No intuito de difundir o conhecimento, a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) promoveu na manhã deste sábado (08), o 1º Encontro de Egressos. A atividade consiste em promover a troca de conhecimentos entre ex-alunos, alunos e professores da instituição através de palestras e compartilhamento de ideias.

Com um cronograma variado, o encontro visou debater com os participantes os seguintes eixos temáticos: Conservação de solos – realidades e desafios, desafios e perspectivas para o engenheiro agrônomo, atitude empreendedora, uso de drones na agricultura, contos de um egresso – formação X realidade.

A professora de Manejo e Conservação de Solo e Água, Daiane Mariano, foi uma das palestrantes do encontro, ela explica que a nível nacional, várias propriedades agrícolas apresentam algum tipo de processo de degradação. Nesse sentido, o uso de práticas conservacionistas aliadas ao manejo do solo, torna-se crucial para obtenção de resultados positivos na produção agrícola, devido, principalmente, às melhorias físicas, químicas e biológicas do solo. “Infelizmente o uso dessas práticas na região de Parauapebas ainda são bastante incipientes. E a fim de mudar esse cenário, a palestra para os alunos egressos visa o uso e a divulgação dessas práticas no meio rural, pois proporcionam incrementos na matéria orgânica que atuarão diretamente na agregação, infiltração, regime térmico e evaporação da água no solo. Além dos benefícios químicos e biológicos. Também destacamos os problemas que o ambiente solo sofre com as queimadas, que infelizmente ainda acontecem na região”, destaca a professora.

Uma das organizadoras do evento, Fátima Kissigen (Tina), formou-se em Engenharia Agrônoma pela Ufra, em 2012. Ela destaca que a iniciativa surgiu da necessidade de trazer os ex-alunos para a universidade. “Às vezes a gente forma e aquele vínculo com a universidade acaba e eu vejo que isso não deveria acontecer, porque a gente leva o nome da universidade pra onde a gente vai. Nada mais justo que reafirmar o que aprendemos aqui e levamos para fora”, disse Tina.

A professora de Manejo e Conservação de Solo e Água, Daiane Mariano, foi uma das palestrantes do encontro.

Uma das organizadoras do evento, Fátima Kissigen (Tina), formou-se em Engenharia Agrônoma pela Ufra, em 2012.

 

 

 

 

(Reportagem: Fernando Bonfim)

A primeira “Blitz das Flores” da campanha “Agosto Lilás” realizada pela Secretaria Municipal da Mulher (Semmu) foi realizada no campus da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) em Parauapebas. Este ano, a ação foi descentralizada e espalhada por diversos pontos da cidade, para distribuição de flores e panfletos que alertam sobre os direitos das mulheres e informam sobre os serviços prestados pela rede de atendimento à mulher no município.

Alunos, professores e servidores foram abordados ao passarem pelos portões da universidade. Além disso, os multiplicadores da campanha de combate à violência doméstica contra a mulher também promoveram oficinas socioeducativas nas salas de aula. Com uma rápida dinâmica, os alunos participaram de uma gincana que aborda os aspectos da Lei Maria da Penha, e ao final foram convidados para multiplicarem essas informações.

“Achei muito interessante. Na maioria das vezes a gente não sabe os nossos direitos, não sabemos onde a gente pode encontrar ajuda e realmente eu conheço muitas mulheres que já passaram por isso e a gente não sabe como direcionar. Essa campanha é muito boa. Elas informaram onde a gente pode ir, quem procurar, os números, deram o caminho para que a gente possa procurar ajuda. Achei muito importante, até parabenizei a iniciativa na sala”, disse a aluna Jamili Mendonça.

A professora Josilene Mendes foi uma das coordenadoras da Blitz das Flores na Ufra. “Esse tipo de legislação temos que difundir para o máximo de público possível. A violência doméstica (contra a mulher) acontece desde as classes mais baixas até as classes mais altas. Então, quanto mais a gente tiver conhecimento sobre isso e difundir esses conhecimentos com relação à legislação e os mecanismos de proteção às mulheres é melhor”, assinalou a professora.

Além da Blitz, também foi realizado oficinas socioeducativas em sala de aula.

DENUNCIE! LIGUE 180

Há quem pense que a violência contra a mulher seja apenas a violência física, mas além desta existem outros seis tipos de violência: a moral, a psicológica, a sexual, a patrimonial, a virtual e a violência emocional. A mulher vítima de qualquer tipo de violência deve procurar a Delegacia da Mulher (Deam) e denunciar o agressor.

Como há vítimas que se recusam a denunciar por medo, vergonha e outros motivos, amigos, colegas de trabalho e vizinhos também podem fazer a denúncia sem precisar se identificar. Com isso, é possível evitar tragédias.Para orientações e apoio psicossocial, a vítima também pode se dirigir ao Centro de Referência da Mulher (CRM).  

Peça ajuda, denuncie! Ligue 180.  

 

(Texto: Rayssa Pajeú/Fotos: Bruno Cecim-ASCOM/PMP)

Acadêmicos do 8º período do curso de Administração da Ufra (Universidade Federal Rural da Amazônia) campus de Parauapebas Allyson Leite, Luiza Karine e Marcos Nogueira, estão realizando uma pesquisa para a construção de um artigo científico sobre ‘Influenciadores Digitais, como Ferramenta de Marketing para os Empreendedores de Parauapebas’.

A pesquisa visa fazer uma estimativa sobre como anda o comportamento de compra dos consumidores de Parauapebas e a forma como consomem conteúdo na hora de decidir pela compra de um produto, e também a influencia que os ‘influenciadores digitais’ têm sobre o sucesso no marketing das empresas.

Para coleta de dados, os estudantes elaboraram um questionário disponível em rede online para que consumidores possam colaborar com informações.

Allyson Leite, Luiza Karine e Marcos Nogueira.

De acordo com Marcos, estudante envolvido no projeto, o formulário estará disponível até o final deste mês de Julho, e para o êxito em seu desenvolvimento, pede a contribuição da população para respondê-lo. “Pedimos a colaboração do maior número de pessoas que nos ajude fornecendo informações sobre a influência que as redes sociais e os influenciadores digitais têm sobre suas decisões de consumo. O questionário contém apenas 23 perguntas simples e o tempo estimado para concluí-lo é de aproximadamente 05 min”, explicou Marcos.

Para responder o formulário é só acessar o link.

https://goo.gl/forms/beVer5FSuWNgDGvP2

(Reportagem: Ingrid Cardoso)

 

 

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2018gk-is-100.jpglink