Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Todos nós somos livres de nossas ações, mas não das consequências do que falamos e propomos.

 Um gesto, uma palavra ou uma má ação sempre causam um impacto mais ou menos visível, e acredite ou não, o tempo é um juiz muito sábio e deste julgamento não tem como escapar.

Apesar de não decidir imediatamente de forma instantânea, sempre dá razão a quem a tem a curto prazo, mas a longo prazo a verdade próspera.

Cada um colhe o que planta, e enquanto muitos são livres de suas ações, não são das consequências, porque mais cedo ou mais tarde, o juiz chamado tempo dará razão a quem realmente a tem, ou seja, quem pratica a coerência entre o discurso e a prática.

Certifique-se de que suas ações falam mais alto do que suas palavras, pois sua responsabilidade é o reflexo de uma proposta exequível e que atenda às expectativas das pessoas, para isso, tente sempre ter boas propostas, ideias e pensamentos para apresentar discutir e debater com a sociedade.

Então, não se esqueça de que lá na frente a conta chega e o que você prometeu vai ser cobrado e o tempo vai tratá-lo como merece.

É necessário notar que somos “donos” de grande parte de nossas circunstâncias de vida, e que uma forma de promover o nosso propósito é atender o  bem-estar daqueles que nos rodeiam é através da responsabilidade pessoal do que falamos e prometemos,  um ato de coragem que convidamos você a implementar através deste princípio simples.

"Fale a verdade é cumpra o que prometer "

O primeiro passo para nos tornarmos conscientes da “responsabilidade plena” é abandonar nossas ilhas de recolhimento nas quais se concentra muito do que acontece no exterior com base nas nossas necessidades.

Assim, esta série de construções também são adequadas para as pessoas, através delas, podemos orienta-las que as suas ações têm consequências.

O que você pensa, o que expressa, o que faz e o que cala, toda nossa pessoa gera um tipo de linguagem e um impacto sobre os outros, a ponto de criar uma emocionalidade positiva ou negativa.

Temos de ser capazes de intuir e acima de tudo, empatizar com a pessoa a nossa frente.

Antecipe as consequências das suas ações e promessas, seja o seu próprio juiz, com isto não estamos nos referindo a cair em uma espécie de “autocontrole”, pelo qual nos tornamos nossos próprios executores antes de ter dito ou proposto algo.

É apenas tentar antecipar o impacto que pode ter uma determinada ação sobre os outros e, consequentemente, também em si mesmo.

Ser responsável significa compreender que não somos “livres” em tudo, e comprometer mundos e fundos.

A pessoa que vê nenhum limite em suas ações e promessas, desejos e necessidades, vê praticar a libertinagem que, mais cedo ou mais tarde, também tem consequências terrível. É interessante tentar promover a liberdade e o crescimento de outras pessoas, alimentando, assim, um ciclo de futuro próspero e mútuo.

Vale a pena por um plano estratégico em prática para melhoria na qualidade de vida das pessoas.

Prometer e cumprir na íntegra o conteúdo programático do plano.

Vamos em frente.

Deus no comando.

WJN

A Polícia Civil promoveu, na sexta-feira (24), uma palestra sobre a nova Lei de Abuso de Autoridade. A determinação, lei de nº 13.869, entrou em vigor no começo deste ano e define 45 condutas que poderão ser punidas com até quatro anos de detenção, multa e indenização à pessoa afetada. O encontro teve como público os agentes que fazem parte das diretorias operacionais da PC do Pará, entre eles, delegados, investigadores, escrivãs, chefes de operação e cartorários. A programação ocorreu no auditório “Delegada Ione Coelho”, na sede Delegacia-Geral, em Belém.

Durante a reunião, foram debatidos, por meio de um diálogo com os presentes, os artigos que tratam a nova lei, como o caso de reincidência do abuso, quando o servidor pode perder o cargo e ficar inabilitado para retornar ao serviço público por até cinco anos. O público deu sugestões e tirou dúvidas sobre a interpretação da lei, para que, na atuação policial, possam ter mais segurança. O encontro teve como objetivo a criação de um manual comentado (tipo cartilha), baseado nos artigos da nova legislação, que será criado pelos delegados Sinélio Menezes e Rodrigo Zambardino, com a determinação do delegado-geral Alberto Teixeira.

O diretor da Polícia Metropolitana (DPM), delegado Marco Antônio Duarte, explica que a lei traz algumas mudanças em relação a anterior, que, por meio de um novo texto, expande as condutas descritas como abusivas e estabelece que seus dispositivos se aplicam a servidores públicos e autoridades, tanto civis quanto militares, dos três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e também do Ministério Público (MP). “Só ficará caracterizado o abuso quando o ato tiver, comprovadamente, a intenção de beneficiar o autor ou prejudicar outra pessoa", enfatizou.

Para o delegado, com a medida, algumas práticas passam a ser passíveis de punição, entre elas, decretar condução coercitiva de testemunhas, depoimentos de acusados, exposição de presos perante a mídia, investigados antes de intimação judicial e quebrar segredo de Justiça.

Participaram da reunião o delegado Sinésio Menezes, delegado Rodrigo Zambardino, delegado Claudio Galeno, delegado João Inácio, da Corregedoria, o Diretor da Polícia Metropolitana (DPM), delegado Marco Antônio Duarte, diretor da Polícia Especializada (DPE), delegado Sérvulo Cabral, a diretora de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV), delegada Priscila Morgado, e a diretora da Academia da Polícia Civil (Acadepol), delegada Karina Figueiredo.

 

Por Luiz Cláudio (PC)Ag.Pará

A Justiça Federal de São Paulo determinou a suspensão da divulgação dos resultados do Sistema Integrado de Seleção Unificada (SISU) até que o governo federal demonstre a correção das provas apontadas com problemas por estudantes de todo o país. O tribunal deu prazo de cinco dias para o cumprimento da decisão, sob multa diária de R$ 10 mil.

A decisão foi motivada por pedido da Defensoria Pública da União. Na petição, o órgão cobra que o Ministério da Educação comprove com documentos a realização da revisão dos testes prejudicados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, reivindica a explicação sobre os parâmetros utilizados nesse procedimento.

O erro, argumentou a DPU, teria impactado não apenas esses estudantes, mas o desempenho de todos os participantes, uma vez que notas de corte e a classificação são atribuídas a partir das notas de todos os alunos que realizaram a prova. “Tendo em vista que as notas das provas que foram revisadas podem ter sofrido substancial alteração, é certo que há a potencialidade de gerar algum impacto, ainda que de décimos, nos resultados finais de todos os candidatos, o suficiente para significar o acesso à vaga”, pontua a petição.

Em entrevista coletiva, o Ministério da Educação reconheceu que houve erros na atribuição de notas para cerca de seis mil alunos. Segundo a pasta, a falha teria ocorrido na impressão das provas aplicadas em algumas cidades, sendo responsabilidade de uma gráfica. O MEC acrescentou que corrigiu o problema e não haveria prejuízo para os estudantes.

Na sua decisão, a 8a Vara Cível de São Paulo avaliou que o pleito da defensoria foi legítimo em razão do “princípio da transparência que rege toda a administração pública, aliado ao dever de prestar informações, bem como a isonomia de tratamento de todos os participantes do ENEM”.

“O pedido de suspensão do processo de seleção do SISU, no caso, após o término do prazo de inscrição fixado pelo MEC, revela-se plausível, considerando que a partir desse momento, os potenciais danos aos estudantes prejudicados pela falha do INEP são concretos, pois seriam levados em consideração no processo de seleção, notas do ENEM inidôneas”, observou a decisão.

A 8a Vara, contudo, não acolheu o pleito de manter o sistema de inscrições aberto. O órgão considerou a demanda uma interferência indevida do Poder Judiciário no processo e que poderia prejudicar mais estudantes.

Agência Brasil entrou em contato com o Ministério da Educação e aguarda resposta.

Erros no Sisu

Ontem, surgiram nas redes sociais novas denúncias de problemas, como a inscrição duplicada, a aparição de notas zeradas e a alteração das notas de corte. Alunos expuseram comportamentos que consideraram estranhos do site do SISU. O ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicou vídeo sobre o assunto.

 

Fonte: Agência Brasil

O concurso 2.228 da Mega-Sena deverá pagar neste sábado (25) R$ 40 milhões a quem acertar os seis números. O sorteio será feito a partir das 20h, no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo.

As apostas podem ser feitas até às 19h (horário de Brasília) de hoje em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país e também pela internet. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

Quanto mais números o apostador marcar, maior será o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio.

As informações são da Caixa Econômica Federal.

 

Fonte: Agência Brasil

Mais pessoas são atendidas com cursos de capacitação em Artesanato, Hotelaria e Turismo e Operador de Caixa. A oferta dessas capacitações faz parte do programa desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Parauapebas, por meio da Coordenadoria Especial de Trabalho Emprego e Renda- CETER, em parceria com associações comunitárias, que tem como foco capacitar a mão de obra local para melhorar a empregabilidade no município.

A ONG Fórum Nacional é a instituição responsável por atender as comunidades dos bairros Nova Carajás, Dos Minérios e Cidade Nova com as capacitações em Artesanato, Hotelaria e Turismo e Operador de Caixa que formará 270 jovens e adultos até o mês de maio.

Girlan Pereira ,Coordenador da Ceter, esteve presente na aula inaugural

Na noite desta sexta-feira,24, foi dia de formatura para os alunos do bairro dos Minérios. Na oportunidade, representantes das ONG Fórum Nacional e CETER, representada por seu coordenador especial, Girlan Pereira, estiveram presentes e parabenizaram os alunos pela grande conquista alcançada.

Freitas, coordenador e presidente da ONG Fórum Nacional falou sobre a importância de capacitar as comunidades mais carentes. “Levar cursos de capacitação para as comunidades mais carentes, é muito bom ver a satisfação dos alunos que participaram desses cursos, pois eles estão realizando o sonho de se capacitar. Agradeço muito esta oportunidade que a prefeitura nos deu, possibilitou levarmos o melhor para a população”, disse.

Ruan, aluno do curso de Hotelaria e Turismo

Ruan Silva, aluno do curso de Hotelaria e Turismo, disse que se sente muito realizado pelo curso que escolheu, segundo ele, não tinha ideia do quanto seria enriquecedor. “Quando recebemos essa oportunidade, que a prefeitura, juntamente com a ONG Fórum Nacional, nos concedeu, pudemos ampliar os nossos conhecimentos sobre as riquezas turísticas que existem aqui, e vamos buscar mais a partir de agora”, frisou Ruan.

O major da Polícia Militar do Pará, Walmir Cardoso, já foi consultar a sua agência do Banpará para buscar informações sobre o programa de crédito imobiliário lançado pelo Governo do Pará na última quarta-feira (22). Ele saiu bastante satisfeito da agência bancária com os benefícios que o Governo disponibilizou aos servidores.

“Em 21 anos de serviço, nunca tivemos acesso a um programa de crédito tão acessível para agentes de segurança. Isso vai mudar a realidade de moradia do policial. Eu aproveitei a oportunidade para fazer a portabilidade do meu financiamento”, ressaltou.

Além do benefício de portabilidade (levar o financiamento de uma instituição financeira para outra), como no caso do Walmir, o Banpará traz uma série de facilidades para quem deseja financiar a casa ou apartamento, confira:

  • O imóvel a ser financiado pode custar entre R$ 80 mil a 5,54 milhões;
  • O prazo para pagamento é de até 35 anos;
  • Taxa de juros de 6,45% ao ano;
  • SPC e Serasa não é consultado;
  • Financiamento de até 90% do valor do imóvel (caso o servidor não possua os 10% de entrada o Banpará também criou uma outra linha de crédito possibilitar o acesso ao financiamento;
  • Também é possível que o servidor possa somar a renda de familiares, como cônjuge.

O policial conta ainda que pagava uma parcela de R$2.300 pelo seu imóvel e que, ao migrar para o Banpará, ela passará a custar R$1.500, uma economia relevante.

Braselino Assunção, presidente do Banpará

O presidente do Banpará, Braselino Assunção, também esclarece que a resposta da aprovação do programa de crédito é possível após 72 horas. “As nossas equipes estão prontas e treinadas para atender aos servidores da segurança. Ressaltamos que quem está com o nome bloqueado no SPC e Serasa, também tem acesso ao crédito, e que mesmo que o cliente do banco tenha outro serviço, como o empréstimo consignado, não interfere no acesso do programa”, finalizou.

Inicialmente, o Programa Banpará de Crédito Imobiliário contempla apenas servidores do quadro da segurança pública do Estado, como polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Detran, Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Instituto Médico Legal e Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Em março, o programa será liberado para os demais servidores estaduais e correntistas do banco. O Banpará ainda avalia a ampliação do programa para servidores temporários.

 

Por Larissa Noguchi (SECOM)Ag.pará

Um dos itens essenciais na cesta básica do paraense apresentou alta recorde no preço, no período de janeiro a dezembro de 2019. O quilo do feijão comercializado nos supermercados de Belém oscilou entre R$ 3,23 e R$ 8,25. Em contrapartida, o preço médio da alimentação básica sofreu um reajuste de apenas 8,32%, no mesmo período.

As informações foram divulgadas pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O balanço mostra ainda que em dezembro de 2019, o produto sofreu alta de 30,71% em relação ao mês anterior. Em dezembro de 2018, o valor médio era de R$ 3,23.

A pesquisa é feita apenas nos supermercados de Belém, sobre o quilo do feijão Carioquinha, Jalo e Cavalo. Apesar do aumento muito acima da média em relação aos demais produtos, o departamento destaca também que a tendência para os próximos meses é que o produto se mantenha em alta, onerando ainda mais o custo da cesta básica do paraense.

 

Fonte: Diário do Pará

Cantores, dançarinos, artistas visuais e audiovisuais serão os protagonistas da noite deste sábado (25) em Canaã dos Carajás. O 1º Festival Artístico Raízes de Canaã, que é uma iniciativa da prefeitura municipal, por meio da Fundação de Cultura Esporte e Lazer (Funcel), será realizado na ocasião e tem como principal objetivo resgatar as manifestações de cultura popular e tradicional do município, visando a valorização de pessoas e coletivos locais.

Os primeiros colocados em cada categoria terão premiação de R$ 5 mil, os segundos colocados serão premiados com R$ 3 mil, os terceiros com R$ 1 mil e os quartos colocados com R$ 500. Ao todo, o Festival disponibilizará mais de R$ 30 mil em prêmios.

O Festival acontece na Praça da Bíblia, no bairro Novo Horizonte, a partir das 19h.

 

Por: Ascom-PMCC

Por volta das 22h30, da noite de ontem sexta-feira, 24, o assaltante Álvaro Freitas, baleado na intervenção policial na sexta-feira, 25, não resistiu ao ferimento e morreu no Hospital Geral de Parauapebas (HGP). Já seu comparsa continua preso à disposição da justiça.

Matheus Henrique Câmara de Oliveira, 19 anos de idade, foi preso e seu comparsa Álvaro Freitas Santana, 27 anos, foi baleado pela Polícia Militar quando praticavam um arrastão nas ruas da cidade.

Uma das vítimas que teve sua moto tomada de assalto e recuperada pela PM, conversou com a reportagem, ainda com medo não aceitou gravar entrevista, mas contou que era por volta das 14h, quando a dupla teria lhe abordado, apontando um revólver para ela e tomou sua motocicleta Honda Biz de cor branca, a mulher disse ainda que na hora do ocorrido ela saia do CRAS, no bairro Rio Verde.

Minutos depois a dupla trocou a Biz por uma CG Titan de cor vermelha, porém os ladrões que estavam armados com revólver calibre 32, não foram muito longe, ao saírem da casa do dono da CG, se depararam com a GU que já havia sido informada e os procurava.

Álvaro Freitas foi baleado após apontar um revolver contra a polícia 

Segundo o capitão PM Jadson Costa, comandante da 1ª Companhia do 23° BPM de Parauapebas, logo cedo por volta de 14h a dupla começou a cometer roubos na cidade, primeiro roubou uma Honda Biz de cor branca, próximo ao CRAZ do bairro Rio Verde, e após isso a abandonaram e roubaram uma Honda CG Titan, no bairro Nova Vida II. "Recebemos a informação do ocorrido e a guarnição da ária se dirigiu ao local para averiguar, graças a Deus conseguimos fazer a abordagem dos mesmos, e no momento da revista Álvaro Freitas, tentou sacar um revólver calibre 32 e fomos obrigados neutralizá-lo", contou o policial.

Baleado no peito o mesmo foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e o comparsa dele foi preso e encaminhado para 20ª Seccional Urbana de Polícia de Parauapebas ao delegado plantonista, onde segue prestando esclarecimento a justiça.

Matheus Henrique ficará preso a disposição da justiça

Além da arma e duas munições picotadas, a PM recuperou as duas motos e os celulares das vítimas. Segundo a polícia, Matheus tem passagem quando ainda era adolescente.

(Neide Folha)

Já está em vigor a obrigatoriedade da certificação digital para as empresas no Pará. O procedimento será necessário para que as instituições possam tramitar processos e protocolo com a utilização de assinatura certificada digitalmente, exclusiva para meios eletrônicos. A Junta Comercial do Pará (Jucepa) estabeleceu um cronograma de implantação que teve início na última segunda-feira (20) e, conforme o tipo de empresa, segue até o dia 17 de fevereiro. A partir desta data, todos os procedimentos na Junta serão feitos digitalmente.

Por meio da certificação digital, o empresariado terá muitos benefícios, pois poderá fazer uso da internet para a disponibilização de diversos serviços com uma maior agilidade, facilidade de acesso e redução de custos, além de ter a segurança de poder comprovar quem assinou o arquivo e garantir sua validade jurídica.

O objetivo da obrigatoriedade do certificado é trazer celeridade para o empresário e seus representantes. “Com isso, nós teremos uma celeridade muito maior, pois o contador ou empresário entrará no site e fará a sua solicitação, e ela já chega de imediato para o nosso analista. Hoje, nós temos um prazo de resposta de seis horas. A pessoa cadastra pela manhã e, até o fim do expediente, recebe de volta, e com esse procedimento de certificação, o prazo diminuirá ainda mais”, destaca a presidente da Jucepa, Cilene Sabino.

Adequação pela qual as empresas deverão passar está presente na Instrução Normativa – Drei nº 52, de 9 de novembro de 2018, que trata sobre os procedimentos de Registro Digital dos atos que competem ao Registro Público de Empresas Mercantis e Atividades Afins.

A mudança começou a valer esta semana para as naturezas jurídicas Sociedade Anônima, Consórcio, Cooperativa e Empresa Pública. Para essas empresas, todos os procedimentos de arquivamento de processo e autenticação de livros passam a ser obrigatoriamente 100% digital.

No próximo dia 3 de fevereiro, entram na obrigatoriedade as naturezas Empresário Individual e Empresário Individual de Responsabilidade Limitada e, por último, a Sociedade Limitada, que ocorre em 17 de fevereiro de 2020. Vale lembrar que os processos que estiverem em exigência poderão retornar fisicamente durante o prazo de 30 dias corridos a partir do recebimento da exigência.

 

Por Fabíola Uchôa (JUCEPA)Ag.Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink