Canaã dos Carajás será, em breve, o primeiro município da região a contar com uma escola pública de ensino fundamental com atendimento em tempo integral. A Escola Municipal Ronilton Aridal, no Nova Esperança, que vai receber o projeto piloto, já está com estrutura física concluída e foi recebida pela prefeitura, nesta segunda-feira (18), da construtora responsável.

O prefeito de Canaã dos Carajás, Jeová Andrade, o vice, Alexandre Pereira, além de secretários, vereadores e representantes da comunidade conheceram as instalações da unidade, que conta com mais de 3 mil m², 12 salas de aula, laboratórios, quadra poliesportiva coberta e quadra de areia. Além do bairro em que está localizada, a escola vai atender alunos do Residencial Canaã. Nas próximas semanas, a Unidade já deve receber aulas da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A inauguração oficial do espaço está prevista para o mês de março.

Ao discursar, o prefeito Jeová Andrade lembrou as dificuldades do período em que trabalhou como supervisor nas escolas públicas de Canaã, assim que o município foi emancipado, e comparou com a estrutura privilegiada dos dias atuais. “As escolas eram de pau a pique, e os bancos eram toras de madeira, mas nós fazíamos tudo com entusiasmo”, destacou. Jeová ressaltou que, com a melhoria da qualidade das escolas, é preciso “continuar contando com a dedicação de todos para o avanço da educação”.

A opinião foi reforçada pela freira “Irmã Madalena Andrade”, que trabalhou em Canaã, no início da fundação do município, e esteve presente na visita à escola. Ela se disse surpresa com a estrutura da nova escola.

O vice-prefeito, Alexandre Pereira, definiu como uma “ousadia” do poder público apostar em uma escola em tempo integral para Canaã. Ele comparou que, “em muitas faculdades Brasil afora, não há a mesma estrutura que nas escolas de Canaã”. Para o secretário de Educação, Edilson Valadares, é uma honra participar da construção de um espaço como o da nova escola. Ele destacou que a unidade “tem alto padrão e foi feita com recursos próprios”.

(Ascom-Canaã)

O Ressoar do curimbó, o chiado dos maracás, o colorido da saia rodada de xita bailando no ar, encantam a todos que prestigiam este ritmo envolvente que vem do norte, o Carimbó. Celebrando a cultura regional, enaltecendo os artistas da terra, os festivais de Carimbó se tornaram muito mais valorizados e atraentes aos olhos do público. Além de movimentar a economia da cidade, trazendo turistas de toda parte para prestigiar a festividade.

Grupo Expressão Cultural Retumbá.

O Festival de Carimbó Irituiense está na sua 18ª edição, um dos melhores que se tem no estado do Pará, e é através do movimento, Carimbó Patrimônio Cultural onde se encontram as grandes lideranças de grupos do estado. Parauapebas será representada no festival por dois grupos culturais do município, o Xuatê Carajás e Grupo de Expressão Cultural Retumbá.

Em entrevista ao Portal Carajás o Jornal, o coordenador musical do grupo Xuatê Carajás, Thiago Bragança fala da importância da participação dos grupos. “O festival vem abrir espaço para um bate papo sobre o que é a campanha e a salvaguarda do Carimbó, e de como surgiu o nosso interesse de mostrar que no sudeste do Pará também se faz Carimbó de Raiz”.

Edson Ferreira é ativista cultural em Parauapebas e coordenador do grupo de Expressão Cultural Retumbá e de acordo com ele, “o Carimbó une a todos que anseiam fomentar a cultura paraense”.

O XVII FESTIVAL DE CARIMBÓ IRITUIENSE irá acontecer este final de semana, 18, 19, 20 de Janeiro na cidade de Irituia, na praça Pe. Mario Rodrigues e contará com a presença de grupos de Carimbó de diversas cidades do Pará.

Com essa representatividade popular parauapebense, junto à cultura brasileira, os ativistas culturais do nosso estado buscam valorizar o Carimbó raiz, o pau e corda, ritmo tipicamente nortista.

(Reportagem: Raquel Sá)

 

 

A Floresta Nacional do Tapirapé – Aquiri inaugurou no último dia 05 de dezembro seu Circuito de Trilhas Ecológicas, composto pelas trilhas: Paxiúba, Castanheira, Bitoca e Cinzento, todas nas proximidades do complexo minerário Salobo, localizado no território do município de Marabá, cerca de 70 de Parauapebas. O circuito ecológico também conta com as trilhas, Pena Branca em São Félix do Xingu.

Com níveis de dificuldade variando entre leve e moderado, são oferecidas opções para o recebimento de públicos diferenciados. Os cenários de grande beleza cênica, os córregos e igarapés da bacia hidrográfica do rio Itacaiúnas somados ao grande volume de espécies florestais raras são um atrativo a mais. Os atributos naturais são enriquecidos pela instalação de travessias suspensas, pontes elevadas, e pontos de parada e contemplação da beleza natural, o que conferem às trilhas um tom de aventura tipicamente amazônico.

A iniciativa faz parte do planejamento da unidade para ampliar as ações de educação ambiental.

André Macedo, coordenador do NGI ICMBio Carajás, destaca que a iniciativa faz parte de uma estratégia e gestão participativa que tem por objetivo o desenvolvimento da sensação de pertencimento perante a comunidade, ampliar a participação social, mostrar para a sociedade todo o valor da biodiversidade local. “Esperamos que a ação contribua para o fortalecimento do turismo ecológico em Marabá e região e crie oportunidades para a geração de renda e desenvolvimento socioambiental”, disse André.

No último dia 09 de dezembro de 2018, a Cooperativa de Trabalho em Ecoturismo de Carajás - COOPERTURE participou da programação de inauguração do circuito. O convite partiu da gestão da unidade em conjunto com a Coordenação Especial de Uso Público da Floresta Nacional de Carajás, subordinada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Parauapebas, para conhecer os atrativos naturais da Unidade de Conservação vizinha à Flona Carajás. A COOPERTURE já atua na FLONA Carajás há mais de cinco anos, e mais recentemente no Parque Nacional dos Campos Ferruginosos, conduzindo turistas nacionais e internacionais.

Para a condutora de atrativos naturais da COOPERTURE, Francilma Vieira, esse momento foi de muita satisfação onde a Cooperativa pôde conhecer os atrativos e estudar a viabilidade junto ao órgão gestor da unidade de conservação, o ICMBio, a autorização de visitação nas trilhas. “As trilhas nos mostram uma riqueza única e a abordagem do contexto histórico e econômico da região foi fundamental. Há inúmeras possibilidades de atender diversos públicos da região, com guias locais, nos enche de expectativas. Levantamos a bandeira de que precisamos conhecer para conservar nossas unidades de conservação, esse é o papel socioambiental da COOPERTURE Carajás”, relatou Francilma.

Na oportunidade ainda estiveram presentes o Secretário Adjunto da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Parauapebas, além de alunos da turma de meio ambiente da escola técnica Vale dos Carajás, unidade Parauapebas, UFRA, escola Dorothy Stang, grupos locais de capoeira, e IFPA, turmas de meio ambiente, que juntos aos demais usuários dos municípios vizinhos, somaram cerca de 1000 visitantes ao longo da semana inaugural do circuito.

Para potencialização das ações de divulgação, foi criado o Aplicativo para celular. O “Trilhas Flona do Tapirapé – Aquiri”, encontra-se se disponível para download na plataforma Android. Por meio dele é possível conhecer a estruturação e principais atrativos disponíveis.

A riqueza da fauna e flora torna-se um ambiente perfeito para a prática do Birdwatching termo em inglês para "Observação de aves", atividade recreativa que torna o Mosaico de Carajás e um lugar único no mundo, haja vista que algumas espécies de aves só são encontradas aqui.

Formado em Zootecnia pela Ufra, o Birding Guid (Guia de Observação de Aves), Filho Manfredini explica que o Mosaico de Carajás e suas diversas unidades de conservação, têm enorme potencial para a prática do Birdwatching, pois a  enorme área de conservação está dentro do “Interflúvio do Xingu”, que funciona como uma espécie de “rota das aves” onde moram espécies únicas no mundo inteiro.

Outros dois fatores primordiais para tal potencial é a acessibilidade e a variedade de espécies, que possui cerca de um terço das espécies encontradas em todo o Brasil. “É uma das unidades de conservação do Brasil que tem a maior infraestrutura em estrada e alojamentos e nos coloca muito à frente quando o assunto é fazer as pessoas virem aqui para Carajás, o que consequentemente aquece o comércio local e gera mais dinheiro”, disse Manfredini.

Francilma Vieira, condutora de atrativos naturais da COOPERTURE.

Filho Manfredini, Birding Guid (Guia de Observação de Aves).

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos dias 24 e 25 de novembro o Carajás Centro de Convenções receberá a 2ª Virada Esportiva de Marabá. O evento é uma ação da Associação Marabá Esportes - Amesp, e contará com a participação de 2 mil atletas. Mais de 30 modalidades serão apresentadas entre as 8h e 17h nos dois dias de atividades. Para participar, basta levar 1kg de alimento não perecível. Toda a arrecadação será doada ao Instituto APAE e ao Lar São Vicente.

Com um público estimado em oito mil pessoas, a Virada Esportiva tem como objetivo o incentivo à prática dos esportes como instrumento de inclusão social e de suporte na formação integral do atleta. A ideia é proporcionar o intercâmbio entre os participantes e as modalidades que ocorrem no município de Marabá, identificando os talentos e valorizando os atletas locais.

Além disso, a Virada Esportiva promoverá ação social em favor de dois institutos sociais da região, com a arrecadação de alimentos não perecíveis e materiais de higiene. A ação conta com o apoio da Organização Social Pará 2000, responsável pela administração do Carajás Centro de Convenções.
Modalidades:

Sábado (24/11)

Karatê

Badminton

Muay Tai

Jiu Jitsu

Boxe

Capoeira

Judô

Fisiculturismo

Crossfit

Corrida Obs. 05 Km

Xadrez

 
Domingo (25/11)

Patins

Ciclismo

Skate

BMX

Badminton

Sinuca

Tênis de mesa

Tênis de quadra

Xadrez

Slackline

Hip hop

Natação

Wheelie

Moto Club

Atletismo

Caiaque

Futevôlei

Street saltos

Paraquedismo

Aeromodelismo

Voleibol

A mineradora multinacional Vale assumiu em outubro — e segue sendo em novembro — a liderança nacional de maior exportadora do país. A informação foi levantada pelo Blog do Zé Dudu no portal do Ministério do Comércio Exterior (MDIC). No acumulado do ano, a poderosa empresa sediada no Rio de Janeiro, que explora no Pará e comercializa o produto paraense na China, superou a Bunge Alimentos e a Petrobras, que até então vinham se revezando no topo.

Dos 20 empreendimentos brasileiros que mais exportam, a Vale é titular de impressionantes quatro lugares, mas o MDIC, por questões de sigilo fiscal, não disponibiliza os valores transacionados por CNPJ. O 1º lugar nacional pertence ao conjunto das minas da Serra Norte de Carajás, em Parauapebas. Do complexo formado por N4E, N4W e N5, a Vale já retirou R$15,83 bilhões em recursos minerais, de acordo com a Agência Nacional de Mineração (ANM).

No 6º lugar brasileiro está a parque minero-industrial da Serra Sul, em Canaã dos Carajás, onde está instalada a mina de S11D, que, junto com a mina de cobre Sossego, já rendeu à Vale R$7,65 bilhões este ano. A multinacional também marca presença no 7º lugar, com operações portuárias em Vitória, capital do Espírito Santo.

Na 19ª colocação, está o projeto Salobo, no município de Marabá, de onde a Vale extrai minério de cobre. Este ano, já são R$4,43 bilhões saídos da Serra do Salobo em recursos minerais. No ranking do Ministério do Comércio Exterior, em posições mais abaixo, a multinacional estica seus tentáculos ainda por Curionópolis (Serra Leste), Canaã (Sossego), Ourilândia do Norte (Onça Puma) e Parauapebas (Mina do Azul).

O Blog cruzou números da balança comercial, registrados em dólar pelo MDIC, com os da ANM, contabilizados em real, e concluiu que a Vale já faturou do Pará, em todas as suas operações instaladas no estado, de janeiro até 10 de novembro, R$28,37 bilhões. Esse valor é muito maior que o arrecadado pelo Governo do Pará até o momento, de R$21,22 bilhões. Durante 2017, a Vale faturou do Pará R$30,98 bilhões, segundo a ANM, enquanto a arrecadação do Governo do Estado foi finalizada em R$23,12 bilhões, conforme aponta o Balanço Geral do Estado (BGE) de 2017.

O faturamento da Vale no Pará é mais que suficiente para pagar todas as despesas administrativas do Governo do Estado, mas, este ano, apenas 3,1% da arrecadação da mineradora com a lavra mineral em terras paraenses retornaram em forma de royalties.

Top 25 do Pará

Dos 25 empreendimentos paraenses mais rentáveis, nenhum tem sede na capital, Belém. Os municípios mineradores do complexo de Carajás — Parauapebas, Canaã, Marabá e Curionópolis — lideram e marcam presença cada um com dois CNPJs poderosos, assim como Barcarena, com sua megaindústria de transformação de alumínio.

Fora do circuito mineral, a cadeia de produção bovina domina com folga, marcando presença de Ananindeua a Tucumã. Também entra na lista uma unidade de comércio atacadista de soja, no oeste do Pará.

Veja a lista dos negócios mais lucrativos do Pará:

 

(Fonte Zé Dudu)

A cooperativa Mulheres de Barro também marcou presença durante a 46ª Abav Expo Internacional de Turismo, realizada em São Paulo, apresentando a produção de peças cerâmicas do municípios paraense de Parauapebas.

Durante a feira, os visitante puderam conferir objetos de decoração e utilitários feitos de barro, inspirados em artefatos cerâmicos datados de 6 mil anos, encontrados em pesquisas arqueológicas realizadas na Serra dos Carajás, na Floresta Tapirapé-Aquiri, utilizados pelos primeiros habitantes da região.

A coordenadora do Centro Mulheres de Barro, Sandra Santos, ressalta a importância da participação em mais um evento internacional. "Em 2017, estivemos na Exposibram, em Belo Horizonte. Este ano, tivemos a honra de integrar a rota turística City Tour de Parauapebas e também participar da Abav, a convite do Departamento de Turismo do nosso município", comemora. "Nós estamos trabalhando na difusão da identidade cultural de Carajás e, dessa forma, estamos contribuindo para a valorização do patrimônio artístico-arqueológico da nossa região", comenta.

Cooperativa Mulheres de Barro, que integra a rota turística City Tour de Parauapebas, participou da 46ª Abav.

Sobre o Centro Mulheres de Barro

O espaço, que este ano comemora dois anos de atuação, apresenta ao público a exposição permanente "Mulheres de Barro: identidade e memória". A iniciativa faz parte de um conjunto de ações da Cooperativa dos Artesãos da Região de Carajás - Mulheres de Barro que conta com o patrocínio da Vale, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

O Centro Mulheres de Barro promove também oficinas de educação patrimonial e técnicas cerâmicas que abordam temas relacionados à cultura (memórias pessoais, coletivas, diversidade e identidade) e bens culturais materiais (artefatos arqueológicos, obras de arte e aparelhos culturais). Os bens culturais imateriais (música, dança, celebrações e histórias orais) e de patrimônio natural (Floresta Nacional de Carajás, cachoeira do beija, rio Parauapebas e o ipê, árvore símbolo do município) também foram trabalhados nos grupos deste ano.

Para conhecer

Centro Mulheres de Barro

Endereço: Alameda Castelo /Branco, quadra 187 - lote 107 (ao lado do Mercado do bairro Rio Verde, em Parauapebas - entrada pela rua Araguaia).

Horário de funcionamento: Segunda a Sábado das 8h às 18h.

Os grupos de Carimbó Raízes Parauara e Retumbá realizaram uma grande manifestação cultural na Praça de Eventos, em Parauapebas, na noite de ontem, domingo (26), em comemoração a semana nacional do folclore e aniversário do Mestre Verequete, considerado o pai do Carimbó.

Muita música, dança e batucada cativou o público presente, reunindo curiosos que passavam pelo local.

“O som do tambor ecoou ao longe nas matas de Carajás, um canto de liberdade fez pés arrastarem e bailarem belas saias floridas no batuque de Carimbó em comemoração ao dia municipal do carimbó em homenagem ao saudoso Rei dos tambores Mestre Verequete.” 

Grupos Retumbá e Raízes Parauara animaram o público com muito carimbó.

Crianças, jovens e adultos dançaram no ritmo da batucada.

Participou também o Grupo Caboclo Rústico, que animou ainda mais o publico presente.

Sobre saiba um pouco mais sobre Verequete

Mestre Verequete, como é chamado, é considerado o pai do Carimbó, estilço de música e dança paraense. Nasceu em 26 de agosto de 1916, em Quatipuru-PA, numa Vila denominada Vila Careca, morreu em 03 de agosto de 2009, com quase 93 anos de idade, sua memória foi eternizada por suas composições tradicionais no estilo Carimbó.

Junto com o cantor Pinduca, foi um dos responsáveis pela popularização do Carimbó no Pará, contribuindo também com a projeção nacional de 1970 e 1980. Com um repertório completo, Verequete compôs cerca de 200 músicas, lançou 10 discos e 04 CDs. Entre seus maiores sucessos estão: O Carimbó não morreu, Morena penteia o cabelo, Xô peru e Chama Verequete, uma de suas composições mais conhecidas.

(Da redação com informações dos grupos culturais e Wikipédia)

Na sessão desta terça-feira, 14/08, na Câmara Municipal, o vereador Rafael Ribeiro foi um, dos dois votos favoráveis a proposta que iria regulamentar a atividade de táxi lotação em Parauapebas. Segundo o vereador, seu voto representa o anseio da maioria da população, que ver no táxi lotação uma alternativa para o transporte público. "Precisamos encontrar alternativas que atendam toda a categoria, há espaço e demanda para todos, em momentos de crise, se faz necessário repensar certos modelos para a geração de renda dos trabalhadores e famílias que estão por trás da atividade de táxi lotação. Acima de tudo é preciso entender que o transporte público de maneira geral precisa ser rediscutido, é uma demanda urgente da população já faz bastante tempo". Disse o vereador.

 

 

Cerca de 120 professores da Rede de Educação do Campo participaram de um seminário de capacitação em enfrentamento à violência contra a mulher. A atividade foi realizada na manhã deste sábado (11) no Instituto Federal do Pará (IFPA) e faz parte do “Agosto Lilás”.

A atividade consiste na formação de multiplicadores, juntamente com os parceiros da Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. Até o dia 21 deste mês, serão quatro seminários, que irão abordar os principais itens da Lei Maria da Penha, sensibilizando e proporcionando a reflexão e o olhar de gênero sobre as políticas públicas desenvolvidas em diferentes setores. O público alvo são os profissionais da saúde, assistência social e educação, contemplando educadores, técnicos e alunos.

De acordo com a secretária Municipal de Mulher, Maria Angela da Silva, o principal objetivo do seminário é trabalhar ainda mais a conscientização para que os profissionais possam levar as informações adquiridas à sala de aula. “Hoje a violência esta em toda a sociedade e a nossa programação está focada em cima da Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. Uma aula muito proveitosa com os nossos educadores do campo que foram bastante participativos”, diz a secretária.

A Coordenadora Pedagógica da Educação do Campo, Heloisa Elena, destaca que o campo tem menos acesso à Rede de Proteção que existe na cidade, pelo fato de ficar mais afastado, dentre outra diversidade de fatores, como distancias geográfica e dificuldade de acesso. Ela acrescenta que toda sociedade deveria participar do evento. “Importantíssimo para toda a sociedade, principalmente para nós professores e educadores temos um papel intransferível de multiplicação”, diz.

 

De acordo com a secretária Municipal de Mulher, Maria Angela da Silva, o principal objetivo do seminário é trabalhar ainda mais a conscientização para que os profissionais possam levar as informações adquiridas à sala de aula. 

A Coordenadora Pedagógica da Educação do Campo, Heloisa Elena, destaca que o campo tem menos acesso à Rede de Proteção que existe na cidade, pelo fato de ficar mais afastado, dentre outra diversidade de fatores, como distancias geográfica e dificuldade de acesso.

Reportagem: Fernando Bonfim

No período de 20 a 23 deste mês, a Secretaria Municipal de Cultura (Secult), em parceria com a Escola de Dança Ana Tereza Moraes e empresa Vale, irá promover a IV Semana de Dança – edição Balé -, em Parauapebas.

O evento tem como convidada a bailarina internacional Mariana Moraes. Na programação, oficinas e mostra de dança, palestras e bate-papos, com o objetivo de possibilitar a reciclagem, aperfeiçoamento, intercâmbio e o convívio entre os profissionais e alunos participantes de modalidades como balé clássico, dança moderna e contemporânea.

As inscrições para as oficinas irão começar na próxima segunda-feira, 13, e vão até sexta-feira, 17. As vagas são limitadas. Podem se inscrever interessados a partir de 10 anos de idade, diretamente pelo site https://sites.google.com/view/secult/p%C3%A1gina-inicial

A Semana de Dança irá ocorrer entre os dias 20 e 23 deste mês, no novo Centro Cultural de Parauapebas, localizado no bairro Alvorá.

Página 1 de 2
Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink