Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Estava marcada para acontecer na noite desta sexta-feira (15) a assembleia geral da Associação Parauapebense de Escritores (ASPER), porém devido à falta de participantes a assembleia teve que ser cancelada. O escritor Paulo Poeta Reis, presidente da ASPER e da Academia Regional de Letras, em entrevista, falou sobre os assuntos que seriam tratados durante a assembleia, o panorama literário na região e também sobre as dificuldades de reunir escritores no município.

A reunião que foi convocada hoje iria tratar a da construção e apresentação do novo estatuto da instituição, do registro social da associação, a criação do nosso CNPJ e também para tratar do nosso calendário de eventos, que independente de ela ser registrada ou não, irá acontecer.

De acordo com Paulo Poeta, o primeiro evento que a ASPER pretende fazer, ainda neste mês de março, é uma palestra para explanar sobre os projetos literários desenvolvidos no município. “Já que temos uma academia de letras e agora tem uma associação e esta associação precisa mostrar a que veio, para que ela foi constituída e quais são nossos principais objetivos. Um dos nossos principais objetivos é fortalecer o seguimento da literatura, auxiliar pessoas que escrevem a produzir seu livro”, explicou.

Paulo Poeta Reis foi nomeado no final do ano passado, presidente da Regional do Sul do Estado do Pará das Academias de Letras do Brasil, que foi fundada no estado do Rio de Janeiro no ano de 2001, com o objetivo de criar uma unidade da academia em cada município brasileiro. No ´Pará a embaixada fica localizada no munícipio de Bragança, e mais cinco academias, Academia de Letras do brasil seccional Marabá, Tomé a Sul e a as regionais do sul e sudeste do Pará.

A primeira unidade a ser fundada aqui na região, pelo presidente regional, foi a de Eldorado do Carajás que conta com um total de 22 escritores. “Estamos no andamento de fundar outras unidades, inclusive aqui em Parauapebas, que está com inscrições aberta. Aquela pessoa que tem um material literário, e que pretende ingressar em uma academia, este é um momento”, disse Paulo Poeta, acrescentando que mesmo que o escritor não tenha material publicado, a academia dá dois anos para que o mesmo possa publicar o seu livro. “Até lá ela será membra da academia até a publicação ou a participação numa antologia literária produzida pela própria academia. Este é processo que abrange 21 municípios. Os quais, 15 municípios são da região do Araguaia e mais seis da região de Carajás.

Principais dificuldades

As principais dificuldades para fundação das seccionais literárias, segundo Paulo Poeta, é encontrar pessoas que tenham realmente compromisso de participar de uma instituição literária. “Fazer parte de uma instituição dessas, requer participar de reuniões, discutir os tramites para o funcionamento da instituição, esta é a grande dificuldade, reunir pessoas que estejam de fato interessadas a participar destes processos. A falta de participação das pessoas esta é a dificuldade maior, pois anunciamos essa reunião há uma semana e não apareceu quase ninguém”, frisou. 

Comparativo dos movimentos literários nos municípios da região de Carajás

O Movimento literário de Parauapebas, a vista do movimento organizado em Eldorado do Carajás, Curionópolis e Canaã dos Carajás não tem desenvolvido enquanto organização literária. De acordo com os comparativos realizados por Paulo Poeta, os municípios de Eldorado, Canaã e Curionópolis apresentam uma articulação maior. “Apesar destes municípios estarem começando agora, o movimento e articulação de escritores estão muito fortes com pelo menos 20 escritores em média, em cada.  Já em Parauapebas, não conseguimos reunir nem mesmo 15 escritores”, disse Poeta.

Ainda segundo o escritor o que falta aqui em Parauapebas é uma articulação melhor do movimento literário.  Venho me dispondo, desde o primeiro momento, tanto como escritor, presidente da ASPER e também Presidente Regional da Academia Regional de letras, ajudar este povo a se articular, realizar reuniões e discutir a literatura, porque nós temos um cenário político favorável,  haja vista que o secretário municipal de cultura tem interesse de incentivar a produção literária no município”, informou.

Mas para isso, de acordo com Poeta é necessário que os representantes do seguimento se unam para que a associação seja fortalecida. “Vai ficar difícil da gente pleitear algum objetivo concreto para o movimento caso não haja união. Se nos reunirmos através de antologias que atinge um número de 100 a 150 escritores, teríamos um poder maior de negociação e de conseguir atingir um objetivo dentro do seguimento da literatura no município”.

Lançamento do projeto de Editais de livros

Para finalizar o presidente da ASPER, informou que com o objetivo de inovar e incentivar as produções literárias, a ASPER irá lançar o projeto de editais de livros. O edital será lançado em abril e irá contemplar escritores de toda região.

“A partir de abril será lançado editais para a participação de escritores em antologias permanentes. O edital será lançado dia 02 d abril e será aberto para produções literárias regionais”.

A principio Poeta explica que o projeto de editais de livros irá funcionar da seguinte forma:

As inscrições serão feitas por e-mail, onde o autor irá informar seus dados, juntamente com o texto de sua produção; este texto será analisado por uma comissão e, se aprovado, o escritor pagará uma taxa que irá ser usada para custeio da publicação impressa e também da disponibilização em plataformas digitais”, explicou.

(Ingrid Cardoso)

Em alusão ao Dia Internacional da Mulher, comemorado mundialmente no dia 08 de março e consequentemente aos trabalhos do 29º Encontro da Mulher de Parauapebas, a Câmara Municipal realizou nesta sexta-feira, 15, uma sessão solene em comemoração a estas datas. Na oportunidade cada parlamentar da Casa de Leis, teve a oportunidade de homenagear duas mulheres com atuação de destaque no município.

No uso de suas atribuições como parlamentar, o Vereador Rafael Ribeiro escolheu como homenageadas as funcionárias públicas, Eva Maria de Jesus Lima e Carmen Lucia Santos Melo Araújo, ambas pioneiras da cidade.

Eva Maria de Jesus Lima

A história de Eva Maria de Jesus Lima, se assemelha a de tantas outras milhares de pessoas que, no início dos anos de 1980, escolheram Parauapebas para construir suas vidas. Em 1985, a senhora Eva Maria chegou no Município, vinda de Mara Rosa/GO.

Era o momento em que se discutia, por todos os cantos, a necessidade de emancipar Parauapebas. A senhora Eva Maria, não hesitou em apoiar e se envolver no movimento que, em 1988, foi vitorioso. Desde então, Eva Maria tem participado com afinco da construção desta cidade. Ao longo dos últimos 26 anos, ela tem sido funcionária pública exemplar, querida por seus colegas de trabalho e admirada por todos os que convivem com ela.

 Tecnóloga em Saúde Pública, formada pelo Centro Federal de Educação e Tecnologia do Pará (CEFET/PA), Eva Maria escolheu Parauapebas para viver e criar suas duas filhas e três netos.

“Por ser uma das pioneiras da nossa cidade e por seu exemplo de dedicação à construção de Parauapebas, me sinto honrado em indicar a senhora Eva Maria de Jesus Lima, a receber esta singela e justa homenagem pela comemoração do Dia Internacional da Mulher” disse Rafael Ribeiro em seu pronunciamento direcionado a Eva Maria.

 

 Carmen Lucia Santos Melo Araújo

Residente em Parauapebas há 30 anos, Carmen Lucia Santos Melo Araújo veio com a família para trabalhar na Consol Consultoria e Engenharia, empresa prestadora de serviços para a Companhia Vale do Rio Doce, hoje, VALE. A identificação com a região foi imediata e Carmen acompanha o crescimento do município desde sua emancipação até os dias atuais. A partir de 1989, através do Centro Espírita Aprendizes do Evangelho, passou a desenvolver diversas atividades filantrópicas e assistenciais, buscando cuidar daqueles mais carentes. Em 1997, Carmen foi convidada e aceitou fazer parte da gestão pública. Passando por diversos cargos, onde sempre demonstrou que competência e eficiência podem e devem andar juntas com a sensibilidade para atender a todos que necessitam dos serviços públicos.

Enquanto desenvolvia suas atividades profissionais e humanitárias, Carmen construiu a vida em Parauapebas, onde criou os filhos e os educou para que, além de profissionais, se tornassem cidadãos plenos.

“A dedicação e a contribuição de Carmen Lúcia Araújo para o desenvolvimento de Parauapebas são, assim, facilmente comprováveis, o que a habilita a receber essa homenagem da cidade, que ela ajudou a construir”,  disse o parlamentar enquanto direcionava a fala pra ela.

Wanterlor Bandeira é o mais novo Secretário Municipal de Obra de Parauapebas. O anúncio foi realizado oficialmente nestas quarta-feira (13) durante uma coletiva à imprensa no centro administrativo. O ex-vereador e importante articulador político, Wanterlor tem vasta experiência na administração pública e no Governo Darci, já liderou a pasta da segurança (SEMSI) e por último assumiu a diretoria administrativa da câmara municipal.

Durante a cerimônia se fizeram presentes autoridades do poder Executivo e Legislativo, dentre eles o prefeito Darci Lermen, que assinou o decreto, empossando Wanterlor como Secretário Municipal de Obras, Vereador Luís Castilho, presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, vereadores Brás, Pavão e Zacarias.

“A tarefa é árdua, mas nós não temos medo de serviço, vamos trabalhar muito”, disse o novo secretário durante discurso, agradecendo ainda a presença de todos os presentes. “Sabemos que a tarefa é árdua devido a grande necessidade de obras para todo o lado para se fazer pois a cidade cresce, o tempo é curto   a secretaria de obras estará de portas abertas tanto para a população como para os demais secretários. Nenhuma ação aqui ficará sem respostas, tudo que for referente a obras e serviços aqui no município será bem esclarecido”, frisou o secretário.

Ainda segundo Wanterlor, durante sua gestão irá abrir um canal de comunicação com a população para que denúncias, cobrança de ações e apresente sugestão para o governos sejam repassadas á gestão de forma direta. 

“Nós queremos acertar no governo, fazer um ajuste findo, para que a possamos seguir em frente principalmente com a obras estruturantes que nós vamos realizar ainda nesta cidade. Temos desafios extraordinários na área de saneamento, educação, saúde e, claro, a secretaria de obras tem a ver com tudo isso”, frisou o prefeito.

Sobre o pedido de exoneração de Silvana Farias, então secretária da SEMOB, Darci informou que o pedido partiu dela, para tratar de assuntos pessoais. “Agradeço a Dona Silvana pelo trabalho prestado. Ela me entregou a carta de afastamento por questões pessoais, então, pela grande bagagem profissional e experiência, resolvemos chamar o Wanterlor para assumir a pasta. O conheço há muito tempo, já militamos juntos politicamente, e hoje estamos aqui assumindo mais um grande desafio”, disse.

Em entrevista Wanterlor Bandeira explicou que a sua linha de ação neste primeiro momento é entrar com medidas paliativas de organização para ajeitar o vias, que nesta época do ano se desgastam devido às chuvas. “Vamos colocar as máquinas nas ruas para tapar os buracos e valas abertas conta das fortes chuvas comuns nesta época do ano”, explicou

Sobre a sua expectativa de trabalho, Wanterlor frisa que a sua experiência de mais de 20 anos ajuda a agilizar os serviços. O conhecimento adquirido durante sua trajetória política e administrativa colabora na identificação de problemas e na gestão deles.

Cronologia da carreira política e administrativa do atual secretário de obras., Wanterlor Bandeira:

2005 a 2008- vereador ; 2010 a 2012 -Diretor da câmara; 2015 a 16 - chefe se gabinete e diretor do Saaep; 2013- diretoria administração da SEMOB; 2017 a 2019 - Semsi; 2019 - diretor administrativo da câmara e secretário municipal de obras.

 

O acesso aos diretos da juventude de Parauapebas sempre foi uma das principais bandeiras levantadas pelo vereador Rafael Riberio (MDB). Enquanto Coordenador Municipal da Juventude defendeu e apoiou projetos e que até hoje viabilizam a prática de políticas públicas para os jovens parauapebenses.

Na sessão ordinária desta terça-feira (12), na Câmara Municipal de Parauapebas, o parlamentar voltou a propor melhorias para o público juvenil da cidade e solicitou que a prefeitura municipal proceda com a realização da segunda edição do “Diagnóstico da Juventude”.

O Diagnóstico Municipal da Juventude é a base para os trabalhos realizados pela Coordenadoria Municipal da Juventude, assim como também, é uma ferramente para contribuir com os  trabalhos de entidades e grupos atuantes na defesa da garantia do acesso aos direitos dos jovens, garantidos por lei.

Rafael Ribeiro enfatizou que levando em consideração a grande população jovem de Parauapebas, há a necessidade de estudo e sistematização de dados que possam direcionar políticas públicas, que surtam efeito positivo e eficazes para as reais necessidades deste segmento, a curto, médio e longo prazo.

“Índices, perspectivas, situação atual dos jovens de 15 a 29 anos, programas e ações já executadas no município, mostram informações essenciais para as atividades voltadas esse público. Contudo o Diagnóstico da Juventude nos norteará a como minimizar custos e obter resultados que satisfaçam a real necessidade”, disse o Rafael Ribeiro.

Pavimentação Asfáltica para os bairros Linha Verde e Esplanada.

Na oportunidade o legislador solicitou que a prefeitura municipal por meio da Secretária Municipal de Obras (SEMOB), agora sobre nova gestão, execute trabalhos de drenagem e pavimentação asfáltica nas ruas dos bairros Linha Verde Esplanada.

Na justificativa o vereador explanou que os respectivos bairros existem desde 2005 e contam com uma Faculdade com grande número de estudantes e que as ruas dos respectivos bairros necessitam com urgência de pavimentação asfáltica, pois encontram-se em precário estado, gerando transtornos na trafegabilidade.

As proposições foram todas aprovadas e agora seguem pra analise e posterior aprovação do Prefeito.

Moradores do Bairro Primavera, em Parauapebas realizaram uma manifestação na Câmara Municipal durante a sessão desta terça-feira (12). Eles pedem respostas da prefeitura sobre o que será feito da Escola Primavera, tendo em vista que a mesma foi desocupada no início do ano para reforma e até o momento não foi entregue a comunidade, muito menos receberam um parecer da SEMED sobre o destino do prédio.

Em entrevista, Lúcia Ramos, moradora do Bairro Primavera há mais de 30 anos,  disse que teme pelo fechamento da escola, pois os moradores do bairro já procuram a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) para que a mesma explique qual será o futuro  do prédio  da escola e desde o início do ano ainda não tiveram nenhuma resposta.

Lúcia destacou que a Escola Primavera é uma conquista da comunidade e que a falta de resposta das autoridades deixa a comunidade apreensiva sobre o caso. “Nós queremos que a escola retorne às atividades aqui, onde sempre foi. Cerca de 350 alunos foram transferidos para outra escola e a justificativa que nos deram é que o prédio passaria por reformas, mas até hoje não foram concluídas. Uns falam que o prédio será desativado, outros falam que vão mudar a escola de lugar, só que nós não temos nenhum posicionamento oficial da prefeitura ou da secretaria”, disse Lúcia.

A Escola Municipal Primavera foi construída durante o governo do prefeito Faisal Salmen e inaugurada em 1992 pelo então prefeito Chico das Cortinas. Atualmente o local está sendo usado com abrigo para as famílias que foram desmobilizadas de duas residências pela Defesa Civil por conta das chuvas dos últimos dias.

A nossa equipe entrou em contato com a Secretaria Municipal de Educação para que a mesma se manifestasse sobre o caso e ainda estamos aguardo o posicionamento da mesma.

 

Lúcia Ramos disse que a Escola Primavera é uma conquista da comunidade.

Os manifestantes usaram cartazes durante a sessão da câmara municipal.

 

(Por Fernando Bonfim)

Com quase 04 metros acima do nível normal, a cheia do Rio Parauapebas já obrigou mais de 300 pessoas a deixar as suas residências. A cheia repentina pegou a muitos de surpresa e tem feito com que a Defesa Civil intensifique os trabalhos nas áreas de risco iminente. Foi o que afirmou o Coordenador da Defesa Civil de Parauapebas, Jales Santos, durante uma entrevista ao Portal Carajás o Jornal, nesta segunda-feira (11).

De acordo com a Defesa Civil, cerca 350 pessoas já tiveram que deixar as suas casas sendo que destes, apenas 11 famílias (cerca de 39 pessoas) estão alocadas no abrigo da prefeitura. As demais estão em casas de parentes ou aluguel social.

A principal linha de atuação da Defesa Civil tem sido nos pontos que ofereçam riscos iminentes de alagamento e desmoronamento, em especial nos bairros Primavera e Liberdade II. Até o momento o órgão já atendeu a 08 chamadas para casos de desmoronamento.

A previsão do tempo é de mais chuva a qualquer hora do dia durante toda a semana. Qualquer anormalidade no terreno ou alteração repentina no nível de águas dos afluentes entre encontrado com a Defesa Civil de Parauapebas através dos telefones (94) 3356-2594 ou 199.

 Jales Santos, Coordenador da Defesa Civil de Parauapebas. 

A água atingiu várias ruas do Bairro Liberdade II.

 

Desde as 04h da manhã desta segunda-feira (11) cerca de 150 manifestantes moradores das comunidades Palmares I e II, entre homens e mulheres ocuparam a Rodovia Faruk Salmen para realizar uma manifestação pacífica com o intuito chamar a atenção da Mineradora Vale a restabelecer um diálogo com os moradores, tendo como pauta principal o acesso ao mercado de trabalho, assunto que vem sendo discutido desde 2013, segundo os protestantes.

Entre as problemáticas levantadas pelos manifestantes estão a distância em que o SINE-Parauapebas (Sistema Nacional de Emprego) está das comunidades das vilas Palmares I e II, uma vez que a distância representa um grande fator limitante de mulheres e pais de família a se candidatar a uma vaga de emprego disponibilizada pelo Sistema.

Em entrevista com um dos líderes da manifestação, Evaldo Fidelis, explica: “quando libera qualquer vaga no sistema, até o pai de família sair de sua casa e se locomover até o SINE já não consegue mais se candidatar à vaga. Além disso, o SINE, até este momento, ainda não consegue chegar na comunidade”, disse.

Ainda segundo Evaldo, a única forma encontrada para resolver o problema é buscando diálogo com a Vale e suas terceirizadas, na expectativa de que essas vagas de emprego possam contemplar trabalhadores das comunidades mais distantes do centro urbano. “Uma parte poderia ficar no centro urbano, por que tem a maioria de trabalhadores e uma porcentagem seria dividida entre as comunidades ao longo da ferrovia.  Neste sentido estamos fazendo esse debate na expectativa de construir esse relacionamento enquanto a política não chega”, sugeriu Evaldo.

Além de sugestões da divisão das ofertas de emprego, os manifestantes também buscam por respostas da mineradora sobre os planos de ação da Vale, caso ocorra um desastre ambiental semelhante a mina de Feijão, em Brumadinho-MG. “Se por ventura vir a acontecer em Carajás, qual será a ação e métodos que a Vale irá usar para o atendimento e o que deveríamos fazer para minimizar ou mesmo evitar que isso aconteça?”, questionou.

De acordo com os manifestantes o resultado da manifestação é reunir com a gerencia da Vale, na portaria ainda hoje, para consolidar um acordo acerca das pautas levantadas, no intuito de resolver e desbloquear a rodovia.

Evaldo informou ainda que a ação se trata de uma manifestação pacífica não interferindo desta forma, na passagem das pessoas que necessitam do acesso. “Como estamos em uma manifestação pacífica, bloqueamos apenas um lado da via, deixando os produtores, moradores, ambulância e qualquer outro tipo de trabalho da comunidade pública passarem pela barreira”.

Em nota a Vale informou que tem sido realizada efetiva contratação de moradores das áreas de influência onde atua.

Confira a nota na íntegra.

A Vale ressalta que tem sido realizada a efetiva contratação de moradores das áreas de influência do empreendimento, que, inclusive já estão atuando nas obras de construção. A empresa tem também mantido a orientação às empresas contratadas para mediação e contração por meio do Sine. Cabe esclarecer que qualquer processo de contratação segue a legislação brasileira e varia conforme cronograma das obras, da disponibilidade de vagas, da qualificação técnica e/ou experiência exigida para cargo.

 Sobre as barragens

A Vale esclarece que todas as barragens da Vale no Pará empregam solo compactado em sua construção, diferente da metodologia à montante, que utiliza o próprio rejeito. Os monitoramentos são feitos de modo constante. Todas as estruturas estão estáveis, operando normalmente e com o seu fator de segurança operacional dentro do que determina a legislação.

Muitos motoristas e caminhoneiros tentavam pegar a contra-mão para evitar a interdição

.

A Secretaria Municipal da Fazendo de Parauapebas, por meio do meio do Departamento de Arrecadação Municipal (DAM) informou na manhã desta sexta-feira (08) que o Alvará Digital 2019 para empresas comerciais, industriais, prestadoras de serviços agroindustriais e demais pessoas jurídicas já está disponível. O Alvará, que já está disponível a partir de hoje, poderá ser emitido diretamente pela plataforma de gestão de tributos municipais disponível no endereço parauapebas.desenvolvimento.com.br

Saiba mais:

 

De acordo com a Associação Brasileira de Vaquejada, cada competição envolve cerca de 270 profissionais, onde gerou somente em 2018, 120 mil empregos no Brasil.

 

Com a visão de potencializar a prática desse esporte em Canaã dos Carajás, o Vereador Anderson Mendes solicitou por meio de proposição, Câmara Municipal, que a prefeitura proceda com a construção de parque de vaqueja na cidade para que o esporte possa ser praticado com segurança a nível de competição nacional.

 

O legislador afirmou que a construção de um parque de vaqueja no município tem benefícios econômicos e culturais. “A prática da vaquejada se tornará uma importante alternativa econômica para a cidade. Canaã poderá fazer parte do circuito nacional e quando acontecem eventos, neste sentido, a economia é aquecida, pois atrai pessoas de fora. Ganha o dono do hotel, do salão, o proprietário da loja de roupas, todos ganham”, disse o vereador.

 

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink

Vídeos

Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016