Após voto, governador Simão Jatene reafirma importância da verdade e da ética

Governador do Pará Simão Jatene. Governador do Pará Simão Jatene. Foto: Reprodução

O governador do Pará, Simão Jatene, chegou por volta das 15h45 à sua seção eleitoral, na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Doutor Freitas, no bairro do Umarizal, centro de Belém, acompanhado de familiares. Aguardou na fila e, após o voto, falou sobre suas expectativas avaliando o cenário eleitoral, pedindo à população tranquilidade e discernimento na escolha de seus representantes, entre eles o que irá comandar o Pará pelos próximos quatro anos.

O governador se demorou bastante na seção eleitoral, que se manteve lotada durante todo o período de votação: ele tentou votar pela manhã, mas só conseguiu votar no final da tarde.

Para Simão Jatene, a eleição foi mais uma chance importante que os cidadãos tiveram para fazer escolhas certas e reavivar esperanças de melhorias coletivas. "O Brasil não vive um momento simples e os eleitos terão muitas dificuldades para governar. Espero que a população tenha feito a sua melhor escolha no sentido de que não tenha se deixado influenciar por apenas atendimento de necessidades pessoais. Que tenham pensado que País e que Estado nós queremos", disse o governador Simão Jatene.

Ele disse também que, "no Brasil, alguns políticos se desqualificaram e desqualificaram a política como instrumento de resolução de conflitos e de construção de uma sociedade melhor”. Desejou que a eleição possa “ser um passo no sentido de se recuperar algumas dessas condições, que são fundamentais para se ter uma sociedade efetivamente democrática”.

Sobre o cenário estadual, destacou a questão do compromisso com a verdade e a ética, avaliando o tom da campanha: "O processo em si foi extremamente agressivo em todos os sentidos. Eleição é momento em que os sentimentos se aguçam, mas não precisa chegar no grau de agressão que vi nas ruas. E falo de agressão também no sentido de pouco compromisso com a verdade, com as chamadas fake news", afirmou o governador.

O governador demorou cerca de duas horas para exercer seu direito ao voto, no final da tarde. Ele registrou, após votar, que não havia informação de ocorrências graves durante a votação, mas reconheceu que houve “um certo tumulto causado pela biometria, aliado à redistribuição dos espaços de votação (ele votou numa escola estadual, onde foram agregadas as seções de duas zonas eleitorais localizadas no Bairro do Umarizal, em Belém). Isso terminou levando a uma concentração muito grande em determinados locais. Disse que sua expectativa é que essa questão seja reavaliada (pela Justiça Eleitoral).

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE), cerca de 5,5 milhões de eleitores estavam aptos a comparecer às urnas neste domingo (7) para eleger deputados federal e estadual, senadores, governador e presidente da República. Em todo o Pará existem 5.145 locais de votação que abrigam 18.553 seções eleitorais, sendo 63 indígenas, 1.334 ribeirinhas, 3.552 rurais e 5 prisionais. A votação biométrica foi realizada em 54 municípios, entre eles Belém, que utiliza o sistema pela primeira vez, totalizando 3.492.532 eleitores, que corresponde a 63,5% do eleitorado paraense.

(Governo do Pará)

Avalie este item
(0 votos)
Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2018gk-is-100.jpglink