Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Foi assinado na manhã desta quinta-feira (20), em terras parauapebenses, um convênio entre a prefeitura municipal de Canaã dos Carajás e o Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA). O convênio que visa à construção de um Campus da instituição no município representa um avanço no desenvolvimento de Canaã no tocante à qualificação profissional dos jovens da cidade.

Prefeito Jeová Andrade assinando convênio que garantirá a implantação de um campus do IFPA em Canaã dos Carajás. 

A assinatura do convênio ocorreu no campus do IFPA de Parauapebas, onde o atual prefeito, Jeová Andrade (MDB), de Canaã dos Carajás firmou mais um compromisso com o desenvolvimento do município a qual é gestor e cumpre seu segundo mandato como prefeito.

Convênio garantirá muitos benefícios ao município. 

De acordo com o atual prefeito de Canaã, Jeová Andrade (MDB), o convênio irá beneficiar a cidade de diversas formas, desde a geração de emprego e renda, educação e qualificação da mão-de-obra da cidade. “Investir em educação e qualificação profissional dos nossos jovens é um dos principais compromissos do nosso governo, pois é investindo nas pessoas que conseguimos alcançar o desenvolvimento”, disse o prefeito.

(Texto: Ingrid Cardoso/ Imagem: Stephanny Sousa )

 

Há mais de duas semanas, crianças e adolescentes que moram no bairro  Linha Verde e estudam em escolas do bairro Amazonas, vêm sofrendo com a falta de transporte escolar. De acordo com os alunos a situação têm se estendido durante quase todo este mês de setembro.

Pais destes pequenos alunos mostram-se preocupados com falta de segurança no translado das crianças de casa a escola, haja vista que os pequenos alunos têm que percorrer uma longa distância até a instituição de ensino, aventurando-se em ruas se avenidas onde o fluxo de veículos é intenso e não há espaço para pedestres se locomoverem de forma segura. 

A denúncia chegou à reportagem do Carajás o Jornal na tarde desta quarta-feira (19). Pais e alunos não veem a hora de o transporte escolar volte ao normal  e pedem explicações ao governo pelo corte repentino do serviço de grande importância para os moradores destes bairros mais distantes.

Os alunos percorrem todos os dias grandes distâncias para chegar até a escola. 

Os alunos Bruno e Elismael falaram um pouco sobre o caso à reportagem. “Há duas semanas estamos nos deslocando de casa até a escola a pé. A gente tem que a acordar muito cedo para vir para a escola porque não está tendo ônibus, então nós temos que atravessar essa PA aqui, que é muito movimentada, tanto de manhã como de tarde, todo dia”, disseram os estudantes.

Ainda de acordo com os alunos, o diretor da escola informa que o problema de transporte será resolvido logo, mas não informou qual é o problema que vem afetando o serviço de transporte escolar no bairro.

Em nota a Prefeitura explica a falta de transporte escolar se dá pela quebra dos veículos e a não disponibilidade no município de peças para consertá-los.

Veja nota na Integra:

Em relação à denúncia sobre a falta de transporte escolar, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), esclarece que todas as providências cabíveis estão sendo tomadas e que em breve a situação será normalizada.

 Assessoria de Comunicação – Ascom/Semed/PMP

(Da redação)

 

O apostador que acertar sozinho o prêmio principal do concurso 2.080 da Mega-Sena poderá colocar em sua conta bancária o prêmio de R$ 17 milhões.

O sorteio, que será feito nesta quinta-feira, faz parte da Mega Semana do Apostador, que já teve uma extração especial na última terça-feira (18), mas sem ganhador, com o prêmio acumulando para hoje.

 O sorteio acontece no Caminhão da Sorte, que está estacionado na cidade de Oliveira, em Minas Gerais. Segundo a Caixa, caso aplicado na poupança o prêmio renderia cerca de R$ 63 mil por mês.

A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília) em qualquer uma das mais de 13 mil casas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país.

Salvino Lemes da Silva Filho, de 65 anos, está sendo procurado pela Polícia de Redenção. Lemes é acusado de estuprar uma criança de 12 anos de idade.

De acordo com uma tia da vítima, o acusado teria abusado da sobrinha por volta das 00h30 do último sábado (15). “Minha sobrinha estava na casa junto com os avós e o seu Salvino, que esperou todos irem dormir para então praticar o cerime” indagou.

Ainda segundo a família, depois que todos foram dormir, Salvino teria ido à cozinha, pegou uma faca de mesa e caminhou até o quarto da menina. Sob ameaças, retirou a roupa dela e praticou o estupro. Logo em seguida, saiu correndo e a vítima chamou os avós, para quem contou tudo que aconteceu.

A polícia foi chamada e os homens da lei fizeram uma varredura, mas não encontraram Salvino Lemes.

A vítima foi conduzida ao Instituto Médico Legal para realizar exames periciais, que confirmaram a violência sexual. Com base nas provas, a equipe policial deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva contra Salvino Lemes da Silva Filho.

Na manhã de sábado (15), a família procurou a DEAM (Delegacia Especializada de Acolhimento a Mulher) e registrou Boletim de Ocorrência contra o idoso. A delegada Maria de Fátima fez conseguiu um mandado de prisão contra o acusado e assim que ele for encontrado e preso, responderá pelo crime de estupro de vulnerável.

De acordo com mãe da vítima, que também está tendo sua identidade preservada, Salvino convivia há cerca de dois anos com os avós da menina, pois o acusado e o avô trabalhavam juntos em área de garimpo. “Não sei o que aconteceu para ele mexer com minha filha. Este homem é um monstro e espero que pague na prisão pelo que fez” finalizou a genitora, demonstrando fúria.

(Fonte: Zé Dudu)

As internações hospitalares de pacientes no Sistema Único de Saúde (SUS), em todo o país, por doenças causadas pela falta de saneamento básico e acesso à água de qualidade, ao longo de 2017, geraram um custo de R$ 100 milhões. De acordo com dados do Ministério da Saúde, ao todo, foram 263,4 mil internações. O número ainda é elevado, mesmo com o decréscimo em relação aos casos registrados no ano anterior, quando 350,9 mil internações geraram custo de R$ 129 milhões.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cada dólar investido em água e saneamento resultaria em uma economia de US$ 4,3 em custos de saúde no mundo. Recentemente, organizações ligadas ao setor privado de saneamento, reunidas em São Paulo, reforçaram a teoria da economia produzida por este investimento. Pelas contas do grupo, a universalização do saneamento básico no Brasil geraria uma economia anual de R$ 1,4 bilhão em gastos na área da saúde.

No mesmo evento - Encontro Nacional das Águas – os representantes das empresas apontaram que dos 5.570 municípios do país, apenas 1.600 têm pelo menos uma estação de tratamento de esgoto e 100 milhões de brasileiros ainda não têm acesso à tratamento de esgoto.

Atualmente, de acordo com o Instituto Trata Brasil, apenas 44,92% dos esgotos coletados no país são tratados. O Brasil tem uma meta de universalização do saneamento até 2033. Este objetivo previsto no Plano Nacional de Saneamento Básico, representaria um gasto de cerca de R$ 15 milhões anuais, ao longo de 20 anos. E este é um dos desafios para os governantes a serem eleitos em outubro.

A reportagem da Agência Brasil visitou Maceió, capital de Alagoas, cidade onde o percentual de coleta de esgoto é 11 pontos percentuais inferior à media do país (51,9%).

Maceió

Quem chega a Maceió logo se deslumbra com azul do mar e a simpatia dos moradores. Mas, basta um olhar mais atento em direção oposta à praia para concluir que o deleite visual produzido pela natureza disputa espaço com canais de esgoto a céu aberto. O mais grave é que grande parte dos dejetos, que corre ao longo de rios e riachos e cruza diversos bairros da cidade, acaba desaguando no mar.

“Temos praias lindas, mas nós não usamos porque sabemos que são bem poluídas. Temos a Lagoa Mundaú, dentro da cidade, e correndo para ela que tem vários braços de rios e riachos que, inclusive passam por bairros nobres, e todos servem para despejo de dejetos e lixos das casas”, lamentou a advogada Rita Mendonça.

Alagoana e atuante em direitos humanos, Rita reconhece que foram feitos investimentos na área de saneamento, mas a população cresceu em velocidade desproporcional aos recursos aplicados. Outro alerta recai sobre a falta de conscientização dos próprios habitantes. “As pessoas jogam lixo nesses rios e riachos porque não podem esperar o lixeiro passar. E todos desembocam no mar”, lamentou.

A realidade para quem vive o dia a dia na capital alagoana tem reflexos que vão além da balneabilidade das praias urbanas. Na economia, famílias que já vivem em situações mais precárias e dependem da pesca do sururu correm o risco de terem a fonte de renda comprometida. Em 2014, o molusco, largamente encontrado nas regiões lacustres de Alagoas em função dos encontros de água doce e salgada, foi registrado como patrimônio imaterial do estado. Moradores, agora, relatam e lamentam a redução do volume pescado em decorrência da poluição da água.

O comércio é também alvo do problema. Empresária e dona de uma loja de roupas no bairro da Jatiúca, Vanessa Taveiros, aponta para o esgoto que corre ao lado de um dos restaurantes mais badalados de Maceió. “Já foram feitas várias denúncias e nada é feito. Quando chove, tudo fica alagado, tem ruas aqui na Jatiúca que nenhum carro passa e os lojistas ficam sem vender porque fica tudo interditado”, disse.

Na saúde, os problemas relacionados ao saneamento aparecem em números de sete dígitos. Segundo o Ministério da Saúde, em todo o estado, ao longo de 2017, foram gastos mais de R$ 2,2 milhões com 5.183 internações no SUS de pacientes com doenças ligadas à falta de saneamento básico e acesso à água de qualidade. No mesmo ano, em todo o país, o total de gastos com este tipo de internação somou R$ 100 milhões.

O rol dessas doenças inclui desde diarreias e problemas dermatológicos até infecções mais graves, cólera, sarampo, além do agravamento de epidemias, já que a exposição do esgoto a céu aberto aumenta condições para a proliferação do mosquito transmissor de dengue, chikungunya e zika.

Maceió não é uma cidade planejada e é possível ver que o problema do saneamento afeta todas as classes econômicas. Algumas ruas começam na praia, como na Jatíuca, com prédios e casas visualmente de classe média alta, e terminam em trechos extremamente pobres. O despejo de lixo nos rios e riachos é feito por parte da própria população, mas também é parte dos alagoanos que lamenta os efeitos dessa prática.

 “Não vou esquecer nunca. A gente saia da escola e vinha direto para a Praia da Avenida. Era aqui que passávamos os finais de semana com a família também. Agora é impossível”, lamentou o taxista, de 54 anos, que não quis se identificar. Segundo ele, até dejetos de um hospital foram lançados pelo canal que desemboca na praia que faz parte de seu imaginário.

A concessão dos serviços de saneamento é da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) que, em função do período eleitoral, preferiu não conceder entrevistas. Em nota enviada à Agência Brasil, assessores informaram que, dos 102 municípios do estado, a Casal opera em 77. Desses, 12 têm rede coletora de esgoto, incluindo Maceió. Em vários municípios do interior, existem obras de implantação de rede da Funasa e da Codevasf, que são órgãos federais. "Somente após a conclusão dessas obras é que os sistemas são entregues para a Casal operar", destacaram os assessores.

De acordo com o Ministério das Cidades, estão previstos no orçamento investimentos da ordem de R$ 277 milhões para a capital alagoana. Esse total inclui desde abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e estudos e projetos. “Já foram concluídos 5 empreendimentos, no valor de R$ 76,5 milhões, beneficiando 83,8 mil famílias”, informou a assessoria do órgão.

Ainda diante de números produzidos pela pasta – divulgados pelo Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) - em 2016, 96,2% da população de Maceió foram atendidas com rede geral de abastecimento de água e 40,3%, com coleta de esgoto, “independentemente de existir tratamento". Com relação ao total da população representada pelos municípios que responderam ao SNIS no ano de referência, Maceió tem o índice de abastecimento de água superior à média do Brasil (93%) e índice de atendimento total de esgoto 11 pontos percentuais inferior ao do país (51,9%).

(Fonte: Agência Brasil)

Uma festa entre amigos terminou em confusão na Rua São Pedro, setor São José, em Redenção. Segundo moradores do bairro, na noite de segunda-feira (18), cerca de 20 pessoas, entre homens e mulheres, se reuniram na residência de Leandro da Silva para comemorar o aniversário de um dos amigos.

Gleice Alencar disse à reportagem do Blog que durante o período noturno, ninguém conseguiu dormir devido à baderna que chegou a incomodar muitos moradores. “Nossa, Senhora! Aqui foi difícil passar a noite, o barulho do som só parou depois que houve esse esfaqueamento”, relatou a dona de casa.

De acordo com informações dos moradores, era por volta das 4 horas da madrugada de terça-feira (18), quando um dos convidados, que não teve o nome revelado, começou a gritar. Em seguida, pegou uma faca e esfaqueou o dono da residência, Leandro da Silva. Após o esfaqueamento, o acusado saiu correndo para não ser linchado e Leandro foi conduzido às pressas para o Hospital Municipal Iraci, onde passou por atendimento médico.

Segundo testemunhas, o agressor fugiu e deixou para trás uma motocicleta Honda 125 de cor preta e placa NSR 8774, de Redenção. O veículo foi incendiado por outros amigos de Leandro, que estavam sobe efeito de álcool.

A motocicleta ficou completamente destruída. Até à tarde desta terça-feira, ninguém havia procurado a Delegacia de Polícia Civil para registrar o ocorrido.

(Fonte: Zé Dudu)

A Doxa Pesquisa divulgou nesta quarta-feira (19) pesquisa realizada no Pará com intenções de voto para presidente da República.

Estimulada

Na consulta estimulada Jair Bolsonaro sai na frente,com 26,6% dos votos. Depois vêm: Fernando Haddad 19,4%, Ciro Gomes 11,7%, Geraldo Alckmin 7,8%, Marina Silva 6,7%, Henrique Meirelles 3,5%, Álvaro Dias 2%, Cabo Daciolo 1,7%, Guilherme Boulos 1,6%, João Amoedo 1,1%, João Goulart Filho 0,6%, José Maria Eymael 04,% Vera Lúcia 0,4%. Brancos e nulos 10,2% e não sabem ou não responderam 6,3%. Na pesquisa estimulada o entrevistador apresenta uma lista de nomes ao eleitor ao perguntar em que ele votaria.

Espontânea

Na pesquisa espontânea, onde o entrevistado não dispõe da lista de candidatos, Bolsona também sai na frente, com 22,8% da preferência do eleitor. Depois dele vêm: Lula 13,1%, Ciro 7,1%, Haddad 5,3%, Alckmin 5,2%, Marina 5,1%, Meirelles 1,7%, Álvaro Dias 1,2%, Daciolo 0,4%, Boulos 0,2%, Amoedo 0,2% e Vera 0,2%. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos 11,6%, não sabem ou não responderam 26%.

Rejeição

A pesquisa Doxa também mediu a rejeição aos candidatos. Perguntou em quem o eleitor não votaria para presidente? Nesse quesito Bolsonaro também tem o maior índice, 25,4%. Seguido de: Haddad 14,1%, Marina 7,9%, Alckmin 6,4%, Meirelles 5,4%, Boulos 4,5%, Álvaro 4,5%, Ciro 4,3%, Amoedo 2,9%, Daciolo 2,6%, Vera 2,5%, João Goulart Filho 2,5% e Eymael 2,4%. Não rejeita nenhum 3,9% e não sabe ou não respondeu 10,5%.

Influência da agressão

O Doxa procurou saber ainda se a agressão a faca, que vitimou o candidato Jair Bolsonaro, no último dia 6, influenciou na preferência pelo nome dele, 36,8% disseram que não vai mudar em nada, 23,6% opinaram que, se Bolsonaro se colocar como vítima, a preferência por ele vai aumentar, 13,8% acreditam que ele vai perder votos, 20,2% se mostraram indiferentes à questão e 5,6% não sabem ou não responderam.

Operação Lava Jato

Os entrevistadores também perguntaram: “Na hora de votar em algum candidato para presidente, você votaria em alguém que foi citado na operação Lava Jato? 50,4% responderam que não votariam de jeito algum, 35,6% responderam que poderiam votar, 6,9% disseram que poderiam votar e 7,1% não sabem ou não responderam.

Dados

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% dos resultados retratarem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará sob o protocolo PA-05803/2018. A margem de erro estimada é de 2,25% para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. A pesquisa foi contratada pela Gravasom/Jornal a Província do Pará, ocorreu de 12 a 15 de setembro em todas as mesorregiões do Estado e ouviu 1.896 eleitores.

(Fonte: Zé Dudu)

As inscrições para o passeio ciclístico dos servidores públicos municipais, estaduais e federais de Parauapebas já estão abertas. Para se inscrever, os interessados podem se dirigir às secretarias municipais de Urbanismo (Semurb) e de Saúde (Semsa) ou ir ao hall da Prefeitura de Parauapebas, de 8 as 14 horas, até a próxima sexta-feira, 21. Quem puder, pode doar de 1 a 5kg de alimentos a título de inscrição.

Os inscritos terão que participar do teste de aptidão física, marcado para o dia 23 deste mês, às 7 horas, na Praça da Bíblia, sob a coordenação da União dos Ciclistas de Parauapebas (UCP), que também será a responsável pela distribuição dos alimentos arrecadados, para a comunidade.

A partir das 6 horas do dia 30 deste mês os participantes deverão apresentar um documento de identificação com foto e comprovante de inscrição na Portaria da Vale. O percurso será a descida da Serra dos Carajás até a Praça de Eventos. 

MOSTRA DE ARTES

O passeio ciclístico marcará o início da 12ª Mostra de Artes dos Servidores Públicos de Parauapebas (Maspp). Durante todo o mês de outubro serão realizadas várias atividades para os servidores e no dia 26 de outubro será o encerramento, com diversas apresentações. 

Conhecimento, interação, descoberta e desenvolvimento de aptidões artísticas, cultura, valorização e promoção do servidor público. Esse é o intuito da Maspp, que este ano tem como tema "Valorizando a Vida: Vivendo para Servir".

O passeio ciclístico é uma realização da Prefeitura de Parauapebas, por meio da Coordenadoria de Treinamento e Recursos Humanos (CTRH) e Núcleo de Treinamento (NUTRE), em parceria com a UCP.

SOBRE AS INSCRIÇÕES

Data: até a próxima sexta-feira, 21

Horário: 8h às 14h

Locais:

  • Hall da Prefeitura de Parauapebas
  • Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb)
  • Secretaria Municipal de Saúde (Semsa)

 (Ascom- PMP)

No último sábado, 15, foi realizado o “Dia D” da Campanha de Vacinação Antirrábica em 36 postos espalhados pelo município de Parauapebas, atingindo 90% da meta estabelecida pela Secretaria de Saúde Pública do Estado do Pará (Sespa). A ação foi promovida pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), por meio da Diretoria de Vigilância em Saúde e da Coordenação de Vigilância Ambiental.

“Vacinamos 21.353 cães e gatos, isso corresponde a 90% de animais. Foi um resultado muito satisfatório, em apenas um dia. Mas a nossa meta é vacinar 100% da população animal da cidade, que atualmente conta com 23.729 cães e gatos”, destacou o coordenador da Vigilância Ambiental, Carlos Damasceno.

Para o autônomo João Bosco Bandeira foi “muito bom” levar seu cão pra tomar a vacina contra a raiva. “Pois só assim conseguiremos viver em um ambiente saudável e bem higienizado”, disse ele.

Serviço: Quem não conseguiu vacinar no Dia D, poderá procurar a Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) até o dia 30 de novembro deste ano, situada na rodovia Faruk Salmen, quadra 01, lote 05, próximo à Delegacia de Polícia.

 (Ascom-PMP)

Um levantamento feito pela Celpa constatou que cerca de 144 mil clientes da concessionária, em todo o Estado, não fazem mais parte do Programa Tarifa Social de Energia elétrica, que concede descontos de 65% na conta de luz das famílias de baixa renda. A perda do benefício aconteceu em função da não atualização dos dados sociais juntos aos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS) de cada município paraense. Os dados devem ser atualizados a cada dois anos para que o cadastro continue ativo.  

Só na região metropolitana de Belém, foram mais de 40 mil clientes que perderam os descontos na conta de luz. Em cidades como Castanhal, Santarém, Marabá, Altamira e Parauapebas a média do número de perdas do benefício chega a 7 mil clientes. 

Para ter uma ideia sobre os valores economizados com o benefício, uma conta de energia em que o consumo é de 220kW, a economia chega a ser de R$ 52,26 por mês. Em um ano, isso pode significar uma enxugada de até R$ 627,12 no orçamento familiar. Atualmente, o Pará possui cerca de 680 mil clientes cadastrados na Tarifa Social e mais 300 mil potenciais beneficiários, que ainda não requereram seu benefício. 

O cliente ainda pode reaver o benefício?

Sim. Basta que se dirija ao Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) mais próximo, faça a atualização do cadastro social, o CadÚnico, e entre em contato com a Celpa por meio das agências de atendimento da empresa, apresentando o Número de Inscrição Social (NIS) ativo para que possa ser incluído novamente no Programa.

 Para (re)cadastrar os dados sociais, os beneficiários devem apresentar no CRAS os documentos de todas as pessoas que residem no imóvel:

 - Comprovante de residência; RG; CPF; e em casos que há crianças na família é necessário levar Certidão de nascimento dos filhos e carteira de vacinação das crianças menores de 5 anos.

 Como saber se o cadastro já venceu?

 Para verificar sobre a situação do cadastro, se ele já venceu ou não, a Celpa orienta que seja feito o contato com a central de relacionamento do Ministério do Desenvolvimento Social, pelo número 0800 707 2003.

 Quais os requisitos para fazer parte do Programa de Tarifa Social de Energia Elétrica?

 O cidadão deve estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), possua Número de Inscrição Social (NIS). A renda familiar mensal do beneficiário deve ser menor ou igual a meio salário mínimo por pessoa, também é necessário que a data da última atualização cadastral dos dados sociais, junto ao Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) seja inferior a dois anos.

 A concessionária ainda alerta que o beneficiário só pode possuir o benefício da Tarifa Social em apenas uma residência, e o endereço de cadastro do beneficiário, junto ao CadÚnico, deve estar localizado em um dos 144 municípios do estado do Pará.

 O que é CadÚnico e NIS?

 Cadastro Único ou CadÚnico é um conjunto de informações sobre as famílias brasileiras em situação de baixa renda. Essas informações são utilizadas pelo Governo Federal, pelos Estados e pelos municípios para implementação de políticas públicas capazes de promover a melhoria de vida dessas famílias. Após o cadastramento a família adquire o N° de Inscrição Social (NIS), de caráter único, pessoal e intransferível, através do qual pode participar de diversos programas sociais, tais como:

- Programa Bolsa Família;

- Tarifa Social de Energia Elétrica;

- Carteira do Idoso;

- Programas habitacionais, e muitos outros.

 Confira alguns municípios com maior número de famílias que perderam o benefício:

 

MUNICÍPIO

 

Número de famílias que perderam o benefício

Belém

25.074

Ananindeua

11.499

Santarém

8.728

Marabá

4.486

Altamira

2.813

Castanhal

4.831

 (Ascom-Celpa)

 

 

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2018gk-is-100.jpglink