Vem ao menos meia dúzia de atletas para o Paysandu

Vem ao menos meia dúzia de atletas para o Paysandu Foto: Maycon Nunes

Tão logo a perda da terceira colocação pelo Paysandu no Parazão se consumou, com a derrota, nos pênaltis, para o Bragantino, o técnico Léo Condé, se reuniu na Curuzu com o presidente Ricardo Gluck Paul e outros dirigentes do clube. Na ocasião, cartolas e treinador deram continuidade as discussões em torno da montagem do elenco do clube para a disputa da Série C do Brasileiro, na qual o Papão estreia no dia 27, contra o Ypiranga-RS, na cidade de Erechim, no Rio Grande do Sul.

O treinador, que nada tem a ver com a montagem do atual elenco bicolor, idealizado e concretizado pelo diretor de futebol Felipe Albuquerque, que já vinha tratando do assunto de maneira interna. Após a partida, mas antes da reunião com a diretoria, Condé informou que, no mínimo, meia dúzia de novos atletas terá de chegar à Curuzu para, segundo ele, “reforçar do grupo”. “Precisamos de pelo menos umas seis peças para a gente chegar forte na Série C”, sentenciou. “Possivelmente esta semana deve estar chegando jogadores para reforçar essa equipe”, continuou o treinador.

Questionado sobre a contratação do atacante Leandro Cearense, que estaria acertando ou já acertado sua volta à Curuzu, o técnico procurou desconversar. “É um jogador interessante, mas o clube está avaliando uma série de jogadores”, declarou Condé.

MAU RESULTADO

O técnico também comentou a péssima campanha bicolor. “A campanha nessa reta final não condiz com a tradição do clube. É o momento da gente refletir. Estou chegando agora, mas junto com a direção a gente vai refletir, analisar e ver o que foi feito de bom até agora e o que não está funcionando”, comentou, já com olhar sobre a Série C. “A gente sabe, até por conhecer a divisão, que tem de melhorar nesses dois aspectos, o coletivo e o individual, para fazer uma competição consistente”, disse.

Pode soar estranho, mas para alguns jogadores, o time bicolor jogou o fino da bola no último sábado. É o caso do zagueiro Victor Oliveira. “Posso dizer que foi uma das nossas melhores partidas no campeonato. Criamos bastante, mas, infelizmente, não conseguimos vencer no tempo normal”, avaliou.

Clube bicolor sofre prejuízos em série com má fase

O time do Paysandu continua dando prejuízos aos cofres do clube. Após ser alijado da final do Parazão, que fez com que o Papão deixasse de faturar, por baixo, R$ 500 mil, no sábado (13), ao cair, por 5 a 3, diante do Bragantino, nas cobranças de tiros livres da marca do pênalti, a equipe bicolor encerrou sua participação no Estadual na quarta posição. Com isso, a premiação do clube, paga pelo Banpará, foi de pouco mais de R$ 50 mil, com o Braga, terceiro colocado, levando R$ 104 mil.

A derrota frente ao Tubarão também deixou, em princípio, o Papão fora da Copa do Brasil 2020, com a vaga ficando com o time do interior, de acordo com o regulamento do Estadual. Existe, porém, a possibilidade de a equipe bicolor entrar no torneio pelo ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), cujo anúncio será feito no ano que vem.

O Paysandu precisa montar um elenco superior ao atual, comprovadamente limitado, para a disputa da Série C do Brasileiro. A queda do time para a Terceirona abalou os cofres do clube.

 

(Nildo Lima/Diário do Pará)

Avalie este item
(0 votos)