Flamengo vê como vingança de Jesus, avisar querer voltar para a Gávea. E tumultuar o trabalho de Paulo Sousa

São Paulo, Brasil

Jorge Jesus não se conformou com o Flamengo não ter esperado a definição do seu impasse com o Benfica.

 

Um dia antes de sua vexatória demissão do clube português, no dia 28 de dezembro, o Flamengo anunciou a contratação de seu compatriota, Paulo Sousa.

Jesus jamais havia tido tanto sucesso na carreira como treinador. O período que viveu na Gávea, entre 2019 e 2020, foi sensacional para o clube carioca e para ele.

Após a demissão de Renato Gaúcho, com a perda da final da Libertadores do ano passado, o nome de consenso na Gávea era o de Jorge Jesus. Ele estava muito pressionado no Benfica, acumulando fracassos.

 

A saída era iminente no final de 2021.

Mas havia a multa de dez milhões de euros, cerca de R$ 52 milhões. O clube português liberaria Jorge Jesus se o Flamengo pagasse esse dinheiro. O técnico resolveu não se envolver. Deixou as duas diretorias se entenderem. Para o presidente Rodolfo Landim, a postura de Jorge Jesus foi decepcionante. E pediu para o vice Marcos Braz, que estava na Europa, entrevistar outros treinadores, priorizando Paulo Sousa, então técnico da Polônia.

Sousa aceitou no ato. E a negociação foi fechada. Anunciada um dia antes da demissão sumária de Jorge Jesus. O ex-treinador do Flamengo acreditou que o clube carioca ficaria esperando pelo menos até o final do ano. Errou.

Desde então, recusou propostas do Corinthians, Fluminense e Atlético Mineiro.

Negocia com o Fenerbhace, da Turquia.

 

Mas seu desejo era retornar ao Flamengo.

Paulo Sousa já estava muito pressionado pela sombra de Jorge Jesus. Agora, a situação será pior

Paulo Sousa já estava muito pressionado pela sombra de Jorge Jesus. Agora, a situação será pior

FLAMENGO

Só que as portas estão fechadas, com Paulo Sousa trabalhando, com contrato até o final de 2023.

Sabe que o trabalho de Sousa ainda não engrenou. O Flamengo segue instável. Já perdeu o título carioca para o Fluminense. No Brasileiro e na Libertadores acumula partidas imprevisíveis. Com futebol muito abaixo da expectativa.

A sombra do treinador vencedor da Libertadores, da Copa do Brasil, Recopa Sul-Americana, Brasileiro e Carioca em pouco mais de um ano e um mês, segue incomodando muito Sousa.

Jorge Jesus veio para o Brasil 'em férias'. Viu o desfile das escolas campeãs do Carnaval do Rio de Janeiro. Soube de como tem defensores na CBF, para que assuma o lugar de Tite, após o Mundial do Catar.

Mas seu desejo imediato é outro.

Voltar para o Flamengo.

Sem medir consequências, ele assistiu ao jogo do Flamengo ontem contra o Talleres, ao lado do jornalista Renato Mauricio Prado. E fez questão de deixar claro que está pronto para retornar à Gávea.

Não se importando que o cargo esteja ocupado por Paulo Sousa.

E deu prazo para a diretoria flamenguista procurá-lo.

"Quero voltar, sim. Mas não depende só de mim. Posso esperar até pelo menos o dia 20. Depois disso, tenho que decidir minha vida", disse ao colunista.

Além disso fez várias críticas ao time atual.

Deixou claro durante a partida de ontem que o Flamengo 'perdeu o foco'. E o quanto não concorda com o 'jogo posicional' de Sousa. Com cada jogador cuidando do seu espaço determinado. Comparou ao jogo de pebolim.

Flamengo outra partida instável, sem padrão, contra o Talleres. 2 a 2 na Argentina

Flamengo outra partida instável, sem padrão, contra o Talleres. 2 a 2 na ArgentinaAR

E deixou claro o quanto ainda tem uma relação afetiva com o Flamengo.

"Esse time ainda mexe comigo. Me incomoda vê-lo em dificuldades. Tenho certeza de que se eu tivesse continuado teríamos conseguido uma longa hegemonia por aqui. Estávamos bem à frente dos demais."

E se queixou que o vice Marcos Braz deveria ir para negociar sua volta no início de janeiro, não em dezembro.

As declarações dadas ao Uol chegaram à Gávea, como era previsível.

A primeira postura dos dirigentes é ficar revoltado com o treinador.

Afinal, foi ele quem pediu para romper o contrato, depois de tê-lo renovado. Jorge Jesus coloca a solidão da pandemia como culpada. Só que para a diretoria flamenguista ficou claro que ele desejou retornar ao clube que desejava treinar e ganhando mais do que recebia no Rio. A influência da pandemia foi muito menor do que ele alega.

Há sério questionamento sobre oportunismo e falta de ética de Jorge Jesus.

Landim e os demais membros da diretoria darão força a Paulo Sousa.

Mesmo sabendo que a pressão sobre o atual técnico aumentará depois da postura de Jesus.

O entendimento é que se trata de uma vingança.

Pelo fato de o Flamengo não ter esperado a definição com o Benfica.

Se Jorge Jesus queria causar confusão, conseguiu.

Só que ele nem precisa esperar o dia 20.

A diretoria promente seguir com Paulo Sousa.

E ainda reagir publicamente ao ex-treinador...

Avalie este item
(0 votos)