A Caixa Econômica Federal começa a liberar nesta segunda-feira (2) o saque em dinheiro da quarta parcela do auxílio emergencial. Podem resgatar o benefício nas agências ou nas nas 13 mil lotéricas de todo o país 2,2 milhões de beneficiários nascidos em janeiro. Ao todo, foram creditados R$ 464,3 milhões para esse público.

O calendário de saque do Ciclo 4, formado por trabalhadores informais inscritos pelo CadÚnico ou pelo aplicativo da Caixa, foi antecipado e vai até o dia 18 de agosto, para os nascidos em dezembro. O depósito em conta digital foi concluído na semana passada e os beneficiários puderam movimentar o valor por meio de aplicativo. Nesta etapa, foram contempladas 26,7 milhões de famílias, totalizando um repasse de R$ 5,5 bilhões.

Para o grupo do Bolsa Família, o pagamento foi feito conforme o calendário do programa. Em julho, 9,48 milhões de famílias desse grupo tiveram acesso ao benefício. O valor da folha de pagamentos foi de R$ 2,9 bilhões, com valor médio de R$ 305,97.

Prorrogação

O benefício emergencial pago em função da pandemia do novo coronavírus previa nova rodada em 2021 com quatro parcelas, mas foi prorrogado em mais três pagamentos até outubro. O valor médio segue em R$ 250, com exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

Com a prorrogação do auxílio emergencial até outubro, a expectativa do governo federal é ganhar tempo para o avanço da vacinação contra a covid-19, além de preparar uma ampliação do programa Bolsa Família, com pagamentos no valor de R$ 300.

Calendário de saque da 4ª parcela

2 de agosto (segunda-feira) - nascidos em janeiro
3 de agosto (terça-feira) - nascidos em fevereiro
4 de agosto (quarta-feira) - nascidos em março
5 de agosto (quinta-feira) - nascidos em abril
9 de agosto (segunda-feira) - nascidos em maio
10 de agosto (terça-feira) - nascidos em junho
11 de agosto (quarta-feira) - nascidos em julho
12 de agosto (quinta-feira) - nascidos em agosto
13 de agosto (sexta-feira) - nascidos em setembro
16 de agosto (segunda-feira) - nascidos em outubro
17 de agosto (terça-feira) - nascidos em novembro
18 de agosto (quarta-feira) - nascidos em dezembro

 

Fonte: Do R7

A Caixa Econômica deposita nesta quinta-feira (29) a quarta parcela do auxílio emergencial para os beneficiários do programa nascidos em novembro. Os recursos disponibilizados no aplicativo Caixa Tem podem ser utilizados para efetuar compras e realizar pagamentos.

O saque em dinheiro para o grupo será permitido a partir do dia 17 de agosto. Até lá, a grana pode ser utilizada para o pagamento de boletos e compras pela internet ou pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais. Além disso, é possível fazer transferências instantâneas entre bancos via Pix (exceto para contas de mesma titularidade).

Também acontece nesta quinta-feira, o pagamento da quarta parcela do benefício aos integrantes do Bolsa Família com NIS (Número de Identificação Social) final 9, conforme o calendário habitual do programa Neste mês, cerca de 9,5 milhões de famílias deste grupo serão contempladas com o auxílio emergencial.

O benefício emergencial pago em função da pandemia do novo coronavírus acontece pelo menos até outubro. O pagamento médio segue em R$ 250, com exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

O pagamento do Ciclo 4 do auxílio foi adiantado em sete dias, o último antes das três parcelas extras autorizadas pelo governo federal em meio à pandemia de covid-19. Com a prorrogação do auxílio emergencial até outubro, a expectativa do governo federal é ganhar tempo para o avanço da vacinação contra a covid-19, além de preparar uma ampliação do programa Bolsa Família, com pagamentos no valor de R$ 300.

Confira o calendário do Ciclo 4 do auxílio emergencial

• Crédito em conta poupança

17 de julho (sábado) - nascidos em janeiro
18 de julho (domingo) - nascidos em fevereiro
20 de julho (terça-feira) - nascidos em março
21 de julho (quarta-feira) - nascidos em abril
22 de julho (quinta-feira) - nascidos em maio
23 de julho (sexta-feira) - nascidos em junho
24 de julho (sábado) - nascidos em julho
25 de julho (domingo) - nascidos em agosto
27 de julho (terça-feira) - nascidos em setembro
28 de junho (quarta-feira) - nascidos em outubro
29 de junho (quinta-feira) - nascidos em novembro
30 de julho (sexta-feira) - nascidos em dezembro

• Saque em dinheiro

2 de agosto (segunda-feira) - nascidos em janeiro
3 de agosto (terça-feira) - nascidos em fevereiro
4 de agosto (quarta-feira) - nascidos em março
5 de agosto (quinta-feira) - nascidos em abril
9 de agosto (segunda-feira) - nascidos em maio
10 de agosto (terça-feira) - nascidos em junho
11 de agosto (quarta-feira) - nascidos em julho
12 de agosto (quinta-feira) - nascidos em agosto
13 de agosto (sexta-feira) - nascidos em setembro
16 de agosto (segunda-feira) - nascidos em outubro
17 de agosto (terça-feira) - nascidos em novembro
18 de agosto (quarta-feira) - nascidos em dezembro

• Para o Bolsa Família

19 de julho (segunda-feira) - NIS final 1
20 de julho (terça-feira) - NIS final 2
21 de julho (quarta-feira) - NIS final 3
22 de julho (quinta-feira) - NIS final 4
23 de julho (sexta-feira) - NIS final 5
26 de julho (segunda-feira) - NIS final 6
27 de julho (terça-feira) - NIS final 7
28 de julho (quarta-feira) - NIS final 8
29 de julho (quinta-feira) - NIS final 9
30 de julho (sexta-feira) - NIS final 0

 

Fonte: Do R7

 

A Caixa Econômica libera nesta quarta-feira (28) os depósitos da quarta parcela do auxílio emergencial para os beneficiários do programa nascidos em outubro. A grana já disponibilizada no aplicativo Caixa Tem pode ser usada para efetuar compras e realizar pagamentos.

O saque em dinheiro para o grupo será permitido a partir do dia 16 de agosto. Até lá, a grana pode ser utilizada para o pagamento de boletos e compras pela internet ou pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais. Além disso, os beneficiários podem fazer transferências instantâneas entre bancos via Pix (exceto para contas de mesma titularidade).

Os integrantes do Bolsa Família também estão recebendo a quarta parcela do benefício de acordo com o calendário habitual do programa. Nesta quarta-feira, serão contemplados os beneficiários com final 8 do NIS (Número de Identificação Social). Neste mês, cerca de 9,5 milhões de famílias deste grupo serão contempladas com o auxílio emergencial.

O benefício que previa quatro parcelas agora foi prorrogado com mais três, ou seja, ao todo serão sete pagamentos até outubro, mas os valores foram mantidos. O pagamento médio continua de R$ 250, exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

O pagamento do Ciclo 4 do auxílio foi adiantado em sete dias, o último antes das três parcelas extras autorizadas pelo governo federal em meio à pandemia de covid-19. Com a prorrogação do auxílio emergencial até outubro, a expectativa do governo federal é ganhar tempo para o avanço da vacinação contra a covid-19, além de preparar uma ampliação do programa Bolsa Família, com pagamentos no valor de R$ 300.

Confira o calendário do Ciclo 4 do auxílio emergencial

• Crédito em conta poupança

17 de julho (sábado) - nascidos em janeiro
18 de julho (domingo) - nascidos em fevereiro
20 de julho (terça-feira) - nascidos em março
21 de julho (quarta-feira) - nascidos em abril
22 de julho (quinta-feira) - nascidos em maio
23 de julho (sexta-feira) - nascidos em junho
24 de julho (sábado) - nascidos em julho
25 de julho (domingo) - nascidos em agosto
27 de julho (terça-feira) - nascidos em setembro
28 de junho (quarta-feira) - nascidos em outubro
29 de junho (quinta-feira) - nascidos em novembro
30 de julho (sexta-feira) - nascidos em dezembro

• Saque em dinheiro

2 de agosto (segunda-feira) - nascidos em janeiro
3 de agosto (terça-feira) - nascidos em fevereiro
4 de agosto (quarta-feira) - nascidos em março
5 de agosto (quinta-feira) - nascidos em abril
9 de agosto (segunda-feira) - nascidos em maio
10 de agosto (terça-feira) - nascidos em junho
11 de agosto (quarta-feira) - nascidos em julho
12 de agosto (quinta-feira) - nascidos em agosto
13 de agosto (sexta-feira) - nascidos em setembro
16 de agosto (segunda-feira) - nascidos em outubro
17 de agosto (terça-feira) - nascidos em novembro
18 de agosto (quarta-feira) - nascidos em dezembro

• Para o Bolsa Família

19 de julho (segunda-feira) - NIS final 1
20 de julho (terça-feira) - NIS final 2
21 de julho (quarta-feira) - NIS final 3
22 de julho (quinta-feira) - NIS final 4
23 de julho (sexta-feira) - NIS final 5
26 de julho (segunda-feira) - NIS final 6
27 de julho (terça-feira) - NIS final 7
28 de julho (quarta-feira) - NIS final 8
29 de julho (quinta-feira) - NIS final 9
30 de julho (sexta-feira) - NIS final 0

 

Fonte: Do R7

A Caixa Econômica Federal libera nesta quarta-feira (14) o saque em dinheiro da terceira parcela do auxílio emergencial para 2,4 milhões nascidos em setembro, que se inscreveram pelos meios digitais ou que integram o CadÚnico. Ao todo, foram creditados R$ 506 milhões para esse público em 27 de junho.

O benefício que previa quatro parcelas agora foi prorrogado com mais três, ou seja, ao todo serão sete pagamentos até outubro, mas os valores foram mantidos. O pagamento médio continua de R$ 250, exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

Segundo o Ministério da Cidadania, somando as três etapas de pagamentos, o investimento federal chegou a R$ 26,3 bilhões, incluindo todos os públicos, num total de 114,09 milhões de transferências.

O calendário com as datas dos novos pagamento ainda será divulgado pelo Ministério da Cidadania, responsável pelo gestão do benefício, e pela Caixa. O grupo do Bolsa Família tem o pagamento fixo, sempre nos dez últimos dias do mês, de acordo com o cronograma do programa.

Já os outros grupos, inscritos pelo CadÚnico e pelo aplicativo da Caixa, recebem primeiro com depósito na conta digital e depois o saque é liberado. Esse calendário está atualmente no ciclo 3, com saques previstos até o dia 19 de julho.

Quem já recebeu a primeira parcela por depósito pode movimentar o valor pelo Caixa Tem, aplicativo no qual os beneficiários conseguem pagar boletos, comprar pela internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais.

Além disso, há a opção de girar o dinheiro usando o Pix, sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central. A única exceção às transações se dá para os casos de transferência para conta de mesma titularidade.

Conforme o Ministério da Cidadania, o modelo de escalonamento das transferências e saques, adotado no ano passado durante a primeira rodada do auxílio emergencial, segue com o objetivo de evitar filas e aglomerações nas agências da Caixa e nas lotéricas.

 
 
Fonte: Do R7

Trabalhadores informais nascidos em julho e inscritos no auxílio emergencial podem sacar a terceira parcela do benefício a partir desta segunda-feira (12). Desde 25 de junho, quando a grana foi depositada, a movimentação só pôde ser feita por meio de aplicativo ou contas digitais.

No segundo ciclo, cerca de 2,4 milhões de beneficiários desse grupo receberam a segunda parcela, somando aproximadamente R$ 504 milhões.

O benefício é pago em quatro parcelas, com valor médio de R$ 250, exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

Na conta digital, o beneficiário pode pagar boletos, realizar compras pela internet e em estabelecimentos comerciais.

O calendário de saque da terceira parcela segue de acordo com o mês de aniversário até 19 de julho para quem nasceu em dezembro.

Extensão e novo Bolsa Família

Há uma semana, o presidente Jair Bolsonaro editou decreto que prorroga o pagamento do auxílio emergencial 2021 por mais três meses.

A  medida provisória previu originalmente pagamento em quatro cotas, de abril a julho, com possibilidade de prorrogação desde que observada a disponibilidade orçamentária e financeira.

Como o R7 adiantou, agora a ajuda aos trabalhadores informais e população de baixa renda durante a pandemia de covid-19 vai até outubro.

Após esse período, o ministro da Economia, Paulo Guedes, prometeu ampliar o Bolsa Família.

 

Fonte: Do R7

variação de 0,53% da inflação oficial em junho foi menor do que a esperada para o mês, mas ainda não é motivo para comemoração por parte dos consumidores, já que os reajustes das contas de energia elétrica e dos combustíveis voltarão a pesar no bolso neste mês de julho.

As previsões apontam para o chamado "efeito cascata" a partir dos aumentos já anunciados. A movimentação passa por toda a cadeia produtiva, desde o custo das empresas ao fabricar os bens até a mesa das famílias.

Já neste mês, as contas de luz seguirão com a bandeira vermelha patamar 2, com o diferencial de que o custo adicional para cada 100 Kw/h (quilowatt-hora) consumidos será de R$ 9,49, valor 52% superior ao cobrado em junho.

"A energia mais cara vai afetar vários setores estratégicos que são muito dependentes, o que pode favorecer o aumento de preço de bens duráveis, como carros, roupas e alimentos. A indústria alimentícia é muito dependente de energia, principalmente para refrigeração", explica André Braz, economista do Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas).

Na última segunda-feira (5), houve ainda o anuncio da Petrobras de que a gasolina, o diesel e o gás de cozinha ficarão mais caros devido à valorização dos preços do petróleo no mercado internacional. 

"O diesel mais caro pode encarecer o frete do transporte rodoviário, o que pode causar vários efeitos indiretos em produtos que a gente consome no dia a dia", analisa Braz ao prever que os impactos trazidos pelos aumentos devem levar o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) próximo de 1%, o que representará uma variação de quase 9% no índice acumulado em 12 meses.

O analista sênior da Control Risks para o Brasil, Mário Braga, aponta que o cenário tende a afetar principalmente os mais pobres, elevar a inadimplência e até mesmo frear o processo de recuperação da economia nacional.

"Se a queda no consumo das famílias se concretizar, as empresas devem se deparar com um cenário de retomada menos forte que inicialmente antecipado, e terão que adaptar suas operações para este novo panorama", alerta Braga.

Até o momento, os combustíveis veiculares (+26,7%) aparecem como os principais responsáveis pela inflação em patamares mais elevados no primeiro semestre. A capa de "vilões" do índice oficial de preços surge após altas significativas do etanol (35,7%), do gás veicular (27,3%), da gasolina (25,6%) e do óleo diesel (24,6%) no período.

 

Fonte: Alexandre Garcia, do R7

Trabalhadores informais nascidos em junho e inscritos no auxílio emergencial podem sacar a terceira parcela do benefício a partir desta sexta-feira (9). Desde 24 de junho, quando a grana foi depositada, a movimentação só pôde ser feita por meio de aplicativo ou contas digitais.

No segundo ciclo, 2,4 milhões de pessoas foram contemplados, o que totalizou R$ 497,4 milhões.

O benefício é pago em quatro parcelas, com valor médio de R$ 250, exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

Na conta digital, o beneficiário pode pagar boletos, realizar compras pela internet e em estabelecimentos comerciais.

O calendário de saque da terceira parcela segue de acordo com o mês de aniversário até 19 de julho para quem nasceu em dezembro.

Extensão do programa

O presidente Jair Bolsonaro editou decreto na segunda-feira (5) que prorroga o pagamento do auxílio emergencial 2021 por mais três meses.

A  medida provisória previu originalmente pagamento em quatro parcelas, de abril a julho, com possibilidade de prorrogação desde que observada a disponibilidade orçamentária e financeira.

Agora a ajuda aos trabalhadores informais e população de baixa renda durante a pandemia de covid-19 vai até outubro.

 

Fonte: Do R7

 

De janeiro a junho deste ano, o Centro realizou 250 atendimentos. Foram distribuídas mais de 24 mil mudas de espécies variadas e cem sacos de adubo. Para o produtor rural Walter Xavier, o apoio é fundamental para obter conhecimento técnico e melhorar a sua produção. 

“Com a assistência é melhor, principalmente com a gente que é produtor familiar, né? Quanto mais apoio melhor! Você aumenta o seu rendimento e a sua colheita quando você tem apoio, e isso é muito importante pra gente”, afirmou o produtor. O trabalho no campo não é fácil, e para manter uma produção de qualidade é preciso ter conhecimento.  

“Eu vim aqui ajeitar a colhedeira do milho. Tem milho para colher na minha propriedade e com a máquina, a gente colhe bem mais rápido. Depois é só ensacar e mandar para comércio”, contou animado o produtor rural Walter Xavier. 

Centenas de produtores contam com a assistência do Cetaf, que fica no km 23, da rodovia PA-160. Para contar com o apoio do Centro, os produtores devem procurar a Secretaria de Produção Rural (Sempror), como explica o coordenador Alan Souza. 

“O produtor rural vai até a Secretaria, conversa com os técnicos e relata o que precisa. Após uma visita técnica, e já com a autorização, eles chegam aqui no Cetaf para adquirir o que solicitaram. Ou seja, insumos, mudas, adubos, apoio de maquinário e demais implementos para fazer as benfeitorias na propriedade”, explica Alan.

O Cetaf está em fase de reestruturação para melhor atender o produtor e suas necessidades. Em paralelo aos novos investimentos, os trabalhos não param.

“Nós trabalhamos algumas linhas de produção animal como ovinos e caprinos. Também trabalhamos a parte de produção vegetal, que é horta alternativa, e o nosso caro chefe, que é a produção de mudas diversas. A grande vantagem para o produtor é que ele vai receber um produto tecnicamente testado e com certeza, se ele seguir as recomendações técnicas, ele vai ter lucro, vai ter rendimento”, relatou Jairo Gustavo Silva, engenheiro agrônomo.

Serviço:

Para solicitar apoio técnico do Cetaf, o produtor deve ir à Sempror. A secretaria fica na rodovia Faruk Salmen, funciona de segunda a sexta, das 8h às 14h. Os telefones para contato são: 3346 – 8220 ou 3346 – 8221.

 

Texto: Anne Costa

Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

O prazo final para o saque do PIS/Pasep termina nesta quarta-feira (30). Mais de 467 mil brasileiros ainda não sacaram aproximadamente R$ 309 milhões do abono salarial referente ao período 2020-2021.

No caso do PIS, que é pago para trabalhadores da iniciativa privada, mais de 327 mil trabalhadores não sacaram o benefício, no valor total de R$ 214 milhões, segundo informou a Caixa Econômica Federal na sexta-feira (25).

Quanto ao Pasep, que é pago pelo Banco Brasil para trabalhadores do setor público, cerca de 140 mil ainda não sacaram o abono, totalizando um saldo de R$ 95 milhões, de acordo com o banco.

O calendário de pagamentos começou ainda em 2020 e leva em consideração o mês de nascimento e o número final da inscrição.

Os trabalhadores que não efetuarem o saque até esta quarta-feira, terão que esperar o início do próximo calendário do abono salarial, previsto apenas para 2022. Pela regras em vigor, é assegurado o direito aos valores do PIS/Pasep pelo prazo de cinco anos.

 

Qual o valor e quem tem direito?

O valor do PIS-Pasep 2020-2021 varia de R$ 92 a R$ 1.100, dependendo do período trabalhado formalmente em 2019. Só receberá o valor total de um salário mínimo quem trabalhou os 12 meses de 2019.

Recebem, anualmente o benefício, cerca de 23 milhões de trabalhadores.

Para ter direito, o trabalhador precisa:

  • Estar cadastrado no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos;
  • Ter recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos com carteira assinada em 2019;
  • Ter exercido atividade remunerada para pessoa jurídica, durante pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, no ano-base considerado para apuração;
  • Ter seus dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS)/eSocial.

 

Como consultar e como sacar

Para sacar o abono do PIS, o trabalhador que possuir Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma casa lotérica. Se não tiver o Cartão do Cidadão, pode receber o valor em qualquer agência da Caixa, mediante apresentação de documento de identificação.

A Caixa informou que já pagou R$ 17 bilhões para 22 milhões de trabalhadores, dos quais 6,3 milhões receberam em conta Poupança Social Digital. Os trabalhadores que não têm outro tipo de conta corrente ou poupança no banco podem movimentar os recursos por meio do aplicativo Caixa Tem.

Informações sobre o PIS também podem ser obtidas pelo telefone 0800-726-02-07 da Caixa. O trabalhador pode fazer uma consulta ainda no site www.caixa.gov.br/abonosalarial. Para isso, é preciso ter o número do NIS (PIS/Pasep) em mãos.

Para os servidores públicos que têm direito ao Pasep e são correntistas do Banco do Brasil, os créditos foram realizados em conta de forma automática. Para o demais beneficiários, os pagamentos poderão ser realizados via TED, sem custo, nas agências ou no site www.bb.com.br/pasep.

 

Próximo calendário

O próximo calendário de pagamentos do abono salarial do PIS/Pasep terá início apenas em 2022. A decisão foi tomada pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), que é formado por representantes do governo, dos trabalhadores e dos patrões.

Antes, o benefício era pago a partir do segundo semestre de cada ano. Com o novo calendário, os valores do abono têm início previsto para janeiro de 2022.

 

Fonte: Por G1

Consumir produtos de origem animal que não têm selo de inspeção dos órgãos de controle e fiscalização pode ser perigoso para a saúde, por isso a equipe do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) alerta para a importância da população sempre conferir nas embalagens ou nas carnes a presença da marca dos serviços de inspeção.

“Todo produto de origem animal deve passar por inspeção veterinária que atesta se ele está apto ao não ao consumo humano. Busquem produtos inspecionados que tenham o selo ou o carimbo do SIM, podem comer com segurança, eles passam por avaliação de veterinários e técnicos que não deixam passar nada impróprio”, garante Elke Melo, médica veterinária responsável pela inspeção em frigoríficos.

“A gente pede para a população sempre consumir os produtos que têm o selo, porque são de qualidade e não vão trazer risco de contaminação”, reforça Jocasta Piovesan, médica veterinária responsável pela inspeção nos laticínios e queijarias do município. O SIM faz parte da Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror).

 

Inspeção de carnes abatidas no município

 

Parauapebas conta com três frigoríficos para abate de carnes bovina, suína e de aves. As equipes do SIM realizam trabalho diário de inspeção nesses estabelecimentos.

“Nós observamos o animal ainda vivo, acompanhados de um GTA pra gente saber a origem dele, isso nos dá informações se ele passou por inspeção veterinária desde pequeno até chegar ao ponto de abate. Avaliamos também se é realizado um abate humanitário”, explica Elke.

A equipe segue protocolos internacionais, realizando a inspeção ante mortem, que é um exame que inclui a avaliação documental, do comportamento e do aspecto do animal e seus sintomas de interesse para áreas de saúde animal e de saúde pública, e a inspeção post morten, que atesta a qualidade do produto final.

“Nós temos técnicos de inspeção que ficam em cada linha de produção, programadas para a gente saber todo o funcionamento do animal. Todas as partes do animal são avaliadas. Se a gente encontrar algum com doença, temos que avisar a Adepará para que se mantenha o controle e não se propague”, pontua Elke.

Os animais saudáveis, mas que apresentam contusões e que não estão visivelmente adequados podem ser consumidos de outra forma, eles são destinados para a composição de produtos embutidos e charques, por exemplo, é o chamado aproveitamento condicional.

Inspeção de laticínios e queijarias

Parauapebas produz de forma industrial leite pasteurizado, iogurte, queijos diversos e manteiga. Esses produtos também passam por inspeção do SIM, as equipes realizam vistorias periódicas para avaliar as condições de higiene e o procedimento de produção.

“A gente vai até o estabelecimento, avalia a matéria-prima, o leite como ele chega, e todo o processo de produção, até a embalagem. Se tiver tudo dentro dos conformes, o produto vai para os supermercados e feiras, liberado para o consumo. Cada produto tem um número de registro”, explica Jocasta.

O município conta com dois laticínios e três queijarias que são inspecionadas pelo SIM.

 

Texto: Karine Gomes 
Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP
Página 1 de 12
Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink