No início deste mês, o Ministério da Economia anunciou que pode liberar uma linha especial de crédito consignado para inscritos no Bolsa Família. A novidade vai permitir a contratação de empréstimos com taxas de juros reduzidas pelos beneficiários do programa social.

Caso seja aprovada a proposta, o valor do empréstimo poderá corresponder até 30% do benefício recebido pelo solicitante. Todos os inscritos no programa poderão solicitar o microcrédito sem precisar comprovar renda mínima.

A contratação do crédito poderá ser feita pela internet, no aplicativo Caixa Tem. O interessado poderá fazer uma simulação antes de solicitar o dinheiro, evitando surpresas com o valor final das parcelas após o acréscimo de juros.

Vale destacar que, caso o contratante do empréstimo seja excluído do Bolsa Família, ele ainda terá que quitar o valor do consignado. Caso contrário, seu nome será incluído na dívida ativa.

A medida deve integrar uma série de mudanças esperadas para o Bolsa Família. O governo federal quer reformular o programa, inclusive com a mudança do nome para Renda Cidadã. Além disso, também é esperada a inclusão de novos beneficiários e o aumento do valor médio do benefício.

 

Fonte: LORENA DE SOUSA

 
 

 

Em 2021, o Auxílio Emergencial foi novamente disponibilizado pelo governo para pessoas em situação de vulnerabilidade econômica. Porém, desta vez, o número de beneficiários atendidos foi bem menor, passando de cerca de 65 milhões para apenas 44 milhões de brasileiros. Além disso, os valores também diminuíram, partindo de R$ 600 e R$ 1.200 para R$ 150, R$ 250 e R$ 375.
 
Além disso, muitas pessoas tiveram seu pedido do Auxílio Emergencial negado pelo governo. O motivo pode variar, mas existem alguns recorrentes. Descubra, a seguir, as prováveis causas de se ter o auxílio emergencial negado no Caixa Tem.
 
Descubra os prováveis motivos de ter o auxílio emergencial negado no Caixa Tem
 
Então, em primeiro lugar, um dos principais motivos pode ser pertencer à família que já tenha uma pessoa recebendo o auxílio emergencial 2021. Afinal, o benefício dessa vez é apenas para um cidadão por família.
 
Portanto, se você não recebia o valor em 2020, não poderá receber agora. Isso também porque apenas pessoas que já estavam cadastradas para receber o Auxílio Emergencial entraram nessa lista. Mas, existem alguns outros critérios que podem ter feito o seu pedido de benefícios ser negado pelo governo.
 
Por exemplo, caso você:
 
Tenha vínculo de emprego formal ativo;
 
Esteja recebendo benefícios do governo federal (menos abono salarial e Bolsa Família);
 
Tenha renda familiar mensal per capita superior a meio salário mínimo;
 
Seja membro de família que tenha renda mensal total superior a três salários mínimos;
 
Seja residente no exterior;
 
No ano de 2019, tenha recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
 
Tinha, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive a terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00;
 
No ano de 2019, tenha recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.000,00;
 
Tenha sido declarado, no ano de 2019, como dependente na condição de: a) cônjuge; b) companheiro com o qual o contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de cinco anos; ou filho/enteado com menos de 21 anos; ou filho/enteado com menos de 24 anos que esteja matriculado em instituição de nível médio técnico ou superior;
 
Esteja preso em regime fechado ou tenha seu CPF vinculado, como instituidor à concessão de auxílio-reclusão;
 
Tenha menos de 18 anos de idade (exceto no caso de mães adolescentes);
 
Possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal;
 
Esteja com o auxílio emergencial (ou residual) de 2020 cancelado no momento da avaliação para as novas parcelas de 2021;
 
Não tenha movimentado os valores relativos ao auxílio emergencial de 2020; e
Seja estagiário, residente médico ou residente multiprofissional, beneficiário de bolsa de estudo da Capes, do CNPq ou similares.
 
 
Fonte: https://www.empregabilidadebrasil.com
Às vésperas de retomar o pagamento do auxílio emergencial, a Caixa Econômica Federal convida os usuários do aplicativo Caixa Tem a atualizar os dados cadastrais. Clientes nascidos em junho podem fazer o procedimento a partir de hoje (23).

A atualização é feita inteiramente pelo celular, bastando o usuário seguir as instruções do aplicativo, usado para movimentar as contas poupança digitais. Segundo a Caixa, o procedimento pretende trazer mais segurança para o recebimento de benefícios e prevenir fraudes.

Ao entrar no aplicativo, o usuário deve acessar a conversa “Atualize seu cadastro”. Em seguida, é necessário enviar uma foto (selfie) e os documentos pessoais (identidade, CPF e comprovante de endereço).

O calendário de atualização seguirá um cronograma escalonado, conforme o mês de nascimento dos clientes. O cronograma começou no último dia 14 para os nascidos em janeiro e encerrará em 31 de março, para os nascidos em dezembro.

 

Confira o cronograma completo abaixo:

Mês de nascimento

Data de atualização

Janeiro

14/3 (domingo)

Fevereiro

16/3 (terça)

Março

18/3 (quinta)

Abril

20/3 (sábado)

Maio

22/3 (segunda)

Junho

23/3 (terça)

Julho

24/3 (quarta)

Agosto

25/3 (quinta)

Setembro

26/3 (sexta)

Outubro

29/3 (segunda)

Novembro

30/3 (terça)

Dezembro

31/3 (quarta)

 

No ano passado, a Caixa abriu mais de 105 milhões de contas poupança digitais, das quais 35 milhões para brasileiros que nunca tiveram contas em banco. Além do auxílio emergencial, o Caixa Tem foi usado para o pagamento do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm).

Uma lei sancionada no fim de outubro autorizou a ampliação do uso das contas poupança digitais para o pagamento de outros benefícios sociais e previdenciários. Desde dezembro, os beneficiários do Bolsa Família e do abono salarial passaram a receber por essa modalidade.

 

Fonte: Por Wellton Máximo - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Às vésperas de retomar o pagamento do auxílio emergencial, a Caixa Econômica Federal convida os usuários do aplicativo Caixa Tem a atualizar os dados cadastrais no aplicativo. Clientes nascidos em maio podem fazer o procedimento a partir de hoje (22).

A atualização é feita inteiramente pelo celular, bastando o usuário seguir as instruções do aplicativo, usado para movimentar as contas poupança digitais. Segundo a Caixa, o procedimento pretende trazer mais segurança para o recebimento de benefícios e prevenir fraudes.

Ao entrar no aplicativo, o usuário deve acessar a conversa “Atualize seu cadastro”. Em seguida, é necessário enviar uma foto (selfie) e os documentos pessoais (identidade, CPF e comprovante de endereço).

O calendário de atualização seguirá um cronograma escalonado, conforme o mês de nascimento dos clientes. O cronograma começou no último dia 14 para os nascidos em janeiro e encerrará em 31 de março, para os nascidos em dezembro.

No ano passado, a Caixa abriu mais de 105 milhões de contas poupança digitais, das quais 35 milhões para brasileiros que nunca tiveram contas em banco. Além do auxílio emergencial, o Caixa Tem foi usado para o pagamento do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm).

Uma lei sancionada no fim de outubro autorizou a ampliação do uso das contas poupança digitais para o pagamento de outros benefícios sociais e previdenciários. Desde dezembro, os beneficiários do Bolsa Família e do abono salarial passaram a receber por essa modalidade.

Confira o cronograma completo abaixo:

Mês de nascimento

Data de atualização

Janeiro

14/3 (domingo)

Fevereiro

16/3 (terça)

Março

18/3 (quinta)

Abril

20/3 (sábado)

Maio

22/3 (segunda)

Junho

23/3 (terça)

Julho

24/3 (quarta)

Agosto

25/3 (quinta)

Setembro

26/3 (sexta)

Outubro

29/3 (segunda)

Novembro

30/3 (terça)

Dezembro

31/3 (quarta)

 

Fonte: Por Wellton Máximo - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Desde que o auxílio emergencial e o saque do FGTS começou a ser pago, o aplicativo Caixa Tem, utilizado para movimentar o dinheiro, passa por instabilidades durante o período em que o valor é depositado para o beneficiário. O problema está causado transtornos e virou dor de cabeça para muitos brasileiros. Em busca de respostas, beneficiários são orientados a recorrer ao atendimento presencial nas agências, mesmo em meio à pandemia de covid-19.

A diarista Denise Silva, de 38 anos, chegou cedo à agência da Caixa na Quadra 102 do Sudoeste, o único jeito de resolver o problema que a impede de receber o auxílio emergencial de R$ 600. Ela conta que deveria ser beneficiada com a terceira parcela no dia 22 de julho, mas até agora não conseguiu receber nem a segunda parcela do benefício.

Para retirar o dinheiro em lotéricas ou caixas eletrônicos, o beneficiário precisa de um código gerado pelo aplicativo. Mesmo com o app instalado, Denise reclama da instabilidade no programa. "A única solução foi vir na agência, porque ligo no 111 e dizem que o dinheiro já caiu automaticamente na conta, mas não consigo acessar", explica. "Conheço muita gente que está com o mesmo problema. Eu preciso desse auxílio, minhas contas estão todas atrasadas", desabafa a diarista.

O operador de caixa Fernando Alves, de 38 anos, enfrenta o mesmo problema. Ele tenta acessar o auxílio emergencial do FGTS, creditado nesta segunda-feira (20/7), aos trabalhadores nascidos em abril. "O aplicativo não funciona. Coloco meus dados no cadastro e aparece uma tela pedindo para voltar ao início novamente. Por isso vim na agência ver o que podem fazer no meu caso", comenta.  O valor do saque é de até R$ 1.045, considerando a soma dos saldos de todas as contas ativas ou inativas com saldo no FGTS.

Os relatos dos usuários nas redes sociais indicam que as instabilidades no app acontecem desde o acesso, passando por serviços indisponíveis, até o "sumiço" do benefício do extrato do Caixa Tem. A outros usuários, a plataforma pede para regularizar o cadastro do aplicativo.

Caixa se explica

O Correio está em contato com a Caixa Econômica Federal há duas semanas para entender o que os usuários que enfrentam problemas podem fazer para resolver a questão. O banco alega constantemente que os problemas são causados pela alta demanda - que já registrou mais de 500 mil acessos simultâneos - e diz que as falhas não estão associadas a ataques hackers, ao contrário do que admitiu o presidente da instituição Pedro Guimarães, na sexta-feira (17/7).

Segundo a Caixa, em alguns casos de "sumiço" do dinheiro das contas, é possível que o auxílio tenha sido transferido automaticamente da conta social para a conta bancária informada pelo beneficiário no momento do cadastro.

Já nos casos de bloqueios, o banco explica que a área de segurança "monitora continuamente as contas e acessos e, em caso de suspeita, realiza o bloqueio preventivo da conta para proteger os clientes". Nesses casos, usuários que recebem a mensagem: “procure uma agência da Caixa com seu documento de identidade para regularizar seu cadastro”, devem seguir essa orientação para a regularização do acesso e conta.

Segundo a instituição, já foram pagos mais de R$ 121 bilhões em auxílios para 65,2 milhões de pessoas desde o início da pandemia de covid-19.

 

Fonte: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Nesta terça-feira, diversos usuários seguem relatando problemas e falhas no sistema do aplicativo Caixa Tem utilizado pelo governo para disponibilizar os recursos do auxílio emergencial e o FGTS emergencial. 

Na última segunda-feira, 13 de julho, em nota, a Caixa informou “que tem realizado uma série de melhorias no Caixa Tem, otimizando soluções e infraestrutura para melhor atender a todos os brasileiros”. 

De acordo com a Caixa, hoje já é possível verificar uma “diminuição brusca no tempo de espera para acessar o aplicativo”. No entanto, em horários de pico ainda é possível que ocorra a intermitência momentânea em alguns serviços. 

Trabalhadores continuam relatando problemas no aplicativo, como filas e dificuldade para pagar boletos e fazer compras. O dinheiro está disponível no aplicativo, mas muitos não conseguem usá-lo. 

A Caixa informou que, o aplicativo Caixa Tem já ultrapassou a marca de 59 milhões de poupanças sociais digitais, 20,6 milhões de pagamentos de boletos e seis milhões de compras com QR Code. No total, 41,2 milhões de brasileiros acessam regularmente o Caixa Tem.

Caixa LIBERA 3 saques do auxílio de R$600 nesta terça

Nesta terça-feira, 14 de julho, a Caixa Econômica Federal liberou três saques da primeira parcela do auxílio emergencial no valor de R$600 para mais um grupo de beneficiários. De acordo com o Governo, poderão receber os nascidos em junho do 3º lote de aprovados que não são beneficiários do Bolsa Família.

pagamento do auxílio emergencial no valor de R$600 segue dois calendários diferentes:

  • Inicialmente, os depósitos são feitos em poupança digital. O valor só pode ser usado para pagamento de boletos e compras online. Para esse lote de beneficiários, os depósitos ocorreram nos dias 16 ou 17 de junho.
  • O segundo calendário é para sacar em espécie ou realizar transferência, de acordo com o mês de aniversário.

O governo realizou alterações no calendário de saques do 3º lote de aprovados. Quem pode retirar e transferir o dinheiro a partir de hoje os nascidos em outubro, novembro e dezembro.

Quem pode receber o auxílio emergencial?

O projeto altera uma lei de 1993, que trata da organização da assistência social no país. De acordo com o texto, durante o período de três meses será concedido auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • seja maior de 18 anos;
  • não tenha emprego formal;
  • não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o bolsa-família;
  • a renda mensal per capita seja de até meio salário mínimos ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;
  • que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

O auxílio vai ser cortado caso aconteça o descumprimento dos requisitos acima. O texto também deixa claro que o trabalhador deve exercer atividade na condição de:

  • microempreendedor individual (MEI); ou
  • contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria; ou
  • trabalhador informal, seja empregado ou autônomo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), até 20 de março de 2020, ou que se encaixe nos critérios de renda familiar mensal mencionados acima.

 

Fonte: 

Nesta quinta-feira (08), usuários que tentavam acessar os aplicativos Caixa Tem, FGTS e loterias relataram que tiveram que enfrentar lentidão e instabilidade. Ainda, há relatos de problemas para entrar no aplicativo do internet banking da Caixa.  

Trabalhadores relatam dificuldades desde a última quinta-feira (02) com o aplicativo Caixa Tem, que é usado para movimentar o dinheiro do auxílio emergencial e o FGTS emergencial.  

Nesta quinta, usuários também enfrentaram fila no aplicativo FGTS, onde o trabalhador pode consultar o saldo de suas contas e até saber em qual data o recurso será depositado na poupança digital da Caixa. 

Aqueles que tentaram entrar no aplicativo de loterias da Caixa na manhã de hoje também se depararam com problemas. Usuários foram informados que o serviço estava indisponível. O aplicativo do internet banking da Caixa também apresentava problemas, com um aviso de que não era possível estabelecer conexão com a internet, mesmo não havendo problemas na rede de conexão.  

Liberação de R$600 HOJE

O calendário de saque e transferência do auxílio emergencial de R$ 600 segue sendo pago a nesta quarta-feira, 08 de julho. Esse cronograma é válido para quem recebeu a primeira parcela nos dias 16 e 17 de junho.

No dia 16 de junho, o depósito foi feito em conta poupança social digital da Caixa para nascidos entre janeiro e junho. No dia 17 de junho, o depósito foi feito para os nascidos entre julho e dezembro.

O dinheiro depositado em conta poupança social da Caixa pode ser utilizado pelo aplicativo Caixa Tem, que vem apresentando instabilidade nos últimos dias, para compras pelo cartão de débito virtual e pagamento de boletos.

O saque em espécie e transferência será liberado nesta terça-feira para os beneficiários nascidos em fevereiro. O calendário é dividido por mês de aniversário dos beneficiários para evitar filas e aglomeração nas agências da Caixa.

 

Fonte: 

PONTOS CHAVES:

  • Após queixas sobre falha no Caixa Tem, banco anuncia novo app
  • Atualização do aplicativo será lançada nesta semana 
  • Trabalhadores podem optar pelo saque presencial a partir de hoje (27)!

Caixa anuncia o lançamento de uma nova ferramenta para auxiliar no pagamento do coronavoucher. A instituição informou em conversa com o FDR que estará lançando uma nova versão do aplicativo Caixa Tem. A plataforma, utilizada para administrar as liberações dos benefícios governamentais, passará a contar com a opção de ‘saque sem cartão’ para aqueles que receberem por meio da poupança digital. Seu funcionamento deve começar a partir da próxima semana, ainda sem data exata.  

De acordo com a instituição, a iniciativa de desenvolver uma nova versão do aplicativo tem como finalidade otimizar os pagamentos do auxílio emergencial. Por dia, a ferramenta conta com mais de 20 milhões de transações, fazendo com que em alguns momentos o serviço caia devido a superlotação do acesso.  

Para corrigir tais erros, a Caixa informou que está atualizando o software da plataforma, que contará também com novos serviços. Além da tradicional função que permite consultar os valores recebidos, os usuários poderão sacar os benefícios sem a apresentação de cartões físicos e fazer transições para outras contas. 

O acesso permanecerá gratuito e imediato. A rede aumentou o número de quantidades de pessoas que poderá conferir as contas digitais simultaneamente, com a finalidade de reduzir o tempo nas filas de espera. Desse modo, espera-se que mais de 50 milhões de pessoas consigam conferir os dados em tempo real. 

Quem pode acessar o Caixa Tem 

A ferramenta é disponível para todos os que se inscreveram para receber o auxílio emergencial, mas não possuem conta bancária e optarem por criar a sua versão com a conta digital da Caixa.

Para quem já tem conta no banco, seja corrente ou poupança, inscritos no CadÚnico e Bolsa Família, e todos que optaram por receber o dinheiro em outra instituição, não devem baixar o app Caixa Tem. 

Para quem faz parte da poupança digital, o Caixa Tem funciona como uma espécie de internet banking, autorizando transações, datas e mais.  

Redução nas agências físicas  

Desde que lançou a ferramenta, a Caixa pede para que os beneficiários não compareçam até suas unidades físicas para evitar o contágio do covid-19. 

De acordo com a instituição, o valor debitado no Caixa Tem pode ser utilizado por meio de um código autorizador que permite a realização de saques em qualquer caixa eletrônico e nas casas lotéricas. 

O repasse desse serviço tem como finalidade minimizar o número de pessoas nas unidades da Caixa, que também vem administrando pagamentos como o PIS, Bolsa Família e FGTS. 

A instituição afirma que está tomando todas as medidas de segurança necessárias para evitar o coronavírus, mas que ainda assim é preciso da colaboração da população no que diz respeito a formulação de aglomerações.  

Calendário de saques para os beneficiários do Caixa Tem  

Quem for receber pela poupança digital precisa ficar atendo as datas de pagamento. Os valores serão creditados pelo aplicativo e poderão ser sacados nas unidades da Caixa e das lotéricas nas seguintes datas abaixo:  

  • 27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro
  • 28 de abril – nascidos em março e abril
  • 29 de abril – nascidos em maio e junho
  • 30 de abril – nascidos julho e agosto
  • 04 de maio – nascidos em setembro e outubro
  • 05 de maio – nascidos em novembro e dezembro

Lembrando que no aplicativo é possível fazer pagamento de boletos, transferências para outras instituições, e compras online por meio do cartão digital.

Sobre o auxílio emergencial  

Trata-se de um benefício social, ofertado pelo governo federal, que tem como finalidade ajudar a população de baixa renda a enfrentar a crise econômica gerada pelo novo coronavírus. Seu pagamento começou no mês de abril e se estendeu até junho. Os valores variam entre R$ 600 e R$ 1.200 (para chefes de família).  

Tem direito ao pagamento aqueles que estiverem cadastrados no Bolsa Família, são desempregados, autônomos e apresentarem uma renda per capita de até R$ 522. Também poderão ter acesso automático a quantia, brasileiros que estão devidamente registrado no Cadastro Único.  

Atualmente, as inscrições estão sendo feitas por meio do aplicativo Auxílio Emergencial, que solicita os dados pessoais como: nome completo, endereço, informes de renda e dados bancários.

Os pagamentos ocorrerão em três parcelas e estão sujeitos a prorrogação a depender da proliferação da pandemia.  

Fonte: 
Por Eduarda Andradehttps://fdr.com.br

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink