Produtos de origem animal são avaliados pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM) Destaque

Produtos de origem animal são avaliados pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM) Fotos: Elienai Araújo/José Piedade

Consumir produtos de origem animal que não têm selo de inspeção dos órgãos de controle e fiscalização pode ser perigoso para a saúde, por isso a equipe do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) alerta para a importância da população sempre conferir nas embalagens ou nas carnes a presença da marca dos serviços de inspeção.

“Todo produto de origem animal deve passar por inspeção veterinária que atesta se ele está apto ao não ao consumo humano. Busquem produtos inspecionados que tenham o selo ou o carimbo do SIM, podem comer com segurança, eles passam por avaliação de veterinários e técnicos que não deixam passar nada impróprio”, garante Elke Melo, médica veterinária responsável pela inspeção em frigoríficos.

“A gente pede para a população sempre consumir os produtos que têm o selo, porque são de qualidade e não vão trazer risco de contaminação”, reforça Jocasta Piovesan, médica veterinária responsável pela inspeção nos laticínios e queijarias do município. O SIM faz parte da Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror).

 

Inspeção de carnes abatidas no município

 

Parauapebas conta com três frigoríficos para abate de carnes bovina, suína e de aves. As equipes do SIM realizam trabalho diário de inspeção nesses estabelecimentos.

“Nós observamos o animal ainda vivo, acompanhados de um GTA pra gente saber a origem dele, isso nos dá informações se ele passou por inspeção veterinária desde pequeno até chegar ao ponto de abate. Avaliamos também se é realizado um abate humanitário”, explica Elke.

A equipe segue protocolos internacionais, realizando a inspeção ante mortem, que é um exame que inclui a avaliação documental, do comportamento e do aspecto do animal e seus sintomas de interesse para áreas de saúde animal e de saúde pública, e a inspeção post morten, que atesta a qualidade do produto final.

“Nós temos técnicos de inspeção que ficam em cada linha de produção, programadas para a gente saber todo o funcionamento do animal. Todas as partes do animal são avaliadas. Se a gente encontrar algum com doença, temos que avisar a Adepará para que se mantenha o controle e não se propague”, pontua Elke.

Os animais saudáveis, mas que apresentam contusões e que não estão visivelmente adequados podem ser consumidos de outra forma, eles são destinados para a composição de produtos embutidos e charques, por exemplo, é o chamado aproveitamento condicional.

Inspeção de laticínios e queijarias

Parauapebas produz de forma industrial leite pasteurizado, iogurte, queijos diversos e manteiga. Esses produtos também passam por inspeção do SIM, as equipes realizam vistorias periódicas para avaliar as condições de higiene e o procedimento de produção.

“A gente vai até o estabelecimento, avalia a matéria-prima, o leite como ele chega, e todo o processo de produção, até a embalagem. Se tiver tudo dentro dos conformes, o produto vai para os supermercados e feiras, liberado para o consumo. Cada produto tem um número de registro”, explica Jocasta.

O município conta com dois laticínios e três queijarias que são inspecionadas pelo SIM.

 

Texto: Karine Gomes 
Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP
Avalie este item
(0 votos)
Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink