PF deflagra Operação Jaguaruna no Pará e no Mato Grosso

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (29), a Operação Jaguaruna com o objetivo de combater a caça e o tráfico de animais silvestres, em especial a onça pintada, espécie ameaçada de extinção. Foram cumpridos quatro Mandados de Busca e Apreensão: dois em Curionópolis, um em Parauapebas e um em Nobres (MT). Duas pessoas foram presas em flagrante por posse de munição de uso permitido e caça. Uma, em Curionópolis, já havia sido presa pelo mesmo crime, e outra em Mato Grosso. Foi arbitrada fiança e os presos, liberados.

As investigações tiveram início a partir de um flagrante realizado pela Polícia Militar em Curionópolis, em 26 de agosto de 2016, quando foram encontrados em um freezer restos mortais de, aproximadamente, 19 onças de diversas espécies, segundo laudo pericial elaborado pelo Instituto Renato Chaves. Ainda de acordo com esse documento, as partes desses animais, como cabeças, patas e o couro foram extraídos de forma precisa, denotando muito provavelmente que tais membros seriam utilizados como troféus de caça.

As diligências apontaram que os animais encontrados foram abatidos em propriedades privadas que ficam no entorno da Floresta Nacional de Carajás e que foram motos por representarem uma ameaça aos rebanhos dessas fazendas. Para cada onça abatida o caçador chagava a ganhar R$ 1.000,00.

Foi identificada uma conexão entre caçadores do Pará, com outros de Nobres e, na investigação, ficou evidente a troca de informações sobre a caça de onças pintadas, bem como a compra e venda de cães especializados na caça dos “capetas”, termo usado pelos caçadores para denominar a onça pintada.

Os investigados responderão pelos crimes de caça de animais silvestres ameaçados de extinção, e receptação, uma vez que durante as investigações ficou comprovado que eles não tinham autorização dos órgãos ambientais para realizar o abate daqueles animais e que os compradores tinham conhecimento de que o abate era criminoso. Somadas, as penas por esses crimes podem somar oito anos de reclusão.

Jaguaruna significa onça preta em tupi-guarani e foi escolhido para denominar a operação em alusão a uma das espécies ameaçadas de extinção que foram mortas pelos caçadores investigados.

Logo mais, às 10h, na Delegacia de Polícia Federal em Marabá, as autoridades responsáveis pelo caso concedem coletiva, quando darão mais detalhes acerca da operação.

Fonte:PORTAL ZEDUDU

Avalie este item
(0 votos)

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2018gk-is-100.jpglink

Vídeos

Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016