Construindo Cidadania: Por que ser voluntário?

Construindo Cidadania: Por que ser voluntário? Imagem: reprodução.

Ser voluntário pode parecer uma atividade bem simples e fácil, mas é uma tarefa muito complexa, calma não é para te assustar, mas para você ter a realidade sobre fazer um trabalho voluntário.

Você tem vários motivos para fazer uma atividade voluntária:

Religiosidade – este é o motivo que mais leva as pessoas a pensarem e realizarem uma atividade voluntária no Brasil e nos países latinos de maioria católica. Não é só a igreja católica que leva as pessoas ao voluntariado, as religiões evangélicas têm trabalhos lindíssimos, em locais que poucos se disporiam a fazê-lo, como as penitenciarias, os espiritas e os ligados as religiões orientais tem o voluntariado como estratégia para aproximação com as pessoas e com a prática do bem para a elevação do espirito.

Retribuição – retribuir a sociedade o que recebeu de bom, um bom tratamento de saúde, uma boa escola pública, entre outros. Um sentimento de agradecimento move estas pessoas ao trabalho voluntário.

Treinar ou aprender outras habilidades – no mundo competitivo como o que vivemos, o trabalho voluntário traz novos aprendizados, como a pratica do trabalho em grupo, o exercício da economia, a empatia, o respeito a diversidade, entre muitas outras.

Melhorar o curriculum – Muitos desejam ter hoje em seu histórico de trabalho o exercício do trabalho voluntário para se destacar entre os concorrentes a uma vaga profissional, por todo o aprendizado e relacionamento com o ser humano.

Conhecer novas pessoas – O trabalho voluntario mobiliza as pessoas e faz com que conheçam muitos grupos fora do seu grupo habitual de convivência, grupos de classes sociais, formações, origens diferentes, propiciando maior interatividade. 

Fazer amizades – Claro que amizades são construídas no trabalho voluntário e por que não até amores.

Autoconhecimento - O trabalho voluntário é a melhor maneira de uma pessoa conhecer a si mesma. Ao entrar em contato com tantos problemas que precisam ser resolvidos, passam a entender o que realmente querem da sua vida e quais os objetivos.

Visão de mundo – O voluntariado é uma grande maneira de desenvolver a capacidade de fazer análises globais. Ao estar frente a frente com problemas que não fazem parte diretamente da sua realidade, voluntários podem perceber que o mundo é grande muitas coisas ainda precisam resolvidas.

Melhorar a comunicação - Para ser um bom voluntário, os voluntários precisam se comunicar com qualquer tipo de pessoa, desde crianças e idosos, passando por pessoas de classes sociais e regiões diferentes. Essa é a oportunidade perfeita para que melhorem a sua comunicação e possam conversar e compreender o que os outros dizem, habilidade importante para qualquer um.

Independente do motivo a escolha da causa é fundamental para a alegria na realização da atividade voluntaria, mas isso vamos escrever em outra coluna. Descubra o que te leva ao trabalho voluntário, ou não, escolha sua causa e faça parte da solução dos problemas do mundo, começando pelo seu pequeno mundo, pode ser seu jardim, sua rua, seu bairro, não importa, mas quem sabe sua pequena ação multiplicada por milhões pode sim mudar o mundo.

Que tal pensar no que te move?

 

Conheça mais sobre o autor: 

O autor é Roberto Ravagnani, palestrante, jornalista (MTB 0084753/SP), radialista (DRT 22.201), conteudista e Consultor de voluntariado e responsabilidade social empresarial. Voluntário como palhaço hospitalar há 19 anos, fundador da ONG Canto Cidadão, consultor associado para o voluntariado da GIA Consultores para América Latina, fundador da Aliança Palhaços Pelo Mundo, Conselheiro Diretor da Rede Filantropia e sócio da empresa de consultoria Comunidea. www.robertoravagnani.com.br

 

Avalie este item
(0 votos)