Motorista de Uber fala das dificuldades para trabalhar em Parauapebas Destaque

O Uber é uma forma segura e rápida de transporte alternativo nas grandes metrópoles. Em Parauapebas este meio de locomoção passou a ser utilizado de forma oficial em outubro de 2017, mas até hoje, quase um ano depois, ainda há empasses que dificultam o trabalho da classe. De acordo com os condutores, o alto preço dos combustíveis e a insegurança são os principais desmotivadores para quem quer trabalhar no ramo. Um dado da empresa aponta que existem cerca de 190 Ubers em Parauapebas.

Sobre o Uber 

O Uber é uma empresa multinacional americana prestadora de serviços eletrônicos na área do transporte privado urbano, através de um aplicativo de transporte (Uber) que permite a busca por motoristas baseada na localização, oferecendo um serviço semelhante ao táxi tradicional, conhecido popularmente como serviços de "carona remunerada".

A equipe de reportagem do Portal Carajás o Jornal entrevistou um motoristas da Uber, que  atua em Parauapebas há alguns meses. Ele falou um pouco das dificuldades que encontrou na “Capital do Minério” para conseguir trabalhar como motorista pelo aplicativo aqui na cidade.

Mário Douglas falou que conheceu o Uber na capital do estado em uma viagem de férias no ano passado. “Eu conheci a Uber em Belém e lá e me cadastrei e comecei a trabalhar”, disse.

Veja alguns dos impasses encontrados pelos motoristas do aplicativo no município:

Alto preço da gasolina

Mário informou que usa o Uber como sua principal fonte de renda em Parauapebas e afirma que uma das principais dificuldades que encontra é o alto preço da gasolina. “Nós pagamos quase R$ 5,00 por litro do combustível”, afirmou. Ele ainda acrescenta que, mesmo tendo o apoio da população, a classe não tem recebido incentivo dos políticos do município. "Dos vereadores, apenas Rafael Ribeiro (MDB) nos apoia.”

O “Uberista” também fala que outra dificuldade bastante vivenciada pela classe é a falta de pavimentação asfáltica nas ruas. “Como as corridas tem um valor reduzido, muitas vezes não compensa para o motorista fazer algumas rotas, pois pode acarretar em problemas na estrutura do carro, e isso acaba criando insatisfação por parte dos clientes, pois quando aciona o Uber e o mesmo acaba não indo, por causa desses problemas”, diz.

Ele ainda destaca que em lugares onde o motorista encontra dificuldades de acesso. “A Uber não obriga porque o carro é do condutor e a empresa não paga nada se por ventura o carro quebrar em uma rota”, destaca.

Solicitações não entendidas      

O motorista declara que algumas solicitações não são atendidas tendo em vista a distância do percurso até o usuário e a distância do percurso a ser percorrido. “As solicitações distantes acabam dificultando o atendimento, pois muitas vezes não conseguimos atender. Por exemplo, imagina eu atender um usuário que está me acionando  há 5 km de distância, quando eu chegar até  o passageiro, provavelmente terei que percorrer outros 5km, juntando as duas distâncias dará um total de 10km e este percurso todo vale apenas R$ 6,75 (taxa mínima).  A viagem não compensa se formos levar em consideração gasto com combustível, a via, o local e a segurança”, explica Mário, sendo este, o  motivo pelo qual os usuários chamam os carros e eles não atendem. Ele ainda acrescenta que  devido à redução na demanda de passageiros a maioria dos motoristas trabalha apenas durante o dia ou até no máximo às 00h. 

Retaliação

Mário explica ainda sobre as retaliações sofridas pela classe. “Houve muitas situações pela qual eu passei com os taxistas, muitas vezes eu fui agredido, meu carro já até foi vandalizado com riscos escrito “fora Uber”, enfim tudo foi denunciado conforme o meu direito na justiça, mas hoje percebemos a diminuição nessa retaliação por parte dos taxistas. Depois da atividade de Uber ser regulamenta pelo presidente no dia 28 de Março, já conseguimos trabalhar muito bem.

Para finalizar, Mário fez um apelo à população de Parauapebas para que se posicionasse a favor dos Ubers no município e que os ajudassem com as avaliações no APP.

Já o usuário do serviço, Matheus Oliveira, técnico em informática falou um pouco das vantagens do serviço oferecido pelo Uber. “Quando conheci o aplicativo achei bem interessante pelo fato de termos disponível todas as informações da pessoa que presta o serviço, coisas que não vemos no caso dos taxistas, por exemplo. Outra vantagem é se caso esquecer algum objeto, documento ou o celular dentro de um táxi, é quase impossível recuperar, por que não sabemos nada da pessoa que fez o serviço, mas no caso do Uber podemos entrar em contato pelo o aplicativo. Estas são coisas que trazem segurança  para o passageiro e também para o motorista. Além disso, o preço é bem mais em conta”, completou Matheus. 

(Reportagem: Fernando Bonfim)

 

Avalie este item
(0 votos)

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2018gk-is-100.jpglink

Vídeos

Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016