Blog do Refribom - Capa

Carlos Refribom: Morador da cidade de Parauapebas desde 1997 iniciou sua carreira no jornalismo como representante comercial nos jornais locais, depois foi repórter de polícia e cidade por dois anos; em agosto de 2004, fundou o Carajás o Jornal e segue até os dias de hoje com esse trabalho reconhecido no sul e sudeste do Pará. Graduado em pedagogia pela FACIBRA em 2014  e pós graduado em comunicação eleitoral e marketing político, pela faculdade Estácio, Refribom coloca a disposição dos seus leitores, um Blog de referência em informação política da microrregião do Carajás.

 

Ele passou seis anos falando aos jornalistas de manhã e à tarde, mas pouca gente o reconhecia nas ruas. Até abril do ano passado, quando, diante das câmeras de televisão de meio mundo, Yoshihide Suga, ministro porta-voz e chefe de gabinete do Governo do Japão, anunciou o nome pelo qual ficaria conhecido o reinado do novo imperador: Era Reiwa (“bela harmonia”). A partir de então, o braço direito do primeiro-ministro Shinzo Abe ficaria famoso nos lares nipônicos como Reiwa Ojisan (“tio Reiwa”). Agora ele deve ser, depois da demissão de Abe, o novo líder do Executivo em Tóquio, um cargo no qual poucos o teriam situado há um ano e meio.

 

Suga, de 71 anos e fiel auxiliar de Abe durante os sete anos e oito meses de seu mandato, foi nomeado para o comando do Partido Liberal Democrata (PLD, conservador) com o respaldo de 377 dos 535 convencionais (394 deputados e 141 delegados provinciais) que participaram da votação desta segunda-feira em um hotel de Tóquio. Seus rivais, o ex-ministro de Defesa Shigeru Ishiba e o ex-ministro de Relações Exteriores Fumio Kishida, obtiveram, respectivamente, 68 e 89 votos. O cômodo triunfo do novo líder já era dado como certo desde que as principais alas do partido manifestaram seu apoio a ele, numa aposta pela continuidade. Nas horas que antecederam à eleição interna, o canal de TV NHK antecipava que Suga obteria 70% dos votos, como de fato ocorreu.

Na quarta-feira, Suga deve ser ratificado como primeiro-ministro pelo Parlamento, dada a maioria absoluta de que goza o PLD e seu parceiro de coalizão Komeito.

Aos 71 anos e sem vínculos com nenhuma das grandes alas do PLD, tio Reiwa —um homem miúdo e bem apessoado, com penteado de risca em um dos lados e orelhas ligeiramente protuberantes— é, sobretudo, um candidato de compromisso. Em circunstâncias normais, é difícil pensar que depois da demissão do Abe por motivos de saúde as facções que controlam o PLD teriam escolhido este gestor discreto e disciplinado, que diferentemente da maioria da classe política nipônica não procede de nenhuma das estirpes tradicionais do país.

Claro que as circunstâncias deste ano de pandemia de coronavírus, recessão econômica e adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio são tudo menos normais. E Suga, como chefe de gabinete —cargo que combina as funções de porta-voz, assessor e ministro da Casa Civil— do atual premiê, é uma garantia de continuidade. A grande questão é se, uma vez empossado, vai se limitar a manter as políticas de seu predecessor e protetor ou optará por adotar medidas e um estilo próprios. Durante sua campanha eleitoral, prometeu manter os rumos do atual Governo.

Em temperamento e em histórico, Abe e Suga são como a noite e o dia. O atual premiê é carismático e visionário, ao passo que seu tecnocrata sucessor é discreto e meticuloso. Abe é filho e neto de ministros, criado na elite de Tóquio e acostumado desde o berço a lidar com dirigentes estrangeiros; Suga procede de uma modesta família de agricultores de Akinomiya, no frio norte do país, e começou sua vida profissional fabricando caixas de papelão. Pagou os estudos de direito trabalhando em um mercado e como faz-tudo num jornal, antes de entrar para a política como secretário de um vereador em Yokohama, a cidade onde desenvolveu a maior parte de sua carreira como deputado. Sua experiência internacional é mínima; sua capacidade de liderança nunca foi testada.

Mas poucos conhecem melhor as entranhas do Governo ou o pensamento de Abe. Durante os sete anos e oito meses de mandato deste, Suga esteve lealmente ao seu lado, comunicando a mensagem do chefe, impassível em momentos de escândalos ou demissões de ministros. Quando caiu o primeiro gabinete dele, em 2007, Suga —então seu ministro da Comunicação— o estimulou a não desistir e prometeu que voltariam ao poder.

Conseguiram. Cinco anos mais tarde, e depois de uma etapa em que chegou a ser considerado uma figura irrelevante do passado, Abe retornava ao Kantei, a sede do Executivo. Que tenha se tornado o chefe de Governo mais duradouro da história japonesa contemporânea, após anos de líderes fugazes, deve-se em boa parte ao trabalho de bastidores do seu braço direito. É um perfeito conhecedor de como conseguir a colaboração dos funcionários e conta com contatos imbatíveis nos meios de comunicação, onde é temido e respeitado na mesma medida. Como chefe de gabinete, suas nomeações burocráticas ajudaram a concentrar a tomada de decisões no escritório do primeiro-ministro, em detrimento de outros ministérios ou do próprio Parlamento, fazendo dele o líder com mais poder neste país nas últimas décadas.

Sua descomunal capacidade de trabalho é marcante: aos 38 anos foi eleito pela primeira vez vereador em Yokohama depois de gastar seis pares de sapatos visitando 30.000 lares. Leitor voraz, começa cada dia com a leitura dos principais jornais e uma centena de agachamentos. Promove duas entrevistas coletivas por dia. Para se reunir com o maior número possível de pessoas, não é raro que este político frugal e abstêmio vá a dois jantares numa mesma noite, possivelmente após ter participado de um café da manhã e um almoço de trabalho. Conclui o dia com outra centena de agachamentos. Casado com Mariko, de 66 anos, e pai de três filhos, seu grande hobby é a pesca.

Embora inicialmente sua candidatura não tenha motivado muito entusiasmo —só era respaldado por 14% dos cidadãos—, sua popularidade cresceu nas últimas semanas. “É um homem com quem muitos japoneses podem se identificar, por sua ética do trabalho, suas raízes humildes e sua ascensão gradual até chegar à chefia do Governo”, opina o professor Stephen Nagy, da Universidade Cristã Internacional, de Tóquio.

E Suga não é, recorda o especialista, “nenhum zé-ninguém na política. Seu trabalho lado a lado com Abe durante quase oito anos e sua profunda experiência nas negociações internas do PLD e com a burocracia significa que um experiente operador político, com muito da visão de Abe, será primeiro-ministro durante pelo menos um ano. Isso implica estabilidade, sustentabilidade e continuidade da política nas frentes interna e internacional”.

 

Fonte: https://brasil.elpais.com

O grupo de mulheres parauapebenses, Participa Mulher, lançou oficialmente na noite de terça-feira, 08, a página oficial do movimento no facebook. Marcaram presença no evento o prefeito de Parauapebas, Darci Lermen; a 1ª dama Viviane Lermen, a delegada da mulher Ana Carolina e mais de 300 mulheres.

O momento foi para ouvir e reafirmar um compromisso com as mulheres 

O movimento traz como principal proposta um "pacto pela mulher de Parauapebas", e objetiva contribuir com sugestão de políticas públicas que vão girar em prol e em defesa dos direitos das mulheres da cidade. 

Prefeito Darci Lermen ao lado de Ana Paula que veio fazer parte do movimento  

Ana Paula Sampaio marcou presença para prestigiar o evento, "esse é um momento muito importante para cada uma nós, que teremos a oportunidade de sermos ouvidas e nossas ideias transformadas em projetos que vão de fato beneficiar as mulheres de Parauapebas", disse.

A voz de todas as mulheres serão ouvidas e suas ideias se tornarão projetos que serão abraçados pelo prefeito Darci Lermen, que durante sua fala enfatizou a importância do papel da mulher na sua gestão e destacou que muitas delas estão no comando de muitos projetos e coordenação de órgãos públicos.

O prefeito Darci Lermen parabenizou as mulheres pela iniciativa e disse que os projetos aprovados pelo grupo serão transformados em lei

"Durante todo o meu governo eu dediquei grande parte da nossa luta a criar melhores condições para nossas mulheres, e fico muito feliz em participar desse momento em que as mulheres trabalham para uma participação maior na política", destacou o prefeito, denotando ainda que os projetos aprovados pelo grupo serão transformados em lei.

Na manhã de terça-feira (16), autoridades e especialistas em saúde participaram de uma reunião virtual para discutir a necessidade de adiamento das Eleições 2020 em razão da pandemia causada pelo coronavírus (Covid-19).

Entre os participantes, houve um consenso pelo adiamento do pleito por algumas semanas, garantindo que seja realizada ainda este ano, em data a ser definida pelo Congresso Nacional com base em uma janela que varia entre os dias 15 de novembro e 20 de dezembro.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, destacou que “esse foi um encontro interessante entre ciência, direito e política com a proposta de encontrarmos a melhor solução para o país”. Ele afirmou ainda que a palavra final é do Legislativo, que deve deliberar para conciliar as demandas da saúde pública com a democracia.

A discussão contou também com a participação do vice-presidente da Corte, Edson Fachin, do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do Senado Federal, Davi Alcolumbre, e de renomados médicos e cientistas como David Uip; Clovis Arns da Cunha; Esper Kallás; Ana Ribeiro; Roberto Kraenkel; Paulo Lotufo; Gonzalo Vecina; e Atila Iamarino. Também participaram diversos líderes partidários das duas Casas do Congresso Nacional.

Cada especialista fez intervenções curtas, de três a cinco minutos cada, para falar do quadro atual e da perspectiva para os próximos meses em relação à evolução e ao controle da doença. Em cada manifestação, os médicos reforçaram as características únicas desse vírus, que acomete principalmente os mais vulneráveis e com limitadas opções de tratamento. Eles destacaram que esta não é uma gripe como outras que já surgiram, principalmente porque atinge rapidamente os órgãos e tem alto índice de mortalidade.

O médico David Uip, por exemplo, pontuou que o Brasil é um país continental e, por essa razão, a doença se manifesta de forma heterogênea dependendo de cada região. Entre as sugestões apresentadas para além do adiamento do pleito, há a possibilidade de horários estendidos para a votação, definição de horários específicos para população vulnerável, treinamento e simulação sobre medidas de higiene para todos que vão trabalhar e aumento dos locais de votação para evitar aglomerações.

Parlamento

O presidente do Senado fez questão de ressaltar a importância do significado desse encontro para debater o adiamento das eleições e afirmou que “instituições que têm responsabilidade em momentos históricos como o que estamos vivendo têm a consciência de que essa decisão necessariamente precisa ser em conjunto”.

Segundo Alcolumbre, há um significado simbólico no fato de ouvir os representantes do povo, o que demonstra o respeito do TSE pelo Parlamento ao envolver todos nessa discussão desde o ponto de partida até a solução. Alcolumbre também registrou seu agradecimento à Justiça Eleitoral principalmente pelo comprometimento e pela valorização da ciência.

“Ouvir a medicina e profissionais de saúde é fundamental”, disse ele, ao exaltar que a união entre ciência, Poder Legislativo e Poder Judiciário na construção de alternativas para cuidar da vida dos brasileiros fortalece a democracia e garante que as eleições serão realizadas com segurança.

O presidente da Câmara, por sua vez, reforçou que, acima dos interesses políticos envolvidos nas eleições, deve estar o bem comum. “Nós temos que pensar no bem de todos e garantir a saúde da população”, afirmou.

Outros parlamentares das duas casas fizeram suas exposições com base nas informações das regiões que representam e apontaram sugestões a serem analisadas.

Considerações finais

Barroso afirmou que o objetivo maior dessa reunião é colher informações técnicas e científicas a respeito do adiamento. Segundo ele, o ideal é que essa definição seja feita até o dia 30 de junho, em virtude do calendário eleitoral. Ele falou da possibilidade de criação de uma cartilha de orientação para eleitores e mesários sobre como se comportar no dia da votação.

Ele também destacou as discussões que estão sendo analisadas no âmbito da Justiça Eleitoral, tais como a possibilidade de suspensão da identificação do eleitor por meio da biometria para diminuir o contato físico entre os envolvidos.

Além disso, o presidente do TSE lembrou que realizar a votação em dois dias implica em um gasto extra de cerca de R$ 180 milhões. Os custos são relativos à alimentação de mesários e à atuação de militares para garantir a segurança das urnas nos locais de votação de um dia para outro, por exemplo.

Já o ministro Edson Fachin afirmou que práticas democráticas são imprescindíveis, especialmente nas crises e emergências. Para ele, manter a condição de normalidade possível às eleições periódicas faz bem para a saúde da democracia. “A Justiça Eleitoral estará à disposição da sociedade brasileira para levar a efeito um processo eleitoral com a normalidade possível e com toda legitimidade”, disse.

FONTE: TSE / CM,LG, DM

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, anunciou a demissão nesta sexta-feira (24). O ex-juiz federal deixa a pasta após um ano e quatro meses no primeiro escalão do governo do presidente Jair Bolsonaro.

A demissão foi motivada pela decisão de Bolsonaro de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, indicado para o posto pelo agora ex-ministro. A Polícia Federal é vinculada à pasta da Justiça.

Ao anunciar a demissão, em pronunciamento na manhã desta sexta-feira no Ministério da Justiça, Moro afirmou que disse para Bolsonaro que não se opunha à troca de comando na PF, desde que o presidente lhe apresentasse uma razão para isso.

"Presidente, eu não tenho nenhum problema em troca do diretor, mas eu preciso de uma causa, [como, por exemplo], um erro grave", disse Moro.

Moro disse ainda que o problema não é a troca em si, mas o motivo pelo qual Bolsonaro tomou a atitude. Segundo o agora ex-ministro, Bolsonaro quer "colher" informações dentro da PF, como relatórios de inteligência.

"O presidente me disse mais de uma vez, expressamente, que ele queria ter uma pessoa do contato pessoal dele, que ele pudesse ligar, que ele pudesse colher informações, que ele pudesse colher relatórios de inteligência, seja diretor, seja superintendente. E realmente não é o papel da Polícia Federal prestar esse tipo de informação", declarou.

Moro fez uma comparação da situação com o período em que conduziu os processos da Operação Lava Jato como juiz: "Imaginem se durante a própria Lava Jato, ministro, diretor-geral, presidente, a então presidente Dilma, o ex-presidente, ficassem ligando para o superintendente em Curitiba para colher informações sobre as investigações em andamento?", questionou.

Segundo Moro, a autonomia da Polícia Federal "é um valor fundamental que temos que preservar dentro de um estado de direito”.

De acordo com o relato de Moro, ele disse a Bolsonaro que a troca de comando na PF seria uma interferência política na corporação. Ele afirmou que o presidente admitiu isso.

"Falei para o presidente que seria uma interferência política. Ele disse que seria mesmo", revelou Moro.

O agora ex-ministro contou que Bolsonaro vem tentando trocar o comando da PF desde o ano passado. "A partir do segundo semestre [de 2019] passou a haver uma insistência do presidente na troca do comando da PF."

Moro afirmou que sai do ministério para preservar a própria biografia e para não contradizer o compromisso que assumiu com Bolsonaro: de que o governo seria firme no combate à corrupção.

"Tenho que preservar minha biografia, mas acima de tudo tenho que preservar o compromisso com o presidente de que seríamos firmes no combate à corrupção, a autonomia da PF contra interferências políticas", declarou.

Fonte: G1 Globo 

O pré-candidato Renan, que vem concorrendo pelo MDB, apoiado pelo Governador Helder Barbalho (MDB), firmou sua  parceria com seu atual vice-prefeito Netinho da Canadá, (PSC), também apoiado pelo Senador Zequinha Marinho, (PSC).  

Além desses nomes de peso, o pré-candidato Renan vem apoiado por 08 dos 11 vereadores eleitos do município.

Compondo o MDB vem o vereador Biro Biro, vereador Jorge, vereador Ronaldinho do Gambira e vereador Manel Mecânico.

Compondo o PSC vem o Presidente da Câmara Rodrigão do Canadá, vereador Tiãozinho da Canadá, vereador Colé, vereador Cleone, dentre tantos outros bons nomes que vêm pra somar e concorrer nas próximas eleições. 

Outros partidos também vêm compor essa conjuntura, apoiados pelos seus Deputados estaduais, federais e senadores  são eles:  DEM, PDT, PT, PTB,  PSL.

O partido Patriota 51 vence a primeira etapa das eleições municipais de 2020, formando seu quadro de pré-candidatos a vereador. Há uma alegria muito grande por parte do presidente Hipólito H2, por ter conseguido superar as expectativas, com quantidade de pré-candidatos acima do esperado. “Foi desafiador formar este grupo, resultando em um partido pautado em ideais e propostas, sem oferecimentos de estrutura financeira mas baseado na visão de uma nova política e no engajamento destes novos políticos, em um momento em que ainda se pratica muito a velha política em Parauapebas”, afirma Hipólito.

O engajamento do time é enfatizado pelo presidente, quando informa que desde o início da formação do grupo não houve desistências, só novos filiados, apoiadores e pré-candidatos, demonstrando a “coesão do partido em torno de um grande propósito”. Afirma ainda que na última semana, com troca de partidos acontecendo em várias siglas, no Patriota não houve baixas, mas várias adesões, o que aumentou em mais de cinquenta por cento sobre a quantidade de nomes que já possuía. Assim, o partido Patriota se aproxima da grande missão inicial, que é dar aos pré-candidatos a vereador a chance de fazer o quociente e tornar possível a eleição, na busca pela renovação, sendo possível alcançar até duas cadeiras na Câmara Legislativa, na visão do partido.

Conforme a visão do seu líder em Parauapebas, o partido Patriota acredita que se todas as lideranças tivessem esta preocupação com a renovação desde a etapa de formação de suas bases e potenciais candidatos, a renovação da política de Parauapebas seria uma certeza, e apresenta a lista de nomes para que a população possa conhecer quem são estas pessoas que acreditam neste projeto e em um novo tempo de políticas públicas voltadas para os principais problemas da população, com foco e alta qualidade de gestão.

Lista dos pré-candidatos a vereadores pelo partido Patriotas

Luis Motos
Damião Aires

Walter Avelino

Roldão

GM Roberto

Allan da Juventude

Isaque Luz

Carvalho da Direita 

Kleiton Santos

Eldan

Dr. Robson                                               

Wil Araujo

Elcenildo Papada                                                                                             

GM Carvalho

Ednaldo Ternandes

Santiago Vila Ri c a

Cesar de Jesus

Pastor Rafael Cardoso

Kurica

Reginalo Nova Carajás

Luciano Coelho

Pedrinho Publicidades

Morsart Viegas

Jorge Martins

SGT Olegario             

Lúcio Trilama

João Machado

Pré-candidatas

Pastora Lenilda

Keilana  Vegante

Janaina Cipriano

Pastora  Marcilene

Nazare Rosa

Silvanete

Zelia Gama

Helania Fernandes

Eliane Dantas 

Foi encerrado oficialmente o prazo para aqueles que desejam concorrer a um cargo nessas eleições, os pré-candidatos tiveram até o último sábado, 04, para se filiar a um partido.

Presidente do partido Progressistas 11 Keniston Braga 

Vice-presidente do partido Progressistas 11 Andreia Lima

O Progressistas 11 apresentou seus pré-candidatos que irão concorrer ao cargo de vereador nessas eleições 2020.

Zacarias de Assunção Vieira Marques – Zacarias Marques

Pioneiro em Parauapebas e na política, Zacarias tem se destacado pelas suas ações na casa legislativa em prol dos munícipes. Com experiência e dedicação conseguiu se eleger em 2016 para vereador como o candidato mais votado e esse ano já se prepara para mais uma eleição.

Josivaldo Antônio da Silva – Josivaldo da Farmácia

Josivaldo  encontrou a oportunidade de conquistar um espaço no mercado de trabalho em Parauapebas, trabalhando durante 2 anos no Armazém Paraíba, após conseguiu montar sua própria farmácia. O pré-candidato acredita que é importante manter o foco e quer contribuir com sua experiência de vida com o crescimento de Parauapebas.

Devanir Martins – Devanir

O pré-candidato é ex-vereador de Parauapebas, durante sua passagem pela Câmara Municipal apresentou projetos e emendas parlamentares importantes para o desenvolvimento da cidade.

Edneis Barbosa Lima – Edneis Barbosa

Começou a militar na política final de 2002, assumiu a presidência do MDB por seis anos. Em 2004 esteve à frente da Secretaria Especial de Transporte de Manutenção no governo da Bel Mesquita. Para o pré-candidato esse é o momento de montar um planejamento estratégico que traga melhorias para o povo. 

Pedro Olímpio de Menezes Neto - Pedrinho da 14

Há 27 anos trabalha no ramo da construção, com uma empresa que funciona há 27 anos na rua 14. Na cidade casou e construiu família, também contribuiu para a economia e o social no município.

Francisco Cordeiro Leite Segundo - Dr. Francisco

Morador de Parauapebas já desbravou algumas corridas eleitorais como candidato à vereador e prefeito de Parauapebas. Nesta eleição Dr. Francisco se prepara para mais disputa eleitoral pelo partido Progressistas 11.

Hélio Candido de Araújo – Pastor Hélio

Com o objetivo de ser um representante do povo, o pré-candidato se prepara para a corrida eleitoral. Pastor Hélio é pioneiro e reside em Parauapebas há 25 anos. O pré-candidato já concorreu nas eleições passadas e agora decidiu concorrer novamente para o cargo de vereador. 

Paulo Cesar Ferraz Campos – Paulo Cesar

O pré-candidato nasceu em Parauapebas e é filho de pioneiro, na política atua desde 2013. Este ano Paulo Cesar estava em busca de um partido para se filiar, e acabou abraçando o Progressistas, o jovem parauapebense já se prepara a corrida eleitoral. 

Flávio Ribeiro Veras – Flávio Veras

O pré-candidato já possui uma longa caminhada na vida pública, colhendo resultados positivos com trabalhos realizado à frente da Secretária Municipal de Mineração, Energia, Ciência e Tecnologia de Parauapebas (Semmect), além de outros trabalhos desenvolvidos na cidade.

Sandoval Pereira Lopes – Sandoval da Imobiliária

Sua história iniciou há 35 anos, trabalhou na Vale e depois entrou para a imobiliária. Agora Sandoval se prepara para a corrida eleitoral, com o objetivo de trabalhar para uma Parauapebas ainda melhor.

Gabriel Henrique Alves da Costa – Delegado Gabriel

Delegado da Polícia Civil há 11 anos, Gabriel Henrique atuou em Parauapebas nos anos de 2016 a 2019. Também já exerceu suas funções na cidade de Conceição do Araguaia e São Felix do Xingu onde foi superintendente da 14° Região Integrada de Segurança Público e na Divisão Estadual de Narcóticos na cidade de Belém. O pré-candidato é formado em Direito e pós-graduado em Ciências Criminais, Segurança Pública e Direito Penal e Processual Penal, além de ser ex - militar do Exército Brasileiro.

Francivaldo Carrias de Sousa – Leitão Carrias

Morador de Parauapebas desde de 1996, tem trabalhado para construir sua história no município. Filiado ao Progressista já se prepara para a corrida eleitoral.

Fabio dos Santos Bezerra – Fábio do Alto Bonito 

Diretor do Movimento Sem Teto, um projeto para as famílias que não tem moradia. Filiado ao Progressistas, o pré-candidato espera conseguir uma das cadeiras e desenvolver um trabalho ainda melhor no município.

Lindomar Barbosa Barros – Lindomar  

Residente de Parauapebas desde 1982, este ano sentiu a necessidade de ingressar na política. Filiado ao Progressistas 11 o pré-candidato segue na disputa eleitoral com apoio do partido.

Francisca Ciza Pinheiro Martins – Francisca Ciza

A pré-candidata atualmente está como vereadora de Parauapebas. Durante seu mandado tem atuado em prol dos munícipes, sempre apresentando projetos relevantes em benefício de Parauapebas.

Lilian Lima dos Santos – Lilian Lima 

Evangélica e atuante na sociedade, a pré-candidata vem construindo sua história na política desde 2000 lutando por políticas públicas. Lilian Lima é irmã de Andreia Lima vice-presidente do Progressistas se prepara para a corrida eleitoral 2020.

Leudicy Maria de Souza Leão – Leudicy Leão

Há nove anos na carreira política, já foi candidata a vereadora por duas vezes, ficando como suplente do PSD. Atuou ainda como Secretária de Assistência Social e de Administração. Leudicy Leão acredita na mudança e para essa mudança o sistema precisa de pessoas que de fato queiram trabalhar. 

Kyuca Torres da Silva Nascimento – Kyuca

A pré-candidata chegou no município com sua família antes da emancipação do mesmo. Hoje com 41 anos e uma longa experiência na vida pública, se prepara para as eleições 2020 e sonha em representar o povo de Parauapebas.

Silvania Chaves de Sousa – Silvania

Concorreu as eleições em 2016, e através do Progressistas 11 encontrou um espaço amplo de debate junto com outras mulheres. A pré-candidata deu os primeiros passos na política em 2004 quando coordenou nas Palmares I e II uma rádio comunitária fazendo a divulgação de projetos sociais, inclusão da mulher na política e outros. Silvania Chaves continuou sua trajetória sempre engajada com projetos sociais, políticas públicas e lutando pela valorização feminina.

Maria Francisca França Oliveira – Francisca do Sesp

Chegou em Parauapebas em 1994, atua como servidora pública desde 2005, na política chegou através de um convite de pessoas que viram o desenvolvimento do seu trabalho. A pré-candidata chegou para somar e representar a categoria das pessoas que trabalham com limpeza e vigilantes.

Selma Martins dos Santos – Selma do Linhão

 Moradora de Parauapebas há mais de 10 anos, há 8 anos luta pelos direitos dos moradores do linhão. Selma do Linhão agora se prepara para a disputa eleitoral e assim trazer muito mais benefícios para sua comunidade e toda Parauapebas.

Maria do socorro Ferreira da silva - Maria do Socorro

A pré-candidata é professora e mora em Parauapebas desde 1986, sempre atuante na sua comunidade, Maria do Socorro tem trabalhado para ajudar o próximo e fazer a diferença, como candidata a conselheira tutelar nas últimas eleições, alcançou 764 votos.

Leonice Pinheiro dos Santos da Silva -  Irmã Leó

Irmã Leó é uma liderança da zona rural de Parauapebas, hoje é presidente de associação na zona rural. Com liderança consolidada é pré-candidata a vereadora pelo Progressistas 11.  

Antônio José da Silva Filho – Zezinho 

Zezinho é pioneiro de Parauapebas, já enfrentou diversas lutas, inclusive pela emancipação da cidade, sendo também candidato a prefeito de Parauapebas. Hoje Zezinho é um comerciante e vem candidato a vereador pelo Progressistas 11

Alexsandro Negreiros Medeiros – Alex das Óticas do Povo

Alex das Óticas do Povo é uma liderança que vem trabalhando há vários anos pelos mais necessitados a cidade de Parauapebas, agora resolveu colocar o seu nome a disposição dos munícipes da nossa cidade, sendo pré-candidato a vereador pelo Progressistas. 

Francisco da silva – Francisco da GAMPP

Francisco da GAMPP já atuou como Conselheiro da Habitação por duas vezes e é bastante atuante na busca por moradias aos munícipes que residem em Parauapebas; e é pré-candidato a vereador pelo Progressistas 11. 

Fonte: Redação

O partido Podemos ganhou mais um nome de peso neste sábado, 04, Jean Carlos anunciou que está filiado ao partido, o pré-candidato à prefeito da cidade prometida conseguiu formar um grupo forte e vem ganhado destaque na corrida eleitoral. 

 “É com muita alegria que anuncio minha filiação ao Podemos. Um partido que tem em sua essência a coletividade, união e o diálogo.   Sei que nada se constrói sozinho, por isso precisamos de um projeto audacioso, visionário e grande como nossa querida Canaã, e onde o principal objetivo seja o desenvolvimento do munícipio e o bem-estar da população.  Estamos trabalhando para unir as pessoas e garantir voz para todos que querem um futuro novo, de oportunidades e respeito as diferenças, construindo, juntos, uma cidade que agregue todos os setores da sociedade”, disse.

Mesmo diante da pandemia do coronavirus COVID-19, foi mantido a data limite, seguindo a determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pré-candidatos tiveram até este sábado, 04, para realizar sua filiação.

Na primeira pesquisa registrada e liberada pela Justiça Eleitoral sobre a disputa a prefeito de Canaã dos Carajás, o empresário e comunicador Jean Carlos aparece com amplo favoritismo, com nada menos que 57,3% da preferência do eleitorado. A segunda colocada é Josemira Gadelha, que pontua com apenas 14,3% das intenções.

A pergunta era em quem o morador da cidade votaria para prefeito nas eleições de 2020. Os demais nomes citados são, nesta ordem: Arildo Neres (5,9%) e Zé Batista (4,9%). Outros 12,2% disseram não saber, enquanto 5,4% responderam que em nenhum destes.

ESPONTÂNEA
Na pesquisa espontânea, quando o pesquisador não indica nomes de pré-candidatos, Jean Carlos também lidera, só que com a margem de 28,3% da preferência. Josemira aparece logo atrás com 6,7%, Arildo Neres com 1,7%; Gesiel e Zito Augusto com 1%, cada; Zé Batista com 0,7% e, empatados, com 0,2%: Antônio do Lanche, Jeová, Júnior Super, Léo Ferreira, Willian e Wilson Leite. A imensa maioria, os outros 59,4%, não opinaram.

REJEIÇÃO
O instituto também quis saber em qual dos candidatos a pessoa não votaria para prefeito: Josemira aparece em primeiro com 19%, Jean Carlos tem 12,1%, Zé Batista com 6,2% e Arildo Neres tem 4,9%. Outros 50,4% responderam que não rejeitam nenhum deste, enquanto 7,4% não opinaram.

REGISTRADA
A pesquisa está registrada junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número não rejeita. Foram ouvidas 405 pessoas em Canaã dos Carajás entre os dias 27 e 28 de março de 2020. A contratante foi a M.M Comunicação e Eventos. Segundo o Instituto Skala, que realizou o levantamento, o índice de confiança é de 95% de acerto, com margem de erro de até 3,5% para mais ou para menos.

 

Veja os cenários:

 

Jean Carlos segue na disputa junto com o Gesiel Ribeiro e conta com apoio de parlamentares

 Pré-candidato Zé Batista  e Agnaldo Costa vice pré-candidato

Pré-candidata Josemira Gadelha ao lado do vice pré-candidato Zito Augusto

Confira o registro no TRE: 

Fonte: https://bacana.news/

 

Na manhã de quarta-feira, 18, por volta de 10hs da manhã, Luciano Borges (MDB) foi empossado ao cargo de vereador, onde na eleição de 2016, ele ficou na suplência tendo conquistado 296 votos.

Após o ex-presidente da Casa de Leis, Nonato Maranhense (MDB), ter sido empossado como o prefeito interino, devido ao afastamento de Adoney Aguiar por 180 dias, deixando sua vaga para o já empossado Paulo Higino na vaga de presidente da Casa Legislativa.

O novo vereador foi empossado pelo presidente interino Paulo Higino (PSDB), na Câmara Municipal de Curionópolis. Segundo o Vereador Luciano, ele vai solicitar ao prefeito em exercício, Nonato Maranhense, que seja feito uma investigação dentro da prefeitura para saber quem são os laranjas que estão na folha, e que se coloque o povo de Curionópolis para trabalhar.

Na mesma reunião de posse pediu que os colegas peçam a Secretaria de Saúde e Secretaria de Educação, que tenham um cuidado especial com a população, no que se refere ao coronavirus, para que escolas, bares, restaurantes, postos da beira de estrada e outros, onde se têm aglomeração de pessoas, seja entregue quites de higiene pessoal pela Prefeitura Municipal, além de uma paralização de 15 a 30 dias das Escolas Municipais e Estaduais.

"Esse vírus é mortal sim, muitos países já estão de quarentena, e antes que chegue por aqui, temos que tomar providências preventivas", citou Luciano Borges.

 Texto e Fotos: Edson Luiz

Página 1 de 11
Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink