A agente de fiscalização Adriana Alves Dutra, que presenciou a morte de João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, na última quinta-feira, no estacionamento do supermercado Carrefour na Zona Norte de Porto Alegre, foi presa esta terça-feira, segundo informações da Polícia Civil obtidas pela Rádio Gaúcha.

Adriana apresentou-se no Palácio da Polícia acompanhada por seu advogado. Ela filmou os vigilantes Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva espancarem João Alberto até a morte. Nas imagens obtidas pelos investigadores, também aparece com um rádio na mão e ameaçando "queimar na loja" um motoboy, ao ver que ele gravava a cena.

 

Adriana, a mulher que aparece de blusa branca nas imagens gravadas, disse à polícia que estava no setor de bazar quando foi chamada para atender uma situação de atrito entre um cliente (João Alberto) e uma funcionária — que é fiscal de caixa e aparece vestida de preto nas imagens.

No depoimento, Adriana diz que um cliente, que ela soube ser policial militar, já tentava apaziguar a situação. Mas, na verdade, essa pessoa que Adriana chamou de cliente era o policial militar temporário Geovane Gaspar da Silva, segurança da Vector, contratada pelo Carrefour.

Disse à polícia, também, que João Alberto empurrou uma senhora dentro da loja. O circuito de imagens, no entanto, mostra apenas o cliente abordando, mas sem encostar, uma vigia de preto próximo a um dos caixas, e que se distancia conforma ele se aproxima.

Outro trecho evidencia mais incoerências no testemunho de Adriana:

"Que a depoente fez a solicitação para chamar a Brigada, pelo rádio, e ligou para o Samu, quando viu sangue, e que a vítima havia desmaiado. Que a vítima proferia xingamentos durante a contenção, mas não ouviu a mesma pedir ajuda. Que a depoente pediu várias vezes aos rapazes que largassem a vítima"

Adriana também afirmou aos fiscais que não ouviu a vítima pedir ajuda, embora as gravações mostrem que ele gritou diversas vezes, inclusive pedindo ajuda à mulher, Milena Borges Alves, que foi empurrada por um dos vigias ao tentar socorrer o marido.

O Samu só foi acionado após os fiscais constatarem que João Alberto morreu asfixiado. O atendimento, segundo testemunhas, teria demorado quase uma hora até chegar ao Carrefour.

Magno e Giovane foram presos em flagrante e cumprem prisão preventiva. Nesta segunda-feira, a delegada responsável pelo caso, Roberta Bertoldo, anunciou que, além dos vigias, cinco pessoas eram investigadas por omissão de socorro. Seus nomes, porém, não foram revelados.

 

Fonte: https://extra.globo.com

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016