Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Neste domingo (10), estudantes de todo o país farão as provas de matemática e ciências da natureza do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas do último domingo (3) podem dar indícios de como será esse segundo dia de exame, de acordo com professores entrevistados pela Agência Brasil. 

Segundo a tendência do primeiro dia de exame, “a prova está prometendo ser um pouco menor, com textos mais enxutos”, diz o professor de física Leonardo Gomes, do curso online Descomplica. Mas isso não pode fazer com que os estudantes descuidem da interpretação de texto. “É importante buscar nos textos partes que importam [para a resolução da questão] e não sejam levados por palavras que não servem para nada”, acrescenta. 

No segundo dia de aplicação, os estudantes terão meia hora a menos, ou seja, cinco horas para resolver todas as questões da prova. Isso significa, de acordo com Gomes, que terão, em média, três minutos para cada questão. 

“O desperdício de tempo é um grave problema. A cada 30 minutos, quando o fiscal tirar o papelzinho do tempo, o candidato tem que ter marcado 10 questões”, recomenda o professor. Para isso, a dica é buscar sempre as questões mais fáceis e, depois, voltar nas questões difíceis.

No segundo dia de prova, é importante também repetir o que funcionou no primeiro, segundo o professor. “Distribuição do tempo de prova, chegada ao local do exame. Fazer do mesmo jeito para não ter problema e não chegar atrasado. Ir com calma, que vai dar tudo certo”, sugere o professor de matemática do colégio Marista João Paulo II, em Brasília, Leonardo Simões.

Nessa reta final, a recomendação de Simões é que os estudantes façam o que os deixar mais tranquilos. “Cada estudante tem um método. Alguns relaxam estudando e alguns saindo. Tem que identificar o que mais satisfaz para a realização do exame no domingo”, diz. Para quem se sente melhor preparado estudando, uma dica é fazer questões de provas antigas. O professor recomenda a revisão dos seguintes conteúdos: razão, proporção, porcentagem, geometria plana - áreas de figuras planas, geometria espacial - volume dos sólidos geométricos, probabilidade, estatística e funções.

Na hora da prova

Na hora da prova, de acordo com o professor de química Allan Rodriges, do Descomplica, para quem estiver nervoso, exercícios de respiração podem ajudar. “A minha dica inicial, de cara, para controlar o emocional na prova, é a respiração. A respiração oxigena o cérebro e faz com que o estudante fique mais tranquilo. Se se sentir nervoso, pare, feche os olhos, respire fundo. Isso reduz os batimentos cardíacos. Se estiver muito abalado, tome água, vá ao banheiro”, diz. 

“É um dia de muita conta, com matemática, física, química, biologia. Então, as pessoas têm que ir preparadas para fazer contas. E, com isso, acho que a grande estratégia é pensar que já que vai fazer muita conta, tentar dissolver as questões que envolvem mais números com questões teóricas, de biologia, por exemplo”, recomenda. 

Aos estudantes que estão ainda nervosos com o desempenho no primeiro dia, Rodrigues reforça: “O que passou, passou. Não tem como prever a nota”.

Enem 2019

O Enem começou a ser aplicado no último domingo (3), quando 3,9 milhões de participantes fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. Aqueles que faltaram no primeiro dia, podem fazer o exame neste domingo, mas a prova servirá apenas para autoavaliação.

As regras do exame são as mesmas do último domingo. Os portões abrirão às 12h e fecharão às 13h, no horário de Brasília. O gabarito oficial do Enem será divulgado no dia 13 de novembro.

Reta final

Para se preparar para o Enem, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) disponibiliza, gratuitamente, o portal Questões Enem. Lá os estudantes têm acesso a questões que foram aplicadas no Enem de 2009 a 2018. 

O candidato faz um cadastro e pode escolher inclusive a área de conhecimento que deseja treinar. O site então sorteia as questões e o estudante recebe depois um gabarito online para avaliar o desempenho.

 

Fonte: Agência Brasil

O Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) informa aos proprietários dos veículos com finais de placa 00, 10, 20 e 30, que o prazo do licenciamento, sem multas, encerra nesta sexta-feira (8). AO todo, 69.870 automóveis precisam ser licenciados até a data em todo o Pará. Os municípios com as maiores frotas são Belém (14.269), Ananindeua (4.077), Marabá (3.475) e Santarém (3.203). 

O motorista que for autuado dirigindo com o licenciamento em atraso pagará multa de nível gravíssima, no valor de R$293,47, terá a inclusão de sete pontos na carteira e o veículo poderá ser apreendido ao parque de retenção, de acordo com o Art. 203, parágrafo V, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). 

Para realizar o pagamento, basta imprimir o boleto de licenciamento, disponível no site do Detran. Além da taxa do Departamento de Trânsito, no boleto de licenciamento constam o imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) – devido à Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) e recolhido pelo órgão, o seguro DPVAT e multas, se houver. 

O condutor pode escolher se quer receber o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) em seu endereço ou em uma agência dos Correios. O pagamento dos valores também pode ser efetuado via internet banking, nas agências bancárias ou nos caixas eletrônicos. 

Os veículos que forem removidos serão levados para o parque de retenção do Detran, localizado na rua do Japonês, no bairro do Bengui. 

 

Fonte: Por Eduardo Vilaça (DETRAN)Ag.Pará

Alunos das escolas municipais Carlos Henrique, Maria de Lourdes e Ronilton Aridal participaram, nesta quarta (6), da segunda edição da Mostra Científica do Sul e Sudeste do Pará (MOCISSPA), realizada em Marabá.

Inscritas na modalidade ensino fundamental por área de conhecimento, as escolas foram premiadas nas temáticas que concorreram.

  • EMEF Maria de Lourdes – 1° Lugar na área de Ciência da Saúde com o projeto “Psicomotricidade na educação inclusiva”.

 

  • EMEB Ronilton Aridal – 2° lugar na área de Ciências Humanas com o projeto “Jornal Escolar, uma experiência na Escola Integral Ronilton Aridal” e uma menção honrosa com o projeto “Experiências iniciais de um clube de ciências numa escola de tempo integral em Canaã dos Carajás”.

 

  • EMEIF Carlos Henrique – recebeu Menção honrosa na área de Ciências Exatas e da Terra com o projeto “Os benefícios do uso dos micro-organismos e da biotecnologia clássica a favor da saúde”, projeto este que foi o campeão durante a Feira de Ciências da Rede Municipal realizada durante a Fenecan 2019.

Segundo a secretária de educação, Roselma Milani, que esteve presente no evento, “o incentivo ao desenvolvimento de projetos de pesquisa e práticas, como as apresentadas pelos alunos na exposição, tem sido crescente na rede e com resultados exitosos, o que enche de orgulho toda a equipe da educação do município.”

 

Fonte: Ascom PMCC

Instituições de ensino superior privadas têm até o dia 25 para manifestar o interesse em participar do Programa Universidade Para Todos (ProUni) do primeiro semestre de 2020. O prazo para a adesão começa hoje (7). Para as universidades que ainda não participaram do programa, o prazo é mais curto, vai até o dia 14.   

O ProUni oferece bolsas de estudos integrais e parciais (50%) em instituições particulares de ensino superior, com base no desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e em critérios de renda.

No primeiro semestre deste ano foram ofertadas cerca de 244 mil bolsas de estudo em 1,2 mil instituições particulares de ensino. No segundo semestre, o total de bolsas foi 169 mil, em 1,1 mil instituições em todo o país.

Todos os procedimentos operacionais referentes ao Prouni serão efetuados exclusivamente por meio do Sistema Informatizado do Prouni (Sisprouni).

O edital que torna público o cronograma e os procedimentos para emissões de termos de adesão e aditivo ao processo seletivo do ProUni, do primeiro semestre de 2020, está disponível na página do programa.

 

Fonte: Agência Brasil

O Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) disponibiliza ao cidadão paraense o Sistema de Declaração de Acidente de Trânsito (Sisdat) em formato de aplicativo, que tem por finalidade auxiliar e agilizar o registro de acidentes sem vítimas e que tenham causado pequenos danos materiais. O Detran, mesmo não sendo o primeiro a usar um sistema com essa finalidade, foi o primeiro a disponibilizar um aplicativo com a função. O sistema foi produzido em parceria com a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob). Baixe o app aqui.

Com disponibilidade gratuita para os usuários do sistema operacional Android, o registro do acidente pode ser feito em até 15 minutos. “O Detran identificou que o aplicativo facilitaria para o usuário a parte burocrática, permitindo que ele próprio faça o preenchimento dos dados relacionados ao acidente de trânsito. Essa facilidade também gera um processo mais ágil para que ocorra a desobstrução das vias onde há a ocorrência”, explica o coordenador de Operações do Detran, Ivan Feitosa. 

Para realizar o cadastro, é necessário ter os dados pessoais da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), RG e CPF, endereço, telefone, e-mail, dados dos veículos placa e Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) — e o máximo de informações do outro envolvido no acidente.

As ocorrências que podem ser registradas, entretanto, devem seguir alguns critérios: não podem ter vítimas nem derramamento de produtos nocivos; não podem ter provocado dano ao meio ambiente ou a bens públicos do Estado; não ter mais que quatro veículos ou veículos oficiais envolvidos; não ter nenhum dos veículos envolvidos submergido ou ter sido afetado por um incêndio que danifique ao menos um terço de suas dimensões. Também não entram na categoria de registros as ocorrências em rodovias federais e estaduais, ou aquelas em áreas particulares — como os ocorridos no interior de condomínios, postos de combustíveis, estacionamentos de mercados, lojas, shoppings, etc.

Haroldo Alencar, diretor de Tecnologia e Informática (DTI) do Detran, também explica que, além dos acidentes de pequena monta, caso ocorra algum tipo de sinistro, o condutor pode usar o Sisdat para realizar o registro e requerer o Boletim de Ocorrência de Acidente de Trânsito (BOAT).

“O aplicativo tem a proposta de agilizar a situação e não fazer com que os envolvidos tenham a necessidade de aguardar a perícia para resolver, quando nos dois casos o resultado será o mesmo: será gerado um BOAT. Enquanto a pessoa estaria esperando a perícia, que geraria um boleto por meio de um agente habilitado para isso, ela sozinha poderia resolver com o uso do Sisdat”. (Haroldo Alencar, diretor)

O designer gráfico Sidney Silva relata que, em uma batida que seu carro sofreu, ele e o outro condutor envolvido registraram um boletim de ocorrência, mas por ter acontecido em uma rua movimentada da capital paraense, não esperaram pela perícia. “Não foi o correto a ser feito, mas como o fluxo estava começando a congestionar e os outros motoristas estavam impacientes, decidimos ir embora. Se eu soubesse previamente do aplicativo, faria o registro na mesma hora e deixaria o trânsito livre”, conclui. 

 

Por Eduardo Vilaça (DETRAN)Ag.Pará

Melhorias para a educação no Estado do Pará foram o foco da agenda do governador Helder Barbalho, em Brasília, nesta quarta-feira (6). Acompanhado da Secretária de Estado de Educação, o governador do Pará, Helder Barbalho, reuniu com representantes do Ministério da Economia, apresentando o plano de ação com vistas na manutenção de financiamentos internacionais; e do Banco Central do Brasil (Bacen), para a implantação de um projeto piloto de educação financeira que beneficiará 108 municípios.

Durante a manhã, os projetos educacionais realizados no Pará foram explanados pelo governador para o coordenador geral de Financiamentos Externos, Marcus Barreto, o subsecretário de Financiamento ao Desenvolvimento e Mercados Internacionais, Carlos Eduardo Lambert Costa e o secretário do Ministério de Economia, Erivaldo Gomes.

Com o propósito de dar continuidade ao financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em 2020, o chefe do executivo do Pará apresentou as ações na área de educação, entre as quais o ‘Movimento Educa Pará’, lançado no mês de julho.

“Para nós, é um momento muito importante porque vamos dar prosseguimento à parceria com o BID que está em fase de execução final. A ideia é que no momento em que estamos encerrando a primeira parceria já iniciemos a segunda na ordem de R$ 200 milhões”, afirmou Helder Barbalho.

De acordo com a secretária Leila Freire, as ações estão alinhadas às estratégias federais e englobam eixos como modernização das políticas educacionais; incorporação de práticas inovadoras na gestão; e aperfeiçoamento dos servidores. “Priorizamos a qualidade da educação que perpassa também pela infraestrutura física das escolas atrelada aos recursos humanos. Trouxemos outros diferenciais, como o olhar amazônico para nossas práticas. É o caso das 'Ecoparque Escolas', que consideram a adequação do aprendizado dos alunos alinhada ao arranjo produtivo local em que estão inseridos, por exemplo”, explicou Leila.

Educação Financeira - Na parte da tarde, o Governo do Pará e o Banco Central pactuaram a implantação de um projeto piloto de educação financeira. O termo de cooperação técnica deve ser assinado até dezembro e não prevê repasse financeiro ou ônus para o estado. A Seduc disponibilizará os espaços de aprendizado enquanto que o Bacen entrará com o material e a formação dos educadores.

Dados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) de 2017, disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apontam que apenas 11,9% dos estudantes do 5º ano do ensino fundamental alcançaram os níveis de aprendizagem adequada em português, e apenas 15,5%, em matemática – situação que se agrava no 9º ano, em que apenas 4,5% dos estudantes demonstraram níveis adequados de aprendizagem em matemática.

Tendo em vista a relação entre o ensino da matemática e o letramento financeiro, os baixos níveis de conhecimento matemático se constituem em um desafio adicional para a implementação da educação financeira como tema transversal. Para o Banco Central, a parceria tem o papel de garantir apoio institucional para a divulgação do Programa e a adesão de escolas. A parceria contempla desde a formação inicial de professores e diretores à avaliação de impacto, passando pela confecção de materiais específicos e aderentes à BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

Com previsão de início no próximo ano letivo, a partir de fevereiro, o projeto beneficiará inicialmente 108 escolas públicas estaduais e municipais. “Entendemos que toda a rede pública de ensino precisa ser contemplada, não apenas a esfera estadual. O ‘Educa Pará’ é construído por laços colaborativos que envolvem o estado e municípios, em prol de uma educação com eficiência, eficácia e equidade”, ponderou a secretária.

O Programa será desenvolvido até 2022 com o alcance de cinco metas: realização de pesquisa com gestores escolares e professores; desenvolvimento de recursos educacionais; criação e manutenção da plataforma de gestão, monitoramento e desenvolvimento profissional; avaliação de aprendizagem e avaliação de impacto.

Educa Pará - O ‘Movimento Educa Pará: todos juntos pela garantia do direito de aprender’ foi lançado em julho. O projeto é desenvolvido por estado e municípios, governo, gestores e educadores para implementar a Agenda da Aprendizagem. A Seduc vem realizando encontros regionais para discutir e adotar estratégias pedagógicas que coloquem o aluno no centro do debate escolar; e lideranças escolares desenvolvam processos dinâmicos e inclusivos.

O Governo do Estado, por meio da Seduc, concentra esforços na reforma e ampliação de escolas em todo o Pará; contratação de novos professores; redirecionamento do transporte e da merenda escolar. O objetivo é garantir o suporte pedagógico e estrutura física para tornar a escola mais atrativa no processo de aprendizagem, para que estudantes se sintam motivados a concluir os estudos e ter mais oportunidades futuras no mercado de trabalho.

 

Por Governo do Pará (SECOM)Ag.Pará

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quarta (6), não ver nenhum “efeito catastrófico” para a operação se a Corte mudar o entendimento e passar a desautorizar o cumprimento de pena após condenação em segunda instância da Justiça. A continuidade do julgamento sobre o assunto está marcada para esta hoje (7).

“Eu entendo que não, porque a eventual alteração do marco temporal para a execução provisória da pena não significa que, em lugar da execução provisória, quando for o caso, não seja decretada a prisão preventiva, nos termos do artigo 312 do Código de Processo Penal. Então, não vejo esse efeito catastrófico que se indica”, disse o ministro ao ser questionado se via alguma ameaça à Lava Jato.

Para Fachin, mesmo que seja desautorizada a prisão após segunda instância, ninguém deve ser solto automaticamente, mas cada caso deve ser analisado pelo juiz responsável, que pode decretar a prisão preventiva e manter o réu preso, se atendidos os requisitos para isso.

O ministro também negou que uma mudança de entendimento possa favorecer a impunidade. “Numa palavra, independentemente do resultado do julgamento que se avizinha, ninguém sairá, ainda que se altere a jurisprudência, declarado inocente”, disse.

Quando e como Lula seria solto?

Tudo vai depender de alguns detalhes aprovados na seção de hoje.

Até hoje, os votos se encaminham no sentido de que, se a execução antecipada da pena for declarada inconstitucional, a decisão teria repercussão imediata, ou seja, passaria a valer imediatamente. Também existe a possibilidade de ela ter efeito só após publicação no Diário Oficial da Justiça, o que aconteceria no máximo até a manhã de sexta.

Se o ministros do STF aprovarem também uma liminar de soltura para todos os presos que estão nessa situação (de execução provisória da pena), os juízes responsáveis pelos casos devem determinar de ofício (por conta própria) a sua liberação imediata.

Na prática, no entanto, nem sempre isso acontece — os magistrados costumam esperar uma petição enviada pela defesa.

Se a liminar de soltura não fizer parte do acórdão dos ministros, a petição sera necessária de qualquer forma. De um jeito ou de outro, os juízes não poderão negar os pedidos.

No caso de Lula, os advogados de defesa provavelmente devem enviar à Justiça uma petição pedindo a liberação do ex-presidente imediatamente, independente de haver uma liminar de soltura ou não.

Eles podem enviar o pedido ao STJ ou diretamente à Vara de Execuções Penais, ou simultaneamente para ambos. O advogado que lidera a equipe de defesa de Lula, Cristiano Zanin Martins, não informou qual dos caminhos vai seguir.

Se mandarem para o STJ, o próximo passo seria o relator do caso do tríplex na Corte, o ministro Leopoldo de Arruda Raposo, acatar o pedido. Ele então mandaria um ofício à juíza de execução responsável pelo caso do Lula, Carolina Lebbos, que determinaria o seu cumprimento — ou seja, determinar que a Polícia Federal libere o ex-presidente.

Se houver liminar de soltura por parte do STF, a juíza Carolina Lebbos também poderia fazer imediatamente um despacho para a soltura do ex-presidente, sem nem mesmo esperar o pedido da defesa.

 

Fonte: Dol

Confira as vagas disponíveis no Sine Parauapebas, hoje, 07. O Sine fica localizado na rua 11, entre as ruas E e D - Cidade Nova.  O horário de atendimento é de 8h às 14h.

Clique aqui e visualize as vagas. 

 

Assessoria de Comunicação – ASCOM | PMP

Aplicação financeira mais tradicional do país, a caderneta de poupança registrou a menor retirada líquida para meses de outubro em cinco anos. No mês passado, os saques superaram os depósitos em R$ 247,2 milhões, informou ontem (6) o Banco Central. Este é o melhor resultado para o mês desde outubro de 2014, quando a poupança tinha registrado captação líquida (depósitos menos saques) de R$ 540,3 milhões.

Em outubro do ano passado, os correntistas tinham retirado R$ 2,71 bilhões a mais do que tinham depositado. De janeiro a outubro, os brasileiros retiraram R$ 6,31 bilhões a mais do que depositaram na caderneta. O desempenho está pior do que em 2018. No mesmo período do ano passado, as captações (depósitos) tinham superado as retiradas em R$ 22,96 bilhões.

Até 2014, os brasileiros depositavam mais do que retiravam da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrir dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego.

Em 2015, R$ 53,57 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões. A tendência inverteu-se em 2017, quando as captações excederam as retiradas em R$ 17,12 bilhões, e em 2018 – captação líquida de R$ 38,26 bilhões.

Com rendimento de 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), a poupança está se tornando menos atrativa porque os juros básicos estão no menor nível da história. Com a redução da Selic para 5% ao ano, o investimento deixará de render mais do que a inflação.

Para 2020, o Boletim Focus, pesquisa com instituições financeiras divulgada toda semana pelo Banco Central, prevê inflação oficial pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 3,6%. Com a atual fórmula de rendimento, a poupança renderá 3,5% no próximo ano, caso a Selic permaneça em 5%.

 

Fonte: Agência Brasil

A Celpa vai ter que cumprir as exigências do Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica, o “Luz para Todos”, e concluir a ligação de 16.080 domicílios até o final do primeiro semestre de 2020. A meta, que já deveria ter sido cumprida, faz parte de quatro contratos em andamento: o 2º trecho referente à instalação de Belo Monte; o trecho 6, que já tem obras em vários municípios do Pará; o trecho de sistemas isolados de Tucuruí; e o trecho de sistemas isolados de Belo Monte. A informação foi prestada ao senador Jader Barbalho (MDB), por meio de Nota Informativa 79/2019, do Ministério de Minas e Energia.

O senador havia encaminhado ofícios ao presidente da República, Jair Bolsonaro; e ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque; solicitando informações sobre o cumprimento dos prazos de universalização por parte da Celpa. O Ministério disse que, somente quando a Celpa conseguir atingir o percentual de execução de até 70% de sua meta física, prevista nos 4 contratos em andamento, novos contratos poderão ser celebrados. Ou seja, não há previsão de quando será atingida a meta de universalização no Pará, um dos maiores produtores de energia do Brasil.

“As tarifas de energia elétrica no Pará estão entre as mais caras do Brasil. Tenho protestado e denunciado esse absurdo. Como a Celpa é a empresa encarregada de executar o programa Luz para Todos no Estado, o que esperamos, no mínimo, é que o faça com rapidez e competência, o que, de regra, não vem acontecendo, como mostrou o próprio Ministério de Minas e Energia”, protestou Jader, lembrando que mais de 150 mil famílias paraenses que residem em áreas rurais continuam vivendo em total escuridão.

Com quase 16 anos de existência, o “Luz para Todos” ainda não conseguiu atingir seu objetivo, que é levar energia para as populações de baixa renda e em condições de desigualdade provocadas pelo distanciamento dos grandes centros urbanos. Nos últimos anos, Jader tem feito uma verdadeira campanha em defesa dos mais de dois milhões de brasileiros ainda não atendidos pelo programa.

PRIVATIZAÇÃO

“É preciso lembrar que estamos falando de um período no qual o governo federal anuncia que a Eletrobras, que é um patrimônio brasileiro, vai ser privatizada. Vamos trabalhar para que os recursos que serão obtidos com a privatização de Tucuruí e o que cabe ao governo federal em Belo Monte – no caso do Pará - sejam investidos em favor das populações que se ressentem pela falta de energia elétrica, e pior, à toda a população do Pará, sacrificada e no final, surpreendida com uma das mais caras tarifas do país”, advertiu.

“Estou atento em relação ao Estado do Pará, que fornece energia para o Brasil sem ter, no entanto, a compensação pela entrega por meio da incidência de ICMS”, disse Jader.

 

Fonte: DOL

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016