A partir de agora, os pais ou responsáveis pelos mais de 47 mil alunos da rede municipal de ensino de Parauapebas já podem acessar o link  disponível no site da prefeitura https://www.parauapebas.pa.gov.br e agendar o recebimento do novo cartão do programa Merenda em Casa.

O agendamento pode ser realizado a qualquer hora e de qualquer lugar, utilizando celular, tablet ou computador conectado a internet. Já os atendimentos começam a partir de quarta-feira, 14, de acordo com os dias e horários definidos.

Para realizar o agendamento, os pais ou responsáveis precisarão informar nome completo, CPF, endereço, e-mail e número de telefone. Ao informar estes dados já aparecerá o nome do aluno (com sua respectiva escola, série e turma). Para continuar clica na confirmação agendamento e escolhe do dia e horário, o que gerará o comprovante, que deve ser apresentado no ato do recebimento, seja impresso ou no celular, junto com documento oficial com foto.

Os pais que possuem mais de um aluno matriculado na mesma escola poderão realizar o agendamento para receber todos os cartões de uma só vez. Eles devem comparecer no ato do recebimento utilizando máscara e portando a própria caneta.

NOVO VALOR DA RECARGA

Uma das novidades do novo cartão é o valor de recarga, que passa de R$ 50,00 para R$ 80,00. O crédito continuará sendo disponibilizado no inicio de cada mês, enquanto durar a suspensão das aulas em virtude da pandemia do novo coronavírus.  

Ele continua sendo destinado exclusivamente para a aquisição de gêneros alimentícios e contará com dezenas de estabelecimentos cadastrados para a aquisição dos alimentos, entre supermercado, açougues, padarias e lanchonetes. 

 

Texto: Messania Cardoso/ Semed

Assessoria de Comunicação/ PMP

A França vai suspender todos os voos entre o país e o Brasil devido às preocupações com a variante brasileira do coronavírus, anunciou nesta terça-feira (13) o primeiro-ministro do Jean Castex, na Assembleia Nacional.

"Constatamos que a situação se agrava e decidimos, portanto, suspender até um novo aviso todos os voos entre Brasil e França", disse ele.

Os franceses temem a ameaça das variantes brasileiras, como a P1, descoberta em Manaus, associada a maior transmissibilidade e letalidade.

Na França, a presença da variante brasileira do coronavírus é minoritária. Os profissionais de saúde alertam há dias que há propagação desse vírus, e os políticos de oposição exigiam que o governo proibisse os voos.

Em entrevista ao "Le Parisien", o epidemiologista Antoine Flahaut afirmou que a variante brasileira "a princípio pode parecer inofensiva, mas logo pode crescer muito rapidamente".

Há um mês, o ministro de Saúde do país, Olivier Veran, disse que cerca de 6% dos casos de Covid-19 na França eram das variantes detectadas inicialmente no Brasil e na África do Sul.

Mesmo antes da suspensão, as viagens já eram restritas. Os viajantes que partiam do Brasil já precisavam mostrar um teste negativo ao chegar à França. Além disso, eram também obrigados a ficar em quarentena durante 10 dias.

 

Covid-19 na França

 

A França teve 5,1 milhões de casos de coronavírus desde o começo da pandemia. Morreram 99 mil pessoas no país.

Há uma onda recente de infecções e internações em Paris e outras cidades.

 

Fonte: Por G1

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou na sexta-feira que, apesar de ser contrário à instalação da CPI da Pandemia neste momento, "não vai trabalhar um milímetro para mitigar a CPI nem para que não seja instalada nem para que não funcione". Ele ressaltou que decisão judicial deve ser cumprida.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, o presidente do Senado também disse que o presidente Jair Bolsonaro "não contribui" com seu discurso negacionista. "Quando ele [Bolsonaro] prega qualquer tipo de negacionismo, eu vou criticar o negacionismo e consequentemente estou criticando a fala dele."

Ontem, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a instalação da CPI da Covid-19 no Senado. A oposição conseguiu as assinaturas necessárias para que a comissão funcionasse, mas Pacheco vinha resistindo em instalá-la.

Após ser comunicado, na quinta-feira, Pacheco disse que vai cumprir a decisão, mas criticou o seu teor. O presidente do Senado afirmou que o momento é "inapropriado" e o colegiado pode representar "o coroamento do insucesso nacional do enfrentamento da pandemia". Embora não esteja previsto nas regras da Casa, ele alegou que adotou um "juízo de conveniência e oportunidade" para não instalar a CPI.

Pacheco adotou postura semelhante ao se manifestar perante o processo no Supremo. Em documento enviado, ele alegou que o momento adequado para instalar uma CPI cabe ao presidente do Senado e que sua criação neste momento não ajudaria na busca por soluções.

 

Fonte: Julia Lindner

 

Com o início do pagamento da primeira parcela da nova rodada do Auxílio Emergencial na terça-feira (6), muitos beneficiários reclamam que seus cadastros para renovação da ajuda em 2021 estão "em processamento" no app Caixa TEM, da Caixa Econômica Federal.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, eximiu o banco de responsabilidade, e afirmou que todos os nomes enviados pela Dataprev, que faz a gestão dos cadastros de beneficiários do auxílio, receberam o depósito prometido. Segundo a Caixa, são mais de 2,4 milhões de pessoas nascidas em janeiro, grupo que recebeu a primeira parcela do benefício na terça.

Já o Ministério da Cidadania, procurado pelo G1, afirmou que o status "em processamento" indica que o requerimento "está passando por uma nova avaliação, realizada a partir das informações mais recentes disponíveis nas bases de dados governamentais".

Com isso, trabalhadores cujo benefício apresente esse status ainda poderão receber os valores, caso venham a ter o requerimento aprovado. As informações sobre o pagamento serão disponibilizadas depois que o Dataprev processar os lotes remanescentes, reprocessar os retidos no primeiro lote e analisar o público do Bolsa Família.

 
Não foi esclarecido, contudo, o motivo do atraso de confirmação de parte dos cadastros.
 

Alcance do benefício diminuiu

Têm direito à nova rodada do Auxílio Emergencial os beneficiários que foram autorizados e receberam a ajuda até o último mês de 2020. No entanto, foram inseridos novos filtros para reduzir o alcance do benefício.

Os principais filtros foram a redução para apenas um beneficiário por família (em vez de dois), e critério de renda – até meio salário mínimo per capita ou 3 salários mínimos ao todo no ambiente familiar. É nessa "limpa de cadastros" que ocorrem os novos processamentos.

Filas no primeiro dia de pagamentos

Houve registro de filas nas unidades da Caixa Econômica Federal no primeiro dia de depósitos, mesmo ser ser possível ainda fazer saques.

Guimarães disse que os critérios de depósito pela data de nascimento foram mantidos para facilitar a compreensão do público e que apenas os beneficiários com cadastro suspenso por suspeita de fraude devem comparecer às agências no momento.

 

Fonte: Por G1

Os trabalhadores que tiveram o Auxílio Emergencial 2021 negado têm até o dia 12 de abril para contestar a decisão, segundo o Ministério da Cidadania.

 

Verifique o status do benefício

 

Para fazer a contestação, o trabalhador precisa primeiro verificar se teve o benefício negado.

Isso pode ser feito no site da Dataprev, empresa estatal responsável por processar os pedidos – clique aqui para acessar. O beneficiário deverá informar o CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento.

A consulta também pode ser feita pelos canais da Caixa: pelo auxilio.caixa.gov.br ou pelo telefone 111.

 

Como contestar

 

A contestação pode ser feita apenas pelo site da Dataprev: https://consultaauxilio.cidadania.gov.b, usando o mesmo caminho para verificar o status do benefício.

Para quem teve o benefício negado – e se encaixa em uma das situações que permitem a contestação (veja como consultar a lista abaixo) – , a página vai trazer um ícone "Solicitar contestação", informando o motivo da negativa.

Após clicar neste botão, será apresentada pergunta se o beneficiário deseja mesmo apresentar a contestação e, quando confirmar, a contestação será enviada para avaliação da Dataprev.

Só são elegíveis à nova rodada de pagamentos os trabalhadores que tinham o direito reconhecido ao Auxílio em dezembro do ano passado. A Dataprev analisou, entre esses beneficiários, quem se encaixa nas regras deste ano. Assim, quem não tinha direito em dezembro não teve o cadastro analisado, e não terá como recorrer.

 

O que pode ser contestado

 

O Ministério da Cidadania listou os motivos que podem ser contestados e o que deve ser feito. A lista está disponível aqui: clique aqui para acessar

Contestação durante os pagamentos

O beneficiário também poderá contestar caso receba uma ou mais parcelas e tenha o pagamento cancelado durante as reavaliações mensais.

Nova rodada

A nova rodada do Auxílio Emergencial começa a ser paga em 6 abril, como medida de resgate aos mais vulneráveis em momento de agravamento da pandemia do coronavírus.

O retorno do benefício será em quatro parcelas, com valores específicos conforme o perfil de quem recebe. O valor médio dessa rodada é de R$ 250, mas pode variar de R$ 150 a R$ 375 a depender da composição de cada família.

 

Fonte: Por G1

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, criticou nesta quinta-feira (1º) a falta de organização no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Brasil. Para ele, o país não fez a articulação necessária para a coordenação dos entes federativos e "não há nada pior em um momento como esse do que a desarticulação".

A declaração foi feita durante uma reunião virtual com o Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras (Conectar), coordenado pela Frente Nacional dos Prefeitos para discutir a imunização contra a Covid-19. O grupo tem adesão de 1,8 mil municípios e tem por objetivo a compra coletiva de imunizantes, medicamentos e insumos em geral de combate à pandemia.

"Não há nada pior num momento desse do que a desarticulação, a falta de coordenação. O Brasil revelou, infelizmente, a partir dessa falta de coordenação, algo que nós não podíamos ter feito. Era preciso ter coordenado desde o início todos os entes federados para poder enfrentar essa pandemia", disse Pacheco.

Durante o encontro, os prefeitos pediram apoio e maior agilidade na aquisição de vacinas, por meio de articulação diplomática do Senado. O consórcio também manifestou preocupação com a atuação da iniciativa privada na vacinação ao que o presidente do Senado afirmou que não rechaça a ideia, mas que ainda tem dúvidas, principalmente, se a autorização afetaria o cronograma de entrega para o poder público.

"[...] Ao se estabelecer essa regra, há o risco de haver algum tipo de concorrência até desleal, porque a iniciativa privada em razão do livre mercado vai adquirir essas vacinas por um preço maior, preços mais altos, se isso não afetaria o cronograma de entrega para o poder público, essa é minha grande dúvida".

Ainda, segundo o presidente do Senado, o Brasil está “correndo atrás do tempo”. Pacheco disse também que "muitos disseram" que o comitê criado para lidar com a pandemia surgiu "com um ano de atraso", mas era "o que podia ser feito".

"Obviamente, nós temos que reconhecer, o Brasil atrasou esse processo, atrasou esse cronograma. Nós estamos correndo atrás do tempo nesse governo. A instituição desse comitê, muitos disseram, com um ano de atraso, mas, vamos dizer, o que nós antevemos, principalmente, quando assumi a presidência do Senado, é o que podia ser feito", disse.

O comitê formado por governo e Congresso foi criado na semana passada para discutir ações contra a pandemia de Covid-19 e teve a primeira reunião na quarta-feira (31).

Pacheco também relatou que pediu ao presidente Jair Bolsonaro para que ele pudesse ser o “coordenador geral de um grupo” para congregar ações no enfrentamento da pandemia, por isso, foi criado um comitê nacional sobre a Covid.

“Muito importante que o presidente da República desse o exemplo”, afirmou.

Sobre a reunião, Pacheco disse que “a realidade do Brasil é que a opção feita, inclusive reconhecendo os méritos do estado de São Paulo, é a iniciativa de fabricar as vacinas no Brasil”.

 

Fonte: Por Rosanne D'Agostino, G1

Precisamos seguir firmes nas medidas contra o novo coronavírus durante o fim de semana - ainda estamos em Lockdown! Na sexta-feira, 26 de março, lamentamos mais três óbitos e registramos 252 novos casos de Covid-19. A taxa de ocupação geral dos leitos está em 95%.

  • Leitos de enfermaria SUS: 100%;
  • Ocupação da UTI SUS: 100%;
  • Taxa de ocupação de enfermarias particular: 89%;
  • Ocupação da UTI particular: 100%.

A UPA está com atendimento exclusivo para pacientes com o vírus. O serviço é ofertado 24h.

 

Registro de óbito:

- Mulher de 52 anos, com HAS. Óbito em 24/03.

- Homem de 67 anos, com doença cardíaca e diabetes. Óbito em 24/03.

- Homem de 64 anos, com doença cardíaca e HAS. Óbito em 24/03.

 

Histórico de pacientes:

1          .           Mulher           de       80       anos.  Internado.     PCR

2          .           Homem          de       45       anos.  Internado.     PCR

3          .           Homem          de       45       anos.  Internado.     PCR

4          .           Homem          de       53       anos.  Internado.     PCR

5          .           Mulher           de       24       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

6          .           Mulher           de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

7          .           Homem          de       49       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

8          .           Homem          de       45       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

9          .           Homem          de       79       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

10       .           Homem          de       24       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

11       .           Homem          de       27       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

12       .           Homem          de       40       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

13       .           Homem          de       43       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

14       .           Homem          de       45       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

15       .           Homem          de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

16       .           Mulher           de       49       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

17       .           Mulher           de       55       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

18       .           Criança         de       12       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

19       .           Homem          de       51       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

20       .           Homem          de       50       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

21       .           Homem          de       22       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

22       .           Homem          de       61       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

23       .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

24       .           Mulher           de       66       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

25       .           Homem          de       42       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

26       .           Mulher           de       57       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

27       .           Criança         de       12       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

28       .           Mulher           de       32       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

29       .           Homem          de       59       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

30       .           Mulher           de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

31       .           Homem          de       57       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

32       .           Mulher           de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

33       .           Mulher           de       20       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

34       .           Mulher           de       58       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

35       .           Mulher           de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

36       .           Homem          de       32       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

37       .           Homem          de       33       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

38       .           Homem          de       24       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

39       .           Mulher           de       68       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

40       .           Mulher           de       15       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

41       .           Mulher           de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

42       .           Homem          de       55       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

43       .           Homem          de       33       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

44       .           Homem          de       26       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

45       .           Mulher           de       40       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

46       .           Homem          de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

47       .           Mulher           de       33       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

48       .           Homem          de       53       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

49       .           Mulher           de       53       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

50       .           Homem          de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

51       .           Homem          de       34       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

52       .           Homem          de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

53       .           Homem          de       42       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

54       .           Homem          de       18       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

55       .           Mulher           de       42       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

56       .           Mulher           de       26       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

57       .           Homem          de       19       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

58       .           Mulher           de       23       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

59       .           Mulher           de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

60       .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

61       .           Mulher           de       51       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

62       .           Homem          de       57       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

63       .           Homem          de       34       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

64       .           Mulher           de       26       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

65       .           Homem          de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

66       .           Mulher           de       32       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

67       .           Homem          de       42       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

68       .           Mulher           de       19       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

69       .           Homem          de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

70       .           Homem          de       30       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

71       .           Mulher           de       32       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

72       .           Homem          de       29       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

73       .           Homem          de       33       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

74       .           Mulher           de       37       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

75       .           Mulher           de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

76       .           Homem          de       16       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

77       .           Homem          de       65       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

78       .           Criança         de       09       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

79       .           Homem          de       44       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

80       .           Homem          de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

81       .           Mulher           de       24       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

82       .           Homem          de       42       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

83       .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

84       .           Homem          de       52       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

85       .           Homem          de       24       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

86       .           Mulher           de       46       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

87       .           Homem          de       34       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

88       .           Mulher           de       44       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

89       .           Mulher           de       53       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

90       .           Mulher           de       17       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

91       .           Mulher           de       37       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

92       .           Homem          de       22       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

93       .           Homem          de       24       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

94       .           Homem          de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

95       .           Mulher           de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

96       .           Mulher           de       45       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

97       .           Criança         de       12       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

98       .           Homem          de       45       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

99       .           Mulher           de       48       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

100     .           Mulher           de       40       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

101     .           Mulher           de       47       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

102     .           Mulher           de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

103     .           Homem          de       39       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

104     .           Homem          de       39       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

105     .           Homem          de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

106     .           Mulher           de       51       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

107     .           Mulher           de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

108     .           Homem          de       15       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

109     .           Homem          de       14       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

110     .           Mulher           de       69       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

111     .           Mulher           de       68       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

112     .           Mulher           de       27       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

113     .           Homem          de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

114     .           Homem          de       40       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

115     .           Homem          de       36       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

116     .           Mulher           de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

117     .           Homem          de       29       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

118     .           Criança         de       09       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

119     .           Homem          de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

120     .           Mulher           de       45       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

121     .           Homem          de       41       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

122     .           Homem          de       64       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

123     .           Homem          de       37       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

124     .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

125     .           Homem          de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

126     .           Mulher           de       22       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

127     .           Homem          de       19       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

128     .           Mulher           de       17       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

129     .           Homem          de       29       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

130     .           Homem          de       21       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

131     .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

132     .           Mulher           de       40       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

133     .           Mulher           de       64       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

134     .           Mulher           de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

135     .           Homem          de       37       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

136     .           Mulher           de       67       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

137     .           Mulher           de       26       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

138     .           Mulher           de       61       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

139     .           Homem          de       67       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

140     .           Homem          de       18       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

141     .           Homem          de       23       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

142     .           Mulher           de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

143     .           Mulher           de       54       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

144     .           Mulher           de       44       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

145     .           Criança         de       10       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

146     .           Mulher           de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

147     .           Homem          de       49       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

148     .           Mulher           de       37       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

149     .           Homem          de       63       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

150     .           Mulher           de       54       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

151     .           Mulher           de       57       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

152     .           Mulher           de       24       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

153     .           Mulher           de       75       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

154     .           Homem          de       20       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

155     .           Mulher           de       59       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

156     .           Mulher           de       29       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

157     .           Mulher           de       45       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

158     .           Homem          de       58       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

159     .           Mulher           de       44       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

160     .           Homem          de       27       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

161     .           Mulher           de       36       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

162     .           Homem          de       59       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

163     .           Homem          de       43       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

164     .           Homem          de       70       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

165     .           Mulher           de       44       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

166     .           Mulher           de       26       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

167     .           Mulher           de       30       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

168     .           Homem          de       80       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

169     .           Homem          de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

170     .           Mulher           de       50       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

171     .           Mulher           de       39       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

172     .           Mulher           de       17       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

173     .           Homem          de       42       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

174     .           Mulher           de       64       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

175     .           Homem          de       39       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

176     .           Mulher           de       32       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

177     .           Homem          de       30       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

178     .           Mulher           de       34       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

179     .           Homem          de       49       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

180     .           Mulher           de       48       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

181     .           Mulher           de       37       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

182     .           Mulher           de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

183     .           Homem          de       59       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

184     .           Homem          de       27       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

185     .           Homem          de       59       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

186     .           Homem          de       64       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

187     .           Mulher           de       17       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

188     .           Homem          de       23       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

189     .           Homem          de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

190     .           Mulher           de       41       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

191     .           Criança         de       09       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

192     .           Mulher           de       65       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

193     .           Mulher           de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

194     .           Homem          de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

195     .           Mulher           de       56       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

196     .           Homem          de       30       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

197     .           Mulher           de       23       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

198     .           Homem          de       45       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

199     .           Homem          de       43       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

200     .           Mulher           de       48       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

201     .           Homem          de       83       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

202     .           Mulher           de       47       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

203     .           Mulher           de       16       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

204     .           Mulher           de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

205     .           Homem          de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

206     .           Homem          de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

207     .           Criança         de       07       anos.  Isolamento domiciliar.        PCR

208     .           Homem          de       48       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

209     .           Homem          de       36       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

210     .           Mulher           de       21       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

211     .           Homem          de       40       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

212     .           Mulher           de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

213     .           Homem          de       40       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

214     .           Homem          de       47       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

215     .           Homem          de       64       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

216     .           Homem          de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

217     .           Mulher           de       75       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

218     .           Homem          de       32       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

219     .           Homem          de       26       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

220     .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

221     .           Homem          de       25       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

222     .           Homem          de       19       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

223     .           Mulher           de       63       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

224     .           Mulher           de       29       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

225     .           Homem          de       44       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

226     .           Mulher           de       41       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

227     .           Mulher           de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

228     .           Homem          de       31       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

229     .           Homem          de       44       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

230     .           Homem          de       21       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

231     .           Homem          de       37       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

232     .           Homem          de       36       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

233     .           Homem          de       32       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

234     .           Mulher           de       29       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

235     .           Mulher           de       23       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

236     .           Mulher           de       28       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

237     .           Homem          de       66       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

238     .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

239     .           Mulher           de       80       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

240     .           Mulher           de       62       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

241     .           Mulher           de       19       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

242     .           Homem          de       38       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

243     .           Homem          de       50       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

244     .           Mulher           de       26       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

245     .           Homem          de       30       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

246     .           Homem          de       19       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

247     .           Mulher           de       59       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

248     .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

249     .           Homem          de       58       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

250     .           Homem          de       41       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

251     .           Homem          de       35       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

252     .           Mulher           de       37       anos.  Isolamento domiciliar.        TR

Conforme anunciado, o prefeito Darci Lermen assinou na manhã de hoje (27) o Decreto nº 1.127, que flexibiliza as medidas restritivas no município. O documento permite o funcionamento de alguns setores da economia e mantém a suspensão de trabalhos presenciais dos serviços públicos não essenciais.

O novo decreto segue as diretrizes do governo estadual, “O Município de Parauapebas, na qualidade de integrante da Zona 01 (bandeira vermelha) deverá resguardar o exercício e o funcionamento das atividades públicas e privadas essenciais, vedada sua interrupção, como também, de alguns setores econômicos e sociais, respeitadas as regras de proteção sanitária e distanciamento social controlado, conforme os termos do Decreto Estadual nº 800, republicado no Diário Oficial do Estado do Pará nº 34533, em 25 de março de 2021”, artigo 2º do decreto municipal.  

Ainda de acordo com o documento, a realização de aulas presenciais nas instituições de ensino privadas fica suspensa até o dia 1º de abril, podendo ser realizadas na modalidade remota. Também estão suspensas visitas aos pacientes internados em unidades de saúde e às instituições municipais que abrigam idosos ou crianças. O decreto nº 1.127 entra em vigor a partir deste domingo, 28.

Serviço público

O atendimento ao público na prefeitura, em atividades não essenciais, continua suspenso. Os servidores que desempenham atividades assistenciais à saúde na rede pública, incluídos os serviços médicos e hospitalares, continuarão a desenvolver suas atividades na modalidade presencial.

Assim como os servidores que atuam em atividades e serviços administrativos nas secretarias municipais de Saúde (Semsa), Assistência Social (Semas) e Segurança e Defesa do Cidadão (Semsi), continuarão a desenvolver suas atividades preferencialmente na modalidade presencial, pois suas atividades são fundamentais para garantir a manutenção de todas as estruturas assistenciais à população.

Confira o Decreto na íntegra aqui.

 

Texto: Karine Gomes

Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Representantes da prefeitura e câmara legislativa receberam uma comissão de proprietários de restaurantes e academias de ginástica de Parauapebas na sede da prefeitura, na quinta-feira, 21.

Os empresários realizaram uma manifestação pacífica em frente ao Centro Administrativo, localizado no Morro dos Ventos. Na pauta da reunião, estão as medidas de enfrentamento à Covid-19 em Parauapebas e o último decreto municipal que restringiu a circulação de pessoas e o funcionamento de estabelecimentos, como forma de contenção da transmissão do vírus. 
As sugestões apresentadas serão colhidas e avaliadas junto ao comitê de crise que monitora o avanço da Covid em nosso município.

A Prefeitura reforça seu compromisso com a saúde e o bem estar de toda a população e não tem medido esforços para atuar em todas as frentes de combate à pandemia. Faça também a sua parte, use máscara, lave as mãos, não faça aglomerações. Vamos juntos vencer esse vírus. 

Prefeitura de Parauapebas. Aqui tem força. Aqui tem trabalho!

 

Assessoria de Comunicação - Ascom/PMP

A indefinição sobre o Ministério da Saúde gerou cobranças da cúpula do Congresso Nacional sobre o Palácio do Planalto. Lideranças, já insatisfeitas com a escolha de Marcelo Queiroga, nome do presidente Jair Bolsonaro para o cargo, exigem que o governo oficialize logo a troca e exonere Eduardo Pazuello.

A demora, segundo fontes do Planalto, deve-se a pendências em empresas ligadas a Queiroga, das quais ele deve se desincompatibilizar. O ministro disse a interlocutores que na semana passada sondou potenciais membros de sua equipe. Ele planeja substituir os secretários de Pazuello.

Chamados para uma reunião com Bolsonaro amanhã para a criação de um comitê para tratar da pandemia, os presidentes de Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e Câmara, Arthur Lira (PP-AL), têm manifestado, cada um a seu estilo, incômodo com a condução do governo e esperam uma guinada na área. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, também deve participar do encontro.

Pacheco espera por medidas concretas. Segundo sua assessoria, o parlamentar deve “cobrar itens como medicamentos para sedação, inclusive adquiridos no exterior, abertura de novos leitos de UTI, cumprimento do cronograma de vacinação e realização de uma força-tarefa imediata junto a laboratórios, como a Pfizer e a Janssen, que possam fornecer imunizantes em quantidades suficientes e no menor tempo possível ao Brasil”.

Escalada de críticas:

O presidente do Senado tem aumentado o tom das críticas públicas ao governo. Em publicação no Twitter ontem, pediu a “coordenação do presidente da República”. Em entrevista à TV Band no domingo, afirmou que “negacionismo se tornou uma brincadeira de mau gosto, macabra e medieval” e defendeu medidas tomadas por prefeitos e governadores.

Cobrado pela instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a omissão do governo na pandemia, Pacheco disse que “há erros sucessivos, e os culpados serão apontados em algum momento”.

Lira, por sua vez, permanece irritado com a escolha de Queiroga, anunciado após Bolsonaro descartar Ludhmila Hajjar, que havia sido elogiada publicamente por ele.

No Centrão, o preferido era Dr. Luizinho (PP-RJ) para o cargo. Aliados próximos de Lira se incomodaram com as declarações de Queiroga na última semana. Acreditam que ele terá uma posição submissa ao presidente, o que tornaria difícil qualquer mudança substancial na gestão da crise na Saúde.

O vice-presidente da Casa, Marcelo Ramos (PL-AM), fez uma cobrança pública. Ao contrário de Lira, Ramos busca se opor explicitamente a Bolsonaro.

“A reunião de quarta entre presidente de Poderes e governadores não pode passar de uma conversa sem consequências. É preciso repor a ordem para que o país tenha vacina no braço e comida no prato. Convoco o povo brasileiro para que acompanhe a reunião e cobre resultados concretos”, postou nas redes sociais.

Ele também se pronunciou sobre a situação do ministro que ainda não tomou posse. “É surreal que durante o momento mais grave da pandemia tenhamos um ministro demitido que continue no cargo e um ministro escolhido que não assume. As pessoas morrendo e o país sem ministro”, protestou.

 

Fonte: Natália Portinari, Bruno Góes e Paulo Cappelli

Página 1 de 18
Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink