O Encontro da Mulher de Parauapebas é patrimônio cultural e imaterial do município. Um monumento que marca os 30 anos do evento e presta homenagem às mulheres que fizeram e fazem o encontro acontecer anualmente, desde os anos 90, será inaugurado durante as comemorações dos 33 anos de Parauapebas.

“Sabemos que Parauapebas tem uma linda história e que o Encontro da Mulher faz parte dessa história, um evento que agregou muito às mulheres da nossa cidade e que foi fundamental para a criação da Secretaria Municipal da Mulher. É por isso que idealizamos esse monumento, que terá a marca das mãos de mulheres reais. É uma singela homenagem a todas as mulheres de Parauapebas e, em especial, às pioneiras e àquelas que construíram o encontro”, destaca Edileide Batista, secretária da Mulher.

Ao longo do mês de março, durante a programação do Encontro da Mulher deste ano, dezenas de mulheres, inclusive pioneiras de Parauapebas, deixaram registradas as marcas das suas mãos em molduras que serão fixadas no muro construído na PA 275, próximo à rotatória do quartel da Polícia Militar. Este será o monumento, e a previsão de inauguração dele é para o dia 20 de maio.

Florindo o Mundo

O paisagismo do monumento também terá mãos de mulheres envolvidas. Na sexta-feira, 30 de abril, as integrantes do projeto Florindo o Mundo, desenvolvido pela Secretaria de Governo (Segov), em parceria com as secretarias da Mulher (Semmu), Meio Ambiente (Semma) e Produção Rural (Sempror) iniciaram o embelezamento do local, com a plantação de flores.

Francilma Dutra, coordenadora de educação ambiental da Semma, explica que a atividade foi uma vivência prática, para que as integrantes do Florindo o Mundo tivessem a oportunidade de aplicar algumas técnicas básicas repassadas em eventos online promovidos pela prefeitura para esse público, “A partir de agora elas iniciarão o curso de forma híbrida, com atividades online e presenciais, seguindo as normas de segurança”, acrescenta Francilma.

“A gente estava estudando online, desde o lançamento do Florindo o Mundo, e fomos contratadas pela prefeitura como auxiliar operacional. Nosso objetivo é aprender a cultivar flores e depois ensinar outras mulheres. A gente acredita que esse projeto vai dar oportunidade para muitas mulheres, mães de famílias. É um projeto grandioso”, afirma Atailde Silva que é uma das 50 multiplicadoras do Florindo o Mundo.  

 

Texto: Karine Gomes

Assessoria de Comunicação - Ascom

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink