Se depender da turma que está sendo formada em doces e salgados pela Celpa, as festas de final de ano estão garantidas. Por meio do Projeto Energia Profissional, a concessionária de energia está oferecendo o curso, gratuitamente, para clientes de baixa renda. Aulas teóricas e práticas são ministradas por professores capacitados que oferecem todas as técnicas para que os alunos possam ingressar no mercado, de forma diferenciada.


A doméstica Rosália Miranda Cardoso, tem demonstrado total encantamento durante todas as aulas. Atenta a cada detalhe, não esconde as expectativas de ter garantido uma nova fonte de renda para a família. “Essa iniciativa da Celpa é mais que uma parceria com o empreendedorismo, principalmente pra gente que tava fora do mercado e, agora, está tendo a grande chance de atuar no comércio informal”, destaca.


Taiane Silva é servente e foi uma das primeiras a se inscrever no curso. Ela quer garantir uma renda extra neste final de ano, quando a procura por doces e salgados aumenta por conta das confraternizações. “A Celpa está dando essa oportunidade para nós mulheres entrarmos no empreendedorismo e é tudo de graça. É muito difícil uma empresa fazer o que a Celpa tá fazendo: ajudando a gente a se profissionalizar. Tá sendo muito satisfatório, vou entrar para o mercado e ganhar dinheiro”, comemora.


Durante as aulas, ministradas no Senac, os participantes aprendem a fazer salgados como coxinhas, risoles, quibes e empadas. Já no que se refere a confeitaria, não falta a produção de doces como o famoso brigadeiro, com sabores variados, como a castanha de caju, por exemplo.


De acordo com a executiva de relacionamento, Sulamita Pereira, o objetivo do curso é criar novas oportunidades para os alunos. Só este ano de 2019, o Energia Profissional atendeu 120 clientes de Santarém, com cursos para os mais diversos setores, como Manicure/Pedicure, Design de Sobrancelhas e Embelezamento de Cílios, Cuidador de Idosos, entre outros. “Nosso objetivo é a capacitação dos nossos clientes, com o intuito de permitir que eles tenham garantido a inclusão no mercado de trabalho”, finaliza a executiva.​

Atenciosamente,
Relacionamento com a Imprensa e Mídias Sociais

Além de programação recreativa, os alunos da Escola Municipal Ester Ferreira, localizada no bairro de Ipanema, zona sul de Santarém, receberam instruções sobre segurança com rede elétrica.

Os cuidados devem começar em casa e se estender para dentro da escola. A proposta é garantir a segurança tanto nos horários de aula, quanto durante as brincadeiras, no período em que a criançada está de folga. Soltar pipa, por exemplo, hábito bastante comum na região, deve ter atenção redobrada. A orientação é que a brincadeira seja feita longe da fiação elétrica.

De acordo com a líder da área de segurança da Celpa, Elissandra Von Grapp , a empresa sempre aproveita os momentos recreativos para deixar a garotada bem informada. “Quando a criança é ensinada a praticar hábitos saudáveis, ela transfere todos os conhecimentos para os adultos, de forma voluntária, e os resultados são sempre satisfatórios”, comemora.

O Energia do Bem é o programa de voluntariado da empresa, no qual os colaboradores participam de atividades voluntárias em comunidades e instituições com fins beneficentes.

(Celpa)

 

Nesta sexta-feira, dia 23, a Celpa vai oferecer diversos serviços durante a III Ação Solidária OAB Parauapebas, que ocorre das 8h às 12h, no prédio da instituição, localizado na Rua D, no bairro Cidade Nova. Este é o segundo ano em que a concessionária é convidada a participar da ação, que sempre recebe um grande público.

Entre os serviços oferecidos estão a negociação e renegociação de débitos com condições flexíveis de pagamento, que, segundo o líder de cobrança da concessionária, Erik Soares, são oportunidades imperdíveis para o cliente regularizar suas pendências. “As ações que realizamos na comunidade são excelentes para o consumidor que deseja ficar em dia com a Celpa, pois conseguimos oferecer condições diferenciadas de parcelamento e descontos. A nossa intenção é fazer com que o cliente saia com seu problema resolvido e consiga cumprir a negociação até o final, utilizando os serviços da Celpa de uma maneira mais tranquila. Este é o segundo ano em que somos convidados para fazer parte desse projeto e não poderíamos deixar de participar”, destaca o líder.

Os clientes que foram até a Ação Solidária, também poderão trocar até cinco lâmpadas incandescentes ou fluorescentes por lâmpadas de LED, que são mais eficientes. Basta levar as lâmpadas antigas que estejam em funcionamento. Além disso, será possível se cadastrar no Programa Tarifa Social de Energia Elétrica, voltado para clientes baixa renda e que concede descontos de até 65% na fatura de energia, e ainda tirar dúvidas sobre assuntos relacionados ao consumo.

Fonte: CELPA

 

Situações em que o esforço para economizar energia elétrica não é recompensado com uma conta de luz mais barata, podem estar relacionadas ao fenômeno chamado "fuga de energia". Esse problema está diretamente ligado a falhas nas instalações elétricas internas, como problemas nos isolamentos das fiações do imóvel e em equipamentos antigos, como geladeira, ar condicionado e chuveiro elétrico. De acordo com especialistas, essa anormalidade pode influenciar em um aumento de até 50% na fatura.

O engenheiro eletricista da Celpa, Francisco Tiago Oliveira, explica que por menor que seja a fuga, ela já pode fazer a diferença no consumo mensal. “Uma fuga mínima de corrente em uma residência com instalação elétrica de 127 volts, pode representar um aparelho elétrico ligado 24 horas por dia. Isso com certeza vai gerar desperdício de consumo e um aumento significativo na conta de energia desse cliente”, explica Tiago.

É importante que o consumidor fique atento a alguns fatores que caracterizam a fuga de energia, como emendas de fios desencapados, fios não adequados para o tipo de instalação ou com isolação desgastada pela ação do tempo e até mesmo eletrodomésticos defeituosos. A geladeira é um exemplo de eletrodoméstico que pode se tornar vilão, pois se houver fuga de energia, onde o consumo do aparelho pode aumentar em até sete vezes.

COMO IDENTIFICAR – As instalações elétricas internas do imóvel não são de responsabilidade da Celpa. Então o ideal é chamar um profissional eletricista habilitado para fazer a vistoria na fiação da residência. Um teste fácil consiste em desligar todos os eletrodomésticos e verificar se o medidor continua registrando consumo. Em caso positivo, após esse procedimento é necessária uma avaliação para identificar o ponto da fuga de energia.

O vazamento de corrente, como também chamado, é comum em instalações elétricas antigas ou que não foram corretamente dimensionadas e foram criadas para suportar o uso de poucos equipamentos. “Nós orientamos que para evitar esse tipo de problema e surpresas na conta de luz, seja feita revisão nas instalações elétricas a cada 10 anos, no mínimo”, afirma Francisco Tiago.

CUIDADO COM A SEGURANÇA – Além de aumentos na conta de luz, a fuga de energia pode alavancar outros perigos. As paredes que esquentam próximo dos interruptores e tomadas ou aquelas que costumam dar choque quando tocadas indicam uma possível fuga de corrente e elevam o risco de perda de equipamentos e incêndios.

Fonte: CELPA

As altas temperaturas do verão amazônico fazem com que alguns hábitos domésticos fiquem mais intensos, como o uso mais frequente da geladeira, do ar condicionado e do ventilador. Porém, usar esses equipamentos sem os devidos cuidados pode representar um acréscimo importante no valor da conta de energia.

É também neste período do ano que ocorrem as férias escolares e crianças em casa podem ser sinônimo de maior consumo de energia, com o uso por mais tempo da televisão, videogame, computador e outros equipamentos. Estudos feitos pela Celpa mostram que nesta época é possível ter um crescimento médio de até 10 % no consumo de energia.

De acordo com o líder da área de Eficiência e Inovação da Celpa, Hugo Cardoso, a economia de energia deve começar desde o ato da compra do produto. “Hoje os equipamentos são vendidos com Selo Procel de eficiência, que mostra ao consumidor os mais eficientes e que consomem menos energia. Deve-se sempre observar as etiquetas no momento da compra. O selo A é o mais eficiente e o E menos eficiente. Nesta época do ano, é necessário que todos se conscientizem da importância de modificar os hábitos domésticos”, diz Hugo.

Para não ter aumento na conta de luz, a concessionária recomenda que os consumidores adotem o uso racional da energia, evitando o desperdício, para que não precise abrir mão do conforto. Confira as dicas de como economizar energia no verão:

AR-CONDICIONADO – É considerado um dos principais vilões deste período do ano. O aparelho pode representar até 40% do valor da conta de energia. É indicado não deixar o ar-condicionado ligado em ambientes vazios; mantenha as janelas e portas fechadas quando ele estiver funcionando; ajuste para temperatura confortável (cerca de 23° C); utilizar a função timer (temporizador) ajuda a evitar o funcionamento desnecessário do equipamento.

TELEVISÃO - Representa em média 15% da conta. Desligue o aparelho quando ninguém estiver assistindo e evite dormir com a TV ligada. O indicado é programar para desligar automaticamente.

GELADEIRA – É responsável por cerca de 30% do valor da conta de luz. Deve-se evitar abrir e fechar a todo instante e não guarde alimentos quentes em seu interior.  Roupas secando atrás da geladeira também devem ser evitadas. Não utilize a geladeira próxima às paredes ou ao fogão.  Ela deve ser instalada em local ventilado e protegido do sol. É importante observar periodicamente a borracha de vedação que, quando ressecada, causa grande desperdício de energia.

ILUMINAÇÃO DA CASA – Abuse da luz natural. A iluminação doméstica pode representar cerca de 25% do custo por mês. Evite acender lâmpadas durante o dia e dê preferência as lâmpadas de LED que são mais econômicas em até 80%, além de durar cerca de 15 vezes mais que as incandescentes.

LAVADORA DE ROUPA – Ela também não deve ser usada diariamente. Acumular uma grande quantidade de roupas para lavar de uma só vez é o ideal. Utilize sempre a capacidade máxima de roupas.O calor também ajuda a secar as roupas sem a necessidade de acionar a centrifugação da máquina de lavar, reduzindo o consumo de eletricidade.

COMPUTADOR - Utilize o recurso de economia do monitor, clicando no menu iniciar da tela principal. Desligue quando ninguém estiver usando e evite o modo stand-by, pois também consome energia.

BOMBA D’ÁGUA - A ligação elétrica da bomba deve ser feita por profissional de confiança, pois instalações malfeitas acarretam fuga de corrente e aumento de consumo. O ideal é também armazenar o máximo de água na caixa d’água para não precisar ligar a bomba mais vezes.

Atenciosamente,

Relacionamento com a Imprensa e Mídias Sociais

No mês passado, a Celpa contabilizou 1.391 casos de interrupções no fornecimento de energia elétrica em todo o Estado causados por pipas enroscadas na fiação.  O número equivale a uma média de 46,3 ocorrências diárias. Esse registro representa grandes prejuízos para sociedade, deixando várias localidades sem energia ao mesmo tempo, atingindo milhares de residências, escolas e até hospitais.  

Ainda de acordo com a concessionária, quem apresenta os piores indicadores é a capital paraense, que já somou mais de 240 casos de falta de energia por causa dos papagaios. Outra cidade que aparece com números preocupantes em relação a ‘brincadeira’ é Ananindeua, onde já foram apuradas 103 situações de falta de luz em junho. Castanhal, Capanema e Bragança, no nordeste do Estado, também apresentam dados que merecem atenção, pois foram registrados cerca de 145 casos nos três municípios apenas neste período.

No sudeste do Pará, em cidades como Marabá, Parauapebas e Tucuruí, chegam a 80 ocorrências ao todo. Agora no mês de julho, a pratica tende a se intensificar, por isso a população precisa ficar em alerta sobre os perigos envolvendo a brincadeira e ainda contribuir para que os indicadores de falta de energia relacionado a pipas não voltem a crescer. 

O gerente da área de Operações da Celpa, Leonardo Eustáquio, explica que a empresa atua com medidas preventivas, mas é importante ter o apoio da população. “Nós fazemos manutenções com o uso de espaçadores nos cabos da rede, para que eles não se encostem quando as pipas ficam engatadas nos fios. Mas é essencial o apoio da população para garantir que estes números de interrupções não cresçam ainda mais, sobretudo agora no mês de julho, quando a atividade se intensifica. Por isso nós reforçamos que a brincadeira deve ser praticada bem longe da fiação elétrica”, orienta o gerente.

SEGURANÇA – O risco a vida da população é potencializado caso não sejam tomados os devidos cuidados na hora de soltar as pipas no ar. Para evitar qualquer tipo de acidente, a Celpa orienta que as pessoas empinem os papagaios em campos abertos, com boa visibilidade e longe de fiação elétrica. A concessionária destaca ainda que as linhas cerol (mistura de cola com vidro moído, em alguns casos até com pó de ferro), ao entrar em contato com a fiação elétrica, também pode provocar curto-circuito. O risco de acidentes com cortes, sobretudo, nas pessoas que circulam em motocicletas ou bicicletas é muito grande. Por isso o ideal é empinar as pipas sem linha com cerol. 

DICAS:

- Em hipótese alguma usar barras de ferro, pedaços de madeira e materiais condutores para retirar a as pipas da fiação.

 - Empinas pipas somente e locais abertos de boa visibilidade, longe da fiação elétrica, como parques, praias, praças ou campos de futebol

 - Não utilizar linhas com fios de cobre ou cerol, pois pode causar acidentes graves e até mesmo rompimento de cabos.

 - Atenção a motocicletas e bicicletas, pois a linha, mesmo sem cerol, é perigosa para os condutores

 - Caso a linha quebre, não correr atrás da pipa sem observar se o caminho é seguro.

 - Não soltar pipas em dias de chuva ou relâmpagos.

Atenciosamente,

Relacionamento com a Imprensa e Mídias Sociais

 

A partir desta quarta-feira (26) até a sexta-feira (28), a Celpa realizará uma caravana de negociação, em Ananindeua. O evento acontecerá na escola Doutor Antônio Teixeira Gueiros, no bairro do Distrito Industrial, de 8h30 às 17h. A iniciativa funcionará como um grande mutirão de conciliação, que deve se estender a outros 18 municípios durante o ano, promovendo diversas condições especiais para os clientes ficarem em dia com a concessionária.

 

A ação é voltada para clientes residenciais e comerciais, que terão mecanismos fáceis e rápidos para negociação e as melhores alternativas para pagamento de parcelas de acordo com suas possibilidades financeiras. Na caravana, os clientes terão a oportunidade de negociar seus débitos com mais flexibilidade. O critério para a negociação é que o cliente esteja com no mínimo 03 (três) de faturas em aberto.

Para líder de cobrança da Celpa, Alan Morais, a iniciativa é uma forma de tornar o atendimento mais flexível para que os clientes possam regularizar situações pendentes. "A Celpa é uma empresa que se preocupa em dar condições favoráveis aos clientes e busca sempre oferecer mais flexibilização e comodidade, e acima de tudo, garantir que todos tenham a oportunidade de ficar em dia com a empresa", conclui o líder.

ATENDIMENTO: Na ocasião, ainda será possível fazer a troca das lâmpadas incandescentes ou fluorescentes por lâmpadas de LED, que de acordo com especialistas, costumam alavancar uma economia de cerca de 80% no que diz respeito à iluminação residencial. Cada cliente poderá trocar até cinco lâmpadas por conta contrato. A empresa também disponibilizará o atendimento para o cadastro no Número de Identificação Social (NIS), para que os cidadãos possam solicitar posteriormente o cadastro no programa Tarifa Social, que possibilita até 65% de desconto na conta de energia do consumidor. Para esses serviços, é necessário apresentar cópia do RG e CPF do titular e o comprovante de pagamento da última fatura

Fonte: CELPA

De acordo com os dados da Celpa, nos primeiros quinze dias de junho deste ano, já foram registrados 479 casos de interrupções no fornecimento de energia elétrica em todo o Estado em consequência das pipas que ficam enroscadas na fiação. Em todo o ano de 2018, os números de ocorrências ocasionadas por essa prática próxima a rede elétrica impressionam, pois chegaram a 7,9 mil, prejudicando milhares de pessoas.

O executivo da área de Segurança da Celpa, Alex Fernandes, alerta para que os cuidados com a segurança sejam redobrados, já que a brincadeira se intensifica com a chegada do mês de julho. "Essa atividade, quando não executada com segurança, pode causar além das interrupções no fornecimento de energia, acidentes graves e até fatais", reforça. Alex também orienta os brincantes a manterem distância da rede elétrica em situações consideradas perigosas. "Quando as pipas ficarem engatadas na fiação elétrica, jamais deve ser feito qualquer esforço para soltá-las, pois o contato de um cabo com o outro pode causar curto-circuito e descargas elétricas, podendo levar o cidadão a morte", ressalta o executivo.

Na Região Metropolitana de Belém, as ocorrências de falta de luz por conta das pipas na primeira quinzena de junho já chegam a 67, seguido de Castanhal, com 40, e com Ananindeua com 39, representando milhares de famílias prejudicadas pela descontinuidade do serviço. O ideal é que esse indicador não volte a crescer, mas para isso, a população precisa ficar em alerta sobre os perigos envolvendo a brincadeira e ter responsabilidade na hora de soltar os 'papagaios'.  

SEGURANÇA - A concessionária destaca ainda que as linhas com cerol (mistura de cola com vidro moído, em alguns casos até com pó de ferro), ao entrar em contato com a fiação elétrica, também podem provocar curto-circuito e até mesmo romper cabos. O risco de acidentes com cortes, sobretudo, nas pessoas que circulam em motocicletas ou bicicletas é muito grande. Por isso o ideal é empinar as pipas sem linha com cerol.   

DICAS:

- Em hipótese alguma usar barras de ferro, pedaços de madeira e materiais condutores para retirar a as pipas da fiação.

 - Empinas pipas somente e locais abertos de boa visibilidade, longe da fiação elétrica, como parques, praias, praças ou campos de futebol

 - Não utilizar linhas com fios de cobre ou cerol, pois pode causar acidentes graves e até mesmo rompimento de cabos.

 - Atenção a motocicletas e bicicletas, pois a linha, mesmo sem cerol, é perigosa para os condutores

 - Caso a linha quebre, não correr atrás da pipa sem observar se o caminho é seguro.

 - Não soltar pipas em dias de chuva ou relâmpagos.

Fonte: CELPA

A Celpa entregará no dia 14 de maio a terceira subestação de energia do município de Parauapebas. A obra acompanha o amplo desenvolvido na região sudeste do Pará, e deve alavancar a chegada de mais empreendimentos de grande porte, já que novos alimentadores e transformadores de energia foram instalados e darão maior capacidade de atendimento.

A subestação Nova Parauapebas está localizada no KM 53 da Rodovia PA – 275 e recebeu um investimento da Celpa na ordem de R$17 milhões. A nova estrutura será inaugurada às 10h da manhã e terá a capacidade de 60 MVA (Mega Volts Amperes), com uma linha de transmissão de 10 quilômetros de 138 KV. Isso significa que, entre outras melhorias, a obra beneficiará cerca de 200 mil famílias, pois os seis novos alimentadores, que distribuem energia para diferentes pontos da cidade, ajudam a compor o sistema elétrico de todo o município.

Segundo o executivo de Relacionamento com o Cliente da Celpa, Gilliard Vaz, o principal objetivo de construir uma nova subestação em Parauapebas foi atender a grande demanda da região. “Parauapebas já tem duas subestações, mas a concessionária viu a necessidade de construir uma nova, com equipamentos ainda mais modernos, de maior capacidade de atendimento, para que a região fique tranquila quanto a implantação de novos projetos, pois não há risco de sobrecarregar o sistema”, destaca o executivo.

O PAPEL DAS SUBESTAÇÕES – No setor elétrico brasileiro existem as geradoras e as transmissoras, que é por onde a energia, vinda de diversos cantos do Brasil, passa antes de chegar às distribuidoras. Ou seja, a eletricidade percorre um sistema de transmissão que começa nas usinas até chegar nas subestações. No caso do Pará, a distribuidora é a Celpa e as subestações da concessionária são responsáveis pelo início da distribuição da energia. Elas funcionam como pontos de entrega de energia para os consumidores. Quando essa energia chega nas subestações, os transformadores fazem o aumento ou diminuição de tensão para adequá-la ao consumo dos clientes.

Fato: Imprensa CELPA

 

3.632 clientes da Centrais Elétrica do Pará (Celpa), em Parauapebas estão aptos a receber o benefício de descontos na conta de energia elétrica que variam de 10 a 65. Foi o que afirmou o Executivo de Relacionamento com Clientes da Celpa, Gilliard Vaz de Oliveira, durante a audiência pública sobre fornecimento e consumo de energia elétrica, realizada no último dia 21/03.

A Tarifa Social Baixa Renda é um benefício do Governo Federal que contempla Contas Contrato residenciais.

Em Parauapebas há, atualmente, 11.468 clientes cadastrados na Tarifa Social Baixa Renda, porém há ainda mais 3.632 clientes aptos à serem contemplados com o benefício, mas por não estarem cadastrados ou apresentarem pendencias no sistema da empresa, acabam ficando de fora do programa.

De acordo com o Executivo de Relacionamento com Clientes da Celpa, Gilliard Vaz de Oliveira, somente este, de janeiro a março, mais de 1800 pessoas já perderam o benefício em razão de pendencias cadastrais. “É necessários que os beneficiados realizem a atualização dos dados cadastrais para se saber se estão dentro dos critérios. O Cadastro necessita ser atualiza anualmente junto ao município e a cada dois anos na Celpa”, explicou Gilliard.

Quem pode ser beneficiado?

Contas Contrato da classe residencial ou da subclasse rural-residencial da classe rural, desde que sejam utilizadas por:

Família inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – CADÚnico - com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo nacional; ou

Quem receba o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – BPC - nos termos dos arts. 20 e 21 da Lei no 8.742, de 7 de dezembro de 1993; ou

Família inscrita no CADÚnico com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos - que tenha portador de doença ou patologia cujo tratamento/procedimento médico requeira o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica.

Isso que dizer em uma casa onde mora, três pessoas, sendo que apenas uma trabalha e recebe um salário de R$ 1.200, pode solicitar a migração para Tarifa Social.

Quais os descontos?

As tarifas de energia são homologadas e informadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica–ANEEL, sem incidência de tributos e impostos. Os descontos na Tarifa Social.

Famílias indígenas ou quilombolas, terão direito a desconto de 100% (cem por cento) até o limite de consumo de 50 (cinquenta) kWh por mês.

Famílias indígenas ou quilombolas que se enquadrem no critério 2 acima, para ter direito ao desconto de 100% (cem por cento) até o limite de consumo de 50 (cinquenta) kWh por mês deverão informar o Número de Inscrição Social – NIS.

 

(Por Fernando Bonfim/Com informações da Celpa)

Página 1 de 2
Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink