Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

A Diocese de Marabá comemorou o seu 40.º aniversário de fundação. As comemorações para viver este Ano Jubilar, começaram nesta segunda-feira (14), com uma Santa Missa de abertura, que aconteceu às 19h30 na Paróquia de São Sebastião, em Parauapebas.

O momento celebrativo contou com a presença dos padres da Diocese, além de diáconos, seminaristas, freiras e missionários.

Pe. Peterson acompanhado da Guarda de nossa senhora.

Na oportunidade, alguns padres que fizeram e fazem história na Diocese, falaram sobre a emoção de fazer parte desta comemoração jubilar. Um deles foi o Padre Peterson que fala da importância de celebrar o jubileu.  “Celebrar os 40 anos de história da Diocese, é resgatar a memória dos homens e mulheres valorosos que se dedicaram à missão, e ao mesmo tempo, agradecer a Deus pela vida de todos”, explanou.

Padres da Diocese de Marabá compareceram a celebração do Jubileu.

As celebrações festivas acontecerão em todas as paróquias da Diocese de Marabá, Parauapebas foi a primeira a receber a festividade Jubilar.

Irmãs Filhas do Amor Divino foram pioneiras na evangelização da Diocese.

As Irmãs Filhas do Amor Divino, foram as primeiras a saírem pregando a palavra, faziam todo o trabalho missionário numa região, sendo presença da Igreja no meio daquele povo pobre, sofrido e necessitado. Logo depois vieram os padres, fazendo assim surgir comunidades católicas nos lugarejos que ainda não eram emancipados.

O desafio da evangelização depois desses 40 anos continua, só que de outras formas, afinal toda conquista começa com a decisão de tentar.

(Reportagem: Raquel Sá)

 

 

 

Na manhã desta terça-feira, 15, foi entregue à população o prédio reformado do Procon-Parauapebas. A cerimônia solene contou com a presença de membros da comunidade usuária dos serviços ofertados no estabelecimento, autoridades do poder legislativo e representantes da OAB.

Rua Araguaia, n 40, bairro Rio Verde.

As novas instalações do Procon vão proporcionar mais conforto ao público dando mais comodidade aos servidores, para que possam melhor desempenhar as suas funções. Orientar, receber, analisar e encaminhar reclamações, consultas e denúncias de consumidores, fiscalizar previamente os direitos dos consumidores e, quando for o caso, aplicar sanções, estes são alguns serviços que o Procon oferece.

 Silvana Farias, secretária de obras.

A reforma durou seis meses, durante esse período, o Procon funcionou na rua C, Cidade Nova. O novo prédio conta com rampas de acessibilidade e banheiros adaptados para receber o público com necessidades especiais. Em entrevista ao Portal Carajás o Jornal, Silvana Farias, Secretária de Obras, fala da satisfação de entregar o prédio. “Foi tudo feito com muito carinho, para que o consumidor possa se sentir acolhido”, disse.

Evelyn Moutinho, Coordenadora do Procon Parauapebas.

A coordenadora do Procon Evelyn Moutinho está satisfeita com o novo prédio.  “Certamente o consumidor aqui será bem acolhido, presamos por um atendimento de excelência e, certamente, as novas instalações irão proporcionar isso”,  frisou a coordenadora.

(Reportagem: Raquel Sá) 

A partir do decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro hoje (15), no Palácio do Planalto, cidadãos brasileiros com mais de 25 anos poderão comprar até quatro armas de fogo para guardar em casa. O texto regulamenta o registro, a posse e a comercialização de armas de fogo e munição no país, uma das principais promessas de campanha de Bolsonaro.

Citando o referendo de 2005 em que a população rejeitou a proibição do comércio de armas de fogo, Bolsonaro argumentou a necessidade do decreto.

“O povo decidiu por comprar armas e munições, e nós não podemos negar o que o povo quis naquele momento. Em toda minha andança pelo Brasil, ao longo dos últimos anos, a questão da arma sempre estava na ordem do dia. Não interessa se estava em Roraima, no Acre, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina ou Rio de Janeiro.”

O decreto entra em vigor após sua publicação no Diário Oficial da União e refere-se exclusivamente à posse de armas. O porte de arma de fogo, ou seja, o direito de andar com a arma na rua ou no carro não foi incluído no texto.

Critérios

Os cidadãos deverão preencher uma série de requisitos, como passar por avaliação psicológica e não ter antecedentes criminais. O que muda com o novo decreto é que não há necessidade de uma justificativa para a posse da arma. Antes esse item era avaliado e ficava a cargo de um delegado da Polícia Federal, que poderia aceitar, ou não, o argumento.

“E o grande problema que tínhamos na lei é comprovação da efetiva necessidade, isso beirava a subjetividade, então, bem costurado, o senhor ministro [da Justiça] Sergio Moro, o senhor ministro, também Fernando, da Defesa, entre outros, chegamos à conclusão de que tínhamos, sim, como não driblar, mas fazer justiça com esse dispositivo previsto na lei, de modo que o cidadão pudesse, então, sem a discricionariedade, obter, observando alguns outros critérios, a posse da sua arma de fogo”, disse Bolsonaro.

Além de militares e agentes públicos da área de segurança ativos e inativos, poderão adquirir armas de fogo os moradores de áreas rural e urbana com índices de mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes, conforme dados do Atlas da Violência 2018, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Donos e responsáveis por estabelecimentos comerciais ou industriais também poderão adquirir o armamento, assim como colecionadores de armas, atiradores e caçadores, devidamente registrados no Comando do Exército.

Limites

O limite de quatro armas poderá ser flexibilizado, caso o cidadão comprove a necessidade de adquirir mais, como, por exemplo, ser possuidor de mais de quatro propriedades rurais ou urbanas.

“Na legislação anterior se poderia comprar meia dúzia de armas, mas na prática não poderia comprar nenhuma, ou então era muito difícil atingir esse objetivo. Com a legislação atual, pode-se comprar até quatro, e ele, preenchendo esses requisitos, cidadão de bem, com toda certeza, poderá fazer uso dessas armas”, afirmou o presidente.

De acordo com o decreto, caso na residência haja criança, adolescente ou pessoa com doença mental será necessário apresentar uma declaração de que existe um cofre ou outro local seguro com tranca para o armazenamento da arma.

Registros

O registro e a análise da documentação continuam sob responsabilidade da Polícia Federal, mas, segundo Bolsonaro, futuramente, de acordo com a demanda, poderá haver convênios com as polícias militares e civis para esse trabalho.

O prazo para a renovação do registro da arma de fogo passará de cinco anos para 10 anos. Os registros ativos, feitos antes da publicação do decreto, estão automaticamente renovados pelo mesmo período.

 

Fonte: Agência Brasil

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) apresentou hoje (15) à Justiça estadual a segunda denúncia contra o médiumgoiano João Teixeira de Faria, o João de Deus. Preso em caráter preventivo desde 16 de dezembro, João de Deus é acusado de cometer crimes de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude. Ele nega ter abusado de frequentadoras do centro espírita Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO).

A primeira denúncia contra o médium foi apresentada pelos promotores que integram a força-tarefa do MP-GO no dia 28 de dezembro e aceita pela Justiça estadual em 9 de janeiro. Hoje, além da segunda denúncia, os promotores apresentaram à Justiça um novo pedido de prisão em nome do médium. João de Deus está detido no Centro de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital do estado.

“O trabalho do Ministério Público não se encerra aqui. Há ainda uma série de relatos que vão ser instruídos. Vamos continuar ouvindo eventuais vítimas e, embora possa se tratar de um certo número de vítimas, este número não representa o total de vítimas abusadas, que pode ser muito maior”, disse o promotor Luciano Meireles.

Segundo a promotora Gabriella de Queiroz, a nova denúncia está embasada na apuração de 13 supostos casos, dos quais oito já prescreveram, ou seja, já não podem mais ser levados a julgamento. Entre as mulheres que se apresentam como vítimas do médium, algumas afirmam ter sofrido abusos sexuais quando eram crianças ou adolescentes. Além de levar adiante a denúncia de cinco das supostas vítimas cujos casos não estão prescritos, os promotores indicarão as outras oito supostas vítimas como testemunhas, anexado seus depoimentos ao processo.

“Temos cinco delitos imputados ao denunciado. Destes, quatro correspondem ao crime de estupro de vulnerável – um deles em continuidade delitiva. O quinto crime imputado é o de violação sexual mediante fraude”, explicou a promotora. “Os outros oito casos, infelizmente, já foram alcançados pela prescrição e não constam da denúncia, mas são vítimas que figuram como testemunhas de corroboração”, acrescentou a promotora. O prazo máximo para que a denúncia fosse apresentada era de 20 anos, tempo legalmente reduzido por uma série de circunstâncias, como a idade do denunciado. Teixeira tem 76 anos.

Para o MP-GO, os 13 casos ocorreram entre o início de 1990 e meados de 2018. As vítimas são de oito unidades da Federação: Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. Uma das mulheres que afirmam ser vítimas sofreu abuso em dois diferentes momentos. O primeiro quando ainda era uma criança. O segundo, adolescente.

De acordo com a promotora, há evidências de que os crimes de violação sexual mediante fraude foram praticados diante de outras pessoas, durante sessões de atendimento espiritual conduzidas por João de Deus no centro espírita. Já o suposto caso de estupro de vulnerável teria ocorrido em ambiente isolado da Casa Dom Inácio de Loyola, onde a denunciante afirma ter ficado sozinha com o médium.

Para o promotor Augusto César Souza, a segunda denúncia contra João de Deus reforça a necessidade de que o médium permaneça preso. “Um novo pedido de prisão acompanha a acusação entregue hoje ao Poder Judiciário em Abadiânia. Este pedido se refere a estas novas vítimas e se destina a preservar a incolumidade física e psicológica destas vítimas. Sobretudo para garantir a coleta de seus depoimentos a salvo de qualquer ameaça ou intimidações”, disse o promotor. Ao depor, as vítimas disseram não ter procurado a Justiça antes por medo de represálias.

A reportagem procurou os advogados do médium, mas ainda não teve retorno.

 

Fonte: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje (15), durante cerimônia no Palácio do Planalto, o decreto que regulamenta o registro, a posse e a comercialização de armas de fogo no país, uma das principais promessas de campanha do presidente da República.

“Como o povo soberanamente decidiu, para lhes resguardar o direito à legítima defesa, vou agora, como presidente, usar esta arma”, afirmou Bolsonaro, mostrando a caneta.

“Estou restaurando o que o povo quis em 2005”, acrescentou Bolsonaro mencionando o referendo realizado há 14 anos.

O decreto refere-se exclusivamente à posse de armas. O porte de arma de fogo, ou seja, o direito de andar com a arma na rua ou no carro não foi incluído no texto.

A assinatura do decreto ocorreu logo depois da reunião ministerial coordenada por Bolsonaro todas as terças-feiras, às 9h, no Planalto, desde que assumiu o poder em 1º de janeiro.

 

Fonte: Agência Brasil

Detentos tentaram fuga da carceragem do Rio Verde, em Parauapebas, na madrugada desta terça-feira, 15. Por volta das 02h00 o Centro de Controle de Operações (CCO) acionou a polícia, que ao chegar à área carcerária da SUSIPE, frustrou a ação dos detentos.

Os internos cavara um buraco na parece carceragem para tentar fugir.

Parauapebas possui mais de 250 mil habitantes que esperam pela conclusão da construção do presídio da cidade, localizado na Rodovia VS10, a 20 quilômetros do centro urbano de Parauapebas.

Orçada em 4,5 milhões, a construção foi iniciada em 2013, porém até hoje não foi entregue à população. Parauapebas conta apenas um presídio,  super lotado e localizado dentro de um bairro comercial, Rio Verde, e cercado por residências, trazendo assim, riscos de insegurança para os moradores, no sentido de rebeliões e fuga dos presidiários.

(Da redação com informações de Caetano Silva e Arara Azul FM) 

A Mega-Sena pode pagar nesta terça-feira (15) um prêmio de R$ 25 milhões para quem acertar as seis dezenas do concurso 2.115. O sorteio será realizado às 20h (horário de Brasília), na cidade de São Paulo.

Nesta semana, excepcionalmente, como parte da Mega Semana de Verão, serão realizados três concursos. Além do sorteio de hoje, haverá concursos na quinta-feira (17) e no sábado (19). Os sorteios são feitos, normalmente, às quartas-feiras e sábados.

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília), em qualquer loja lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

 

Fonte: Agência Brasil

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, que também preside o Conselho Nacional da Justiça Federal, regulamentou o pagamento do auxílio-moradia aos juízes federais, reforçando as restrições estabelecidas em dezembro pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A resolução foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira.

Na semana passada, Noronha já havia publicado resolução que regulamentava o pagamento do benefício a ministros do STJ, desta vez com a previsão de que o magistrado somente poderá receber o auxílio se não tiver imóvel próprio ou funcional no Distrito Federal, onde fica a sede do tribunal.

Em sua última sessão do ano passado, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou por unanimidade, numa votação de poucos segundos, uma nova resolução para o pagamento de auxílio-moradia aos magistrados brasileiros, no valor máximo de R$ 4.377,73.

A resolução do CNJ, publicada em 18 de dezembro, prevê ao menos cinco critérios que devem ser atendidos para que o magistrado, seja no âmbito federal ou estadual, possa ter direito ao auxílio-moradia. Segundo estimativa preliminar do CNJ, aproximadamente 180 juízes estariam incluídos em tais critérios, cerca de 1% da magistratura.

Estão entre os critérios que não haja imóvel funcional disponível ao magistrado; que cônjuge ou qualquer pessoa que resida com o magistrado não ocupe imóvel funcional; que o magistrado ou cônjuge não tenha imóvel próprio na comarca em que vá atuar; que o magistrado esteja exercendo suas funções em comarca diversa do que a sua original; que o dinheiro seja gasto exclusivamente com moradia.

Após a publicação da resolução pelo CNJ, ficou a cargo de todos os órgãos subordinados da Justiça regulamentarem o pagamento do benefício dentro dos moldes estabelecidos pelo conselho.

Até novembro do ano passado, o auxílio-moradia era pago a todos os magistrados, indiscriminadamente, por força de uma liminar concedida em 2014 pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF). O próprio ministro revogou a decisão após o então presidente Michel Temer ter sancionado lei que resultou num reajuste de 16,38% no salário dos juízes brasileiros. 

 

Fonte: Agência Brasil

Iure Paulo dos Santos Lima, 18 anos de idade, foi preso por volta das 03h00, da manhã de terça-feira, 15, pela guarnição do sargento PM Leomar e soldado PM Coutinho, acusado de estupro de vulnerável contra uma criança de apena 04 anos de idade.

De acordo com informações repassadas pelo sargento Leomar, o crime aconteceu cedo da noite em um aniversário no bairro Primavera, onde o acusado teria introduzido seu dedo nas partes intimas da criança, causando sangramento.

Iure Paulo dos Santos Lima, 18 anos de idade, é acusado de estuprar criança de 04 anos. 

Socorrida, a pequena vítima foi encaminhada ao hospital municipal onde passou por exame de constatando a veracidade da denúncia. Acionado pelo Centro de Controle de Operações (CCO), a guarnição se dirigiu ao local e com auxílio do pai do acusado a GU conseguiu prendê-lo em sua residência, localizada no bairro Liberdade I.

 Após a prisão do acusado o mesmo foi apresentado na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, ao delegado plantonista Dufrae Abade.

Procurado pela reportagem o acusado não quis falar sobre a denúncia que pesa contra ele.

(Reportagem: Caetano Silva)

O Corinthians espera o zagueiro Manoel para exames médicos nesta terça-feira e aguarda apenas uma possível rescisão de contrato de Vagner Love para fechar seu elenco neste início de 2019. A diretoria, porém, já se planeja para as próximas janelas de transferências e tenta costurar acordos para o meio deste ano e, principalmente, o começo de 2020.

O nome mais falado no momento é do meia Ramires, do Bahia, motivo de diversas conversas entre o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, e o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani. O Timão procura manter uma boa relação com a equipe de Salvador, para quem encaminhou com facilidade a saída do lateral esquerdo Moisés.

O defensor já tinha tudo certo com o Botafogo, mas o Alvinegro priorizou os baianos nas tratativas exatamente para manter os laços próximos. Aos 18 anos, Ramires é visto como a maior revelação recente da equipe e não deve sair por uma quantia inferior a R$ 30 milhões. Sem fluxo de caixa para esse investimento, o Timão usa essa criatividade para auxiliá-lo nas tratativas.

De acordo com duas pessoas ouvidas pela reportagem, a ideia é ter ao menos um nome de “impacto”, nas palavras de ambas, em cada uma das janelas. Não necessariamente serão atletas de renome ou Seleção, mas jogadores com bom histórico vencedor. O atacante Mauro Boselli é tratado como exemplo e base para esses investimentos.

A previsão de um meio e final de 2019 melhores na parte financeira já foi manifestada publicamente desde o ano passado. O diretor de marketing do clube, Luís Paulo Rosenberg, deixou claro que essas seriam as janelas mais fortes do Timão em termos econômicos.

“Olhando os números do financeiro, que não é minha área, eu considero o segundo semestre de 2018 como difícil. O primeiro semestre de 2019 é de transição onde vamos estar muito próximo de um equilíbrio. E o segundo semestre de 2019 é muito bom, acima de tudo pela cota de TV”, explicou à época o dirigente.

Para que o patamar do Alvinegro seja mais alto ainda, porém, ainda faltam pontos vistos como fundamentais pela diretoria. O primeiro deles e mais próximo de acontecer é a chegada de um patrocinador master, ocupando a parte principal da camisa, vaga desde abril de 2017. O segundo, e bem mais difícil, é a venda dos naming rights da Arena Corinthians.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink