram na divisa com a região do Bico do Papagaio, em frente à fábrica da empresa Suzano Papel e Celulose, em seguida na Praça de Fátima e na Ponte Dom Afonso Felipe Gregori. Cruzes foram fincadas em frente a empresa Suzana, simbolizando a morte de milhares de plantas nativas, dos rios e de centenas de comunidades impactadas pelo empreendimento.

As ações buscam sensibilizar e conscientizar a população para a grave situação ambiental dos estados que já compromete o abastecimento de água, a saúde e a qualidade de vida das populações urbanas e rurais. Para a quebradeira de coco babaçu, Maria do Socorro Teixeira Lima, presidente da Rede Cerrado e integrante do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu, é importante, “esclarecer a sociedade urbana de que lutamos por um rio sadio, floresta em pé, pela saúde de todo povo, do campo e da cidade”, enfatizou.

Buscando um diálogo e a interação entre o campo e a cidade, os manifestantes seguiram para o centro de Imperatriz, na Praça de Fátima. Uma performance foi apresentada tendo a agroecologia como alternativa de mudança desse contexto: que prioriza a monocultura, o agronegócio com a utilização dos agrotóxicos. As manifestações artísticas envolveram povos indígenas, quebradeiras de coco babaçu, quilombolas e juventudes rurais.

Para a jovem agricultora e estudante da Escola Família Agrícola do Bico do Papagaio, Antônia Ruth, é preciso mostrar para a cidade o que o campo está fazendo. “Uma manifestação como esta que fazemos aqui hoje é importante porque podemos mostrar que estamos produzindo de maneira agroecológica e diversificada, sem precisar envenenar nossas plantações e rios, desmatar ou poluir’’, disse.

Outro local impactado pela ação dos grandes empreendimentos é o rio Tocantins, que conecta os estados Maranhão e Tocantins. Um grande abraço simbólico foi dado por cerca de 300 pessoas que se posicionaram na Ponte Dom Afonso Felipe Gregori. Três faixas foram armadas em cima da ponte com os dizeres “Agronegócio é Morte”, “Agroecologia é Vida” e “Suzano Mata as Águas”, ainda de maneira pacífica os manifestantes entoaram cantos e clamaram por suas demandas.

Devastação socioambiental

O desmatamento das florestas, a poluição dos rios e a contaminação de alimentos devido ao uso de agrotóxicos não são novidades nos estados do Tocantins e Maranhão. Acompanhando esses crimes ambientais estão também as violações de direitos territoriais dos povos indígenas, quebradeiras de coco babaçu, e comunidades tradicionais, que sofrem diariamente com as consequências da expansão desmedida do Agronegócio.

Segundo a Comissão Pastoral da Terra, em 2018, aconteceram 43 conflitos no campo no Tocantins, envolvendo 7.890 pessoas. Já no Maranhão este número é ainda mais alarmante, pois foram contabilizados 201 ocorrências e mais de 80 mil pessoas envolvidas. Os conflitos apurados pela Pastoral estão relacionados à disputa por terra, água e trabalhistas.

De acordo com o Dossiê da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e do Ministério da Saúde, cada brasileiro consome mais de 7 litros de agrotóxico por ano. Ainda com base no estudo, pesquisas apontam que o consumo de agrotóxicos pode causar uma série de doenças, como a infertilidade, problemas motores e neurológicos.

Texto: Yndara Vasques e Bruno Santiago

Fotos: Carlos Vinicius Santos, Bruno Santiago e Yndara Vasques

A novela da política de Canaã dos Carajás continua, logo após o prefeito, Jeová Andrade e partido MDB anunciar sua pretensa candidata à gestão pública, Drª. Josemira Gadelha, o vice-prefeito, Alexandre Pereira, se sentiu traído pelo partido e convidou a imprensa para uma coletiva.

Realizada na casa de Alexandre Pereira, na manhã de segunda-feira, 23, o momento foi de desabafo pela situação vivida e expectativas frustradas. “O momento é para mostrar a todas as pessoas uma insatisfação da minha parte, pela última decisão tomada pelo partido MDB de Canaã dos Carajás. Eu tenho uma boa relação com todos os vereadores, acompanhei o nosso prefeito Jeová Andrade em dois mandatos, me sentia preparado para ser um candidato a sua sucessão”, desabafou.

Parlamentares e amigos do vice - prefeito marcaram presença e deram seu apoio ao político 

Ao lado do vice-prefeito, Alexandre Pereira, estavam os vereadores Gesiel Ribeiro, João Batista, Junior Garra, Rael da Marcenaria, Dionísio Coutinho e Baiano do Hospital, o político contou ainda com a presença de Zito Augusto e Oribes Primo, presidente do PDT de Canaã dos Carajás. “Estou aqui com companheiros políticos e testemunhas da trajetória discutida há 10 anos para chegarmos a um projeto viável para a cidade. Eu sou pré-candidato, agora muito mais forte e não é para disputar entre companheiros como estava no MDB, é para discutir juntos uma nova proposta democrática e transparente. Nesse grupo estão as pessoas que amam Canaã”, afirmou.

Ainda em seu discurso, Alexandre Pereira, pediu a desfiliação do MDB e disse que se sentiu desqualificado quanto a seu histórico. “O prefeito, anteriormente afirmou na frente de todo o secretariado que eu seria o melhor para a sua sucessão e na semana passada foi decidido que o nome não seria o meu, desqualificaram meu nome. O MDB e sua executiva, fez com que o prefeito escolhesse a Josemira Gadelha para a sua sucessão. Diante dessa desqualificação, em nome de toda a minha família e de todos os parlamentares aqui presente, neste momento, estou pedindo a desfiliação do partido MDB. Estou questionando apenas a forma como retiraram meu nome, não foi democrática, não foi transparente e não foi respeitosa”, disse 

Alexandre Pereira pediu sua desfiliação do partido MDB

Quanto ao seu atual cargo, o vice – prefeito, afirmou que vai continuar exercendo sua função normalmente, e que tem o direito como cidadão de tocar seus projetos e fazer suas escolhas políticas.

Já para as próximas eleições, afirmou que vai em busca de uma nova agremiação partidária e dialogar com pessoas que pensam igual. “Vamos sentar e avaliar o momento, dialogar e valorizar os companheiros. Nosso foco é união e discutir um projeto para Canaã dos Carajás. Independentemente de quem seja o nome dessa frente a disputar as eleições.”

(Samara Guimarães)

Chegou o fim do mistério, o prefeito de Canaã dos Carajás, Jeová Andrade, anunciou na noite de quarta-feira, 18, o tão aguardado nome que terá o apoio do prefeito e do partido MDB, para as próximas eleições.

O Anuncio foi feito em um hotel da cidade, localizado na avenida dos Pioneiros, e contou com a presença de Joatan Carvalho presidente do MDB municipal, Roberto Andrade vice-presidente do MDB municipal, Jeová Andrade prefeito de Canaã, secretários e apoiadores do governo.

Roberto Andrade vice-presidente do MDB municipal, dr. Josemira Gadelha pré-candidata, Jeová Andrade prefeito de Canaã e Joatan Carvalho presidente do MDB municipal

Segundo o presidente do partido em Canaã, o nome foi escolhido ainda na tarde de quarta-feira, 18. “Durante a tarde de hoje, estivemos reunidos com a diretoria executiva do partido analisando os números e decidimos por unanimidade a dr. Josemira Gadelha para a disputa da sucessão do prefeito Jeová. Nosso trabalho agora é nos unirmos com outros partidos para juntos formarmos uma grande aliança”, afirmou.

Secretários e filiados marcaram presença no evento

O prefeito Jeová Andrade, durante sua fala, afirmou que acredita que dr. Josemira Gadelha, venha dar continuidade ao trabalho desenvolvido durante sua gestão. “Esse é um nome que eu respeito muito, e que tem credibilidade junto a sociedade. Dr. Josemira é uma pessoa humana e muito preparada para trabalhar a nossa sucessão, hoje o MDB tem um nome e espero que façamos um grande diálogo com outros partidos, para que surja uma grande aliança em torno da dr. Josemira”. disse.

Decidido o nome, agora o MDB entra oficialmente na corrida das eleições 2020, e espera formar aliança com outros partidos para se fortalecer e continuar a ocupar a gestão pública, sendo representado pela advogada e presidente da OAB subseção Canaã dos Carajás, dr, Josemira Gadelha.

Com a benção do prefeito e apoio do MDB, dr. Josemira Gadelha se prepara para disputar as eleições

Em sua fala a advogada, afirmou que irá dar continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido pela atual gestão e que o projeto é “Canaã dos Carajás Avança”. “Vamos construir alianças, informar as pessoas que o partido decidiu por um nome, também vamos falar sobre nossos projetos, motivar as pessoas numa nova era, Canaã dos Carajás está na época de avançar. Quero dizer as famílias que nós vamos trabalhar pela segurança, saúde e educação, a partir de agora o projeto é "Canaã dos Carajás Avança”. denotou.

 (Samara Guimarães)

Acompanhado da família e do advogado Marcos Tavares, o vereador Junior Garra concedeu entrevista ao Portal Carajás o Jornal, na manhã dessa terça-feira, 26, para falar do último ocorrido que culminou na busca e apreensão na sua residência e prisão do parlamentar.

Junior Garra concedeu entrevista ao lado da família

Junior Garra relatou como foi feita a sua prisão até e a condução até Belém. “No momento que eu estava na casa do vereador Dionísio, que fica bem próximo da minha residência, eu fui surpreendido por um oficial de justiça, com uma arma em punho mirando minha cabeça, dando a ordem para que eu deitasse do chão. Me coloquei à disposição do juiz, perguntei o que estava acontecendo, depois de 10 minutos, é que me foi oficiado que eu estava sendo preso pelo mandado de prisão expedido pelo juiz da zona eleitoral 075, pela investigação de uma suposta compra de votos na eleição de 2016.  Na delegacia de Canaã dos Carajás fui muito bem recebido, com o devido tratamento que se cabe nessa ocasião, para Parauapebas fui no banco traseiro da viatura, onde pude ver o delegado enviando a minha imagem para todos os grupos de WhatsApp que tinha no celular, foi ele que deu a publicidade ao caso. Na delegacia de Parauapebas pernoitei uma noite, a pior situação que um ser humano pode passar, no dia seguinte, após a audiência de custódia fui encaminhado para a carceragem do Rio Verde, já na madrugada por volta das 4hs30min, fui retirado carceragem colocado na jaula de novo e fui transportado para Belém, durante a viagem passando por Curionópolis em um quebra-molas o carro passou muito rápido e eu fui jogado para cima. Mesmo tendo apresentado que tenho problemas de coluna e estou me recuperando de uma pneumonia. Não foi me dado o direito enquanto agente político e não oferecer risco a ninguém, fui transportado dessa forma. Logo depois foi impetrado o habeas corpus, onde o desembargador entendeu a prisão como arbitrária e me colocou em liberdade”, contou o parlamentar.

O Vereador, disse ainda que, está sofrendo perseguição política e que viveu momentos de tensão, sendo algemando na frente da filha e da esposa, mesmo não oferecendo risco e nem resistindo a prisão. “Fico muito triste, em saber que a minha filha caçula viu seu pai algemado dentro de um camburão. Uma coisa que me deixa curioso é que um certo canal chegou primeiro que as autoridades policiais. Esse canal tem interesse em difamar políticos, não só em Canaã como em toda região, pessoas que não comungam com algumas ideias e projetos sofrem represalias. Quando um equipe de reportagem chegou na auto escola da minha irmã, chegou perguntando pelo delegado, pelo dr. Gabriel, o repórter do veículo interessado em nos difamar chegou primeiro na auto escola que as autoridades policiais. Isso deixa claro que houve sim um circo armado”, afirmou.

Sobre a acusação de coagir testemunhas, o parlamentar afirmou que não conhece, não tem endereço e nenhum tipo de contato. Também em sua fala, disse ainda que nunca comprou votos. “Se houver um cidadão canaense que disser, eu conversei com Junior Garra e ele me prometeu isso para eu votar nele, eu renuncio meu mandato”, disse o vereador

Junior Garra afirmou ainda que irá tomar as medidas cabíveis sobre os abusos sofridos durante sua prisão e condução. Denotando ainda que ele e a família estão de cabeça erguida, com o coração limpo e o pensamento em Deus.

(Samara Guimarães)

 

Página 1 de 3

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016