“O Pipa Voltou!”, disse feliz, o prefeito Darci Lermen, na reinauguração do Centro de Convívio e Fortalecimento de Vínculos - PIPA (Projeto Pipa), realizada nesta sexta-feira (22), em Parauapebas. O Centro Atenderá crianças e adolescente em situação de vulnerabilidade, ampliando os serviços socioassistenciais ofertados pelo município.

O Projeto Pipa teve início em Parauapebas em 1989, um ano após a emancipação do Município com o nome  de Projeto Barriga Cheia, em 1995 passou a ser chamado de Centro de Educação da Criança e Adolescente, em 2006 no primeiro mandato do prefeito Darci, passou a ser chamado de Projeto Pipa, em 2013 mudou-se a nomenclatura pra Criar, em 2015 teve suas atividades interrompidas  e agora em 2019 o projeto tem suas atividades retomadas como Centro de Convívio e Fortalecimento de Vínculos - PIPA.

O serviço de convivência de vínculos é um conjunto de ações que materializa o Serviços Social com famílias, idealizando grupos de acordo com seu ciclo de vida, buscando prevenir a ocorrência de situações de risco social, fortalecendo as relações familiares e comunitárias, promovendo integração e a troca de experiências entre os participantes e valorizando o sentido de vida coletiva.

Inicialmente serão atendidas 250 crianças e adolescentes referenciadas pelo Cetro de Referência Social (CRAS), com oferta de atividades socioeducativas e oficinas de caratê, futebol, danças  regionais, xadrez, hip-hop, Jiu-Jitsu, informática, bordado e crochê, corte e costura, desenho e pintura.

Durante todos os anos de execução o Projeto Pipa tem tirando centenas de crianças e adolescentes de situação de risco iminente e formando verdadeiros cidadãos, como o desenhista  Sansão Antcorpus  que irá expor seu trabalho em Carrousel du Louvre, em Paris.

Todas as paredes do prédio do projeto, hoje recebem a assinatura, em forma de desenhos diversos, de Civaldo Kurupira, outro artista nascido das entranhas do Pipa. Em entrevista, ele falou sobre a importância que o projeto teve em sua  vida. “Fazer Parte do protagonismo histórico do Pipa, para mim, é um privilégio. A minha história aqui não é diferente: fui recolhido da rua, onde o meu trabalho era vigiar carro, vender bola na feira e picolé. Eu fui trazido para o projeto, onde comecei estudar. Hoje poder participar da reabertura desse espaço, é um privilégio fazer parte dessa história”, disse  Kurupira.

Na oportunidade o vereador, Rafael Ribeiro, que fez questão de participar da reinauguração frisou que o momento é muito importante e parabenizou o prefeito pela reabertura do projeto. “O Pipa se torna realidade novamente em Parauapebas. O maior legado que um governo pode deixar é o cuidado que teve com seu povo e hoje temos mais uma prova de que o nosso prefeito o tem feito” disse o vereador.

Em discurso o prefeito, Darci Lemen falou da importância da existência de projetos sociais como o Projeto Pipa, para a formação e desenvolvimento de crianças e adolescentes do município no caminho do bem. “Temos assistido, nestes últimos dias, diversos momentos importantes do nosso governo, retomando e reconstruindo projetos sociais que haviam sido deteriorados e destruídos. Esta reconstrução é fundamental no momento em que vivemos hoje, onde Projetos como o Pipa, cumprem diariamente com a função de transformar essas crianças, incentivando-as a seguir o caminho do bem. Precisamos retomar as relações interpessoais, valorizando a existência do próximo e de coração aberto. Precisamos desejar o bem e querer o bem para todos, que ele retornará para nós”, disse Darci.

Ainda segundo o prefeito, há um grande trabalho a ser feito no município, no que confere à assistência social, para evitar tragédias como a ocorrida em Suzano-SP. “Vamos realizar um trabalho árduo para que nem um tipo de tragédia ocorra em nossa cidade, porque nós queremos mesmo é mais felicidade para o nosso povo, e mais felicidade só se tem quando se tem acesso a informações boas e a bons ensinamentos e estes bons ensinamentos estarão no Pipa, na escola de música, cultura em movimento, centro cultural, no balé, futebol e Karatê”, frisou o prefeito.

Para finalizar, Darci diz: “O Pipa está reabrindo para proporcionar as nossas crianças e adolescentes a realização de diversas atividades; trazer mais qualidade de vida, muito mais felicidade e, além disso, garantir um futuro certo e digno para que eles possam se tornar cidadãos de bem. O Pipa voltou!”, finalizou o prefeito.

 

 

(Da Redação)

Em descontentamento à (PEC) 06/2019, da reforma da Previdência do governo Jair Bolsonaro (PSL), centrais sindicais a nível nacional estão convocando trabalhadores de diversos seguimentos para uma greve geral na próxima sexta-feira (22) em todo o Brasil. Em uma coletiva à imprensa, realizada nesta segunda-feira, 18, a Coordenação Sindical de Parauapebas (CSPEBAS) afirmou que dezenas de representações sindicais  já confirmaram  poio ao movimento e pretendem paralisar  as atividades, na sexta-feira, para ir às ruas unir forças ao protesto.

De acordo com o coordenador da CSPEBAS, Carlos Alessader, vários sindicatos de Parauapebas já aderiram à paralização do dia 22, entes eles: Sinseppar, Metabase Carajás, Sempa, Simetal, Sinticlepemp, Sintrodespa, Sintrapav, Sintracpar e Estopa já propuseram a dialogar com seus associados no sentido de aderir a paralisação e a expectativa é que mais representações sindicais também abracem a causa até o dia do ato.

Na visão do coordenador, tanto o trabalhador, quanto o comércio serão prejudicados com a reforma da previdência.  “Isso diminuirá o poder aquisitivo e como as pessoas terão que trabalhar mais tempo, as empresas demorarão mais a abrir novos postos de trabalho e consequentemente reduzirá em novas efetivações” disse Carlos.

De acordo com o presente do sindicato Metabase Carajás, Raimundo Nonato Amorim (Macarrão), o trabalho da mineração em específico, que é o carro chefe de Parauapebas, perde duas vezes com as duas reformas. Já tiveram a primeira perda com a reforma trabalhista (referindo- se a perda do benefício de horas in ítinere) e agora será a perda da aposentadoria. Um trabalhador que troca turno dentro de uma mina com 20 anos de trabalho, ele já chegou  a exaustão”, disse Macarrão.

Principais pontos da Reforma da Previdência que irão atingir os servidores públicos no caso de aprovação da PEC 06/2019.

1 - Aumento gradativo da idade mínima e do tempo mínimo de contribuição por meio do sistema de pontos (soma da idade com o tempo de contribuição): o número atual de pontos para a aposentadoria que é 85 para as mulheres e 95 pontos para os homens, sofrerá aumento gradativo de um ponto a cada ano, até atingir o limite de 100 pontos para as mulheres e 105 para os homens;

2 – Aumento da idade mínima para servidores que ingressaram no serviço público até 31/12/2003: os servidores que têm a expectativa de aposentarem com integralidade e paridade terão a idade mínima majorada de 55 para 62 anos, no caso das mulheres. E de 60 para 65 anos, no caso dos homens. Além disso, esses servidores terão que cumprir o número mínimo de pontos especificado no item anterior;

3 – Relativização do critério da integralidade para servidores que ingressaram até de 31/12/2003: o servidor que está aguardando cumprir os requisitos para aposentadoria integral, mas que recebeu ao longo do tempo remuneração variável decorrente de cargo em comissão ou de produtividade, por exemplo, poderá não se aposentar com a mesma remuneração da ativa, pois haverá um cálculo de média dentro da integralidade.

4 – Servidores que ingressaram no serviço público após 31/12/2003 terão um critério mais prejudicial para apuração da média das remunerações: o critério atual de cálculo da média com base nas 80% (oitenta por cento) maiores remunerações, passará a ser com base na média de todas as remunerações (100%), critério extremamente prejudicial que reduzirá o valor das aposentadorias, principalmente no caso

5 – Aposentadoria com 100% (cem por cento) da média: para o servidor se aposentar com a totalidade da média (100%), terá que ter 40 anos de contribuição, seja homem ou mulher.

6 – “Gatilho” para aumento automático da idade mínima: ficará expresso no texto constitucional que toda vez que houver aumento da expectativa de sobrevida da população brasileira haverá aumento da idade mínima para concessão de aposentadorias. Ou seja, a idade mínima proposta que já é alta, poderá ser ainda maior.

7 – Aumento da contribuição previdenciária do servidor público: o servidor que receber remuneração acima do teto do Regime Geral (atualmente R$5.839,45) terá um aumento na alíquota de contribuição previdenciária, de forma progressiva, de 0,5 até 8%, dependendo da remuneração do servidor.

8 - Redução de até 40% (quarenta por cento) no valor das pensões por morte: as pensões por morte passarão a ser concedidas no percentual de 50% mais 10% para cada dependente do servidor. Caso o servidor tenha apenas um dependente com direito à pensão, o percentual do benefício será de apenas 60%.

Além disso, o cálculo da pensão, na hipótese do servidor falecer na ativa, será extremamente prejudicial, pois será feito com base na média das remunerações, sobre essa média será aplicado o percentual de concessão da pensão.

9 – Acumulação de aposentadoria e pensão por morte: o servidor que cumprir os requisitos para recebimento de aposentadoria e tiver direito também a uma pensão por morte, receberá a totalidade do benefício mais vantajoso e apenas um percentual do benefício menos vantajoso financeiramente, independentemente do regime previdenciário pagador dos benefícios.

Ou seja, se a pensão por morte for mais vantajosa, o servidor receberá apenas um percentual da sua aposentadoria, que poderá ser de apenas 20%.

10 - Desconstitucionalização das regras previdenciárias: regras para concessão de aposentadorias e pensões que estão previstas atualmente na Constituição Federal, serão retiradas do texto constitucional e serão objeto de Lei Complementar, o que facilitará outras alterações posteriores que poderão ser ainda mais prejudiciais aos servidores públicos.

 

Reportagem: Fernando Bonfim/com informações Abelardo Sapucaia - Jusbrasil

 

Iniciou em Santarém-PA, um importante projeto social que hoje está sendo desenvolvido em Parauapebas. Trata-se da instituição familiar, Sonho de Menino, mantida pela família Coelho há mais de 13 anos. Com o objetivo de ser oficialmente registrada como ONG (Organização Não Governamental) e contemplar cada vez mais famílias carentes, o projeto vem realizando diversas ações no município com o apoio de parceiros, entre empresários e outros voluntários.

Seu Luiz Gonzaga mora em Parauapebas há 25 anos e é fundador da ONG Sonho de Menino.

A Ong existe desde 2006 e foi criada em homenagem ao filho falecido do senhor Luiz Gonzaga, 65 anos de idade, fundador do Sonho de Menino, que faleceu de insuficiência hepática, com apenas 12 anos de idade. Seu Gonzaga mora em Parauapebas há 25 anos e desde então, tem se dedicado a ajudar os mais necessitados, juntamente com sua a família, como por exemplo, sua Filha Hellem Coelho, que dedica boa parte de sua vida às ações da ONG.

Em Parauapebas a Sonho de Menino existe há 07 anos, desde a sua fundação no município vem beneficiando famílias carentes da com diversas ações realizadas no decorrer do ano, principalmente em datas comemorativas importantes, como o Natal e a Páscoa.

Hellem Coelho diretora e tesoureira da Sonho de Menino e Nilson Dias parceiro e voluntário no projeto

Em entrevista com a coordenadora das ações, diretora e tesoureira da Sonho de Menino, Hellem Coelho, fala das ações desenvolvidas em Parauapebas. “Durante o ano realizamos o Natal Solidário e Páscoa Solidária, que são realizadas todos os anos com a entrega de brinquedos e chocolates e também algumas cestas básicas nas comunidades carentes; o Sopão Solidário, distribuído toda segunda-feira para moradores de rua. Ação realizada há 10 anos; O Bazar Solidário, onde a verba arrecada é usada para custeio das ações; e o Cupom Solidário importante projeto que tem como objetivo arrecadar recursos com a venda de rifas de prêmios”, cita.

Cupom solidário - imagem divulgação. 

Ainda de acordo com a coordenadora, o Cupom Solidário foi implementado no projeto para garantir a sustentabilidade da instituição e também para ajudar as famílias carentes envolvidas; onde parte da renda arrecada com a venda dos cupons é destinada à ONG e a outra parte a quem vende. “O cupom solidário surgiu na minha passagem por outro projeto social ao qual fiz parte e lá aprendi bastante. Trata-se de uma rifa, onde quem compra concorre automaticamente a alguns prêmios, sendo estes, doados por parceiros do projeto. É bem interessante, uma vez que conseguimos uma renda para ajudar a manter a ONG e ainda ajudar pessoas desempregadas. O cupom tem o valor simbólico de apenas R$2,00 tem ajudado bastante”, explica Hellem.

[

Nilson Dias é um dos parceiros no projeto

Na agenda mensal da Sonho de Menino sempre tem ação, e quando não tem, os itens ou recursos arrecadados são doados a outros projetos e, além de todas estas ações desenvolvidas, o seu Luiz Gonzaga, arranjou uma outra forma de conseguir recursos para o projeto. Ele usa o seu dom como marceneiro para reciclar móveis e vender, ou mesmo doar para quem precisa.

A coordenadora finalizou agradecendo os parceiros e voluntários do projeto. “Durante todos esses anos construímos e desenvolvemos diversas ações, que contemplaram milhares de famílias carentes. Agradeço aos parceiros e voluntários que tornam este sonho realidade, nos ajudando a levar um pouco mais de amor, acalento e solidariedade aos mais necessitados”.

Se você se interessou pelo projeto e deseja ajudar é só entrar em contato com Hellem Coelho pelo número de celular: (94) 9266-5230 e ajudar o projeto Sonho de Menino a ajudar cada vez mais pessoas e realizar o sonho de se registrar como uma ONG.

 

Ação no Outubro Rosa em combate ao câncer de mama. 

Ação esportiva no Dia Internacional da Mulher

O Sopão Solidário é realizado toda semana pela ONG. 

 

 

A semana começou com manifestação em Parauapebas. Moradores dos complexos de bairros da VS-10 atearam fogo em pneus e interditaram a via na manhã desta segunda-feira (18). Eles cobram da prefeitura municipal, melhorias na infraestrutura dos bairros.

Entre as principais pautas da reivindicação dos moradores estão a celeridade na inauguração do posto de saúde, da escola de ensino infantil Aurino Gonçalves e a pavimentação asfáltica, tendo em vista que a maioria dos bairros da VS-10 não têm água encanada e o abastecimento das residências é realizado através de caminhões pipa.

Moradora da VS-10 e líder comunitária, Roseane Sousa, diz que a escola e posto saúde já estão aparentemente prontos, mas a comunidade ainda não tem nenhum parecer de quando eles poderão usufruir destes recursos que são essenciais e é um anseio antigo dos marcadores. “Tanto a construção da escola quanto o posto já estão finalizados, mas infelizmente a gente não tem nenhum posicionamento das secretarias de Saúde e Educação”, disse Roseane.

Agentes de Departamento Municipal de Trânsito e Transporte de Parauapebas (DMTT) e homens da polícia militar estão no local acompanhando a manifestação, desde as primeiras horas da manhã. De acordo com os manifestantes a liberação da via só será realizada após um dialogo com o prefeito e secretários.

Atualizaremos aqui a qualquer momento mais informações sobre a interdição da VS1-10. 

(Por Fernando Bonfim)

Estava marcada para acontecer na noite desta sexta-feira (15) a assembleia geral da Associação Parauapebense de Escritores (ASPER), porém devido à falta de participantes a assembleia teve que ser cancelada. O escritor Paulo Poeta Reis, presidente da ASPER e da Academia Regional de Letras, em entrevista, falou sobre os assuntos que seriam tratados durante a assembleia, o panorama literário na região e também sobre as dificuldades de reunir escritores no município.

A reunião que foi convocada hoje iria tratar a da construção e apresentação do novo estatuto da instituição, do registro social da associação, a criação do nosso CNPJ e também para tratar do nosso calendário de eventos, que independente de ela ser registrada ou não, irá acontecer.

De acordo com Paulo Poeta, o primeiro evento que a ASPER pretende fazer, ainda neste mês de março, é uma palestra para explanar sobre os projetos literários desenvolvidos no município. “Já que temos uma academia de letras e agora tem uma associação e esta associação precisa mostrar a que veio, para que ela foi constituída e quais são nossos principais objetivos. Um dos nossos principais objetivos é fortalecer o seguimento da literatura, auxiliar pessoas que escrevem a produzir seu livro”, explicou.

Paulo Poeta Reis foi nomeado no final do ano passado, presidente da Regional do Sul do Estado do Pará das Academias de Letras do Brasil, que foi fundada no estado do Rio de Janeiro no ano de 2001, com o objetivo de criar uma unidade da academia em cada município brasileiro. No ´Pará a embaixada fica localizada no munícipio de Bragança, e mais cinco academias, Academia de Letras do brasil seccional Marabá, Tomé a Sul e a as regionais do sul e sudeste do Pará.

A primeira unidade a ser fundada aqui na região, pelo presidente regional, foi a de Eldorado do Carajás que conta com um total de 22 escritores. “Estamos no andamento de fundar outras unidades, inclusive aqui em Parauapebas, que está com inscrições aberta. Aquela pessoa que tem um material literário, e que pretende ingressar em uma academia, este é um momento”, disse Paulo Poeta, acrescentando que mesmo que o escritor não tenha material publicado, a academia dá dois anos para que o mesmo possa publicar o seu livro. “Até lá ela será membra da academia até a publicação ou a participação numa antologia literária produzida pela própria academia. Este é processo que abrange 21 municípios. Os quais, 15 municípios são da região do Araguaia e mais seis da região de Carajás.

Principais dificuldades

As principais dificuldades para fundação das seccionais literárias, segundo Paulo Poeta, é encontrar pessoas que tenham realmente compromisso de participar de uma instituição literária. “Fazer parte de uma instituição dessas, requer participar de reuniões, discutir os tramites para o funcionamento da instituição, esta é a grande dificuldade, reunir pessoas que estejam de fato interessadas a participar destes processos. A falta de participação das pessoas esta é a dificuldade maior, pois anunciamos essa reunião há uma semana e não apareceu quase ninguém”, frisou. 

Comparativo dos movimentos literários nos municípios da região de Carajás

O Movimento literário de Parauapebas, a vista do movimento organizado em Eldorado do Carajás, Curionópolis e Canaã dos Carajás não tem desenvolvido enquanto organização literária. De acordo com os comparativos realizados por Paulo Poeta, os municípios de Eldorado, Canaã e Curionópolis apresentam uma articulação maior. “Apesar destes municípios estarem começando agora, o movimento e articulação de escritores estão muito fortes com pelo menos 20 escritores em média, em cada.  Já em Parauapebas, não conseguimos reunir nem mesmo 15 escritores”, disse Poeta.

Ainda segundo o escritor o que falta aqui em Parauapebas é uma articulação melhor do movimento literário.  Venho me dispondo, desde o primeiro momento, tanto como escritor, presidente da ASPER e também Presidente Regional da Academia Regional de letras, ajudar este povo a se articular, realizar reuniões e discutir a literatura, porque nós temos um cenário político favorável,  haja vista que o secretário municipal de cultura tem interesse de incentivar a produção literária no município”, informou.

Mas para isso, de acordo com Poeta é necessário que os representantes do seguimento se unam para que a associação seja fortalecida. “Vai ficar difícil da gente pleitear algum objetivo concreto para o movimento caso não haja união. Se nos reunirmos através de antologias que atinge um número de 100 a 150 escritores, teríamos um poder maior de negociação e de conseguir atingir um objetivo dentro do seguimento da literatura no município”.

Lançamento do projeto de Editais de livros

Para finalizar o presidente da ASPER, informou que com o objetivo de inovar e incentivar as produções literárias, a ASPER irá lançar o projeto de editais de livros. O edital será lançado em abril e irá contemplar escritores de toda região.

“A partir de abril será lançado editais para a participação de escritores em antologias permanentes. O edital será lançado dia 02 d abril e será aberto para produções literárias regionais”.

A principio Poeta explica que o projeto de editais de livros irá funcionar da seguinte forma:

As inscrições serão feitas por e-mail, onde o autor irá informar seus dados, juntamente com o texto de sua produção; este texto será analisado por uma comissão e, se aprovado, o escritor pagará uma taxa que irá ser usada para custeio da publicação impressa e também da disponibilização em plataformas digitais”, explicou.

(Ingrid Cardoso)

Em alusão ao Dia Internacional da Mulher, comemorado mundialmente no dia 08 de março e consequentemente aos trabalhos do 29º Encontro da Mulher de Parauapebas, a Câmara Municipal realizou nesta sexta-feira, 15, uma sessão solene em comemoração a estas datas. Na oportunidade cada parlamentar da Casa de Leis, teve a oportunidade de homenagear duas mulheres com atuação de destaque no município.

No uso de suas atribuições como parlamentar, o Vereador Rafael Ribeiro escolheu como homenageadas as funcionárias públicas, Eva Maria de Jesus Lima e Carmen Lucia Santos Melo Araújo, ambas pioneiras da cidade.

Eva Maria de Jesus Lima

A história de Eva Maria de Jesus Lima, se assemelha a de tantas outras milhares de pessoas que, no início dos anos de 1980, escolheram Parauapebas para construir suas vidas. Em 1985, a senhora Eva Maria chegou no Município, vinda de Mara Rosa/GO.

Era o momento em que se discutia, por todos os cantos, a necessidade de emancipar Parauapebas. A senhora Eva Maria, não hesitou em apoiar e se envolver no movimento que, em 1988, foi vitorioso. Desde então, Eva Maria tem participado com afinco da construção desta cidade. Ao longo dos últimos 26 anos, ela tem sido funcionária pública exemplar, querida por seus colegas de trabalho e admirada por todos os que convivem com ela.

 Tecnóloga em Saúde Pública, formada pelo Centro Federal de Educação e Tecnologia do Pará (CEFET/PA), Eva Maria escolheu Parauapebas para viver e criar suas duas filhas e três netos.

“Por ser uma das pioneiras da nossa cidade e por seu exemplo de dedicação à construção de Parauapebas, me sinto honrado em indicar a senhora Eva Maria de Jesus Lima, a receber esta singela e justa homenagem pela comemoração do Dia Internacional da Mulher” disse Rafael Ribeiro em seu pronunciamento direcionado a Eva Maria.

 

 Carmen Lucia Santos Melo Araújo

Residente em Parauapebas há 30 anos, Carmen Lucia Santos Melo Araújo veio com a família para trabalhar na Consol Consultoria e Engenharia, empresa prestadora de serviços para a Companhia Vale do Rio Doce, hoje, VALE. A identificação com a região foi imediata e Carmen acompanha o crescimento do município desde sua emancipação até os dias atuais. A partir de 1989, através do Centro Espírita Aprendizes do Evangelho, passou a desenvolver diversas atividades filantrópicas e assistenciais, buscando cuidar daqueles mais carentes. Em 1997, Carmen foi convidada e aceitou fazer parte da gestão pública. Passando por diversos cargos, onde sempre demonstrou que competência e eficiência podem e devem andar juntas com a sensibilidade para atender a todos que necessitam dos serviços públicos.

Enquanto desenvolvia suas atividades profissionais e humanitárias, Carmen construiu a vida em Parauapebas, onde criou os filhos e os educou para que, além de profissionais, se tornassem cidadãos plenos.

“A dedicação e a contribuição de Carmen Lúcia Araújo para o desenvolvimento de Parauapebas são, assim, facilmente comprováveis, o que a habilita a receber essa homenagem da cidade, que ela ajudou a construir”,  disse o parlamentar enquanto direcionava a fala pra ela.

Organizações sindicais e demais entidades de todo o Brasil estão se reunindo, em audiências públicas, para debater os efeitos que a Medida Provisória 873/2019 apresentada pelo Presidente da República, que trata exclusivamente da proibição da contribuição sindical e taxa associativa através de descontos diretos nas folhas de pagamento dos trabalhadores sindicalizados.

Em Parauapebas, a audiência foi realizada pela OAB – Subseção Parauapebas, através da sua Comissão de Direito do Trabalho e Direito Sindical e contou com a presença de dezenas de pessoas entre representantes da OAB, magistrados, integrantes do Ministério Público Estadual e Federal e Associações Brasileira de Advogados Trabalhistas (ABRAT), que discutiram também  a Reforma da Previdência e  jornada de lutas sindicalistas do dia 22 de março.

 A MP 873/2019 regulamenta o pagamento da contribuição sindical apenas por boletos bancários e não mais como descontos na folha de pagamento do trabalhador. Ainda segundo a medida o boleto deve ser encaminhado “obrigatoriamente à residência do empregado ou, na hipótese de impossibilidade de recebimento, à sede da empresa”.

A medida provisória foi publicada em no dia 1º de março e de lá para cá, vem gerando discussões em diversos setores, sendo que a grande maioria a vê como “controversa e inconstitucional”. Diante disso, o Conselho Federal da OAB protocolou uma ação na última segunda-feira, 11, que aponta inconstitucionalidades na medida governamental, pois para a entidade a medida viola os princípios da liberdade e da autonomia sindical.

De acordo com as classes a medida burocratiza o pagamento da contribuição sindical e dificulta o pleno funcionamento das entidades sindicais. Desta forma diversas entidades, entre elas o Ministério Público do Tralho se posiciona contra a medida proposta pelo governo.

Veja decreto na íntegra AQUI.

E você, qual a sua opinião sobre a MP 873/2019 ?

(Texto Ingrid Cardoso, com informações da Mídia Indie/ Fotos: Édipo Silva )

 

Entre os dias 22 e 23 de março o Centro de Desenvolvimento Cultural de Parauapebas (CDC) irá receber um grande evento beneficente de incentivo a economia criativa do município. Reunindo dezenas de artesãos, o evento Do Pebas a Paris será realizado no intuito de angariar fundos para incentivar a produção de eventos artísticos e a participação de artistas locais em grandes eventos.

Com programação diversificada, o evento contará com exposições de obras e artesanatos, leilões de obras artísticas produzidas por artistas locais, stands de vendas de artesanato e artes em geral, apresentações musicais, apresentações culturais e rodas de conversas que irão restabelecer debates sobre a importância do incentivo aos artistas locais; lei de incentivo à cultura e Fundo Municipal de Cultura, além de outros temas relevantes com foco no fomento cultural de Parauapebas.

A organização do evento conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura (SECULT) e membros da sociedade civil organizada, que estarão, de forma voluntária, ajudando na realização do evento.

Na oportunidade a Confraria de Artes de Parauapebas convida toda a população, autoridades do poder Executivo e Legislativo e Imprensa local a participar deste grande momento para a cultura de Parauapebas, de forma a ajudar na construção do pensamento crítico e participativo em prol do desenvolvimento cultural da cidade.

Participe, divulgue. Seja Parceiro dessa iniciativa!

Arte existe porque a vida não basta!

(Texto Ingrid Cardoso)

 

 

Moradores do Bairro Primavera, em Parauapebas realizaram uma manifestação na Câmara Municipal durante a sessão desta terça-feira (12). Eles pedem respostas da prefeitura sobre o que será feito da Escola Primavera, tendo em vista que a mesma foi desocupada no início do ano para reforma e até o momento não foi entregue a comunidade, muito menos receberam um parecer da SEMED sobre o destino do prédio.

Em entrevista, Lúcia Ramos, moradora do Bairro Primavera há mais de 30 anos,  disse que teme pelo fechamento da escola, pois os moradores do bairro já procuram a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) para que a mesma explique qual será o futuro  do prédio  da escola e desde o início do ano ainda não tiveram nenhuma resposta.

Lúcia destacou que a Escola Primavera é uma conquista da comunidade e que a falta de resposta das autoridades deixa a comunidade apreensiva sobre o caso. “Nós queremos que a escola retorne às atividades aqui, onde sempre foi. Cerca de 350 alunos foram transferidos para outra escola e a justificativa que nos deram é que o prédio passaria por reformas, mas até hoje não foram concluídas. Uns falam que o prédio será desativado, outros falam que vão mudar a escola de lugar, só que nós não temos nenhum posicionamento oficial da prefeitura ou da secretaria”, disse Lúcia.

A Escola Municipal Primavera foi construída durante o governo do prefeito Faisal Salmen e inaugurada em 1992 pelo então prefeito Chico das Cortinas. Atualmente o local está sendo usado com abrigo para as famílias que foram desmobilizadas de duas residências pela Defesa Civil por conta das chuvas dos últimos dias.

A nossa equipe entrou em contato com a Secretaria Municipal de Educação para que a mesma se manifestasse sobre o caso e ainda estamos aguardo o posicionamento da mesma.

 

Lúcia Ramos disse que a Escola Primavera é uma conquista da comunidade.

Os manifestantes usaram cartazes durante a sessão da câmara municipal.

 

(Por Fernando Bonfim)

Desde as 04h da manhã desta segunda-feira (11) cerca de 150 manifestantes moradores das comunidades Palmares I e II, entre homens e mulheres ocuparam a Rodovia Faruk Salmen para realizar uma manifestação pacífica com o intuito chamar a atenção da Mineradora Vale a restabelecer um diálogo com os moradores, tendo como pauta principal o acesso ao mercado de trabalho, assunto que vem sendo discutido desde 2013, segundo os protestantes.

Entre as problemáticas levantadas pelos manifestantes estão a distância em que o SINE-Parauapebas (Sistema Nacional de Emprego) está das comunidades das vilas Palmares I e II, uma vez que a distância representa um grande fator limitante de mulheres e pais de família a se candidatar a uma vaga de emprego disponibilizada pelo Sistema.

Em entrevista com um dos líderes da manifestação, Evaldo Fidelis, explica: “quando libera qualquer vaga no sistema, até o pai de família sair de sua casa e se locomover até o SINE já não consegue mais se candidatar à vaga. Além disso, o SINE, até este momento, ainda não consegue chegar na comunidade”, disse.

Ainda segundo Evaldo, a única forma encontrada para resolver o problema é buscando diálogo com a Vale e suas terceirizadas, na expectativa de que essas vagas de emprego possam contemplar trabalhadores das comunidades mais distantes do centro urbano. “Uma parte poderia ficar no centro urbano, por que tem a maioria de trabalhadores e uma porcentagem seria dividida entre as comunidades ao longo da ferrovia.  Neste sentido estamos fazendo esse debate na expectativa de construir esse relacionamento enquanto a política não chega”, sugeriu Evaldo.

Além de sugestões da divisão das ofertas de emprego, os manifestantes também buscam por respostas da mineradora sobre os planos de ação da Vale, caso ocorra um desastre ambiental semelhante a mina de Feijão, em Brumadinho-MG. “Se por ventura vir a acontecer em Carajás, qual será a ação e métodos que a Vale irá usar para o atendimento e o que deveríamos fazer para minimizar ou mesmo evitar que isso aconteça?”, questionou.

De acordo com os manifestantes o resultado da manifestação é reunir com a gerencia da Vale, na portaria ainda hoje, para consolidar um acordo acerca das pautas levantadas, no intuito de resolver e desbloquear a rodovia.

Evaldo informou ainda que a ação se trata de uma manifestação pacífica não interferindo desta forma, na passagem das pessoas que necessitam do acesso. “Como estamos em uma manifestação pacífica, bloqueamos apenas um lado da via, deixando os produtores, moradores, ambulância e qualquer outro tipo de trabalho da comunidade pública passarem pela barreira”.

Em nota a Vale informou que tem sido realizada efetiva contratação de moradores das áreas de influência onde atua.

Confira a nota na íntegra.

A Vale ressalta que tem sido realizada a efetiva contratação de moradores das áreas de influência do empreendimento, que, inclusive já estão atuando nas obras de construção. A empresa tem também mantido a orientação às empresas contratadas para mediação e contração por meio do Sine. Cabe esclarecer que qualquer processo de contratação segue a legislação brasileira e varia conforme cronograma das obras, da disponibilidade de vagas, da qualificação técnica e/ou experiência exigida para cargo.

 Sobre as barragens

A Vale esclarece que todas as barragens da Vale no Pará empregam solo compactado em sua construção, diferente da metodologia à montante, que utiliza o próprio rejeito. Os monitoramentos são feitos de modo constante. Todas as estruturas estão estáveis, operando normalmente e com o seu fator de segurança operacional dentro do que determina a legislação.

Muitos motoristas e caminhoneiros tentavam pegar a contra-mão para evitar a interdição

.

Sul e Sudeste do Pará

Loading
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
http://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink

Vídeos

Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016