A mais nova “lista suja” do trabalho escravo no Brasil traz nada menos que 209 empresas e pessoas físicas, sendo que 21 estão localizadas em municípios do sul e sudeste do Pará. Marabá, com 2, e Parauapebas, com uma propriedade rural, entraram no famigerado cadastro, atualizado no dia 8 deste mês de outubro. Nessas 21 propriedades, a equipe de fiscalização libertou 146 pessoas que eram submetidas a condições análogas à de escravo.

A “lista suja” é uma base de dados mantida pelo Ministério do Trabalho e pelo Ministério dos Direitos Humanos, criada em novembro de 2003. A lista expõe casos em que houve foram resgatadas pessoas em condições consideradas análogas à escravidão. As empresas na lista suja deste ano foram fiscalizadas entre 2005 e 2018.

O chefe da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo, Maurício Krespsky Fagundes, destaca que antes de entrar na lista suja os empregadores têm direito de se defenderem em duas instâncias administrativas no Ministério do Trabalho. “É oferecido amplo direito de contraditório e defesa do empregador”, destaca Fagundes.

Os empregadores envolvidos permanecem por dois anos na relação. Caso façam um acordo com o governo, o nome fica em uma “lista de observação” e pode sair depois de um ano, se os compromissos forem cumpridos.

Quatro elementos definem a escravidão contemporânea no Brasil hoje. O trabalho forçado, que cerceia o direito de ir e vir, é apenas um deles. Há ainda a condição degradante, a jornada exaustiva e a servidão por dívida, quando a pessoa precisa continuar trabalhando para pagar dívidas com o patrão.

O cadastro tem sido utilizado para análise de risco por investidores e bancos públicos e privados. Além disso, há empresas brasileiras e internacionais que evitam fechar negócios com esses empregadores.

Abaixo, acompanhe os nomes e localização das 21 propriedades do sul e sudeste do Pará flagradas com trabalhadores em condições análogas à escravidão:

1)    Fazenda Campos Altos/Garimpo Casarão – Rod. PA 279, km 80, zona rural, Água Azul do Norte/PA =- 13 trabalhadores

2)    Fazenda Vale Grande – Vicinal do Sapo, km 43, São Félix do Xingu/PA  – 4

3)    Fazenda Três Irmãos – Rod. PA 150, km 65, zona rural, Conceição do Araguaia/PA – 2

4)    Fazenda Leandra – vicinal Lontrão, km 26, Gleba Empenho, Pacajá/PA – 2

5)    Carvoaria do Carlinhos – Rod. PA 150, Estrada Santo Antônio, km 21, Goianésia do Pará/PA – 11

6)    Garimpo da Fazenda Santa Lúcia, Distrito de Casa de Tábua, Santa Maria das Barreiras/PA – 12

7)    Fazenda Água Limpa – zona rural, Santa Maria das Barreiras/PA – 4

8)    Chácara Saudades de Minas e Fazenda Abaram – Vila São Sebastião, zona rural, Itupiranga/PA – 1

9)    Fazenda Estrela D’Alva, rodovia PA 150, km 60, zona rural, Jacundá/PA – 3

10)  Fazenda Vitória, vicinal 45, povoado Quatro Bocas, zona rural, Novo Repartimento/PA – 10

11)  Fazenda Cássios e Marias, vicinal do Jeremias, Km 66, Projeto de Assentamento Rainha da Paz, gleba Catitú, lotes 35, 36 e 39, zona rural, Rondon do Pará/PA – 14

12)  Fazenda Maria de Jesus – Estrada do Rio Preto, km 220, Estrada da Vicinal de Valência, zona rural, Marabá/PA – 6 – empregador Manoel Alves de Sousa

13)  Fazenda Boa Vista – Rod. PA 153, km 22, zona rural, São Domingos do Araguaia/PA – 11

14)  Fazenda Abaram, vicinal São Sebastião, zona rural, Itupiranga/PA – 9

15)  Fazendas União, Arataú, Silvestre e Castanheira – Vicinal 220 Sul, Vila União, Vicinal Capivara, 10 km, Novo Repartimento/PA – 7

16)  Fazenda Mula Perdida – Estrada do Riozinho II, 40 km do Distrito de Pista Branca, zona rural, Bannach/PA – 4

17)  Fazenda JK – Região da Vila Canopus, Vicinal Jabá, km 25, zona rural, São Félix do Xingu/PA – 4

18)  Fazenda Catuxo, Colônia Paulo Fonteles, Estrada Santa Cruz, Km 41, zona rural, Parauapebas/PA – 6

19)  Fazenda Triunfo, estrada do Rio Preto, Km 02, próximo da Vila Três Poderes, zona rural, Marabá/PA – 3

20)  Fazenda Serra Dourada – Estrada da Cutia, vicinal da estrada Primavera, a 22 km da Vila Central, zona rural, São Félix do Xingu/PA – 11

21)  Fazenda Maria Eduarda (Serra Dourada) – Vila Central, Vicinal Cotia, 20 km, São Félix do Xingu/PA – 11

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Fonte : Zé Dudu 

Nestas eleições de 2018, realizada no último domingo (07) cinco candidatos que representarão o sul e sudeste, na Assembleia Legislativa do Pará, foram eleitos pelo povo paraense, porém estas mesmas regiões continuarão sem representatividade na Câmara dos deputados, em Brasília.

Três dos candidatos a estadual eleitos, são de Marabá, são eles: Dirceu Ten Caten (PT), que assumirá seu segundo mandato em 2019, Toni Cunha (PTB) e Chamonzinho (MDB) que representa não só Marabá, sua cidade Natal, mas também Curionópolis onde já foi prefeito e Parauapebas, cidade onde reside atualmente e mantém uma filial de sua empresa do ramo da comunicação.

  

Dirceu Ten Caten (PT).........Toni Cunha (PTB) ............. Chamonzinho (MDB) 

Redenção também terá representatividade com Alex Santiago (PR) e São Félix do Xingu com Delegado Caveira (PP). Parauapebas, por sua vez, não elegeu nenhum representante direto, quem chegou mais perto de assumir uma cadeira na ALEPA foi o ex-prefeito Valmir Mariano (PSD), que recebeu do eleitorado paraense, 22.616 votos.

  

Alex Santiago (PR).............. Delegado Caveira (PP).........Valmir Mariano (PSD) 

Seguindo a lista de candidatos mais votados de Parauapebas aparecem Gesmar Costa (PSD), que recebeu 15.771 votos, sendo que só em Parauapebas o candidato recebeu 9.791 mil votos, Já Marcelo Parceirinho com 10.452 na contabilidade geral e 9.916 votos somente no município.

 

Gesmar Costa (PSD)............Marcelo Parceirinho 

 Confira a lista candidatos a deputado estadual de Parauapebas e a respectiva quantidade de votos no estado e no município:

Evaldo Fidelis (PSOL)- total de votos- 4225 /votos em Parauapebas: 3.111;

 

Chico das Cortinas (PRB): total de votos -4.072  / votos em Parauapebas: 3.797;

Gildo Bolsonaro (PSL): total de votos: 6.331/ votos em Parauapebas: 2710;

Fabio Sacramento (PPS): total de votos- 1.683/ votos em Parauapebas- 1181;

Raimundo Moura (PSOL): total de votos- 1.557 votos em Parauapebas- 1089;

Alice Rodrigues (PTB): total de votos- 3.154 votos em Parauapebas -621;

Melo (Avante): total de votos- 672 /votos em Parauapebas- 620;

Torquete Xicrin (PT): total de votos- 1.240 /votos em Parauapebas- 615;

Carteiro Everaldo (PT):  total de votos- 894/votos em Parauapebas- 314.

Já para deputado federal, não só Parauapebas, mas toda a região do sul e sudeste do Pará ficou sem representatividade na Câmara dos deputados em Brasília. Isto porque a maioria dos eleitores do município votou em candidatos de outras regiões, sendo distribuído um número bastante expressivo, correspondente a 58.851 votos entre 116 candidatos de outas regiões do estado. Já os candidatos de Parauapebas receberam apenas 38.730 votos, distribuídos entre os seis candidatos a deputado federal do município.

Outro fator que ajudou bastante a não eleição de candidatos da cidade, foi a grande quantidade de votos nulos e brancos, que somam 54.535 votos. Desta forma, percebe-se o descrédito dos candidatos da cidade e a falta de conhecimento dos eleitores pela importância de eleger um representante da região que possa trazer recursos para a cidade, melhorando o seu desenvolvimento e contribuindo com o bem estar das pessoas.

Confira a lista candidatos a deputado Federal de Parauapebas e a respectiva quantidade de votos no estado e no município:

Joelma Leite (PSD): Total de votos: 18.003; Votos em Parauapebas: 16.579;

Miquinhas (PT): Total de votos: 12.372; Votos em Parauapebas: 8.989;

Wesley Martins (PSDB): Total de votos: 7.130/ Votos em Parauapebas: 3.071;

Leonice (PSOL): Total de votos: 6.161 votos em Parauapebas 5.100;

Claudio Almeida (PR): 5.436 / votos em Parauapebas: 1.717;

Francisca Ciza (DEM): 3.062 votos/votos em Parauapebas: 2.221;

Votos Frank James (PRTB): 1.309 /votos em Parauapebas votos 1.053.

 

(Ingrid Cardoso)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A central do Disque Denúncia Sudeste do Pará começou a funcionar 24 horas, foram necessários 15 dias de testes para verificar a viabilidade do funcionamento no período noturno, domingos e feriados, tendo em vista que anteriormente a central funcionava nos dias de segunda-feira à sábado, das 8h ás 20 horas, e agora com mais um turno, o serviço está disponível à população de forma ininterrupta.

Segundo a coordenadora Hellen Araújo, “É um momento muito importante para o Disque Denúncia estar funcionado 24 horas, acreditamos que esse é um grande avanço e a população só tem a ganhar com mais essa conquista. Não podemos deixar de agradecer aos parceiros do Disque Denúncia pelo apoio, em especial nesse momento a Prefeitura Municipal de Marabá que através da Secretaria de Segurança Institucional e o Departamento de Segurança Patrimonial tem apoiado o projeto como um todo, colocando como prioridade a segurança e possibilitando o crescimento do projeto no município”.

Ela enfatiza ainda que, “havia uma grande necessidade que o serviço funcionasse 24 horas, sendo que a noite, domingos e feriados, são períodos de muitas reclamações no que diz respeito aos crimes de Perturbação da Ordem Pública e Violência Doméstica”.

CRIMES MAIS DENUNCIADOS NA CENTRAL

Desde a implantação da central já foram recebidas mais de 124.732 mil ligações, sendo que os 10 crimes denunciados são:

Barulho 27%

Tráfico de Drogas 10%

Roubo/Furto a Transeuntes 5%

Consumo de Drogas 5%

Violência Contra Mulher 4%

Ameaça 3%

Reclamação de Produtos ou serviços defeituosos 3%

Posse ilícita de Arma de Fogo 3%

Lesão Corporal 2%

Suspeita de Roubo/Furto 2%

COMO DENUNCIAR?

Entrar em contato com o Disque Denúncia é bem simples, o serviço disponibiliza de vários canais de atendimento, o telefone fixo (94) 3312-3350, Whatsapp (94) 98198-3350 e o APP DISQUE DENÚNCIA SUDESTE DO PARÁ, em ambos os canais o denunciante tem o anonimato garantido.

Ascom/Disque Denúncia Sudeste do Pará.

 

A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) prepara a 6ª Mostra Universitária da Canção Paraense (Mucanpa), que será realizada nos meses de novembro e dezembro de 2018, nos municípios de Marabá, Rondon do Pará, Xinguara, São Félix do Xingu e Santana do Araguaia. A Mucanpa receberá inscrições pelo seguinte e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..br, no período de 5 de setembro a 5 de outubro, nas seguintes modalidades: número musical autoral solo, dueto, trio ou banda; exposição de trabalhos em artes visuais (desenho, fotografia, pintura, gravura, escultura e instalação); exibição de produção audiovisual em curta metragem; e performance de dança, teatro ou poesia.

 Podem participar estudantes de graduação e pós-graduação, professores e técnicos administrativos da Unifesspa, além de pessoas da comunidade externa, interessadas sem e apresentar na Mostra. A Mucanpa é uma ação cultural da Unifesspa, organizada pela Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis (Proex) composta por oficinas, exposições e shows musicais. De caráter multicampi, realizada nos municípios em que a Unifesspa tem campus instalado, evidencia as produções de músicos e artistas locais e regionais e contribui para o fortalecimento da cultura regional e a consolidação da música como estratégia pedagógica de ensino-aprendizagem e integração cultural nos mais variados espaços. 

Mais informações

6ª Mostra Universitária da Canção Paraense (Mucanpa 2018)

Realização: novembro a dezembro de 2018

Locais:  Marabá, Rondon do Pará, Xinguara, Santana do Araguaia e São Félix do Xingu

Período de inscrição: 5 de setembro a 5 de outubro, pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..br

Confira o Regulamento e acesse a ficha de inscrição no site: www.proex.unifesspa.edu.br

Contatos para entrevista: Ascom: 2101-7147

Mais informações: http://www.unifesspa.edu.br


 
 
 
Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2018gk-is-100.jpglink