O Palmeiras está muito próximo de sacramentar a chegada de Miguel Ángel Ramírez, técnico espanhol do Independiente Del Valle, do Equador.

Já há um acordo com o jovem treinador de 35 anos, e os enviados palmeirenses se reúnem nesta tarde de segunda-feira com os dirigentes equatorianos para negociarem o pagamento da multa rescisória.

Ramírez e Anderson Barros, diretor de futebol do Palmeiras, conversaram por telefone e por câmera de vídeo na sexta e no sábado. O treinador aceitou a oferta palmeirense neste domingo. O contrato deve ser de dois anos.

A viagem, em avião da patrocinadora do Palmeiras em virtude da falta de voos para o Equador, serviu para que os brasileiros negociem a multa e mostrem boa relação na retirada de Ramirez do clube equatoriano.

O espanhol não participa dessa conversa e vai encontrar os dirigentes palmeirenses apenas depois da reunião com a diretoria do Del Valle. O interesse palmeirense em Ramírez foi formalizado ao clube equatoriano antes mesmo do encontro desta segunda-feira.

Nas conversas dos últimos dias, Ramírez mostrou conhecimento sobre a equipe palmeirense e sobre o trabalho de base, principalmente em 2020, e deixou claro que quer aumentar esse intercâmbio com o profissional.

 
 
Fonte: Por Raphael Zarko — Rio de Janeiro

Vanderlei Luxemburgo não é mais técnico do Palmeiras. Ele foi demitido pelo clube nesta quarta-feira, logo após a derrota por 3 a 1 para o Coritiba, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro.

O Palmeiras chegou a divulgar a entrevista coletiva do treinador depois do jogo, com perguntas previamente enviadas pelos repórteres. Luxemburgo disse que poderia fazer mais para tirar a equipe do momento ruim (três derrotas seguidas).

Além de Luxa, também deixam o Palmeiras o auxiliar-técnico Maurício Copertino e o preparador físico Antonio Mello.

A pressão pela saída do treinador já era enorme nos últimos dias, sobretudo depois da derrota para o São Paulo, também em casa, no sábado. A diretoria optou por dar respaldo a Luxa. Mas o novo resultado negativo, contra o Coxa, sacramentou a saída.

Contratado no fim de 2019, Luxemburgo retornou ao Palmeiras com a missão de fazer o time jogar de maneira mais ofensiva e comandar uma reformulação no elenco, usando muito mais garotos da base e abrindo mão de outros "medalhões".

Ele conquistou o Torneio da Flórida no começo do ano e o Campeonato Paulista em agosto. Porém, conviveu com as críticas dos torcedores pelo time não apresentar um bom futebol, mesmo com a sequência de 20 jogos de invencibilidade.

Sem os resultados em campo, a pressão foi se tornando cada vez mais forte e, após três derrotas seguidas, contra Botafogo, São Paulo e Coritiba, o treinador não resistiu e foi demitido.

Luxa encerra sua quinta passagem pelo Palmeiras com 36 jogos oficiais. Foram 17 vitórias, 14 empates e cinco derrotas.

 

Fonte: Por Redação do ge — São Paulo

O técnico da seleção brasileira olímpica, André Jardine, esteve na Neo Química Arena na noite desta quinta-feira para assistir de perto a vitória do Palmeiras por 2 a 0 sobre o Corinthians.

Entre os jogadores observados pelo treinador estão os garotos do Palmeiras com idade olímpica, como Gabriel Menino e Patrick de Paula. Jardine diz que tem acompanhado o desenvolvimento da dupla no clube e elogiou o desempenho deles.

– Eles têm feito um grande trabalho, uma grande evolução, são jogadores que acompanhamos desde a base. O Gabriel Menino tem muitas convocações na sub-20. Torcemos que eles decolem e consigam ter a sequência que eles vêm tendo, aí com certeza eles passam a ter muito mais chance de participar da Seleção – disse ele, ao ge.

André Jardine também avaliou o trabalho realizado por Vanderlei Luxemburgo com a base no Palmeiras. O treinador tem dado cada vez mais espaço aos garotos no time profissional.

– Fico feliz, o trabalho de base do Palmeiras é muito bem feito, há muito tempo. Não é à toa que é um time que sempre está nas finais, de todas as competições de base. A gente que vem da base sabe muito bem do potencial que muitos atletas têm e torce para os clubes darem espaços a novos jogadores. O trabalho é muito bem feito e basta ter a oportunidade que eles vão aparecer – analisou.

Na vitória sobre o Corinthians, mais uma vez Gabriel Menino e Patrick de Paula tiveram boas atuações. Além deles, outros jovens, como Wesley e Gabriel Veron, autor de um dos gols, também se destacaram.

Como tem sido recorrente em suas entrevistas, Luxemburgo elogiou os garotos, mas voltou a pedir calma com eles.

– Os jovens estão entrando, mas tem de ter muito cuidado. Veron tem um potencial fantástico, mas não é o salvador da pátria. É muito novo. Wesley não estava legal e agora melhorou. Tem o Patrick, o Gabriel Menino, o Danilo... Tem de ter um pouco de calma com a garotada. Tem de fazer as coisas com tranquilidade, colocando e tirando, fazendo o que for necessário ser feito. Algumas coisas estão produzidas, algumas prontas e outras para acontecer – declarou.

O Palmeiras volta a campo pelo Brasileirão no domingo, contra o Sport, às 19h45, no Allianz Parque.

 

Fonte: Por Fabricio Crepaldi — São Paulo

A primeira final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Corinthians terminou empatada sem gols na noite desta quarta-feira. Na visão do técnico Vanderlei Luxemburgo, o comprometimento da sua equipe em Itaquera merece elogios.

Quem também mereceu destaque, na avaliação de Luxa, foi Weverton. Na primeira etapa, o goleiro, que vestiu a braçadeira de capitão, evitou o gol dos donos da casa em finalizações de Ramiro e de Matheus Vital.

– Goleiro de time grande é aquele que defende aquela única bola do jogo. Goleiro de time aparece nos momentos difíceis. No primeiro tempo, ele fez duas defesas muito boas e evitou o gol. É um goleiro de nível, está crescendo bastante com o trabalho que estamos fazendo de saída de bola, de bola parada. Está evoluindo bastante – disse Luxemburgo, que voltou a se direcionar aos torcedores do Verdão, em entrevista conduzida pela TV do clube.

– Queria mandar um recado para o torcedor. O torcedor pode questionar a qualidade, se quiser questionar, a qualidade do jogo, mas não pode questionar a dignidade e o comprometimento que os jogadores estão tendo com o Palmeiras. A gente sabe que o torcedor é exigente, mas esses jogadores estão correspondendo, estão querendo, a gente vê no dia a dia. Vai ser um jogo difícil, mas estamos esperançosos, porque os jogadores estão comprometidos – completou.

Sobre o desempenho palmeirense em Itaquera, Luxa explicou a estratégia de buscar uma bola mais longa no ataque, principalmente nas tentativas com o atacante Rony pelo lado direito.

– Foram dois tempos distintos. No primeiro tempo, o Corinthians teve superioridade dentro do jogo, o Weverton fez duas defesas muito boas, e parou por aí. Depois, começamos a encaixar, começamos a ter jogo também. Eles tinham uma proposta de jogo que eu tinha que ter a bola mais longa, porque eles marcavam muito bem meu meio-campo. Eles jogam com cinco jogadores no meio, conseguiam marcar meus volantes e meus meias. Apertavam meus zagueiros, e eu tinha que jogar a bola no Rony.

No próximo sábado, Palmeiras e Corinthians voltam a se enfrentar pela final do Campeonato Paulista. Depois do 0 a 0 desta quarta-feira, quem vencer na arena do Verdão fica com o título. Se o jogo terminar empatado mais uma vez, a decisão será nas cobranças de pênaltis.

Sobre o jogo:

– Tentei evitar a saída com o Menino e o Patrick, porque eles receberiam de costas. Até falei no intervalo, "eles estão marcando vocês para ter a bola longa, se vocês tentarem sair quebrando linha, pode ser perigoso". Aí começamos a encaixar o jogo, o Weverton não teve mais nenhuma defesa importante, e começamos a jogar o Corinthians para trás. Comecei a abrir um pouco mais a equipe.

– Aquela bola do Ramiro, eu falei que o Jô puxa o zagueiro, e o Ramiro entra nas costas. Bobeamos ali, e na palestra eu até mostrei para eles. Mas, no segundo tempo, conseguimos encaixar, fui liberando a equipe. O Ramires saiu, o Bruno entrou, fazendo boas trocas com o Gabriel Menino e o Patrick de Paula. Aí botei Scarpa, Raphael Veiga, começamos a ter um pouco mais de jogo, eles estavam descansados. Foram dois tempos distintos, o Corinthians superior em momentos do primeiro tempo, e no segundo acho que fomos melhores do que o Corinthians.

Sobre estreia de Angulo:

– O Angulo é ainda muito menino, estreou numa decisão, meio que se assustou, mas é normal. Eu queria manter a velocidade, o Rony cansou, e eu não queria colocar o time para trás, queria prender o Fagner. Ficamos com qualidade e velocidade.

Mais um jogo com Patrick e Gabriel Menino como titulares:

– O Patrick e o Gabriel Menino têm ainda algum defeito de posicionamento, falta um pouco de discernimento tático, a gente vai ajeitando eles. Mas são jogadores que vão crescer, vão jogar no Palmeiras por bastante tempo e vão evoluir bastante.

 Sobre Luan, zagueiro que entrou no lugar de Felipe Melo:

– Gostei muito também da presença do Luan, ele teve uma participação sóbria, sem causar susto. O Gustavo (Gómez) também, é difícil marcar o Jô, o Jô incomoda. O Gustavo subiu com ele e tirou bolas. O Viña estava voltando também, sentiu um pouco.

Sobre as substituições:

– Estamos negociando uma decisão de campeonato. Hoje não terminou o campeonato, o campeonato termina sábado. Tem que ter muito discernimento, expondo a equipe, mas não ficando vulnerável. Fui negociando as substituições. Antes do jogo, ontem, já tinha meio que treinado com as substituições que eu ia fazer. Os caras entraram bem no jogo, e eu fui pegando a equipe mais leve a partir do momento que o Corinthians foi cedendo espaço. Scarpa e Veiga entraram bem, o Bruno entrou muito bem, dando toque de bola. Acho que funcionou bem.

 

   Fonte: Por Redação do ge — São Paulo

O Palmeiras começa a decidir o Campeonato Paulista de 2020 nesta quarta-feira, às 21h30, contra o Corinthians, em Itaquera. Para ficar com o título, o Verdão terá de interromper um retrospecto que tem sido favorável ao rival. De 2018 para cá, o Dérbi foi disputado nove vezes. Foram duas vitórias palmeirenses, dois empates e cinco derrotas no período.

Mas o que o Palmeiras precisa fazer em campo para vencer e acabar com o histórico recente do Dérbi? Veja abaixo:

Dono da melhor campanha, o time de Vanderlei Luxemburgo terá a vantagem de decidir o torneio em casa no próximo sábado, às 16h30.

Atenção com a bola parada

O Corinthians tem levado a vantagem e até decidido alguns Dérbis recentes nas disputas pelo alto. Foi assim que o time alvinegro venceu o clássico nesta temporada e também no ano passado.

Foi por meio de lances de bola parada que o time corintiano marcou o único gol da vitória alvinegra no dia 22 de julho, com Gil, e no empate em 1 a 1 no Brasileirão de 2019, com Manoel, e também na vitória por 1 a 0 na primeira fase do Paulistão da temporada passada, com Danilo Avelar aproveitando rebote dentro da área palmeirense depois de cabeçada de Gustavo.

Para esta quarta-feira, Vanderlei Luxemburgo não terá Felipe Melo, machucado. O zagueiro tem bom aproveitamento pelo alto e até marcou contra o Corinthians no empate em 1 a 1 no Brasileiro de 2019.

Sem o camisa 30, o Verdão deve ter uma zaga com Luan e Gustavo Gómez. O lateral-esquerdo Matías Viña também pode voltar ao time.

Furar a boa defesa do Corinthians

Tem sido comum um Dérbi ter um goleiro corintiano como destaque. Cássio e até Walter foram decisivos pelo lado alvinegro em partidas recentes contra o Palmeiras.

O Verdão, por exemplo, finalizou mais do que o rival nos últimos quatro jogos (um de 2020 e três de 2019) e também teve mais posse de bola. O aproveitamento, porém, ficou longe de ser satisfatório: foram dois empates e duas derrotas.

De 2018 para cá, o Verdão tem média de 14 finalizações por jogo contra o Corinthians, com quase 30% de acerto. Os alvinegros têm média de oito chutes ao gol, com 50% de acerto no fundamento.

O Corinthians abriu o placar antes dos 15 minutos em quatro dos últimos nove clássicos contra o Palmeiras: no Paulistão de 2020, no primeiro turno do Brasileirão de 2019, na primeira fase do Paulistão de 2019 e na segunda final do Paulistão de 2018.

Isso também tem feito o Verdão sair mais para o jogo, e também encontrar mais dificuldade diante de um bom sistema defensivo. Os palmeirenses têm trabalhado para encontrar alternativas contra adversários mais fechados.

Mais tranquilidade

O Palmeiras teve um atleta expulso em três dos últimos nove clássicos contra o Corinthians: Jailson (2018), Felipe Melo (2018) e Deyverson (2019). No total, o time alviverde recebeu 26 cartões amarelos. O rival recebeu 23 amarelos e teve apenas um atleta com vermelho (Clayson, em 2018).

Quatro destes clássicos foram marcados por confusões. Na primeira fase do Paulistão de 2018, os palmeirenses reclamaram da marcação de um pênalti e expulsão do goleiro Jailson.

Na primeira decisão do torneio estadual, uma briga generalizada pouco antes do intervalo resultou na expulsão de um atleta de cada time.

No Paulistão do ano passado, Deyverson foi expulso após cuspir em direção ao volante Richard. Um ano antes, na vitória do Verdão pelo segundo turno do Brasileirão, o atacante palmeirense provocou os corintianos ao piscar em direção aos reservas alvinegros quando foi substituído.

Encontrar um fator de desequilíbrio

As duas vitórias do Palmeiras contra o Corinthians nos últimos nove clássicos tiveram dois centroavantes como destaque: Borja, na primeira final do Paulistão de 2018, e Deyverson, no segundo turno do Brasileirão do mesmo ano.

Os dois jogadores ainda têm contrato com o Verdão, mas nenhum deles está sendo aproveitado. Borja está emprestado para o Junior Barranquilla, da Colômbia, até o fim do ano, e Deyverson está treinando em horários alternativos na Academia depois de atuar pelo Getafe, da Espanha.

Sem Dudu, negociado com o Al Duhail, do Catar, o Palmeiras perdeu sua principal referência ofensiva e tem sofrido para concluir. Desde a retomada do calendário, o time marcou cinco gols em quatro jogos: Ramires, Luiz Adriano, Felipe Melo, Marcos Rocha e Patrick de Paula. O atacante Willian é o maior goleador do elenco, com oito gols em 2020.

 

Fonte: Por Felipe Zito — São Paulo

O Corinthians encerrou na tarde desta terça-feira a preparação para o clássico contra o Palmeiras, que acontece às 21h30 desta quarta, em Itaquera, pelo Paulistão. Em treino fechado no CT Joaquim Grava, o técnico Tiago Nunes fez um trabalho tático e definiu a escalação alvinegra, que vai apresentar novidades em relação aos últimos jogos antes da paralisação do futebol.

O clássico entre Corinthians e Palmeiras marca o retorno do Campeonato Paulista após mais de quatro meses e terá transmissão da Globo, SporTV e Premiere.

O Timão irá a campo no Dérbi sem o seu principal reforço para o segundo semestre. O atacante Jô não foi inscrito a tempo no Paulistão e está fora da partida.

Outra baixa é o volante Victor Cantillo, que foi diagnosticado com Covid-19.

Na zaga, o técnico Tiago Nunes deve promover a entrada de Danilo Avelar no lugar de Pedro Henrique, vendido ao Athletico-PR. Desta forma, Gil jogará pelo lado direito. A tendência é que o uruguaio Bruno Méndez comece o Dérbi na reserva.

Já na lateral-esquerda, o comandante alvinegro pode manter Carlos Augusto como titular. Ele enfrenta a concorrência de Sidcley, mas agradou nas partidas que disputou antes da quarentena e tem chance de ser mantido.

Recuperado de lesão no joelho direito, Ramiro volta ao time. Ele não joga desde o fim de janeiro.

Desta forma, o Corinthians deve ir a campo com: Cássio, Fagner, Gil, Danilo Avelar e Carlos Augusto (Sidcley); Gabriel, Camacho e Luan; Ramiro, Everaldo e Boselli.

Faltando duas rodadas para o fim da primeira fase do Paulistão, o Corinthians tem chances remotas de se classificar. A equipe ocupa o terceiro lugar do Grupo D com 11 pontos, cinco a menos do que o Guarani e seis a menos do que o Bragantino. Para avançar, o Timão precisa ganhar de Palmeiras e Oeste e torcer para o Bugre não vencer nenhum de seus jogos.

O Dérbi marcará o jogo de número 350 de Fagner pelo Corinthians:

– Toda criança que entra no Corinthians tem o sonho de ser profissional aqui. Eu pude representar isso. Cheguei criança e agora posso completar 350 jogos. Sinto orgulho em poder fazer uma história tão grande – comentou o lateral.

 

Fonte: Por GloboEsporte.com — São Paulo