Imprimir esta página

Semed busca tornar as escolas municipais mais seguras e prevê a criação de uma rede de proteção

Semed busca tornar as escolas municipais mais seguras e prevê a criação de uma rede de proteção Fotos: Lucas Santos

No geral, o ambiente escolar é um local de aprendizado considerado seguro, mas não está isento de eventualidades, inclusive acidentes, mal súbitos, como o caso do estudante Lucas Begallo, falecido em Campinas (SP), depois de ter engasgado em uma excursão organizada pela escola.

Por meio de incentivo da família do estudante foi criada a Lei n° 13.722/18, chamada de Lei Lucas, que versa sobre a assistência necessária para agravos súbitos de saúde nas escolas, incluindo a oferta de curso de primeiros socorros a professores e funcionários, tanto de escolas públicas quanto de instituições privadas, que lidam com a educação básica de crianças.

Em cumprimento a Lei Lucas e observância a Lei Federal nº 12.645/2012 que estabelece o Dia Nacional da Segurança e Saúde nas Escolas, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) criou o Projeto Saúde e Segurança na Escola (PSSE), que visa atuar no apoio e prevenção de acidentes no ambiente escolar, por meio de palestras, treinamentos, além de prever a criação de uma rede de apoio interna em cada instituição.

O PSSE iniciou suas atividades nas escolas na última semana do mês de agosto ao realizar um curso de primeiros socorros para servidores de três escolas municipais: Jozias Leão, Jean Piaget e Novo Horizonte.

O curso teve como objetivo capacitar os profissionais dessas unidades educacionais para atendimentos de situações emergenciais e, consequentemente, torná-las mais seguras para eventualidades, uma vez que as escolas estão sendo preparadas para a retomada gradual do ensino presencial.

Segundo o coordenador do projeto, João Batista Viana Everton, que também é professor e bombeiro, todas as escolas municipais serão contempladas. “Neste primeiro momento, queremos levar treinamento básico de primeiros socorros para o corpo docente das escolas. Caso ocorra algum problema que necessite a aplicação desse conhecimento, as equipes vão estar preparadas”, enfatiza o coordenador, informando que muitas outras ações serão realizadas.

 

Texto: Messania Cardoso

Avalie este item
(0 votos)

Compartilhe na sua rede social...

Carajas o Jornal