O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a baixa adesão à campanha nacional contra a gripe, que até agora imunizou 56% do público-alvo, pode comprometer o sistema de hospitais públicos em alguns meses. De acordo com o ministro, a gripe pode agravar outras doenças e levar a um grande número de internações.

Segundo Mandetta, um dos casos mais preocupantes é do Rio de Janeiro, que tem o menor índice de vacinação do país (38,2% de adesão). “Nós temos muita tuberculose no Rio de Janeiro, números altíssimos, e se você não vacina contra a gripe, essas pessoas são imunossuprimidas e é muito provável que a gente tenha em junho, julho e agosto quadros de pneumonia em cima de quadros de tuberculose. Vai haver uma pressão por leitos de UTI e não vai ter”, disse.

De acordo com Mandetta, o Ministério da Saúde traçou sua estratégia e identificou os estados com mais fragilidade para se fazer a campanha. O próprio Rio de Janeiro foi escolhido como local de lançamento da campanha.

“A gente tem chamado a atenção, pedido [para que as pessoas se vacinem], mas isso é a estratégia de cada cidade, de cada comunidade. As comunidades precisam se organizar. O que o governo federal faz é levar a mensagem. Agora o que precisa é as pessoas terem atitude e procurarem [os postos de vacinação] porque é um ato voluntário”, disse.

A campanha nacional de vacinação contra a gripe vai até o dia 31 de maio. O público-alvo da campanha inclui 59,5 milhões de pessoas, entre elas crianças até cinco anos e gestantes.

Fato: Agencia Brasil

O Dia “D” de vacinação contra a gripe, realizado no sábado (4) em diversos postos de vacinação da cidade, despertou a procura de mais de nove mil pessoas que integram o grupo prioritário da campanha, todos foram imunizados.

A técnica de enfermagem, Maria José Peres, destacou sobre a importância do Dia “D” de vacinação contra a gripe e acrescentou, “a campanha de vacinação se estende até o dia 31/05 para as pessoas que perderam a oportunidade de vir no dia D. É muito importante a imunização, pois o vírus da gripe influenza é muito agressivo”, enfatizou.

A usuária Sandra Maria Furtado da Silva foi a uma unidade de saúde se vacinar, “vim tomar a vacina porque sou diabética e hipertensa. Participo dessa campanha há quatro anos, e por conta da aplicação da vacina, quase não pego gripe”, falou.

Já o usuário José Braga foi receber a dose de vacina, porque faz parte do grupo de pessoas com mais de 60 anos, “tenho o hábito de tomar a dose de vacina, pois a gripe H1N1 é muito perigosa, principalmente pra crianças e idosos”, finalizou.

A campanha de combate a Gripe Influenza se estende até o dia 31/05, em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) das zonas urbana e rural, das 7h às 11h e das 13h às 17h.

Texto: Janaina Ravanelli

Assessoria de Comunicação – ASCOM | PMP

O Conselho Municipal de Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) realizaram nos dias 05 e 06 de abril a 13ª Conferência Municipal de Saúde, com o tema Democracia e Saúde: Saúde Como Direito, Consolidação e Financiamento do SUS.

Durante dois dias, no auditório do Centro Universitário de Parauapebas (Ceup), foram realizados debates com cinco eixos temáticos, leitura do regimento interno, palestras referentes ao tema, trabalhos em grupos e eleição para delegados e suplentes.

A presidente do Conselho Municipal de Saúde, Sandra Djane, enfatizou a importância da realização da conferência, “é um espaço democrático, de extrema relevância para a população em geral, uma vez que podemos lutar e debater as políticas públicas voltadas para a saúde de nosso município”.

“Enquanto usuário do serviço público de saúde, eu acho de extrema importância a participação em conferências, pois estamos aqui pra debater melhorias e fazer reivindicações para a saúde de nosso município”, destacou o usuário Josemar Primo Rodrigues.

A servidora pública Maria Luciane Gonçalves da Cruz Araújo ressaltou a experiência de participar da conferência, “é uma porta aberta participar da conferência, para analisarmos as propostas e também para ajudarmos a promover melhorias em nossos serviços de saúde, oferecidos pelo SUS”, finalizou.

As propostas aprovadas na conferencia municipal serão levadas para a 13° Conferência Estadual de Saúde, que ocorrerá nos dias 13 e 14 de junho, evento que contará com a participação dos 16 delegados eleitos na conferência municipal. Já a Conferência Nacional de Saúde, realizada a cada quatro anos, ocorrerá de 4 a 7 de agosto em Brasília (DF), em sua 16° edição. 

Texto: Janaina Ravanelli

“O paciente renal crônico gera um alto custo de tratamento e as vezes fica indisponível para o mercado de trabalho em virtude das complicações renais”.

Foi o que afirmou a vereadora Francisca Ciza (Dem) ao solicitar à prefeitura de Parauapebas que proceda com campanhas educativas para a prevenção a doenças renais no município.

Através da indicação Nº 60/2019 a parlamentar propôs, na Câmara Municipal de Vereadores, que o chefe de Poder Executivo Municipal, Darci Lermen determine a criação do “Dia Municipal de Apoio e Conscientização ao Dia Mundial Do Rim”.

Francisca Ciza citou que os casos de pessoas acometidas por doenças renais vêm aumentando consideravelmente em Parauapebas e que tais complicações são decorrentes de diversas outras. “Com a vida mais acelerada do mundo moderno, as pessoas têm se descuidado muito mais de sua saúde”, pontuou.

A vereadora ainda destacou que pacientes que necessitam de tratamentos desta natureza, geram um alto custo para sistema de saúde, dessa forma, trabalhando-se a prevenção além de evitar tais doenças, elimina-se, também custos com tratamentos, para que se possa investir em outras áreas.

“Assim, visando um trabalho mais efetivo contra o alto crescimento dessa patologia, buscamos estabelecer o Dia Municipal de Apoio e Conscientização ao Dia Mundial do Rim e que seja com data fixa nas segunda quinta-feira do mês de março anualmente”, sugeriu a Ciza.

A mudança realizada pela prefeitura de Canaã dos Carajás, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, na forma de contratação de médicos para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) permitiu o acesso a novas especialidades médicas à população, além de ajudar a dar fôlego a folha de pagamento. Desde o dia 1º de janeiro, quatro empresas de Serviços Médicos são responsáveis pela contratação direta de profissionais, que antes eram contratados pela Secretaria. Não houve alteração no regime de trabalho dos médicos que são concursados.

A mudança vinha sendo discutida há cerca de um ano, com base em experiências exitosas em outros municípios e Estados. A partir disso, foi realizado um processo de credenciamento, que teve como vencedoras as empresas Clínica Araguaya Serviços Médicos EIRELI, L. Castro & Companhia LTDA, J. M. Serviços Médicos EIRELI, Central Med Centro de Medicina do Trabalho LTDA.

“Entre as novas especialidades que passamos a atender, estão a neurologia e a urologia, que eram um desejo da população, mas tínhamos dificuldade de atender, pois nossa folha estava sempre perto do limite”, destacou a secretária municipal de Saúde, Daiane Celestrini.

A secretária destacou ainda que a empresa responsável pelos serviços médicos vem priorizando os profissionais locais, que já atuavam nas Unidades, a quais a população já está habituada. “Todo o processo de mudança gera um pouco de desgastes e necessita de adequações, mas estamos atentos a isso”, reforçou ainda.

Atendimento estendido

Vale destacar que o funcionamento das Unidades de Saúde segue no mesmo horário: das 8h às 19h, sem pausa para o horário de almoço e sem a necessidade de distribuição de senhas. O horário estendido, implantado em abril deste ano, foi pioneiro na região e ajudou a desafogar o atendimento do Hospital e impulsionar o número de cirurgias eletivas, por exemplo.

“Uma das nossas exigências é a manutenção do horário estendido, e os profissionais têm um dia de compensação pelas horas ultrapassadas”, informou ainda a secretária.

A Semana do Coração irá realizar nesta sexta-feira, 28, o “Dia D” de atendimento exclusivo aos homens, independentemente da idade. Eles podem procurar qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS) do município, de 8h as 12h e de 14h as 18h.

Serão ofertados serviços como verificação de pressão arterial, solicitação de exames de colesterol e triglicerídeos, palestras educativas, atendimento com nutricionista, consulta médica e de enfermagem, atendimento multiprofissional, entre outros.

O “Dia D” encerra a Semana do Coração realizada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) da Prefeitura de Parauapebas.

(ASCOM-PMP)

Existem hoje, em toda a rede privada no Estado, 984 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o que equivale a apenas 1,18 leitos para cada 10 mil pessoas. No que se refere aos leitos públicos a situação é ainda pior: as unidades de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS) somam apenas 474, o que equivale a menos de um leito (0,57) para cada 10 mil paraenses.

A Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) aponta como proporção ideal o índice de 1 a 3 leitos de UTI para cada 10 mil habitantes, o que coloca o Pará abaixo da média.

Segundo o levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM), o país conta atualmente com 2,13 leitos para cada grupo de 10 mil habitantes. No SUS, no entanto, essa razão é de apenas 1,04, enquanto a rede “não SUS” tem 4,84 leitos para beneficiários de planos de saúde – quase cinco vezes a oferta da rede pública.

Os números constam de um levantamento feito pelo conselho, que mapeou a distribuição dos leitos de UTI nos estados e nas capitais. Os números revelam um cenário que torturam milhares de médicos pelo país cotidianamente: hospitais com alas vermelhas superlotadas de pacientes à espera de infraestrutura apropriada.

REGIÕES

 O estudo do conselho mostra ainda a distribuição geográfica desigual dos leitos: o Sudeste concentra 23.636 (53,4%) das unidades de terapia intensiva de todo o País. Já o Norte tem a menor proporção: apenas 2.206 (5%). Apesar da situação crítica, o Pará ainda é o Estado do Norte que possui mais vagas privadas, com 984 unidades, e do SUS, com 474 unidades.

Wilson Machado, Diretor do Sindicato dos Médicos do Estado do Pará (Sindmepa) diz que a tendência nos últimos anos no serviço público é de redução de leitos, indo no sentido inverso do que seria o correto, já que a população só faz crescer.

“Essa queda de leitos até seria compreensível se houvesse um investimento do governo na atenção básica que pudesse justificar um melhor controle das doenças de média e alta complexidade”, analisa.

“Isso reduziria a pressão por necessidade de leitos, mas não é isso que ocorre. A população só cresce, os leitos diminuem e o governo não investe na atenção básica”.

Maior parte das vagas está distribuída nas capitais

 

O levantamento mostra que os leitos de UTI em estabelecimentos públicos, conveniados ao SUS ou particulares estão disponíveis em somente 532 dos 5.570 municípios brasileiros. Se considerados apenas os leitos de medicina intensiva da rede pública, apenas 466 destes municípios oferecem tratamento em Medicina Intensiva no País.

Ao todo, o Brasil possui quase 45 mil leitos de UTI, segundo informações do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Pouco menos da metade (49%) está disponível para o SUS e a outra parte é reservada exclusivamente à saúde privada ou suplementar (planos de saúde), que hoje atende a 23% da população.

Outro alerta do CFM é de que 44% dos leitos SUS e 56% dos leitos privados do Brasil se encontram apenas nas capitais. Se observada a repartição entre as regiões metropolitanas, constata-se que 68% dos leitos de UTI do SUS e 80% dos leitos da rede privada e suplementar estão concentrados nestas áreas.

Estudos estimam que 60% dos leitos de UTI são ocupados por pacientes acima de 65 anos de idade e que o tempo médio de permanência desse grupo é sete vezes maior que o da população mais jovem. 

O 1º secretário e coordenador da Câmara Técnica de Medicina Intensiva do CFM, Hermann von Tiesenhausen, lembra que as mudanças epidemiológicas dos últimos anos demandam o empenho dos gestores púbicos.

“A infraestrutura de saúde do País precisa acompanhar as necessidades da população. Só as internações causadas por acidentes e violências aumentaram 25% nos últimos oito anos e os acidentes de trânsito aumentaram 30% neste mesmo período”, destacou.

(Fonte: Dol-Diário do Pará/ Luiz Flávio)

 

Na cessão ordinária da Câmara Municipal de Parauapebas a Vereador Francisca Ciza reafirmou mais uma vez e seu compromisso de levar mais infraestrutura e saúde para os bairros de Parauapebas. Na oportunidade a vereadora apresentou três indicações ao poder executivo do município.

A primeira indicação foi para que o chefe do executivo municipal, através da Secretaria Municipal de Obras (Semob), providencie a pavimentação asfáltica e a instalação da rede publica de iluminação no bairro Alto Boa Vista.

Francisca Ciza disse que o asfaltamento irá melhorar as condições de tráfego, contribuindo na melhoria da qualidade de locomoção das pessoas. Ela solicitou ainda que, além do asfaltamento, a prefeitura possa proceder em caráter de urgência a instalação da rede pública de iluminação. “A iluminação pública é essencial para a qualidade de vida da sociedade, por ser de fundamental importância para a segurança pública, uma vez que, a marginalidade vem crescendo e os casos de violência vêm aumentando assustadoramente naquela região” disse.

A vereadora também solicitou que através da Secretaria Municipal de Obras juntamente com o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (SAAEP), providencie a pavimentação asfáltica, instalação da rede pública de iluminação e a implantação do sistema de abastecimento de água e obras de saneamento básico para bairro Soldado Daniel.

Compromisso com a saúde

Em sua terceira indicação ao Poder Executivo, a vereadora solicitou que o município proceda com a regulamentação do cargo de terapeuta ocupacional, para atuar junto às secretarias municipais: de Assistência Social, Segurança Institucional, Educação e de demais instituições onde tal profissional se faz necessário.

A vereadora destacou que o terapeuta ocupacional é um profissional dotado de formação nas áreas da saúde e social. Sua intervenção compreende avaliar o paciente, buscando identificar alterações nas suas funções práticas, considerando sua faixa etária e desenvolvimento da sua formação pessoal, familiar e social. A base de suas ações compreende abordagens e condutas fundamentadas em critérios avaliativos com eixo referencial, pessoal, familiar, coletivo e social, coordenadas de acordo com o processo terapêutico implementado. “As atividades do profissional estendem-se por diversos campos das ciências de saúde e sociais. Avalia seu paciente para a obtenção do projeto terapêutico indicado; que deverá, resolutivamente, favorecer o desenvolvimento e/ou aprimoramento das capacidades psico-ocupacionais remanescentes e a melhoria do seu estado psicológico, social, colaborativo e de lazer”, destacou Ciza.

Toda as solicitações da vereadora foram aprovadas por unanimidade  e agora seguem ao executivo.

 

Reportagem: Fernando Bonfim

A partir desta segunda-feira (10) passa a valer a suspensão temporária da comercialização de 26 planos de saúde de 11 operadoras definida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A medida foi tomada a partir das elevadas queixas relativas à cobertura assistencial. Os 26 planos, juntos, têm 75.500 beneficiários.

A ANS informou, há cinco dias, que os usuários terão a assistência regular garantida. No entanto, para que os planos voltem a ser comercializados para novos clientes, as operadoras deverão comprovar melhorias no atendimento.

Paralelamente, houve a reativação de 20 planos de 11 operadoras, que ficarão liberados para comercialização a partir de hoje (10).

Monitoramento

As operadoras são avaliadas por meio do Monitoramento da Garantia de Atendimento partir das reclamações registradas pelos beneficiários nos canais da ANS. Nessa etapa, foram consideradas as queixas sobre cobertura e demoras de atendimento no segundo trimestre de 2018.

De acordo com a ANS, o objetivo da suspensão é também estimular que as operadoras qualifiquem o atendimento prestado aos consumidores.

Queixas

No trimestre compreendido entre 1º de abril a 30 de junho de 2018, a ANS recebeu 17.171 reclamações de natureza assistencial. Desse total, 16.189 foram consideradas para análise pelo Programa de Monitoramento.

No período, 93,2% das queixas foram resolvidas pela mediação feita pela ANS via Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), garantindo respostas aos problemas dos consumidores.

Lista

A lista completa dos 26 planos que serão suspensos está disponível no site da ANS.

(Fonte: Agência Brasil)

 

Um trabalho conjunto das secretarias de Saúde (Semsa), de Urbanismo (Semurb), de Obras (Semob), de Meio Ambiente (Semma) e a Secretaria de Produção Rural (Sempror) e ainda a Assessoria de Comunicação (Ascom) realizaram na manhã desta quinta-feira (23) mais uma etapa do mutirão de combate à leishmaniose em Parauapebas. Nesta semana foi a vez do bairro Betânia receber os diversos serviços de combate ao mosquito palha, principal transmissor da doença.

Serviços como, teste rápido em cachorros, panfletagem, carro de som e limpeza das ruas estão entre os principais serviços ofertados à comunidade. A expectativa é que em média de 100 a 200 animais devam ser atendidos. “Os agentes de endemias vão de casa em casa levando a informação sobre o que é a doença e conscientizando a população a trazer o seu animal para fazer o teste, a colocar o lixo pra fora, tendo em vista que as equipes estarão reforçando a coleta”, explica o coordenador.

O Médico Veterinário Eder Ramiro explica que teste rápido se dá prioritariamente aos animais sintomáticos, ou seja, que apresentam sintomas caraterísticos da doença, mas que há algumas exceções. “Animais que vêm de uma mesma residência, e que apenas um tem sintomas, nós fazemos os teste em todos os outros, independentemente de apresentarem sintomas ou não, pois há tendência de que os demais possam estar infectados”, explica o médico veterinário. Ele ainda acrescenta que, com o teste rápido, o resultado sai em poucos minutos, no caso de positivo o proprietário do animal pode optar eutanasiá-lo, que trata-se de outro serviço oferecido no local de atendimento ou realizar outro exame (Sorologia), este por sua vez  demora mais tempo, mas apresenta uma margem bem menos de erro.

Saiba mais

A Leishmaniose é uma doença causada por um protozoário considerada uma antropozoonose, ou seja, é própria de animais, mas pode ser transmitida de maneira acidental para seres humanos. No caso da Leishmaniose, o protozoário parasita é transmitido entre animais (cães e roedores) através da picada de certos tipos de mosquito. Quando o mosquito infectado pica um ser humano, a doença é transmitida para o homem.

A doença pode se manifestar de três maneiras diferentes e ser causada por até 30 tipos de protozoários do gênero Leishmaniose. Em ambientes urbanos, o animal mais afetado pela doença é o cachorro, que também serve de principal hospedeiro do parasita.

Existem 3 tipos diferentes de leishmaniose. São eles:

Leishmaniose cutânea

Este tipo da doença afeta a pele. Ela forma feridas e úlceras na pele, e é a versão mais comum da leishmaniose, sendo causada por quase 20 dos protozoários do gênero leishmania. As feridas podem ser grandes e doloridas.

Leishmaniose mucocutânea

Parecida com a versão cutânea, a leishmaniose muco cutânea afeta com úlceras, além da pele, as mucosas e cartilagem. A boca e o nariz são afetados e esse tipo da doença pode causar sérias deformações faciais, podendo praticamente devorar os lábios, orelhas ou nariz por inteiro.

Leishmaniose visceral

A versão visceral da leishmaniose também é conhecida como calazar. Está versão é a mais rara, mas a mais perigosa das três. Ela causa úlceras nos órgãos internos do paciente. O baço, o fígado e a medula óssea são afetados e, se não tratada, esta condição leva a morte.

 

“Os agentes de endemias vão de casa em casa levando a informação sobre o que é a doença e conscientizando a população a trazer o seu animal para fazer o teste, a colocar o lixo pra fora, tendo em vista que as equipes estarão reforçando a coleta”, explica o coordenador.

O Médico Veterinário Eder Ramiro explica que teste rápido se dá prioritariamente aos animais sintomáticos, ou seja, que apresentam sintomas caraterísticos da doença, mas que há algumas exceções.

 

Reportagem: Fernando Bonfim

Página 1 de 5

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink

Vídeos

Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016