Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

O sonho de fazer uma boa pontuação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e conseguir ingressar em uma universidade está mais próximo do cidadão canaense. Por meio do Pacto por Canaã, a Prefeitura de Canaã dos Carajás realizará um curso pré-vestibular gratuito no município. O principal objetivo do governo é ofertar aos vestibulandos melhores condições para disputar uma vaga em uma instituição de ensino superior. A expectativa é que os participantes do preparatório obtenham resultados expressivos na prova do Enem, que será realizada em novembro, e em outros processos seletivos para instituições de ensino superior.

Jovens e adultos que estejam cursando ou que já tenham concluído a terceira série do ensino médio em escola pública podem se inscrever e concorrer a uma das vagas disponíveis. Alunos de escolas particulares que sejam bolsistas também poderão passar pelo processo seletivo. Vale destacar que somente residentes em Canaã serão aceitos no preparatório.

No total, 160 vagas estão sendo ofertadas. Para selecionar os cursistas, uma prova de múltipla escolha com 50 questões interdisciplinares será aplicada. Os candidatos com maior pontuação, dentro do limite de vagas ofertadas, serão selecionados para o cursinho. Além das aulas, os alunos terão material didático (apostilas com o conteúdo que será ministrado) e uniforme garantidos.

Inscrições

Os candidatos devem procurar o Centro Municipal de Formação de Profissionais da Educação (Cemforpred), localizado na Avenida dos Pioneiros, número 154, Centro, até as 18h desta terça-feira (9).

Para a inscrição, é necessário que o candidato esteja em posse de todos os documentos exigidos no edital.

Aulas

As aulas terão início no dia 16 de julho, terça-feira. Os alunos serão divididos em dois turnos, vespertino, das 15h15 às 18h30, e noturno, 19h às 22h15.

Erratas

Verifique abaixo algumas correções no edital do curso.

Errata edital

 

Por: Kleysykennyson Carneiro

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), localizado em Santarém, no oeste do Pará, é pioneiro na Região Norte em dois procedimentos cardíacos. Os pacientes, com cardiopatia congênita, já usufruem do sucesso das cirurgias, que lhes proporcionaram uma vida normal.

Bruna Silva, 19 anos, nasceu com um problema cardíaco. "Chamamos de doença ou anomalia de Ebstein. É quando a válvula está em um posicionamento patológico diferente do normal, o que impede de exercer a sua função corretamente", explicou o cirurgião cardiovascular Renê Augusto Gonçalves, chefe da equipe do HRBA.

Segundo ele, a Técnica do Cone, aplicada na cirurgia de Bruna, é inovadora. "No Norte, ninguém tinha realizado essa técnica antes. São poucos os casos que acontecem, porque a incidência dessa doença não é muito grande. É uma cirurgia que não tem muita oportunidade para se fazer", acrescentou o cirurgião. O procedimento realizado em Bruna é denominado Plastia Valvar Tricúspide, e foi realizado em abril deste ano. Para a paciente, o procedimento representou a correção de um problema que a acompanhava desde o nascimento. "A cirurgia foi um sucesso. A minha recuperação está indo muito bem, sem complicações. Só tenho a agradecer à equipe de profissionais que realizou a cirurgia e ao Hospital Regional", destacou Bruna Silva.

A aplicação da técnica foi importante para evitar complicações. "Existem, basicamente, dois tipos de cirurgia para tratar esse problema. E, com essa técnica, conseguimos evitar algumas complicações. A mais grave seria o bloqueio do Iatricular total, que, nesse caso, precisaria colocar um marca-passo e o paciente ficaria dependente", informou Renê Augusto Gonçalves.

Valve-in‐valve - Em junho, mais uma técnica rara foi aplicada durante um procedimento cardiovascular. O autônomo Elias Lopes, 51 anos, era cardiopata crônico. Morador do interior de Belterra – município da Região Metropolitana de Santarém –, ele já havia passado por duas cirurgias cardíacas, realizadas em Belém, em 2001 e 2010.

O paciente havia trocado a válvula mitral duas vezes, e teria de trocar novamente, mas devido à gravidade a cirurgia oferecia um alto risco. A única opção encontrada foi realizar o procedimento com uma técnica nunca utilizada no Norte do Brasil, o Implante Valvar por Cateter. Esse implante pode ser feito pela artéria femoral, pela virilha ou pelo pescoço, ou pela ponta do coração. "Tudo isso sem parar o coração ou colocá-lo na máquina", destacou o cirurgião.

Elias Lopes reagiu bem à cirurgia. O procedimento, por ser menos agressivo, possibilitou uma recuperação rápida. "Eu passei uns dois meses para me recuperar da primeira cirurgia, e essa aqui, após sete dias, eu já estava me sentindo muito bem. O coração está batendo bem", afirmou o paciente.

Após a terceira cirurgia, o paciente deseja apenas qualidade de vida. E isso ele já consegue ao realizar todo o tratamento perto de casa. "Aqui na terra, o hospital foi 100%. De tudo que eu tenho vivido, esse foi o melhor hospital pelo qual eu passei. Estou muito, muito feliz com o atendimento aqui", garantiu Elias Lopes, acrescentando que só tem "a agradecer. Que eles continuem neste mesmo nível. Sei que o potencial do ser humano é limitado, mas Deus dá a condição para eles serem bons".

A inovação da técnica Valve-in‐valve (uma válvula dentro da outra) é oferecer tratamento a pacientes que não teriam possibilidades terapêuticas. "Antes, ou a gente tentava uma ação heroica, com grandes chances de o paciente não suportar, ou ele iria esperar um transplante, que é muito difícil. Ou pior ainda, o paciente simplesmente morria de insuficiência cardíaca. E agora conseguimos tratar pacientes graves ou pacientes idosos", disse Renê Augusto.

Estrutura - O Hospital Regional do Baixo Amazonas é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A unidade atende casos de média e alta complexidade, e presta serviço 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

No Norte do País, o hospital avança em serviços de saúde, com a implantação de programas de transplantes renais, cirurgias cardíacas e consolidação do tratamento oncológico. A unidade atende uma população estimada em mais de 1,1 milhão de pessoas, residentes em 20 municípios do oeste do Pará.

Fonte: Agencia Pará

Durante todo este mês de julho, a Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon) mantém equipes de fiscalização de prontidão, nos principais terminais rodoviários e hidroviários, para garantir uma viagem tranquila aos usuários. Os fiscais estão atentos, principalmente, à qualidade dos serviços oferecidos pelas empresas operadoras do transporte intermunicipal aos passageiros.

A Polícia Civil prendeu, nesta segunda-feira (8), em cumprimento a mandado de prisão preventiva por tráfico de drogas, Marcio Gonçalves da Costa, de apelido "Rei", 40, dono de um sítio localizado em Abaetetuba, nordeste paraense. No último mês de maio, uma operação policial apreendeu no local 225 quilos de cocaína.

Essa foi a maior apreensão de drogas realizada pela Polícia Civil em 2019 e a segunda maior da história realizada no Pará pela instituição. A prisão foi realizada em Belém, no momento em que o acusado acompanhava a esposa em uma clínica médica na capital. Após a prisão, ele foi conduzido para a Delegacia-Geral.

Segundo o diretor de Polícia do Interior, delegado José Humberto Melo Junior, Márcio da Costa teve a prisão preventiva expedida pela Comarca Criminal de Abaetetuba em decorrência de inquérito policial sobre o crime de tráfico de drogas.

Em 23 de maio, a Polícia Civil apreendeu as drogas durante operações realizadas em Abaetetuba. Os tabletes foram achados no interior do sítio situado na zona rural do município. As operações foram realizadas por policiais civis da Superintendência Regional do Baixo Tocantins, Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) do Baixo Tocantins e Delegacia de Homicídios de Abaetetuba. Na época da apreensão, ninguém foi preso.

Ao tomar conhecimento da apreensão da droga, Márcio Costa se apresentou na sede da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), em Belém, três dias após a operação. Ele prestou depoimento e negou envolvimento no tráfico de entorpecentes, alegando que havia alugado o sítio para outras pessoas e que não teria feito contrato de locação, por isso, não tinha o documento para comprovar o aluguel.

Contudo, no decorrer do inquérito policial, Márcio foi novamente procurado, mas não foi mais localizado, passando à condição de foragido. Segundo o delegado, o sítio está em situação de sequestro judicial e Márcio vai ficar preso à disposição da Justiça.

Fonte: Agencia Pará

No mês passado, a Celpa contabilizou 1.391 casos de interrupções no fornecimento de energia elétrica em todo o Estado causados por pipas enroscadas na fiação.  O número equivale a uma média de 46,3 ocorrências diárias. Esse registro representa grandes prejuízos para sociedade, deixando várias localidades sem energia ao mesmo tempo, atingindo milhares de residências, escolas e até hospitais.  

Ainda de acordo com a concessionária, quem apresenta os piores indicadores é a capital paraense, que já somou mais de 240 casos de falta de energia por causa dos papagaios. Outra cidade que aparece com números preocupantes em relação a ‘brincadeira’ é Ananindeua, onde já foram apuradas 103 situações de falta de luz em junho. Castanhal, Capanema e Bragança, no nordeste do Estado, também apresentam dados que merecem atenção, pois foram registrados cerca de 145 casos nos três municípios apenas neste período.

No sudeste do Pará, em cidades como Marabá, Parauapebas e Tucuruí, chegam a 80 ocorrências ao todo. Agora no mês de julho, a pratica tende a se intensificar, por isso a população precisa ficar em alerta sobre os perigos envolvendo a brincadeira e ainda contribuir para que os indicadores de falta de energia relacionado a pipas não voltem a crescer. 

O gerente da área de Operações da Celpa, Leonardo Eustáquio, explica que a empresa atua com medidas preventivas, mas é importante ter o apoio da população. “Nós fazemos manutenções com o uso de espaçadores nos cabos da rede, para que eles não se encostem quando as pipas ficam engatadas nos fios. Mas é essencial o apoio da população para garantir que estes números de interrupções não cresçam ainda mais, sobretudo agora no mês de julho, quando a atividade se intensifica. Por isso nós reforçamos que a brincadeira deve ser praticada bem longe da fiação elétrica”, orienta o gerente.

SEGURANÇA – O risco a vida da população é potencializado caso não sejam tomados os devidos cuidados na hora de soltar as pipas no ar. Para evitar qualquer tipo de acidente, a Celpa orienta que as pessoas empinem os papagaios em campos abertos, com boa visibilidade e longe de fiação elétrica. A concessionária destaca ainda que as linhas cerol (mistura de cola com vidro moído, em alguns casos até com pó de ferro), ao entrar em contato com a fiação elétrica, também pode provocar curto-circuito. O risco de acidentes com cortes, sobretudo, nas pessoas que circulam em motocicletas ou bicicletas é muito grande. Por isso o ideal é empinar as pipas sem linha com cerol. 

DICAS:

- Em hipótese alguma usar barras de ferro, pedaços de madeira e materiais condutores para retirar a as pipas da fiação.

 - Empinas pipas somente e locais abertos de boa visibilidade, longe da fiação elétrica, como parques, praias, praças ou campos de futebol

 - Não utilizar linhas com fios de cobre ou cerol, pois pode causar acidentes graves e até mesmo rompimento de cabos.

 - Atenção a motocicletas e bicicletas, pois a linha, mesmo sem cerol, é perigosa para os condutores

 - Caso a linha quebre, não correr atrás da pipa sem observar se o caminho é seguro.

 - Não soltar pipas em dias de chuva ou relâmpagos.

Atenciosamente,

Relacionamento com a Imprensa e Mídias Sociais

 

Imagine um gaúcho de Santa Maria se aventurando pelo Norte do Brasil e embarcando em Bragança, nordeste do Estado do Pará. Imaginou? Segundo o militar André Luiz da Silva deu até pra esquecer o chimarrão. "Pretendo voltar pra reabastecer o meu estoque de farinha", disse saudoso.

O ano de 2019 será de boas oportunidades para quem deseja ingressar no funcionalismo público estadual. O Governo do Pará lançará mais seis certames para órgãos e fundações do Estado.

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração (Sead), mais de 500 vagas serão abertas ainda neste ano, com oportunidades para os níveis médio e superior.

As vagas serão distribuídas entre editais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas); Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fasepa); Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV); Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará (FSCMPA); Hospital Ophir Loyola (HOL) e Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

CONCURSOS

O Governo do Estado do Pará já abriu 74 oportunidades. A Sead publicou, na edição desta segunda-feira (8), do Diário Oficial do Estado (DOE), os editais dos concursos públicos da própria Sead e da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa). 

O Edital n°01/SEAD, de 05 de julho de 2019, tornou público o concurso C-196, que prevê 6 cargos efetivos de nível superior e formação de cadastro de reserva para o quadro de servidores da Secretaria de Administração.

Para o cargo de perito médico são ofertadas quatro vagas para ampla concorrência e uma vaga reservada às pessoas com deficiência, totalizando cinco vagas mais formação de cadastro de reserva. Para esta função a remuneração é de R$3.345,14.

Já para o cargo de técnico em gestão de segurança do trabalho é ofertada uma vaga para ampla concorrência, mais cadastro de reserva. Neste caso, a remuneração é de R$2.809,37.

As inscrições para o concurso da Sead podem ser feitas a partir do dia 15 de julho até as 23h59 do dia 9 de setembro de 2019, no site do Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), executor do certame. O endereço eletrônico é http://www.iades.com.br.

Hemopa - Já o concurso do Hemopa é regido pelo Edital n°01/SEAD-HEMOPA, de 05 de julho de 2019. O certame C-182 tem provimento de 68 cargos efetivos de níveis médio e superior e formação de cadastro de reserva.

Para o cargo de assistente social foram lançadas seis vagas para ampla concorrência e uma vaga reservada às pessoas com deficiência, além de cadastro de reserva. A remuneração é de R$3.345,14.

Para farmacêutico bioquímico são ofertadas duas vagas para ampla concorrência, mais cadastro de reserva, a uma remuneração de R$3.345,14.

Para técnico de enfermagem são 38 vagas para ampla concorrência e duas vagas reservadas a pessoas com deficiência, além do cadastro de reserva. A remuneração é de R$1.065,95.

Já o cargo de técnico em patologia clínica oferta 18 vagas para ampla concorrência, uma vaga reservada para pessoas com deficiência e cadastro de reserva. A remuneração é de R$1.065,95.

As provas e etapas referentes ao concurso público do Hemopa serão aplicadas nos municípios de Belém, Altamira, Itaituba, Marabá e Santarém. As inscrições iniciam no dia 15 de julho e seguem até as 23h59 do dia 9 de setembro, através do site do Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades).

Informações como o cronograma de realização dos concursos, os requisitos exigidos e o conteúdo programático dos concursos podem ser consultados na edição de hoje do DOE.

 

Fonte: DOL

A ilha do Marajó, assim como outras cidades litorâneas, costuma receber um fluxo de visitantes muito grande para aproveitar o verão amazônico, durante o mês de julho. Soure e Salvaterra, por exemplo, devem ser os destinos mais procurados. De acordo com dados da Companhia de Portos e Hidrovias do Pará, aproximadamente 140 mil usuários devem passar pelo terminal hidroviário no mês das férias escolares, o que indica uma movimentação de, em média, 5 mil passageiros por dia e 35 mil por semana.

Para acompanhar o crescente fluxo das embarcações que fazem o transporte de pessoas neste período, a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup) reforçou o policiamento nas principais rotas aquáticas, a fim de combater os assaltos às tripulações e a passageiros. Mais de 40 embarcações, entre lanchas e barcos, do Grupamento Fluvial de Segurança Pública (GFlu), vinculado a Segup, estão sendo empregadas, principalmente, nas localidades mais críticas, onde a geografia do local favorece a atuação de grupos criminosos na prática de assaltos, conhecidos como "ratos d'água" ou "piratas".

Na capital, o grupamento também realiza o trabalho preventivo próximo aos terminais fluviais, e em caso de algum risco de segurança na navegação, atuam junto com a Capitania dos Portos para realizar os procedimentos cabíveis. Servidores do sistema de segurança também dão orientações aos passageiros e disponibilizam um canal de comunicação para qualquer necessidade. Ao todo, aproximadamente 190 agentes de segurança pública, entre policiais civis e militares, trabalham com ações de prevenção e ostensividade.

Para a população, a presença da polícia é fundamental para evitar que crimes aconteçam. Josemar Anjos é morador do bairro do Tapanã, em Belém, e aos finais de semana trabalha como vendedor ambulante na praia do Caripi, no município de Barcarena. Com a rotina entre as duas cidades, ele já observou alguns momentos suspeitos e afirma que a presença da polícia é importante para evitar que os passageiros sejam vitimas.

"Muitos, assim como eu, estão viajando a trabalho, outros vêm receber dinheiro, outros a lazer, então a bandidagem já vem em busca disso. É muito importante o trabalho que a polícia vem fazendo. Dando segurança para as pessoas que precisam viajar de barco", ressaltou.

Ainda como forma de aumentar a segurança neste período de férias escolares, uma lancha foi entregue, na última sexta-feira, 5, ao Comando de Policiamento Regional III, da Polícia Militar, para uso no distrito de Algodoal, pertencente ao município de Maracanã. A lancha tipo voadeira possui motor 60HP, e é caracterizada para a utilização do sistema de segurança pública. A embarcação ficará disponível para a PM, podendo ser usada, ainda, pela Polícia Civil ou pelo Corpo de Bombeiros Militares, caso necessário.

Com a entrega do equipamento, o policiamento no local será reforçado e o deslocamento da tropa, bem como a de pessoas detidas, ocorrerá com mais facilidade e segurança.

Entre os investimentos previstos ainda para o Gflu, estão as implantações de bases fluviais integradas em várias regiões estratégicas, com destaque para a base de Antônio Lemos, em Breves, e a modernização da frota de embarcações com a aquisição de novos motores e equipamentos, além de capacitação de policiais com cursos específicos para atuação na área fluvial.

"O Pará é um Estado com dimensões continentais e possui a peculiaridade de ser rodeado por rios, então não existe como fazer a segurança pública sem levar em consideração essas características territoriais. Estamos atuando fortemente na prevenção e realizando também diligências e prisões para que crimes no meio aquático não mais aconteçam, e a sociedade possa se locomover com segurança e tranquilidade. Da mesma forma, pedimos a colaboração da população para combater o crime, por meio do Disque Denúncia 181, pois em diversas localidades os bandidos utilizam do conhecimento que possuem dos furos, por serem moradores da área, para criar rotas de fuga", ressaltou o diretor do Gflu, delegado Arthur Braga.

Janeiro a maio sem nenhuma ocorrência registrada

Nos cinco primeiros meses do ano, foram realizadas 24 operações, sendo 18 operacionais, cinco de caráter social e uma ambiental, o que representa um aumento de 50% em relação ao mesmo período de 2018, o que resultou em 21 prisões, sendo 10 cumprimentos de mandados de prisão, que vão de homicídio a roubo de embarcações, onde foi preso, por exemplo, em Breves, Taizo Pena Rodrigues, considerado o principal responsável por roubo a embarcações na região de Breves, Melgaço e Gurupá. Com a prisão do líder do grupo criminoso, houve redução de 100% no número de assaltos a transportes fluviais de passageiros e cargas, no período de janeiro a maio deste ano.

Em outra abordagem, uma adolescente que estava submetida a cárcere privado foi salva pela polícia. Nas operações também foram apreendidas 15 armas de fogo, sendo 2 armas caseiras, 11 embarcações, 5 motores de embarcações, 2 toneladas de peixes, 38 papelotes de drogas, 3 celulares, além de 675 m3 de madeira.

 

Por Aline Saavedra (SEGUP)

O estado do Pará receberá R$ 2,100 milhões em equipamentos para reforçar o aparato das forças policiais. O material era de uso exclusivo da Força Nacional. O aparato faz parte do chamado extra-legado Olímpico, materiais que foram utilizados na Olimpíada do Rio 2016 e que estavam ociosos. Entre os equipamentos que serão recebidos estão armamentos, veículos, munições, coletes e escudos balísticos, entre outros aparelhos bélicos.

A doação foi anunciada pelo governo federal em Brasília, durante solenidade no Ministério da Justiça e Segurança Pública, na última semana, que contou com a presença de representantes da Segurança Pública de todos os estados, do vice-presidente da república, Hamilton Mourão e do ministro da justiça e segurança pública, Sérgio Moro. A entrega do aparato está prevista para o próximo dia 15 de julho.

Os bens ociosos da Força Nacional serão doados com o objetivo de modernizar e reaparelhar os órgãos da segurança pública de todo o país. De acordo com o Ministério da Justiça, 42 mil itens que serão repassados aos estados brasileiros estão avaliados em R$ 43 milhões.

"Todos que compõem e que contribuem com a Força Nacional recebem um legado, que é uma retribuição do governo federal pelo que nós sedemos. No caso do Pará essa contribuição é até acima da média. Porém, agora iremos receber um extra-legado, que eram equipamentos que estavam guardados sem utilização e agora serão distribuídos aos estados e o Pará foi um dos contemplados. A partir do dia 15 de julho esses materiais já serão disponibilizados ao Estado", explicou o secretário de segurança pública do Pará, Ualame Machado.

Equipamentos – Entre os aparelhos que serão recebidos pelo Pará estão armas de fogo de diversos modelos e calibres, veículos do tipo picape e micro-ônibus, munições, terminal de dados portátil, GPS, equipamento de proteção individual, barracas de campana, bloqueadores de rádio frequência, entre outros.

 

Por Laís Menezes (SEGUP)

Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA) já divulgou o gabarito preliminar do 1º vestibular realizado pela instituição em Canaã dos Carajás, para os cursos de agronomia e letras.

Clique aqui e veja o gabarito preliminar

As provas foram realizadas neste domingo (7). A divulgação do resultado final sairá no dia 15 de julho. O início das aulas do curso de Letras- Língua Inglesa será no dia 22 de julho e o do curso de Agronomia será no dia 12 de agosto.

 

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016