Gaspar Viana: Telhado de escola estadual desaba em Marabá Destaque

O telhado de um dos blocos da Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) Gaspar Viana, uma das mais importantes de Marabá, e uma das maiores da Seduc na cidade, desabou no final de semana. Por muita sorte, o sinistro não aconteceu em horário de aula e, portanto, não teve feridos. Apesar disso, o acontecido foi visto pela comunidade e principalmente por educadores como um fato gravíssimo e que merece, inclusive, responsabilização.

Desde o ocorrido, no sábado, funcionários foram colocados de prontidão de frente para a porta da escola e não permitem o acesso de ninguém não autorizado às dependências. Quando questionados sobre o que acontecem também não respondem, dando a entender que receberam ordens nesse sentido.

Portal Correio levantou que no bloco em questão funcionam, conjugados: a Biblioteca, Laboratório de Informática e Laboratório Multidisciplinar. O telhado caiu no sábado (19) à tarde, especificamente sobre a sala que abriga a Biblioteca e que fica ao lado da quadra esportiva.

Chama atenção que o bloco do telhado caído é justamente o mais recente da escola, construído em 2011 e, portanto, deveria ser o mais seguro nesse sentido.

Mestre em Letras, o professor Aurismar Queiroz, por meio de blogue que mantém para discutir questões da Educação em Marabá, se disse indignado e que o Governo do Estado precisa assumir suas responsabilidades e dar respostas urgentes à comunidade sobre o ocorrido.

“Querem abafar o caso, não dá muita importância. Aposto que vai dizer que o problema foi pontual, na parte que estava comprometida. Isso é mentira! Todo o restante corre o risco de cair. Reitero que precisamos observar também a situação da Escola Plínio Pinheiro. O que o Estado faz, irresponsavelmente, aqui em Marabá é adiar uma tragédia”, escreveu Aurismar.

A escola Gaspar Viana está sem aulas desde o dia 5 de maio, quando os educadores aderiram à greve estadual da categoria. Fora as questões salariais, a greve nessa escola também tem a ver com as péssimas condições relatadas por professores e alunos. Transformada em escola de tempo integral em 2018, a Gaspar Viana não tem estrutura adequada ao novo perfil, como refeitório e vestiários. (Da Redação)

 

NOTA DA SEDUC

“Uma equipe da Secretaria de Educação (Seduc) está sendo enviada, neste domingo (20), para Marabá, para iniciar o levantamento das causas do desabamento da escola Gaspar Viana, ocorrido neste sábado (19).

Uma empresa iniciará as obras de reparo imediatamente.

A Escola é uma das quatro, localizadas no município, com projeto de reforma em andamento, cuja licitação será aberta no dia 15 de junho.

Além da Gaspar Viana, a Seduc vai reformar, em Marabá, as escolas Gabriel Sales Pimenta, Liberdade e Plínio Pinheiro. [Ascom/Seduc]”

 

(Correio de Carajás)

Avalie este item
(0 votos)

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2018gk-is-100.jpglink

Vídeos

Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016