A França vai suspender todos os voos entre o país e o Brasil devido às preocupações com a variante brasileira do coronavírus, anunciou nesta terça-feira (13) o primeiro-ministro do Jean Castex, na Assembleia Nacional.

"Constatamos que a situação se agrava e decidimos, portanto, suspender até um novo aviso todos os voos entre Brasil e França", disse ele.

Os franceses temem a ameaça das variantes brasileiras, como a P1, descoberta em Manaus, associada a maior transmissibilidade e letalidade.

Na França, a presença da variante brasileira do coronavírus é minoritária. Os profissionais de saúde alertam há dias que há propagação desse vírus, e os políticos de oposição exigiam que o governo proibisse os voos.

Em entrevista ao "Le Parisien", o epidemiologista Antoine Flahaut afirmou que a variante brasileira "a princípio pode parecer inofensiva, mas logo pode crescer muito rapidamente".

Há um mês, o ministro de Saúde do país, Olivier Veran, disse que cerca de 6% dos casos de Covid-19 na França eram das variantes detectadas inicialmente no Brasil e na África do Sul.

Mesmo antes da suspensão, as viagens já eram restritas. Os viajantes que partiam do Brasil já precisavam mostrar um teste negativo ao chegar à França. Além disso, eram também obrigados a ficar em quarentena durante 10 dias.

 

Covid-19 na França

 

A França teve 5,1 milhões de casos de coronavírus desde o começo da pandemia. Morreram 99 mil pessoas no país.

Há uma onda recente de infecções e internações em Paris e outras cidades.

 

Fonte: Por G1

Horas depois da goleada sofrida para o Paris Saint-Germain, na Liga dos Campeões, o atacante Antoine Griezmann, do Barcelona, viajou em avião privado para a França, para ver a sua família. O elenco recebeu da comissão técnica dois dias de folga (decisão anterior à partida), e o próximo reencontro será no treino de sexta-feira.

Griezmann foi um dos personagens mais mencionados da goleada por causa da discussão com o zagueiro Piqué. Eles trocaram ofensas durante o primeiro tempo. O atacante francês foi um dos poucos a atender a imprensa após a derrota. Já no aeroporto, ele preferiu não falar com os jornalistas.

" É duro levar quatro gols em casa. Contra adversários assim, precisamos fazer um jogo perfeito, mas não fizemos."

Além das críticas pela atuação contra o Paris Saint-Germain, Griezmann também foi alvo de comentários negativos nas redes sociais por sair de casa após as 22h, furando assim o toque de recolher implementado na Catalunha como medida de prevenção ao coronavírus.

Com a derrota por 4 a 1, o Barcelona precisa vencer por quatro gols de diferença no jogo de volta para avançar às quartas de final da Liga dos Campeões. Para se classificar com uma vitória por três gols a mais, precisa anotar pelo menos cinco gols ou mais.

-Essa não é a imagem que queremos dar. Temos que trabalhar e seguir em frente, tentar até o último segundo. Vamos para ganhar, sabendo que vai ser complicado, mas não vamos de visita - disse.

O Barcelona volta a campo no próximo domingo, para enfrentar o Cádiz pelo Campeonato Espanhol. O time catalão está em terceiro lugar na competição nacional, com 46 pontos, oito a menos do que o líder Atlético de Madrid. Já o próximo embate contra o PSG na Champions será no dia 10 de março, no Parque dos Príncipes.

 

Fonte: Por Redação do ge — Barcelona, Espanha

 

 

Um incêndio atingiu a Catedral de São Pedro e São Paulo, em Nantes, na França, neste sábado (18). O fogo foi rapidamente controlado e ninguém ficou ferido.

Vitrais do século XVI e o órgão foram destruídos. Uma fumaça preta foi vista saindo entre as suas torres, mas não chegou a atingir o telhado da construção que tem estilo gótico.

O padre François Renaud, que é o administrador diocesano, que chegou a entrar com os bombeiros na catedral depois do incêndio afirmou que a destruição não se assemelha à da Notre Dame de Paris, que foi consumida pelas chamas em abril de 2019, mas que a perda do órgão é “inestimável”.

O procurador da república em Nantes afirmou que foi aberta uma investigação sobre a suspeita de que o incêndio tenha sido criminoso, de acordo com o jornal “Le Monde”.

Essa não é a primeira vez que a catedral é atingida por um incêndio. Em 1972, o telhado da igreja, construída entre o século XV e XIX, ficou destruído. Os trabalhos de reparação duraram 13 anos.

 

Fonte: Por G1

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink