On Screen Facebook Popup by Infofru

Receba todas as atualizações via Facebook. Basta clicar no botão "Curtir" abaixo.

Fechar

  

Blog do Refribom

Carlos Refribom: Morador da cidade de Parauapebas desde 1997 iniciou sua carreira no jornalismo como representante comercial nos jornais locais, depois foi repórter de polícia e cidade por dois anos, em agosto de 2004, fundou o Carajás o Jornal e segue até os dias de hoje com esse trabalho reconhecido no sul e sudeste do Pará. Graduado em pedagogia pela FACIBRA em 2014, Refribom, segue curso de Pós-graduação em Marketing e MBA em Comunicação Eleitoral e Marketing Político pela faculdade Estácio, coloca a disposição dos seus leitores, um Blog de referencia em informação politica da microrregião do Carajás.

Curionópolis: Uma cidade arrependida da escolha de um prefeito.

Já diziam nossos antepassados que “a voz do povo é a voz de Deus”, eu sempre ficava me perguntado, apesar de ouvir tantos outros ditos populares, mas esse em especial eu nunca concordei com ele, e mais uma vez, eu estava certo do meu pensamento.

Já alguns anos passados que eu acompanho os acontecimentos em Curionópolis; sei que o ex-prefeito Chamonzinho não foi 100% unanimidade na cidade, mesmo porque por ali a cidade sempre foi dividida em dois grupos, os “Curiolanos”, que são remanescentes do ex-prefeito Curió; e os “Chamolanos”, oriundos da família de Chamon. Sempre houve essa divisão por lá. Lembro-me muito bem das grandes “brigas” políticas que existiam entre Curió e Chamonzinho. Curió estava no lugar de prefeito e Chamonzinho no de vereador; eram grandes batalhas que existiam na época. Curió vinha de um regime ditatorial e Chamonzinho tinha dificuldades de aceitar algumas imposições de Curió, e por isso, haviam as batalhas entre prefeitura e Câmara.

Alguns anos depois, Chamonzinho se tornou prefeito de Curionópolis e iniciou uma nova batalha. Seu alvo era arrumar de forma estrutural a cidade de Curionópolis, que mais parecia uma cidade daqueles filmes de faroeste, praticamente abandonada, tudo isso eu acompanhei. O primeiro passo de Chamonzinho foi aliar-se a ex-governadora do Pará, Ana Júlia, e trazer asfalto e máquinas para Curionópolis, pois as que existiam estavam todas sucateadas. Mas... Com o retorno definitivo de Sebastião Curió para Brasília, uma fenda se abriu no espaço político da cidade e o então desconhecido Adonei Aguiar, chegou a Serra Pelada, para trabalhar como um dos diretores da empresa Colossus, que estava fazendo a implantação do maquinário, onde se exploraria o ouro e aguçava os sonhos dos garimpeiros de Serra Pelada.

Nesse tempo Adonei Aguiar conseguiu ganhar a simpatia dos garimpeiros de Serra Pelada e uma batalha pelos votos deixados por Sebastião Curió, se deu início; tanto que já três anos seguintes da sua estadia naquela região, Adonei Aguiar conseguiu ser candidato a prefeito de Curionópolis em 2012, sendo o segundo colocado naquela eleição. Mesmo perdendo a eleição, Adonei seguiu seu intento de ser o próximo prefeito daquela cidade. No percurso Adonei deu algumas sortes, no sentido da sua frequência no município, mesmo que não morando definitivamente na terra do ouro, mas o seu garimpo estava nos corredores da prefeitura de Parauapebas, onde através de algumas assessorias que conseguiu para sobreviver, foi pegando as pesquisas de intenção de votos, colocando embaixo dos braços e vendendo onde pudesse, para que sobrevivesse e com isso os anos foram se passando.

Muitos amigos meus da imprensa estavam também envolvidos nesse “sonho” de ganhar a prefeitura de Curionópolis com Adonei; alguns deles, já se arrependeram amargamente em apenas seis meses de mandato. Porém no curso das eleições de 2016, apesar do povo de Curionópolis ter sido alertado pelo ex-prefeito Chamonzinho, que votassem em um empresário da cidade, Valdeir do União, ou mesmo na professora Amparo e sua vice vereadora Edilei Lopes; o povo de Serra Pelada parecia estar “cego” e queria Adonei no poder.

Dessa forma, grandes batalhas aconteceram longo dos debates, mas não teve jeito, Adonei Aguiar sagrou-se vencedor das eleições de 2016, tornando-se um desconhecido no poder.

Primeira ação de Adonei Aguiar, segundo seus correligionários, foi não dar espaço no seu governo as pessoas do primeiro escalão, as quais o ajudaram a chegar ao poder. Os amigos mais próximos também foram sendo alijados do processo, a vice-prefeita Quelia Rosa, que também o auxiliou, já não tinha mais atendimento e assim foram vários que estavam próximos dele, segundo as pessoas ligadas aos abandonados.

Na última sexta-feira, 7, eu fui com a equipe do Portal Carajás o Jornal em busca de saber o que realmente estava acontecendo. Fizemos uma enquete, e para a minha surpresa, todos que foram entrevistados estavam revoltados com a chegada de Adonei ao poder, apesar de seus votos, terem sido a maioria de Serra Pelada. Mas fica uma pergunta no ar: Será que Adonei Aguiar e sua equipe estão vendo isso? As pessoas ligadas à educação do município estão todas revoltadas, com uma profissional trazida de Belém que humilha os trabalhadores de Curionópolis. Será que Adonei sabe disso?

E para encerrar minha coluna, já percebi uma coisa na minha viagem, sabem daquela história de “atirei no que vi e matei o que não vi”, pois é, isso é o que está acontecendo por lá. Apesar dos munícipes terem votado em Adonei, eles estão todos torcendo para ele não voltar ao poder e ficar em seu lugar a prefeita Quelia Rosa, sua vice.

Eu desejo que Curionópolis não sofra tanto, apesar dos acontecimentos. Se Adonei não estiver à frente do município para fazer o bem para as pessoas, e continuar a humilhar seus cidadãos, que ele fique fora do poder e volte a administrar empresas e seja mais feliz na sua origem. Nesse caso a voz do povo, não está sendo a voz de Deus.

Avalie este item
(0 votos)
Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/2M.gk-is-100jpeglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/coisadecrianarodape.gk-is-100jpeglink