Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Pará, 20 de janeiro de 2020 - O projeto Cultura na Praça inaugura no (20/01), às 20h, o Cine Babaçu em sua página na internet (www.culturanapraca.art.br). Duas salas vão abrigar uma safra de 16 filmes de curtas-metragens que contam histórias e experiências de comunidades do interior do Pará e do Maranhão, em 2019 e 2020. Também estarão disponíveis, na terceira sala, quatro filmes produzidos por cineastas brasileiros que foram premiados em festivais e mostras nacionais e internacionais. O Cine Babaçu disponibiliza recursos de acessibilidade como legenda, legendagem descritiva e audiodescrição.

As produções são o resultado do Cultura na Praça, festival itinerante que busca fomentar e valorizar o patrimônio cultural e imaterial das localidades beneficiadas, e democratizar o acesso à cultura através da linguagem audiovisual. Realizado desde 2017, com o patrocínio da Vale via Lei Federal de Incentivo à Cultura, o projeto aposta no potencial criativo da juventude e no poder transformador da cultura.

Por onde passa, o Cultura na Praça promove oficinas de capacitação e criação audiovisual para os participantes e também atrações culturais gratuitas diversas, como exibições filmes nacionais, para as populações locais. Mais de 13 mil pessoas participaram das atividades em dezenas de municípios do interior dos dois estados.

"Graças ao apoio decisivo da Vale, o Cultura na Praça levou a arte de fazer cinema para várias comunidades e conseguiu amplificar os sentimentos e a visão de mundo desses jovens. Os resultados obtidos comprovam isso, recompensando o esforço coletivo dos participantes e da nossa equipe", comemora o coordenador do projeto, Gilberto Scarpa, da Vivas Cultura e Esporte.

Edição de 2020 foi híbrida
Em função da pandemia de Covid-19, a etapa de 2020 foi adaptada. As oficinas e os deslocamentos da equipe do projeto obedeceram aos protocolos de segurança e as tradicionais sessões de cinema na praça foram transferidas para o Cine Babaçu. A etapa apresentou como novidades que envolveu o acompanhamento remoto da fase de montagem e finalização dos curtas produzidos pelos participantes e a seleção de uma liderança de cada comunidade como monitor do projeto.

Foram produzidos dez filmes de curtas-metragens pelos 70 participantes, com idade média de 16 anos, das seguintes comunidades de Quebradeiras de Coco e Ribeirinhos do Maranhão: Vila União (em Buriticupu); Serra (em Tufilândia), Vila Varig (em Bom Jardim); Olho D'água (em Pindaré Mirim); Barradiço (em Santa Inês); Riachão, Puraqueú e São Vicente (em Igarapé do Meio); e Pimental e Bubasa (em Arari).

 

Edição 2019


Em 2019, o Cultura na Praça percorreu seis municípios: Ourilândia do Norte, Canaã dos Carajás, Parauapebas e Bom Jesus do Tocantins, no Pará; e Açailândia e Igarapé do Meio, no Maranhão. As oficinas reuniram 44 participantes, que produziram seis curtas-metragens com temáticas inspiradas no patrimônio material ou imaterial de cada cidade, recuperando e valorizando histórias, paisagens e personagens daquelas comunidades. Além disso, mais de 4,5 mil pessoas assistiram, em seus municípios, às exibições públicas de cinema em praças e outros espaços abertos ao público.

O projeto Cultura na Praça é realizado pela Vivas Cultura e Esporte, Ministério do Turismo e Secretaria Especial da Cultura, com o patrocínio da Vale por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e apoio do Centro Cultural Tatajuba. Governo Federal, Pátria Amada Brasil.

 

Fonte: Nadia Farias 

Na manhã desta quinta-feira, 21, o Colégio Sophos deu início ao ano letivo dos alunos com uma ótima recepção de boas-vindas, onde foram apresentados os novos professores que irão lecionar neste ano de 2021. Mesmo em meio a uma pandemia o Colégio se reinventou para que todos os alunos da rede de ensino fossem atendidos com a melhor infraestrutura tecnológica de educação.

João Soares Diretor de ensino do Colégio Sophos 

Em entrevista o Diretor de ensino do Colégio Sophos João Soares falou como funcionará as aulas, também contou sobre as novidades no ensino. “As aulas ocorreram com o sistema remoto, que são os ensinos online para aqueles alunos e professores que escolheram o mesmo, também contará com o ensino presencial onde todas as medidas preventivas para a saúde será obrigatória, como o uso de máscaras, distanciamento e a utilização de álcool em gel para a higienização das mãos como segue previsto nas orientações da OMS, poderemos contar com uma nova atividade extra curricular que será a disciplina de empreendedorismo onde a mesma se juntará as outras que o colégio possui como, Robótica, Arte Sophos e Educa Ciências”.

 Elielson Quirino Professor do ensino fundamental 1°

“As nossas expectativas para o ano de 2021 são as melhores possíveis, tivemos o ano de 2020 que foi muito desafiador onde o mesmo nos ensinou a ressignificar e aprender coisas novas como a adaptação na área de ensinar através do sistema remoto onde as aulas são lecionadas no modo online. Hoje nos encontramos muito mais capacitados para ensinar de qualquer lugar e isso só está sendo possível através da estrutura que o Sophos nos disponibiliza, para assim os alunos receberem a melhor educação”. Disse o Professor do ensino fundamental 1° Elielson Quirino.

Maria Geovanna aluna do 8° ano do Colégio Sophos 

“Para esse ano nossas expectativas estão muito elevadas por conta que o ano de 2020 foi muito turbulento para todos nós, principalmente por termos que nos adaptar a um modo de ensino totalmente novo onde teríamos que receber aulas remotas, mas tudo foi se encaixando com a ajuda dos professores e do Colégio que mesmo passando por tudo isso nos entregou o melhor ensino, e neste ano a qualidade continuará sendo cada vez melhor” Disse Maria Geovanna aluna do 8° ano.

 

Fonte: Sarah Monteiro 

Na tarde desta terça-feira, 19, na Praça da Bíblia foi realizada a vacinação das primeiras pessoas a receberem a imunização contra o vírus da Covid-19, a enfermeira Leonice de Oliveira e o Índio Katop Ti Xikrin. O evento contou com a presença do Prefeito Darci Lermen seu vice João do Verdurão o Secretário de Saúde Gilberto Laranjeiras, juntamente com alguns vereadores da cidade como Josivaldo da Farmácia, Zé do Bode, Rafael Ribeiro, Francisco Eloecio e Leandro do Chiquito.   

Gilberto Laranjeiras Secretário de Saúde de Parauapebas 

Em entrevista o Secretário de Saúde Gilberto Laranjeiras falou sobre como funcionará o processo de imunização. “Vamos iniciar com todos os profissionais da linha de frente, aqueles que estão todos os dias nos hospitais que é de alta complexidade como a UPA, esses profissionais serão contemplados na questão da imunização de imediato, em sequência vem os indígenas conforme estar organizado, ao passar pela segunda rodada onde seremos contemplados pelo Governo Federal com mais vacinas vamos fazer de uma forma que venha sequencialmente ser cumprido toda a imunização, mas de primeira mão somente essas duas classes serão imunizadas no momento”, Disse.   

Darci Lermen Prefeito da cidade marcou presença no evento 

“Vamos tocar para frente pois sonhamos com muito mais esse é somente o primeiro passo de muitos que ainda vamos dar, estar sendo realizado hoje na tarde desta quarta-feira a imunização das primeiras pessoas contra o Covid-19 e isso só foi possível através de muito esforço de todos os envolvidos que lutaram contra essa pandemia e por isso essa classe será a primeira a ser imunizada que são os profissionais de saúde”, disse o Prefeito da cidade Darci Lermen.

A Enfermeira Leonice de Oliveira foi a primeira moradora da cidade a ser imunizada contra o vírus da Covid-19

Leonice de Oliveira enfermeira e a primeira cidadã de Parauapebas a ser vacinada falou sobre esse momento em sua vida. “ Para mim foi uma experiência ímpar, uma maneira de podermos ajudar e colaborar para que as pessoas que ainda não tomaram a vacina quebrem esse preconceito sobre a tal, me sinto muito honrada por ter sido escolhida para esse momento de grande importância da nossa cidade”.

Josivaldo da Farmácia Vereador de Parauapebas 

“Estamos vivendo um momento único que serve de exemplo para todo do o Estado do Pará, Parauapebas saiu na frente mais uma vez através do nosso secretario Gilberto Laranjeiras junto ao nosso Prefeito Darci e vice João do Verdurão que com muitos esforços trouxeram essa conquista maravilhosa para o povo de Parauapebas, estou muito feliz e quero que todos se conscientizem para que a imunização seja feita com eficácia”, falou Josivaldo da farmácia vereador da cidade que marcou presença no evento.

 

Fonte: Sarah Monteiro 

 

Nego do Borel havia entrado com um pedido na Justiça para que os posts de Duda Reis falando sobre o ex-casal fossem excluídos. Segundo informações do Notícias da TV, a Justiça do Rio de Janeiro rejeitou o pedido do cantor e ainda aplicou um sermão no artista.

Além de pedir que os posts fossem deletados, Nego do Borel pediu para que a ex fosse proibida de postar novas fotos, vídeos ou textos sobre a relação.

Em um documento obtido pelo portal, o juiz da 4ª Vara Cível do Rio de Janeiro, Marco Antonio Cavalcanti de Souza, disse: “Sem adentrar no mérito, entendo que, atualmente, diante de crescentes quantidades de casos de feminicídio, não se pode admitir qualquer utilização de meios jurídicos para que o suposto ofensor possa desqualificar os relatos de sua ex-companheira”.

“Isto é, tentar obstar a divulgação de informações relatadas pela pretensa vítima, que se mostram, à primeira vista, como atitudes abusivas e, consequentemente, evitar que tais fatos passem pelo crivo da opinião pública, ainda mais quando praticados por personagem artística, celebridade”, entende o magistrado.

Em uma recente entrevista ao ‘Fantástico’, Duda deu mais detalhes sobre o relacionamento abusivo. O programa foi usado pelo juiz na liminar.

“De se acrescer que os fatos, que o autor afirma ‘manchar’ sua boa imagem, foram objeto de programa dominical de grande emissora de televisão, no dia de ontem, não se vislumbrando, nos vídeos, um malferimento do direito à imagem do autor”, disse.

Para o juiz da 4ª Vara Cível do RJ, Duda tem o direito de liberdade de expressão: “Dessa forma, entendo que ao deferir a tutela de urgência, em cognição sumária, estaria afrontando a garantia fundamental à liberdade expressão, sobre fatos ilegais e abusivos, que serão minuciosamente investigados pelo Juízo Criminal, em detrimento ao direito de imagem de personagem público”.

“Assim, indefiro, por ora, o pedido de tutela provisória de urgência, sendo matéria meritória a verificação da veracidade das afirmações perpetras pela parte de Duda”, finaliza ele na decisão.

 

Fonte: https://istoe.com.br

 

Precisamente às 23h03 do dia 18 de janeiro de 2021, o Centro de Operações do Aeroporto Internacional de Belém confirmou o pouso do avião que transportou a primeira remessa da vacina contra Covid-19 de Guarulhos, São Paulo, até a capital paraense. Da carga de 173.240 doses desse primeiro carregamento, 48.680 são destinadas à população indígena. Após a retirada da carga da aeronave, a vacina foi imediatamente encaminhada pelo governo do Estado aos municípios. A vacinação começa nesta terça-feira (19), para grupos prioritários, em todo o Estado.

Em um dia tão aguardado desde o início da pandemia de Covid-19, o governador Helder Barbalho acompanhou o desembarque do imunizante e ressaltou que "esse momento representa uma espera de 11 meses que chega ao fim. É uma vitória da esperança e da vida. Já nesta madrugada a vacina segue para as regiões do Estado, para iniciar a imunização da população. Agora teremos a distribuição com 37 voos, entre helicópteros e aviões, para que o imunizante chegue a todo o Pará".

Sobre o significado desse momento decisivo no combate à doença, o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, o momento é “muito importante e histórico, e representa a fase de renovação e esperança para toda a população”. O secretário disse que, ainda na madrugada, as vacinas seguem para os 13 centros Regionais de Saúde da Sespa (Secretaria de Estado de Saúde Pública), para que a vacinação comece logo no início da manhã.

Segundo o assessor da Vigilância em Saúde da Sespa, Marcos Moura, no Pará toda a logística para distribuição da vacina foi antecipada. “A gente já vem trabalhando há alguns meses, mesmo sem saber a data e a quantidade que viria. A gente fez todo o planejamento para a capital e o interior, pensando sempre nos insumos que deveríamos entregar aos municípios e na vacina”, explicou.

Ele acrescentou que, mesmo o Ministério da Saúde tendo enviado agora uma quantidade menor de vacinas do que havia sido estimado inicialmente – 340 mil doses -, devido a problemas com a vacina da AstraZeneca, “todos os 144 municípios vão receber doses para os grupos prioritários”.

Alívio - Passageiros e trabalhadores que estavam no Aeroporto de Belém, aguardando o momento de embarcar, comemoraram a chegada da vacina em solo paraense. "É bom saber que a vacina chegou aqui no Pará. Fico feliz porque ela vai tá disponível pra minha família, que mora em Bragança", disse o motorista Gilberto Pereira Maia.

"Tô feliz e maravilhado. Vai ficar mais tranquilo para todo mundo que trabalha aqui. Eu já tive essa doença; ela é muito forte. Passei 15 dias no hospital, mas graças a Deus estou feliz da vacina ter chegado. Aviso a todos que puderem, que tomem a vacina", declarou Pedro Moraes dos Santos, taxista que trabalha no aeroporto.

Saúde e informação - A vacinação começa na manhã desta terça-feira (19), no Hangar - Centro de Convenções, onde está instalado o Hospital de Campanha de Belém, quando será imunizado um profissional de saúde que atua na linha de frente de combate ao novo coronavírus, durante a coletiva à imprensa realizada pelo governo do Estado para detalhar o plano de vacinação.

O ato será transmitido ao vivo pelo site Agência Pará, pela TV Cultura e pelas redes oficiais do governo do Estado e da Sespa.

Plano de vacinação - O primeiro lote de vacinas será direcionado aos profissionais da saúde que atuam na linha da frente, indígenas aldeados e idosos institucionalizados, que compõem o grupo prioritário da primeira fase da campanha, conforme previsto no Plano Paraense de Vacinação Contra a Covid-19.

O documento, divulgado na segunda-feira (18) pela Sespa, contém informações estratégicas sobre as vacinas, grupos prioritários, período de campanha, precauções e contraindicações da vacina, vigilância de eventos adversos pós-vacina, registro de doses aplicadas e operacionalização da campanha. 

O plano prevê ainda que a campanha de vacinação ocorrerá, simultaneamente, em todos os 144 municípios do Pará, e os grupos serão cumulativos no decorrer das etapas definidas.

Fases da vacinação:

1ª Fase: Trabalhadores de saúde; pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência e indígenas aldeados.

2ª Fase: Profissionais da segurança pública na ativa; idosos de 60 a 79 anos de idade; idosos a partir de 80 anos e povos e comunidades tradicionais quilombolas.

3ª Fase: Indivíduos que possuam comorbidades (doenças como diabetes, hipertensão e obesidade);

4ª Fase: Trabalhadores da educação; Forças Armadas; funcionários do sistema penitenciário; população privada de liberdade e pessoas com deficiência permanente severa.

 

Fonte: Por Ronan Frias (COHAB)

O Hospital Regional do Tapajós (HRT), no município de Itaituba, no sudoeste do Pará, iniciou na segunda-feira (18) o Serviço de Politrauma em regime de “porta aberta”, quando não há necessidade de encaminhamento prévio para atendimento de Urgência e Emergência nas áreas de Ortopedia, Cirurgia Geral e Neurocirurgia. Mesmo com a ampliação dos serviços, a unidade da rede pública estadual de saúde continua como referência para o atendimento de pacientes com Covid-19 na região.

Com o Serviço de Politrauma, o HRT fortalece ainda mais o Sistema Único de Saúde (SUS) na Região de Integração Tapajós, assegurando assistência de média e alta complexidade à população de seis municípios.

O governador Helder Barbalho disse que esses serviços são fundamentais para salvar vidas, pois o Hospital funcionará de porta aberta em politrauma para pacientes dos municípios de Itaituba, Trairão, Aveiro, Novo Progresso, Jacareacanga e Rurópolis, e como referência para os demais municípios da Região de Integração Baixo Amazonas, que devem encaminhar pacientes por meio da Regulação Estadual. “Com isso, nós estamos reforçando os serviços em saúde para a região Oeste do Pará. Isso foi um compromisso que eu assumi com a população da região, e que a partir de hoje nós estamos honrando. Vamos cuidar da nossa gente e fazer uma saúde de qualidade e salvar a vida do nosso povo”, afirmou o chefe do Executivo estadual. 

O HRT funciona, no momento, com 154 leitos, sendo 54 clínicos (para pacientes de Covid-19), 30 leitos de UTI (também para infectados pelo novo coronavírus), 10 leitos de UTI (Trauma) e 44 leitos (Clínica Cirúrgica), quatro salas vermelhas, seis de observação adulto e seis de observação pediátrica.

Ampliação de leitos - Segundo a diretora-geral do HRT, Karla Cajaíba, serão oferecidos mais 30 leitos de UTI para pacientes de Covid-19 ainda nesta semana, totalizando 60 leitos de terapia intensiva só para vítimas do novo coronavírus.

Ela informou ainda que o Hospital recebeu, até agora, 221 pacientes de Covid-19 procedentes não apenas de municípios da região do Tapajós, mas de outras regiões do Pará. “Recebemos pacientes de Itaituba, Rurópolis, Novo Progresso, Jacareacanga, Santarém, Juruti, Óbidos, Prainha, Placas, Terra Santa e outras cidades circunvizinhas e de regiões garimpeiras”, informou.

Para Karla Cajaíba, o serviço de Urgência e Emergência é um importante componente da assistência à saúde, que atende à demanda crescente por atendimento nessa área na região do Tapajós.

O primeiro paciente politraumatizado recebido pela equipe assistencial do HRT foi um homem de 26 anos, morador de Itaituba, vítima de acidente de trânsito. “Ele se feriu numa colisão entre duas motocicletas no dia 16 de janeiro (sábado). Deu entrada na unidade em bom estado geral, consciente e orientado”, disse a diretora-geral. 

Ela também ressaltou que os serviços assistenciais para traumas são direcionados principalmente aos pacientes dos municípios de Aveiro, Itaituba, Jacareacanga, Novo Progresso, Rurópolis e Trairão. “Enfatizamos, no entanto, que os municípios que dispõem de unidades hospitalares deverão fazer o atendimento inicial ao paciente politraumatizado e, posteriormente, devem transferi-lo ao HRT, mediante contato com o Núcleo Interno de Regulação (NIR) do Hospital. Já os municípios das demais regiões do Estado deverão encaminhar pacientes por meio do Complexo Regulador Regional”, reiterou. 

Estrutura hospitalar – O HRT oferece serviço de Urgência e Emergência nas áreas de Clínica Médica, Clínica Cirúrgica e Clínica Obstétrica, além de urgência referenciada em Pediatria e Neurologia. O Hospital dispõe, ainda, de um ambulatório com nove consultórios, para atendimento em Clínica Geral, Traumatologia, Ortopedia, Cardiologia, Infectologia e Urologia; serviços de Enfermagem, coleta de material para exames, farmácia, eletrocardiograma, Psicologia, Terapia Ocupacional e Serviço Social, e Centro Cirúrgico com oito salas, sendo duas para Obstetrícia.

Um dos procedimentos mais importantes que será oferecido em nível ambulatorial é a Terapia Renal Substitutiva, com 22 máquinas de hemodiálise – o que evitará o deslocamento de pacientes renais para outras regiões do Estado.

Como suporte ao atendimento médico, o HRT conta com um centro de diagnóstico com serviços de laboratório de análises clínicas, raios-X, raios-X telecomandado, mamografia, ultrassonografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, ecocardiograma, eletrocardiograma, eletroencefalograma, Holter, mapa, teste ergométrico, endoscopia e colonoscopia.

 

Fonte: Por Roberta Vilanova (SESPA)

Dos oito pacientes com a Covid-19 em estado grave transferidos para Belém pelo Governo do Estado do Amazonas, que enfrenta problemas no abastecimento de oxigênio na rede hospitalar, dois já ocupam leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital de Campanha, instalado no Hangar, em Belém. Duas mulheres, com uma acompanhante de cada família, chegaram à capital paraense no final da tarde de segunda-feira (18), vindas do município de Parintins, no leste amazonense, em voo providenciado pela Força Aérea Brasileira (FAB). Outros seis pacientes devem chegar a Belém na manhã desta terça-feira (19), para serem tratados na mesma unidade.

Sipriano Ferraz, secretário adjunto de Estado de Saúde Pública, informa que, de acordo com o monitoramento diário de casos e internações, a situação da pandemia na Região Metropolitana de Belém (RMB) é confortável, e a retaguarda de leitos no Hangar permitiu o auxílio aos doentes do Estado vizinho.

Solidariedade - Atualmente, o Pará oferece 20 leitos clínicos e dez de terapia intensiva no Hospital de Campanha, e outros dez de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) Neonatal na Santa Casa do Pará. Havendo necessidade, o Governo do Pará pode avaliar a possibilidade de ampliar essa oferta.

"O governo do Estado se solidariza com o Amazonas, a fim de prestar socorro e auxiliar para que possam sair dessa grave crise assistencial. As oito transferências solicitadas até agora se destinam ao Hangar, onde há uma ala criada para esses pacientes que vêm de lá", explica Sipriano Ferraz.

No último dia 14 de janeiro, em redes sociais, o governador Helder Barbalho anunciou ter feito contato com o governador do Amazonas, Wilson Lima, para oferecer ajuda diante do colapso no sistema de saúde devido ao crescimento de casos da Covid-19. Naquele dia, a média móvel de mortes havia aumentado em 187%. Por conta disso, os hospitais de Manaus estão lotados e sem oxigênio para todos os pacientes internados com a doença.

 

Fonte: Por Carol Menezes (SECOM)

 

A semana começou com um marco na área de segurança pública do Pará. Todas as delegacias do Pará passam a utilizar um novo sistema de integração entre a polícia e o Poder Judiciário. A plataforma compartilha com mais segurança e celeridade as informações dos inquéritos policiais e medidas cautelares.

Além da praticidade, o novo sistema vai gerar economia. "O combustível e o tempo de serviço gasto por servidores que, até então, tinham a responsabilidade de transportar os documentos entre os órgãos, também contam para a poupança de recursos, que poderão ser investidos em outras áreas", ressaltou o delegado-geral de Polícia Civil, Walter Resende. 

Com essa novidade, a instituição promove a adequação necessária ao sistema do Tribunal de Justiça, acelerando os processos. "Para isso, foram capacitados todos os policiais, por meio da Academia de Polícia Civil (Acadepol), os quais receberam certificação digital por conta da assinatura eletrônica”, disse a delegada-geral adjunta, Daniela Santos.

Para melhor atender às demandas foram criadas normativas pela Polícia Civil que vão modernizar internamente os procedimentos virtuais. “Com essa nova forma de trabalho, poderemos economizar em custos materiais, e também trazer agilidade e segurança à informação", reiterou Daniela Santos.

Um evento com orientações da Corregedoria-Geral foi realizado na manhã de segunda-feira (18), no auditório “Delegada Ione Coelho”, em Belém, instituiu a utilização do sistema.

Adequação - Para Cristian Rocha, diretor da Divisão de Correição da Polícia Civil, o evento teve o objetivo de apresentar aos policiais civis as inovações tecnológicas que estão sendo adotadas visando à adequação do Processo Judiciário Eletrônico. “Foram convocados diretores, escrivães, cartorários, chefes de operações de todas as unidades da Região Metropolitana, do interior e unidades especializadas que atuam na capital”, acrescentou o delegado.

Durante o processo, um plano de ensino e qualificação foi montado por meio da Acadepol para capacitar os delegados e escrivães de todo o Estado para atuação com o TJE. Também foram adquiridos pela Polícia Civil do Pará mais de 1.200 unidades de token de certificação digital.

 

Fonte: Por Evaldo Júnior (PC)

É essencial manter os cuidados para evitar a transmissão do vírus. Na segunda – feira, 18 janeiro, infelizmente notificamos mais um óbito e registramos 137 novos casos de Covid-19

A taxa geral de ocupação dos leitos em Parauapebas subiu para 62%. As vagas estão distribuídas assim:

Taxa de leitos de enfermaria SUS: 74%

Taxa de leitos particulares: 42%

Taxa de leitos de UTI SUS: 100%

Taxa de leitos de UTI Particular: 53%

Caso tenha sintomas, procure as Unidades de Saúde polo: VS-10, Minérios, Liberdade 1 e Cidade Nova.

Registro de óbito retroativo:

- Homem de 58 anos, sem comorbidades. Óbito em 04/01.

Histórico dos pacientes:

1             .              Homem               de          58           anos.     Óbito.   TR

2             .              Mulher                 de          60           anos.     Internada.          PCR

3             .              Homem               de          79           anos.     Internado.          TR

4             .              Homem               de          87           anos.     Internado.          TR

5             .              Mulher                 de          60           anos.     Internada.          TR

6             .              Homem               de          37           anos.     Internado.          PCR

7             .              Criança               de          2             anos.     Isolamento domiciliar.  TR

8             .              Homem               de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

9             .              Homem               de          58           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

10           .              Mulher                 de          41           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

11           .              Mulher                 de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

12           .              Homem               de          47           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

13           .              Mulher                 de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

14           .              Homem               de          60           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

15           .              Homem               de          50           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

16           .              Mulher                 de          20           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

17           .              Mulher                 de          48           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

18           .              Mulher                 de          39           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

19           .              Homem               de          52           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

20           .              Mulher                 de          49           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

21           .              Mulher                 de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

22           .              Mulher                 de          38           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

23           .              Homem               de          24           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

24           .              Homem               de          39           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

25           .              Mulher                 de          46           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

26           .              Mulher                 de          36           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

27           .              Homem               de          35           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

28           .              Homem               de          39           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

29           .              Homem               de          29           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

30           .              Mulher                 de          54           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

31           .              Mulher                 de          27           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

32           .              Homem               de          23           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

33           .              Homem               de          32           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

34           .              Homem               de          37           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

35           .              Homem               de          20           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

36           .              Homem               de          53           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

37           .              Homem               de          30           anos.     Isolamento domiciliar.  TR

38           .              Mulher                 de          43           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

39           .              Mulher                 de          30           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

40           .              Homem               de          18           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

41           .              Mulher                 de          28           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

42           .              Mulher                 de          26           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

43           .              Homem               de          74           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

44           .              Mulher                 de          32           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

45           .              Mulher                 de          37           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

46           .              Mulher                 de          22           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

47           .              Mulher                 de          31           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

48           .              Homem               de          23           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

49           .              Mulher                 de          44           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

50           .              Mulher                 de          28           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

51           .              Homem               de          34           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

52           .              Homem               de          25           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

53           .              Mulher                 de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

54           .              Mulher                 de          24           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

55           .              Mulher                 de          55           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

56           .              Homem               de          19           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

57           .              Homem               de          52           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

58           .              Mulher                 de          26           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

59           .              Mulher                 de          25           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

60           .              Mulher                 de          34           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

61           .              Homem               de          35           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

62           .              Homem               de          38           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

63           .              Mulher                 de          35           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

64           .              Homem               de          13           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

65           .              Mulher                 de          58           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

66           .              Mulher                 de          43           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

67           .              Mulher                 de          33           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

68           .              Mulher                 de          43           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

69           .              Homem               de          71           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

70           .              Mulher                 de          37           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

71           .              Homem               de          56           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

72           .              Mulher                 de          43           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

73           .              Homem               de          54           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

74           .              Homem               de          49           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

75           .              Mulher                 de          70           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

76           .              Mulher                 de          20           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

77           .              Homem               de          26           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

78           .              Homem               de          30           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

79           .              Homem               de          17           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

80           .              Mulher                 de          50           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

81           .              Mulher                 de          27           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

82           .              Mulher                 de          37           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

83           .              Mulher                 de          36           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

84           .              Mulher                 de          38           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

85           .              Homem               de          26           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

86           .              Homem               de          28           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

87           .              Mulher                 de          51           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

88           .              Homem               de          17           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

89           .              Homem               de          16           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

90           .              Mulher                 de          28           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

91           .              Homem               de          20           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

92           .              Mulher                 de          48           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

93           .              Homem               de          51           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

94           .              Homem               de          36           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

95           .              Mulher                 de          33           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

96           .              Homem               de          53           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

97           .              Homem               de          43           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

98           .              Mulher                 de          31           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

99           .              Homem               de          32           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

100         .              Homem               de          29           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

101         .              Mulher                 de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

102         .              Mulher                 de          55           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

103         .              Homem               de          29           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

104         .              Mulher                 de          11           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

105         .              Homem               de          48           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

106         .              Mulher                 de          20           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

107         .              Mulher                 de          26           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

108         .              Mulher                 de          36           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

109         .              Homem               de          19           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

110         .              Mulher                 de          42           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

111         .              Mulher                 de          64           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

112         .              Mulher                 de          36           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

113         .              Mulher                 de          51           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

114         .              Mulher                 de          39           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

115         .              Mulher                 de          34           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

116         .              Homem               de          35           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

117         .              Homem               de          13           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

118         .              Mulher                 de          40           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

119         .              Homem               de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

120         .              Mulher                 de          22           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

121         .              Homem               de          71           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

122         .              Mulher                 de          34           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

123         .              Mulher                 de          44           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

124         .              Homem               de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

125         .              Homem               de          36           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

126         .              Homem               de          51           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

127         .              Homem               de          37           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

128         .              Homem               de          37           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

129         .              Homem               de          61           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

130         .              Homem               de          68           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

131         .              Mulher                 de          29           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

132         .              Homem               de          21           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

133         .              Homem               de          28           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

134         .              Mulher                 de          26           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

135         .              Mulher                 de          28           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

136         .              Homem               de          35           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

137         .              Mulher                 de          62           anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

As Organizações da Sociedade Civil (OSCs) que atuam nas modalidades esportivas em Parauapebas, interessadas em firmar convênio com a prefeitura, já podem procurar a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) para requerer a parceria. A expectativa do novo titular da pasta, Leandro Gambeta, é de que 29 entidades celebrem convênio neste ano contra 14 que foram contempladas em 2020, sendo que três delas estão agora impedidas por irregularidade na prestação de contas.

Para dirimir todas as dúvidas das organizações sobre o processo de tramitação do convênio, na semana passada foi realizada uma reunião no plenarinho da Câmara Municipal para os presidentes das entidades. Além do titular da Semel, participaram do encontro o adjunto da secretaria, Jorge Guerreiro; a diretora do Setor de Convênios, Denize Costa, acompanhada por técnicos; e o vereador Francisco Eloécio (PR), escolhido como representante do esporte, lazer e ações sociais na Câmara.

Para as OSCs, foram repassadas todas as orientações necessárias sobre a documentação que precisa ser entregue à Semel e que deve estar em conformidade com os critérios exigidos pela Lei Federal nº 13.019/2014 e Instrução Normativa Municipal 02/2019. O alerta é para que as organizações fiquem atentas às alterações do decreto nos últimos anos, para evitar impedimentos legais do repasse de recursos.

Criada há mais de cinco anos, a União dos Ciclistas de Parauapebas (UCP) deverá celebrar o convênio pela primeira vez. A presidente da entidade, Márcia Cléia, aproveitou a oportunidade para agradecer a gestão do prefeito Darci pelo compromisso com o esporte, especialmente com o ciclismo. “Eu só tenho a agradecer ao prefeito. Agora, nós temos ciclovias para a prática do nosso esporte. A cidade está linda, ruas amplas, podemos pedalar sem medo. Conseguimos agora regularizar toda papelada necessária para buscarmos mais apoio. Estou muito feliz, então venham os campeonatos”, disse ela.

O mestre Josberto Girão, presidente da Associação Girão de Artes Maciais (Agam), também se mostrou otimista em relação aos apoios que as artes marciais têm recebido da prefeitura. “Tenho certeza que temos muito a ganhar. Nosso prefeito Darci e nosso secretário são pessoas de diálogo e comprometimento. Tenho certeza de que o esporte não só da minha modalidade, mas de todas, vão ganhar muito embora ainda existam muitas burocracias, mas por isso estamos aqui, estamos juntos para fazer o esporte de Parauapebas ser algo tão sonhado”, assinalou Girão.

Novo secretário: junto à comunidade

Leandro Gambeta aproveitou o momento para se apresentar formalmente como o novo secretário de Esportes e Lazer. E reafirmou o compromisso em gerenciar as demandas de forma humanizada e democrática. “A participação de todos os envolvidos na construção dessa nova gestão, incluindo também as OSCs, será fundamental para que o esporte de Parauapebas seja referência. Pretendo estar junto às comunidades. Já estamos fazendo levantamentos, indo em todas as localidades de responsabilidade da Semel para conhecer de perto o que a população precisa. Só assim vamos atingir objetivos e melhorar o esporte local”, pontuou Gambeta.

Na ocasião, o secretário apresentou algumas ideias de projetos que planeja implantar em Parauapebas, como o Bolsa Atleta e o Bolsa Técnico. Também estão no planos a reforma estrutural do Ginásio Poliesportivo e a construção de uma sede própria para a Semel, além da construção de duas quadras poliesportivas para os bairros.

Ao secretário, os presidentes das OSCs manifestaram sobre a necessidade da implantação de projetos que reforcem a inclusão social, em todas as modalidades, a fim de elevar o esporte do município para outro patamar. Para isso, defenderam as organizações, é preciso que as periferias de Parauapebas estejam dentro das prioridades do governo.

Serviço: Conforme informado por Leandro Gambeta, desde esta segunda-feira, 18, todas as OSCs interessadas em assinar convênio com a Semel podem procurar a recepção da secretaria a partir das 14 horas, para prévio agendamento junto ao Setor de Convênios e ainda para receber novas orientações sobre a documentação, em caso de mais dúvidas. A Semel funciona no Ginásio Poliesportivo, no bairro Beira Rio.

 

Texto: Comunicação Semel
Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP