A Prefeitura de Parauapebas esclarece os dados relacionados à saúde em Parauapebas, apresentados de forma distorcida pelo Portal G1 em matéria publicada no dia 02 deste mês, na qual é afirmado que o município “está atrasado” com o cronograma de vacinação contra a Covid-19 e que aplicou somente a metade das doses recebidas. O referido veículo de comunicação fez uma leitura equivocada dos dados do vacinômetro do município, o que leva a prefeitura a repor a verdade à população.

Aplicação e armazenamento das doses

Até o dia 3 deste mês, Parauapebas recebeu 36.145 doses e aplicou 19.212. A diferença entre o número de doses recebidas e o número de doses aplicadas ocorre porque cada pessoa precisa receber as duas doses da vacina. A primeira dose é aplicada de imediato enquanto a segunda dose é armazenada na Central de Imunobiológicos, respeitando-se o intervalo de tempo específico para cada tipo de vacina.

O tempo de armazenamento da Coronavac é de um mês e, da AstraZeneca, até três meses, entre a primeira e a segunda dose. Somente com a aplicação das duas doses a imunização ocorre de forma eficiente.

Atualmente, o município conta com 7.415 doses da AstraZeneca em estoque, que estão sendo utilizadas na aplicação da segunda dose da imunização.

Agendamento

A aplicação das vacinas em Parauapebas iniciou dia 19 de janeiro deste ano, e desde então a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) mantém um rigoroso controle da vacinação. As pessoas a serem imunizadas precisam fazer um agendamento presencial nas Unidades Básicas de Saúde para registro dos dados: nome, número do cartão do SUS, CPF e RG, e são informadas sobre a data e local de vacinação.

O procedimento foi adotado para garantir prioridade na vacinação às pessoas que residem em Parauapebas.

Solicitação de mais doses

Atendendo a orientação do Ministério da Saúde, o município comunicou à Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) sobre o déficit de vacinas por grupo prioritário. Faltam vacinar 3.819 profissionais da Saúde e 2.542 idosos com mais de 60 anos. O documento será analisado pela Comissão Intergestora Bipartite (CIB), composta pela Sespa e representantes dos municípios paraenses.

A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Semsa, informa ainda que respondeu aos questionamentos feitos pelo Ministério Público. E reforça que realiza o processo de vacinação de forma transparente.

 

Assessoria de Comunicação - Ascom

Prefeitura de Parauapebas

Com a pandemia os transtornos mentais causados pela sensação de ansiedade agravaram o quadro psicológico dos brasileiros. De acordo com a ONU (Organização Mundial da Saúde) o Brasil tem 19 milhões de pessoas com o problema.

Os especialistas dizem que essa sensação pode evoluir para um quadro patológico, o que é grave. O sentimento é de angústia e medo, pesadelos estão propensos a acontecer, mas pode variar de pessoa para pessoa.


“Varia muito de indivíduo para indivíduo, porque sonhos e pesadelos são tudo aquilo que as pessoas visualizam durante o dia ‘’, disse a psicóloga Juliana Coimbra.


Thallys Costa perdeu o pai a poucos dias para a Covid-19. Ele conta que sofreu de ansiedade, a situação piorou por conta da pandemia. “Já vivi momentos ansiosos, tive medo da morte, pesadelos, fui acometido pela Covid-19 e ainda perdi meu pai para o vírus”, relatou o jovem.


No Brasil, os grupos de riscos; médicos, indígenas... já estão sendo vacinados, no entanto, a vacina não alcançou a todos, o que tornar algumas pessoas inquietas. "Temos que tentar ser otimistas e manter a calma e acreditar na medicina, em quem fabricou a vacina, todos nós vamos ser vacinados", finalizou a Dr. Juliana.

 

Fonte: Por: Neryan da Hora

A Vale informa que chegaram na noite do dia (1/6), às 22h, mais de 3 milhões de seringas, no Porto de Santos, em São Paulo. A nova leva completa a doação de 50 milhões desses insumos essenciais no planejamento e viabilização dos trabalhos de imunização no país. Toda a quantidade está sendo integralmente destinada ao Ministério da Saúde, que está a cargo da distribuição pelos estados através do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os itens, que estão em conformidade com as especificações da Anvisa, foram adquiridos na China, país com o qual a Vale mantém estrutura logística e parceria de quase 50 anos. A operação de importação levou 91 dias, entre a primeira entrega na origem até a última chegada no Brasil, sendo necessários um embarque por via aérea e cinco por via marítima.

"A partir de diálogos com o Ministério da Saúde, nos comprometemos a oferecer este insumo fundamental para vacinar a população e ajudar o país a superar a pandemia", afirma o diretor-presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo. Ele lembra que esta ação está alinhada ao pilar estratégico da companhia Novo Pacto com a Sociedade. "A nossa determinação é doar integralmente ao Brasil todos insumos para apoiar a população a enfrentar a Covid-19".


A iniciativa faz parte de um novo pacote de ajuda humanitária da Vale no combate à pandemia. A empresa já doou neste ano, por exemplo, 400 mil EPIs para a proteção de profissionais na linha de frente da vacinação, além de apoiar o Instituto Butantan na conclusão das obras de ampliação do Centro de Produção Multipropósito de Vacinas (CPMV), que terá capacidade de produção de até 100 milhões de doses por ano, prestar apoio aos municípios das regiões de atuação para o enfrentamento da pandemia e suporte à saúde de povos indígenas. Através de sua estrutura logística na China, a Vale também organizou a doação de 3,7 milhões de medicamentos para intubação ao Ministério da Saúde, contando com apoio de diversas empresas. (Saiba mais aqui.)

 

Fonte: Nadia Farias 

 

 

 

Mesmo com a baixa letalidade já morreram 408 pessoas, vítimas da doença. Mas, a boa notícia é que dos 50.467 infectados, 48.787 já se recuperaram, 1.199 estão em isolamento e 73 estão internados; o que representa 61% dos leitos ocupados.

Em detalhes estão ocupados: 89% das UTI’s e 71% dos leitos do SUS – Sistema Único de Saúde; 80% das UTI’s e 49% dos leitos de hospitais particulares.

Os números mostram com clareza que a Pandemia de Covid – 19, ainda não acabou. Por isso a Prefeitura Municipal de Parauapebas, através da Secretaria Municipal de Saúde, continua disponibilizando testes para a população, já tendo sido testadas 295.197 pessoas, destes 811 foram feitos na quinta-feira, 3.

Com 66 novos casos confirmados de Covid – 19, Parauapebas ultrapassa os 50 mil casos de contaminação pelo Coronavírus. Mas, apesar disso, a letalidade é considerada uma das mais baixas do país, com apenas 0,2%.

 

Fonte: https://tabloidepara.com.br

 

 

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na terça-feira (1º) que o Brasil será a sede da Copa América.

Durante solenidade no Ministério da Saúde, Bolsonaro informou que os governadores do Distrito Federal, Rio de Janeiro Mato Grosso do Sul, Goiás e "um quinto", que ele não revelou qual, aceitaram receber jogos da competição a partir do próximo dia 13.

"Escolhemos as sedes em comum acordo, obviamente, com os governadores. Agora, já tivemos quatro governadores: aqui de Brasília, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Goiás. E mais um agora, que chegou um pouco atrasado, também se prontificando a sediar a Copa América. Então, ao que tudo indica, prezado Queiroga, seguindo os mesmos protocolos, o Brasil sediará a Copa América", declarou.

 

Fonte: Bruno Ferreira

 

De acordo com o boletim de segunda, 31 de maio, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) registra a diminuição do número de casos de mortes provocadas pela Covid-19, a partir da observação da média móvel de casos. A queda é de 70,6% da média móvel quando comparada com 14 dias atrás. No dia 17, eram 18 óbitos por dia, enquanto que ontem, 30, foram computados cerca de cinco por dia.

Rômulo Rodovalho, titular da Sespa, atesta a diminuição sugerida no boletim. “A média móvel dos últimos 14 dias mostrou que tivemos uma queda grande de 70,6%. Mas mesmo com as taxas de casos e óbitos em queda, é importante a população entender que a pandemia não acabou e continua sendo necessário cumprir medidas de distanciamento social e proteção e higiene individual para evitar o contágio, orienta o gestor.

Os cuidados são necessários para diminuir os riscos provocados pela doença. O aposentado Benedito Resque, 81 anos, morador de Belém, se emociona bastante ao lembrar do que enfrentou ao ser infectado, há quase um ano. A esposa dele, Joana Melo, 79, adoeceu ao mesmo tempo, mas com sintomas leves, foi orientada a se cuidar em casa.

“Eu tinha plano de saúde caro, de qualidade, mas quando os sintomas foram piorando e a gente nem sabia o que era, achava que era uma sinusite piorando, não consegui atendimento pelo plano em lugar nenhum. Chegou um momento em que conseguimos um oxímetro emprestado e vimos que a minha saturação estava caindo muito. E aí começou a falta de ar”, lembra o aposentado.

Ele chegou ao Hangar no dia 7 de maio de 2020, com a boca bem roxa e quase desmaiando. “Foram oito dias lá dentro. Graças a Deus não precisei ser intubado, e com o apoio da equipe toda, médico, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogo, pessoal que trazia as refeições, consegui enfrentar aqueles dias”, recorda, emocionado.

“Senti muito medo. Sou do Marajó e já vi e vivi muita coisa, mas um medo desse tipo nunca senti igual. A gente via pessoas partindo o tempo todo, algumas iam e voltam e outras e não voltavam. E eu pensava ‘Será que o próximo vou ser eu?'”, relata, com a voz embargada.

Recuperação contínua – Após a alta, ficaram algumas sequelas psicológicas e no corpo: o pulmão chegou a ficar 50% comprometido, como mostrou a tomografia. “Fui fazer o restante do isolamento na casa do meu filho, com todos os cuidados, para poder me recuperar e não transmitir o vírus. Foram outros 14 dias sem poder ter contato com as pessoas, só falando no celular. Lá no hospital, a gente se comunicava por um sistema de interfone e todos os dias o meu filho ou a minha filha vinham conversar comigo. Estou tratando até hoje dessas sequelas com a geriatra”, relata o ex-paciente.

Benedito continua com os cuidados para evitar a reinfecção mesmo após ser imunizado. “Me sinto um sobrevivente. Pela graça de Deus, pude estar vivo e me vacinar. Eu e a minha esposa Joana, que passamos juntos por essa pandemia. Mas todos os dias eu penso naqueles que não tiveram a mesma chance porque o momento era outro, a gente não sabia muito como acontecia a contaminação, se podia tomar alguma coisa, se ia no médico ou ficava em casa, não tinha vacina. Mas aqui continuamos tomando os mesmos cuidados de não ir para aglomeração, não sair de casa sem máscara ou receber qualquer pessoa em casa sem máscara, passar álcool 70 nas coisas do mercado, estar sempre com spray de álcool no bolso quando for sair”, lista Benedito, recomendando o protocolo de segurança.

 

Fonte: https://parazaotemdetudo.com

Abbigail Bugenske, uma jovem de 22 anos, foi a ganhadora do primeiro sorteio de US$ 1 milhão feito pelo governo do estado de Ohio, nos Estados Unidos, para incentivar a vacinação contra a Covid-19.

Joseph Costello, aluno da oitava série, foi o vencedor de uma bolsa integral para a faculdade. Os dois se inscreveram no prêmio, anunciado pelo governador no dia 12 para aumentar a taxa de vacinação no estado.

Bugenske contra que estava dirigindo para a casa de sua família, no subúrbio de Cleveland, quando recebeu um telefonema do governador do estado, Mike DeWine, que é do Partido Republicano.

“Um redemoinho”, resumiu a jovem durante entrevista coletiva virtual sobre o prêmio. "Ainda estou 'digerindo' [a notícia], e gosto de dizer que parece que isso está acontecendo com outra pessoa".

Bugenske é engenheira mecânica, trabalha para a GE Aviation, no subúrbio de Cincinnati, e diz que recebeu a vacina Moderna assim que se tornou elegível, muito antes do anúncio da loteria.

Ela afirma que pretende investir a maior parte do prêmio, doar uma parte para instituições de caridade e comprar um carro (e também que não planeja deixar seu emprego).

5 prêmios de US$ 1 milhão

Mais de 2,7 milhões de adultos se inscreveram para concorrer aos cinco sorteios de US$ 1 milhão (cerca de R$ 5,2 milhões na cotação atual) e mais de 104 mil adolescentes de 12 a 17 anos estão participando dos sorteios da bolsas de estudos para a faculdade.

Os sorteios do "Vax-a-Million" são feitos às quartas-feiras e anunciados na televisão. O primeiro foi realizado ontem (26).

Para participar, o interessado deve morar em Ohio, ter mais de 18 anos (no caso dos prêmios de US$ 1 milhão) e ter se vacinado com ao menos uma dose de qualquer vacina antes da data do sorteio.

Medidas para incentivar a vacinação contra a Covid-19 têm sido tomadas por vários estados americanos: em Nova Jersey, o governador anunciou a distribuição de cervejas a quem se vacinar.

A ideia do governador de Ohio inspirou loterias de incentivo semelhantes no Colorado, em Maryland, em Nova York e no Oregon.

Vacinação em Ohio

O plano parece estar funcionando, pelo menos inicialmente. O número de pessoas com 16 anos ou mais que receberam sua vacina contra Covid-19 em Ohio aumentou 33% na semana após o anúncio.

Mas, apesar da alta na procura pela vacinação, as taxas ainda estão bem abaixo do patamar de março e início de abril, segundo análise da agência de notícias Associated Press.

Mais de 5,2 milhões de pessoas tomaram ao menos uma dose em Ohio (cerca de 45% da população do estado) e cerca de 4,6 milhões já tomaram as duas doses (39%).

Em todo o país, mais de 165 milhões de americanos já iniciaram a vacinação (cerca de 50% da população) e mais de 131 milhões estão totalmente vacinados (quase 40%).

A meta do presidente dos EUA, Joe Biden, é vacinar 70% da população adulta do país até 4 de julho, o Dia da Independência americana, com ao menos uma dose.

A ideia do democrata é que as comemorações possam ocorrer com menos restrições.

'Precisava me sentar'

Joseph Costello, que participou da entrevista coletiva virtual ao lado de seus pais, Colleen e Rich, disse que ficou "muito animado" com o sorteio. O adolescente é de Englewood, uma cidade perto de Dayton.

A mãe de Costello, Colleen, contou ter recebido o telefonema do governador quando saía do trabalho e que, a princípio, pensou que fosse uma gravação.

“Fiquei muito grata naquele momento por haver um banco por perto, porque precisava me sentar”, disse Colleen ao perceber que era o próprio DeWine.

O governador de Ohio visitou pessoalmente a família Costello junto com sua esposa, Fran DeWine, após o anúncio.

 

“Ligar para alguém e dizer que ganhou um milhão de dólares é ótimo”, disse o governador. "Ligar para uma família e dizer que eles têm uma bolsa de estudos paga por quatro anos também é divertido".

 

Os Costellos disseram que já tinham tomado a vacina quando o governador fez o anúncio da loteria e que planejavam imunizar seus filhos até o fim de maio, mas a novidade os inspirou a antecipá-la.

 

Fonte: Por G1

A confirmação foi feita após encaminhamento de amostras ao laboratório de genética, Testes Moleculares Serviços Laboratoriais LTDA.

A Prefeitura de Parauapebas confirmou a presença da variante P.1, amazonense na cidade. Atendendo a solicitação da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), foram enviadas 20 amostras para a realização de estudo específico para o laboratório de genética, do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

De acordo com o resultado, através de laudo, observou-se que 100% das amostras apresentaram mutação para variante P.1, amazonenses. Neste sentido, a conclusão é que a variante P1 está em alta frequência no município de Parauapebas.

“A SEMSA já comunicou ao Centro Regional de Saúde (SESPA), localizado no município de Marabá, para adoção das medidas cabíveis. A equipe de monitoramento permanece acompanhando os casos", ressalta a Diretora de Vigilância em Saúde, Michele Ferreira.

De acordo com o estudo, a pessoa infectada com a P.1 pode ter até 10 vezes mais vírus em seu organismo do que as contaminadas por outras variantes. E esse pode ter sido o motivo que levou a cepa de Manaus a se espalhar tão rápido,

Os cuidados para evitar o contágio, no entanto, não mudam. "As orientações são as mesmas: manter o distanciamento social, a utilização correta das máscaras, a lavagem das mãos por pelo menos 30 segundos ou o álcool em gel. São as mesmas recomendações relacionadas às outras variantes", orienta a Diretora da Vigilância em Saúde de Parauapebas.

 

DECLARAÇÃO DE VARIANTES

 

Arte: Ascom/Pmp

Uma manhã dedicada aos cuidados com a saúde e prevenção à Covid-19: foi assim a ação desenvolvida pela equipe de Meio Ambiente do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap) na quinta-feira, 27, com os moradores do Residencial Vale do Sol II.

Na ação, kits educativos, contendo lápis de cor e livrinho de colorir, foram entregues às crianças de 6 a 12 anos. “Essa atividade faz parte do Programa de Educação Ambiental e Sanitária do Prosap, com o objetivo de apresentar informações aos moradores sobre temas importantes de prevenção à saúde, ao meio ambiente, entre outros. Estamos abordando o assunto da Covid-19 para que todos tenham consciência de que a melhor forma de prevenção é o cuidado e atenção às orientações de higiene”, explica a geóloga Lana Nunes, responsável pela educação ambiental do programa.

Andreza Souza de Lima, mãe do pequeno Wanderson de Lima Leite, de 8 anos, compareceu ao escritório social para participar da ação e garantir o kit pintura do filho. “É uma alegria garantir esse livrinho para o meu filho. Tem dia que ele não tem muita coisa pra fazer, agora vai passar o dia pintando”, garante a dona de casa.

Os irmãos Walisson, Walace e Weverton, acompanhados da mãe, Arlene Regina, também participaram da atividade. “Eu gostei desse lápis de cor”, disse um dos garotos ao receber o kit pintura. Para a mãe dos meninos, esse tipo de programação é muito bem-vinda, especialmente em tempos de coronavírus. “Não está tendo aula na escola, então, esse tipo de brincadeira é bem legal para eles ocuparem o tempo”, elogia.

A equipe ambiental também realizou entrega de máscaras e álcool em gel de casa em casa, destinado ao público adulto. A atividade educativa foi acompanhada pela subcoordenadora de Ações Ambientais do Prosap, Alessandra Rosa, e pela assistente social, Roseliana Brito.

Essa é a segunda programação desenvolvida no residencial pelos profissionais do meio ambiente, tendo a primeira ocorrida no mês de abril com o plantio de mudas.

 

Assessoria de Comunicação/PMP

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) realizará durante este final de semana, 29 e 30 de maio (sábado e domingo) a vacinação contra a Covid-19 de pessoas com deficiência intelectual e física grave.

O grupo a ser vacinado são pessoas com idades entre 18 e 59 anos que sejam portadores de deficiência intelectual e/ou mental (autismo, paralisia cerebral ou outras síndromes que desencadeiam a deficiência.) que limite as suas atividades habituais, como trabalhar, ir à escola, brincar, etc. Assim como as pessoas com deficiência física grave, que tenham limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas.

A imunização acontecerá na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Bairro dos Minérios, localizado na Rua 19, próximo à praça, nos dias 29 e 30 de maio (sábado e domingo) de 8h às 17h. Para esse grupo, não será necessário realizar o agendamento prévio.

O usuário deve comparecer à UBS munido dos seguintes documentos: RG, cartão nacional do SUS, documento ou laudo que comprove a deficiência e comprovante de residência.

Última chamada:

A Semsa reforça que os munícipes que fazem parte do grupo anterior, que são as pessoas com Síndrome de Down, deficientes auditivos e visuais que ainda não realizaram a imunização, devem comparecer à UBS do Bairro dos Minérios no sábado (29) e no domingo (30), para realizar a imunização.

Mulheres maiores de 18 anos, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto) com comorbidade, que ainda não realizaram a imunização devem comparecer à UBS do Bairro Guanabara, no sábado (29). 

 

Texto: Nívea Lima/Semsa

 

Página 1 de 12
Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink