Fomentar a pesquisa produzida no Estado, através de uma ferramenta para busca de todas as produções científicas, bibliográficas, técnicas, tecnológicas, artísticas e culturais, além de uma base de dados de projetos de graduação e pós-graduação desenvolvidos exclusivamente pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). Este é o objetivo da Plataforma Píon, um software criado pela ESIG Software, com livre acesso ao público e que pretende melhorar a conectividade entre as Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) e a sociedade, proporcionando um acesso fácil às produções dos pesquisadores de universidades e institutos.

A iniciativa é da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp) da Uepa, a partir de um modelo semelhante desenvolvido no Amapá. Através da Plataforma Píon, é possível buscar por palavra-chave e descobrir pesquisas por tema, possibilitando uma interligação deste pesquisador com alunos, professores, empresas e instituições que necessitam deste conhecimento para aplicação acadêmica ou comercial.

Para obter as informações das produções, a Plataforma Píon extrai os currículos dos pesquisadores da Plataforma Lattes. Todos os docentes da Uepa com Currículo Lattes são automaticamente cadastrados. Para o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Uepa, professor Renato Teixeira, a plataforma potencializa o alcance internacional da produção desenvolvida na região. "A plataforma é aberta ao público. Se uma pessoa em qualquer lugar do mundo deseja saber das pesquisas, por exemplo, em ciências ambientais, basta buscar por tema e a plataforma dá o resultado de toda a produção acadêmica da Uepa neste tema", defende.

Futuras parcerias - Atualmente a Plataforma Píon da Uepa conta com um banco de dados de 45347 produções bibliográficas, 16785 produções técnicas, 953 produções artísticas e literárias e 60 patentes. Além dos atuais dados de produções docentes ligadas à Plataforma Lattes, com a futura implantação da Plataforma SIGAA na Uepa, agendada para o mês de julho, será possível fazer o cruzamento de dados e monitorar, por exemplo, a produção de docentes do Regime de Tempo Integral com Dedicação Exclusiva (TIDE).

O nome Píon é uma homenagem ao brasileiro César Lattes, que foi um dos grandes responsáveis pelo trabalho de descoberta do méson pi e pela premiação do seu colega de pesquisa Cecil Powell, físico britânico da Universidade de Cambridge, com o Prêmio Nobel de Física de 1950.

Fonte: Agencia Pará

 Mestrado Profissional em Ensino de Matemática da Universidade do Estado do Pará (Uepa) receberá inscrições para o processo de seleção da turma de 2020, até o dia 5 de julho.  As inscrições iniciaram na última segunda-feira (3) e devem ser feitas exclusivamente pelo endereço eletrônico disponível no site da Uepa.

A taxa de inscrição custa R$ 120 e o pagamento poderá ser feito até o dia 8 de julho. Estarão isentos os candidatos com deficiência e aqueles com hipossuficiência econômica, que estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – CadÚnico.

O Processo Seletivo é composto por três fases, sendo a primeira uma prova escrita com 15 questões de múltipla escolha e três questões analítico-discursivas sobre o conteúdo de matemática da educação básica. A segunda fase constará da conferência da documentação necessária a ser entregue. Por fim, a terceira fase será uma avaliação do currículo Lattes.

No total, são ofertadas 25 vagas que destinam-se ao candidato licenciado ou bacharel em Matemática; ao licenciado ou bacharel em áreas afins e que esteja atuando no ensino de matemática nos anos finais do ensino fundamental ou no ensino médio da educação básica; ou concluinte dos cursos de Licenciatura ou Bacharelado em Matemática no corrente ano.

O Programa de Pós-Graduação oferece as linhas de pesquisa Metodologia para Ensino de Matemática no Nível Fundamental; e Metodologia para Ensino de Matemática no Nível Médio. O candidato deve optar por uma única linha de pesquisa no ato da inscrição. As atividades acadêmicas do Mestrado serão desenvolvidas de segunda à sexta- feira, no horário das 8h às 12h, a partir de 6 de janeiro de 2020, no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE).

Fonte: Agencia Pará 

 

 

Tendo em vista que o último Processo Seletivo Especial (PSE) da Universidade Federal do Pará (Ufpa) para o campus de Parauapebas foi realizado em 2014 e que as últimas turmas oriundas deste processo seletivo formam em março deste ano, eis a grande pergunta que não quer calar: “O Centro Universitário de Parauapebas está ou não com os dias contados?”

Esta é a grande preocupação dos jovens estudantes do município que veem a possibilidade de fazer o tão sonhado curso superior sem ter que se ausentar do seio familiar e se aventurar em outras cidades. Foi o que o Ceup possibilitou desde a época da sua implantação no município, em 2001, formando jornalistas, administradores, gestores, professores, advogados, engenheiros e outros, pessoas estas que na época não tinham condições de pagar ou se manter em outra cidade para cursar uma faculdade.

Pensando nisso a equipe de reportagem do Portal Carajás O Jornal foi em buscar de respostas e em entrevista exclusiva com o Secretário de Educação, Luiz Vieira, apresenta algumas propostas do governo para o Ceup.

Secretário de educação, Luiz Vieira fala sobre o destino do Centro Universitário de Parauapebas. 

“Aquele espaço vai continuar cheio de alunos”, afirmou o recém-nomeado Secretário Municipal de Educação de Parauapebas, Luiz Vieira. O comandante da pasta da educação também afirmou que prefeitura e Secretaria já se articulam para contratação de novos cursos e até mesmo a implantação de um campus interino da Universidade Estadual do Pará (Uepa), dentro do CEUP, mas a firma ainda que há um longo caminho pela frente.

Durante a entrevista o secretário disse que  já recebeu uma proposta da Ufpa para a possível contratação de mais quatro cursos para o município, sendo estes de  Direito, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica e Contabilidade, porém, de acordo com Luiz Vieira, antes de tomar qualquer decisão acerca das contratações destes cursos é necessário saber se os mesmos atendem a demanda do município.  “Esses cursos são o que a Ufpa está nos oferecendo agora, mas nós precisamos analisar essa oferta com a equipe pedagógica e posteriormente chamar a comunidade para debater se de fato precisamos de mais engenheiros, advogados contadores, se a demanda nos direciona para outas áreas”, disse.

Luiz Vieira esclareceu que, após a escolha dos possíveis cursos, o processo de tramitação para a implantação efetiva é de aproximadamente 06 meses e que a ingressão dos candidatos se dará por meio de “Processo Seletivo Especial aberto (PSE)”, como vem sendo realizado desde concursos anteriores. Embora a prefeitura de Parauapebas pague por estes cursores, pessoas de outras cidades não ficarão restritas de participar, no entanto ressaltou que se estuda uma forma para que o maior número de vagas possível, possa ser ocupado por parauapebenses.

 “Quero ver aquele centro universitário lotado de estudante, quero ver a UEPA funcionando aqui com urgência sem ter que esperar a construção do tão sonhado campus e também quero ver universidades particulares, vindo implantar seus polos em nossa cidade”, disse o secretário.

Implantação do Campus Universidade Estadual do Pará (Uepa) em Parauapebas

Quando indagado sobre a implantação do campus da Uepa em o Secretário Municipal de Educação falou que há uma série de trâmites que ainda precisam ser percorridos, entre eles a aprovação da Lei de Cargos e Salários para que se amplie o número de vagas para a contratação de profissionais.  “A Uepa não pode abrir um campus aqui e não ter como contratar professores ou técnicos, por exemplo. Foi feita uma documentação e encaminhada para a Assembleia Legislativa e foi colocado em pauta, mas o Governo Estadual anterior se deparou com o orçamento e não foi possível a aprovação da lei”, disse.

Luiz Viera também falou que estão sendo elaboradas novas documentações para que o novo governador do Estado, Helder Barbalho, sancione “rápido” as leis necessárias para a implantação do campus da Uepa em Parauapebas.

Utilização do Ceup como campus interino da Uepa

Quanto à utilização interina do Ceup como campus da Uepa, o secretário afirmou que o Centro universitário oferece todas as condições técnicas de infraestrutura para atender aos requisitos de qualquer universidade e que tem condição de acelerar o processo de implantação do polo.

 “Já temos o espaço e orçamento. Digamos que, as obras do campus começassem hoje, em dois anos ela ainda não estará concluída, e nós enquanto prefeitura e secretaria não pretendemos esperar todo esse tempo para implantar os cursos da Uepa no município”, explicou o secretário.

Na visão do secretário, com pequenas adaptações, o Ceup se equipara as melhores infraestruturas do Estado. “Muita gente não sabe que no Ceup funciona uma universidade, que lá dentro tem alunos e pessoas trabalhando, além de laboratórios importantíssimos”, frisou o secretário, acrescentando que a intensão da secretaria é que mais cursos sejam ofertados pela instituição, resta apenas saber quais.

Até a decisão de quais cursos ofertar, a contratação dos mesmos e também a realização do processo seletivo, o Centro ficará em standby por mais de seis meses.

 Agora a pergunta a ser feita é, quais cursos você, estudante de Parauapebas, gostaria que fossem ofertados pelo Ceup?

(Reportagem: Fernando Bonfim/Revisão: Ingrid Cardoso)

 

Na última sexta-feira (14) o vereador e Presidente da Associação Comercial e Industrial de Canaã dos Carajás (ACIACC), Anderson Mendes (PTB) esteve na capital do Estado, Belém-PA, protocolando dois abaixo assinados no intuito de garantir a implantação de dois polos de ensino superior, um federal (UFPA) e um estadual (UEPA), no  município.

Na UFPA, Anderson Mendes foi recepcionado pelo Vice-reitor, Horácio Schindler, que prometeu encaminhar a solicitação para o setor competente. Depois Anderson se dirigiu ao Gabinete da Casa Civil do governo do estado, onde protocolou outro abaixo assinado com 15.000 assinaturas pleiteando uma  Universidade Estadual do Pará (UEPA).

O vereador, representante do empresariado canaense, mais uma vez reforça o compromisso com o desenvolvimento da educação no município, atendendo às necessidades da juventude e do mercado de trabalho local, no que diz respeito à qualificação da classe trabalhadora da cidade.

(Com informações do Fala Cidade)

Cerca de 150 Militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais (MTR) ocupam desde ontem, domingo (12), uma área pública em Parauapebas. O terreno é uma área de aproximadamente 120 hectares destinada à construção da Universidade Estadual do Pará UEPA.

De acordo com os ocupantes, a área está sem uso há anos, e que fazendeiros usam do terreno para criação de gado. Ainda, de acordo com eles, foi uma promessa do atual prefeito municipal, doar uma área para que eles pudessem desenvolver a agricultura familiar, o que não teria sido comprido até agora.

Na manhã desta segunda-feira, nossa equipe de reportagem esteve no local, mas ninguém quis falar oficialmente sobre a ocupação. Homes da guarda florestal da Vale fazem rondas constantemente pelo local, tendo em vista que em frente a ocupação, há uma área de preservação ambiental (APA) administrada pela empresa.

A nossa equipe de reportagem entrou em contato com a Prefeitura Municipal de Parauapebas, para pedir um posicionamento, haja vista que a mesma é a proprietária do terreno, mas até o fechamento desta matéria, não obtivemos resposta. 

 

O grupo começou a ocupar a parte dos fundos do terreno

 

(Reportagem: Fernando Bonfim)

Foi realizada na tarde desta segunda-feira (11), uma reunião entre secretário municipal de educação, Raimundo Neto e o titular da Secretaria Municipal de Saúde ( Semsa), José  das Dores Couto. A pauta tratada entre os dois secretários de governo era referente à recepção à comissão da Universidade do Estado do Pará (Uepa) que estará em Parauapebas nos dias 25 e 26 deste mês.

A comissão da Uepa estará na cidade para conhecer as instalações e os equipamentos de saúde do município, além disso, fará visitas à implantação da Residência Médica nas áreas de Pediatria, Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Segundo Neto, um dos passos para implantação da Residência Médica é credenciar o Hospital Geral de Parauapebas como hospital-escola, a fim de atender às necessidades acadêmicas. Para Coutinho, tudo tranquilo. "Estamos de portas abertas para receber a Uepa. A vida da instituição é muito importante para nós”, finalizou.

(Da redação)

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink

Vídeos

Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016