Dono da maior torcida do Brasil, o Flamengo sempre se apresentou como uma forte marca aliada para marketing. Nos últimos anos, a proporção se tornou maior ainda, por conta dos títulos conquistados e consequente ascensão. Apesar disso, indo na contramão, o clube se encontra atualmente com pendências a tratar relacionadas a patrocínios, afinal, dois dos espaços mais nobres do uniforme da equipe de futebol estão vazios: as mangas e as costas.

Antes ocupada pela MRV, a parte posterior do uniforme ficou vaga na camisa desde a estreia no Campeonato Carioca de 2021, na última terça-feira (02), contra o Nova Iguaçu. No entanto, em dezembro do ano anterior, já era de conhecimento da diretoria que a renovação com a empresa ligada à área de construção civil não seguiria.

Quanto ao outro espaço, anteriormente ocupado pela Buser, o Flamengo negocia há cerca de nove meses, porém, nada concreto até então. Em julho de 2020, o presidente Rodolfo Landim se pronunciou e garantiu que o clube tinha um leque de opções para fechar acordo.

– A gente está conversando com mais de uma empresa sobre isso, não tem definição, a gente está avaliando propostas. Manga e calção já estão bem avançados, mas temos algumas alternativas e a turma do marketing está no meio do processo de negociação -, disse ele na ocasião.

Segundo informação da repórter Gabriela Moreira, o Fla cobra R$ 10 milhões por cada um dos espaços, fator que pode emperrar os acertos. Sem os patrocínios, o Flamengo se vê longe da previsão orçada, que é de R$ 149 milhões. Vale destacar que a quantia apresenta um aumento de R$ 40 milhões em relação à anterior. Logo, se a ideia era superar, o clube terá trabalho, uma vez que, até o atual momento, o cenário tem sido mais negativo.

 

Fonte: https://colunadofla.com

 

O Inter está no mercado em busca de peças para tornar viável o modelo de jogo do novo técnico Miguel Ángel Ramírez. O treinador diagnosticou como principal carência do grupo colorado a falta de ponteiros e quer, ainda, a contratação de um zagueiro técnico e de um primeiro volante com alta qualidade no passe.

 

Como as equipes de Ramírez costumam ter uma alta posse de bola, o passe é uma virtude importante para todos os atletas. Na defesa, o treinador gosta de contar com zagueiros técnicos. Além disso, a lesão grave de Rodrigo Moledo criou uma carência numérica no setor. Diante disso, um novo defensor será buscado.

No modelo de Ramírez, o camisa 5 é uma espécie de "cérebro" do meio-campo, vital para a armação das jogadas. Para isso, é necessário que o primeiro volante tenha uma boa qualidade, tanto no passe curto como no passe longo. Na avaliação do treinador, não há jogadores com esta característica no grupo.

Atual titular, o volante Rodrigo Dourado tem um bom passe curto, mas não tem como virtude o passe longo. O meio-campista deve receber uma chance, mas, caso não se adapte ao esquema, não está descartado que o camisa 13 seja experimentado como zagueiro.

Contudo, a principal carência é a falta de ponteiros. Como o grupo de 2020 foi montado quando o técnico era Eduardo Coudet, que não utilizava atacantes pelo lado, um dos problemas é a escassez de atletas com esta característica. Os únicos são o garoto Caio Vidal, que foi buscado na base por Abel Braga, e Guilherme Pato, que voltou de empréstimo da Ponte Preta. 

O reforço mais próximo é justamente um ponta direita. O atacante chileno Carlos Palacios, 20 anos, do Unión Española-CHI, depende de poucos detalhes para ser anunciado. Um outro jogador para o lado esquerdo ainda será buscado.

 

Confirma os quatro reforços que são prioridade no Inter: 

 

Zagueiro técnico:


Ramírez quer um zagueiro com boa qualidade no passe, algo vital para o seu esquema em que a posse de bola costuma ser alta. 

 

Camisa 5:


No esquema do espanhol, o primeiro volante precisa ser bom no passe curto e no passe longo, pois é um jogador vital para organizar as jogadas e armar o jogo. 

 

Ponta-direita e ponta-esquerda:


Adepto do 4-3-3, Ramírez joga com atacantes abertos pelas extremidades do campo. No grupo colorado, há uma carência de atletas que atuam nesta função.

 

Fonte: https://gauchazh.clicrbs.com.br

Ao marcar o gol da vitória do Red Bull Bragantino por 1 a 0 sobre o Grêmio, na última rodada do Campeonato Brasileiro, Claudinho garantiu a artilharia da competição, ao lado de Luciano, do São Paulo, com 18 gols. O posto de principal goleador do torneio ainda faz Claudinho se tornar o quarto jogador de times do interior de São Paulo a alcançar artilharia do Brasileirão.

Claudinho foi o principal destaque do Bragantino na competição e ajudou o clube a conquistar uma vaga na Sul-Americana. Foram 18 gols em 35 jogos. O número de gols o coloca como principal artilheiro do Massa Bruta em uma só edição do Brasileiro, superando o atacante Kelly, que marcou 11 em 1995.

O meia-atacante também entrou para a lista de goleadores por times do interior de São Paulo. Ele é o 4° jogador a conseguir esse feito desde 1971, quando o torneio passou a se chamar "Campeonato Brasileiro".

Além dele, William Pottker foi artilheiro pela Ponte Preta em 2016, Edmar e Amoroso, que conquistaram a artilharia quando jogavam pelo Guarani, em 1985 e 1994, respectivamente.

 

Veja a lista completa dos artilheiros do Brasileirão desde 1971:

  • 1971: Dadá Maravilha (Atlético-MG) - 15 gols
  • 1972: Dadá Maravilha (Atlético-MG) e Pedro Rocha (São Paulo) - 17
  • 1973: Ramón (Santa Cruz) - 21
  • 1974: Roberto Dinamite (Vasco) - 16
  • 1975: Flávio Minuano (Internacional) - 16
  • 1976: Dadá Maravilha (Internacional) - 16
  • 1977: Reinaldo (Atlético-MG) - 28
  • 1978: Paulinho (Vasco) - 19
  • 1979: César (América-RJ) - 13
  • 1980: Zico (Flamengo) - 21
  • 1981: Nunes (Flamengo) - 16
  • 1982: Zico (Flamengo) - 20
  • 1983: Serginho Chulapa (Santos) - 22
  • 1984: Roberto Dinamite (Vasco) - 16
  • 1985: Edmar (Guarani) - 20
  • 1986: Careca (São Paulo) - 25
  • 1987: Muller (São Paulo) - 10
  • 1988: Nilson (Internacional) - 15
  • 1989: Túlio (Goiás) - 11
  • 1990: Charles (Bahia) - 11
  • 1991: Paulinho McLaren (Santos) - 15
  • 1992: Bebeto (Vasco) - 18
  • 1993: Guga (Santos) - 15
  • 1994: Amoroso (Guarani) e Túlio (Botafogo) - 19
  • 1995: Túlio (Botafogo) - 23
  • 1996: Paulo Nunes (Grêmio) e Renaldo (Atlético-MG) - 16
  • 1997: Edmundo (Vasco) - 29
  • 1998: Viola (Santos) - 21
  • 1999: Guilherme (Atlético-MG) - 28
  • 2000: Dill (Goiás), Magno Alves (Fluminense) e Romário (Vasco) - 21
  • 2001: Romário (Vasco) - 21
  • 2002: Luis Fabiano (São Paulo) e Rodrigo Fabri (Grêmio) - 19
  • 2003: Dimba (Goiás) - 31
  • 2004: Washington (Athletico) - 34
  • 2005: Romário (Vasco) - 22
  • 2006: Souza (Goiás) - 17
  • 2007: Josiel (Paraná) - 20
  • 2008: Washington (Fluminense), Keirrison (Coritiba) e Kléber Pereira (Santos) - 21
  • 2009: Adriano (Flamengo) e Diego Tardelli (Atlético-MG) - 19
  • 2010: Jonas (Grêmio) - 23
  • 2011: Borges (Santos) - 23
  • 2012: Fred (Fluminense) - 20
  • 2013: Éderson (Athletico) - 21
  • 2014: Fred (Fluminense) - 18
  • 2015: Ricardo Oliveira (Santos) - 20
  • 2016: Fred (Atlético-MG e Fluminense), William Pottker (Ponte Preta) e Diego Souza (Sport) - 14
  • 2017: Jô (Corinthians) e Henrique Dourado (Fluminense) - 18
  • 2018: Gabigol (Santos) - 18
  • 2019: Gabigol (Flamengo) - 25
  • 2020: Luciano (São Paulo) e Claudinho (Bragantino) - 18

 

Fonte: https://gshow.globo.com

O Flamengo precisa vencer o São Paulo nesta quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Morumbi, para ser campeão brasileiro sem depender de nenhum outro resultado - o Internacional não vencer. A má fase tricolor e a força rubro-negra fazem o apresentador André Rizek acreditar no segundo título nacional seguido do time comandado pelo técnico Rogério Ceni.

No Seleção SporTV desta quarta-feira, Rizek relembrou a queda do São Paulo no Campeonato Brasileiro em 2021 para justificar a ideia de que o Flamengo é o favorito à vitória nesta quinta-feira.

– A cereja no bolo desse 2021 é a derrota para o já rebaixado Botafogo, com a expulsão do Reinaldo. É esse time, definhando, desanimado, jogando nada, que vai tentar tirar o título do melhor time do brasil. É um enredo. Eu posso queimar minha língua, mas se o Flamengo não for campeão vai ser para mim a maior surpresa da história dos pontos corridos em uma rodada – disse Rizek.

Em contrapartida, Ricardinho citou a vontade do São Paulo de ir direto para a fase de grupos da Libertadores como argumento para justificar a ideia de que o Flamengo terá dificuldades no Morumbi. Se vencer, o Tricolor se livra das preliminares da competição sul-americana.

– O São Paulo tem os seus problemas, não está jogando bem, mas se engana aquele que acha que o São Paulo será um time fácil a ser batido. O Flamengo tem de saber disso. O São Paulo é um time grande que tem objetivos. O principal deles é esse, da Libertadores. Ele joga em casa. Tudo bem que não tem o seu torcedor. Mas tomem cuidado, não pensem que o Flamengo vai chegar e ganhar, porque o futebol não é assim – disse Ricardinho.

– O São Paulo é um time com o qual o Flamengo tem de ter cuidado, porque se achar que vai ganhar pelo momento, não vai, vai ter problema contra o São Paulo, que é um time que tem os seus problemas, sim, mas tem suas responsabilidades e deve estar sendo cobrado por isso.

O São Paulo chegou a ser líder do Campeonato Brasileiro, sete pontos à frente do segundo colocado, mas uma série de derrotas no início de 2021 tirou as chances de o Tricolor ser campeão nacional.

Flamengo e Internacional, então, aproveitaram a brecha e disputam o título nesta quinta-feira. O Rubro-Negro tem 71 pontos, enquanto o colorado é o segundo com 69.

 

Fonte: Por SporTV.com — São Paulo

Horas depois da goleada sofrida para o Paris Saint-Germain, na Liga dos Campeões, o atacante Antoine Griezmann, do Barcelona, viajou em avião privado para a França, para ver a sua família. O elenco recebeu da comissão técnica dois dias de folga (decisão anterior à partida), e o próximo reencontro será no treino de sexta-feira.

Griezmann foi um dos personagens mais mencionados da goleada por causa da discussão com o zagueiro Piqué. Eles trocaram ofensas durante o primeiro tempo. O atacante francês foi um dos poucos a atender a imprensa após a derrota. Já no aeroporto, ele preferiu não falar com os jornalistas.

" É duro levar quatro gols em casa. Contra adversários assim, precisamos fazer um jogo perfeito, mas não fizemos."

Além das críticas pela atuação contra o Paris Saint-Germain, Griezmann também foi alvo de comentários negativos nas redes sociais por sair de casa após as 22h, furando assim o toque de recolher implementado na Catalunha como medida de prevenção ao coronavírus.

Com a derrota por 4 a 1, o Barcelona precisa vencer por quatro gols de diferença no jogo de volta para avançar às quartas de final da Liga dos Campeões. Para se classificar com uma vitória por três gols a mais, precisa anotar pelo menos cinco gols ou mais.

-Essa não é a imagem que queremos dar. Temos que trabalhar e seguir em frente, tentar até o último segundo. Vamos para ganhar, sabendo que vai ser complicado, mas não vamos de visita - disse.

O Barcelona volta a campo no próximo domingo, para enfrentar o Cádiz pelo Campeonato Espanhol. O time catalão está em terceiro lugar na competição nacional, com 46 pontos, oito a menos do que o líder Atlético de Madrid. Já o próximo embate contra o PSG na Champions será no dia 10 de março, no Parque dos Príncipes.

 

Fonte: Por Redação do ge — Barcelona, Espanha

 

 

É só de 1%, mas a chance existe. A vitória sobre o Grêmio em Porto Alegre devolveu ao São Paulo o direito de sonhar com o título do Campeonato Brasileiro, que parecia tão perto quando o ano virou.

Com ainda três jogos para disputar na Séria A, o Tricolor precisa desta combinação de resultados para dar a volta olímpica na última rodada, contra o Flamengo, no Morumbi.

O São Paulo tem 62 pontos, sete a menos do que líder Inter e seis atrás doFlamengo. O matemático Tristão Garcia, do site Infobola, estima em 67% as chances do Colorado e em 32% as do Rubro-Negro. O Tricolor tem 1%.

O site americano FiveThirtyEight, que faz previsões baseadas em modelos matemáticos, também dá 1% de chance ao São Paulo, com 55% para o Inter e 44% para o Flamengo.

Se o título está distante, o São Paulo ao menos mostrou reação na rodada passada ao bater fora de casa o adversário que o eliminou nas semifinais da Copa do Brasil, queda que deu início à sequência ruim de resultados.

Depois de abrir sete pontos na liderança do Brasileirão, o Tricolor despencou em 2021, ficou sete partidas sem vencer (quatro derrotas e três empates) e caiu para o quarto lugar. Apesar do discurso de ainda confiar no título, uma vaga direta na fase de grupos da Libertadores servirá de consolo.

O São Paulo volta de Porto Alegre no início da tarde desta segunda-feira. Os jogadores que participaram da partida contra o Grêmio terão folga e se reapresentam na terça-feira. Treinam apenas os que não foram relacionados e os que fazem tratamento no Reffis.

 

Fonte: Por Redação do ge

Antes de contar a história toda, é preciso responder à pergunta que está no título: é provável, mas não podemos cravar. Afinal, a Fifa não sabe. A Conmebol também não sabe. E a CBF não sabe.

O novo Mundial de Clubes não tem data definida para ser realizado pela primeira vez. E, justamente por isso, não tem critérios de classificação definidos. Portanto, é impossível assegurar a presença do Palmeiras (ou do Flamengo, campeão da Libertadores de 2019) em sua primeira edição.

Em março de 2019, a Fifa anunciou a criação de seu novo Mundial de Clubes, a ser disputado a cada quatro anos por 24 times.

A primeira edição seria em junho de 2021, e o novo torneio substituiria outros dois no calendário, que eram considerados fracassos de crítica, público e qualidade técnica: a Copa das Confederações e o velho (atual, na verdade) Mundial de Clubes, este do qual o Palmeiras foi eliminado pelo Tigres.

A ideia da Fifa era organizar o primeiro Novo Mundial de Clubes em junho de 2021, na China. A pandemia do coronavírus destruiu todos os planos.

Primeiro, a Copa América e a Euro, que seriam disputadas em junho/julho de 2020, foram adiadas por um ano. A Fifa cedeu a janela no calendário de 2021 para que as confederações sul-americana e europeia organizassem seus torneios de seleções. Assim, o Novo Mundial de Clubes ficou sem espaço.

Sem lugar em 2021, o Mundial poderia ser empurrado para 2022, mas é difícil que a Fifa tope organizar um Mundial de Clubes no mesmo ano de uma Copa do Mundo. O calendário vai continuar apertado: haverá pouco espaço para jogos entre seleções, a ponto de o sorteio dos grupos da Copa ter que ser realizado antes do fim das repescagens. Além disso, a ECA (Associação dos Clubes Europeus, na sigla em inglês) certamente vai reclamar do excesso de jogos.

O presidente da Fifa já admitiu publicamente que o Novo Mundial de Clubes talvez fique para 2023. Essa indefinição torna muito difícil prever quais serão os critérios de classificação que as confederações continentais vão escolher para definir seus representantes.

Pelo desenho atual do torneio, a Conmebol tem direito a seis vagas. Quem deve ir? Há infinitas combinações possíveis:

  • os quatro campeões mais recentes da Libertadores (2022, 2021, 2020 e 2019), além dos dois campeões mais recentes da Sul-Americana (2022 e 2021)?
  • E se houver campeões repetidos?
  • E se um time ganhar os dois torneios nesse período, quem herdaria as vagas? Os vices?
  • O ranking da Conmebol vai servir para algo?

Não há respostas.

No final de 2019, a Conmebol chegou a trabalhar na ideia de elaborar um campeonato específico que daria duas vagas ao Novo Mundial de Clubes da Fifa. O plano da confederação era enviar diretamente os dois campeões mais recentes da Libertadores e da Sul-Americana (que na época seriam os de 2020 e 2019) e reservar as duas vagas restantes para este novo torneio, que seria disputado por todos os campeões da história da Libertadores, obviamente excluídos os que já tivessem a vaga direta.

A ideia de uma Supercopa dos Campeões da Libertadores gerou reação imediata da CBF e da AFA, porque ocuparia ainda mais o calendário dos clubes. Os critérios de classificação para o Novo Mundial de Clubes da Fifa seriam discutidos para valer nas reuniões do Conselho da Fifa que seriam realizadas em março de 2020 no Paraguai.

A explosão da pandemia, assim como adiou a Euro e a Copa América, adiou para valer essa discussão. Não há como debater os critérios de classificação para um torneio que ainda não tem nem data marcada.

Dentro de toda essa indefinição, ainda existe uma disputa entre Fifa (que organiza o torneio) e Conmebol (que indica seus representantes): a entidade continental quer que a Copa Sul-Americana seja um caminho até o Novo Mundial de Clubes; enquanto a entidade com sede em Zurique prefere que todos os representantes da América do Sul venham da Copa Libertadores, que é o principal torneio, o que reúne mais qualidade técnica e apelo comercial.

ge ouviu fontes de todas as entidades, pessoas que falaram em condição de anonimato porque não há posição oficial a ser divulgada, e ainda há muitos nós a serem desatados até se possa confirmar (ou descartar) a presença do Palmeiras (ou do Flamengo) no Novo Mundial de Fifa.

Existe, por parte dos dirigentes envolvidos, a vontade de que Palmeiras e Flamengo estejam na primeira edição do torneio. Mas só será possível ter essa certeza quando o torneio tiver uma data, e quando Conmebol e Fifa se acertarem sobre os critérios de classificação.

No Palmeiras, o assunto gera uma expectativa natural, mas ainda é tratado com muita cautela. O cenário de indefinição de diversos lados faz o clube aguardar definições sobre a realização do torneio.

Para a edição de 2021 do Mundial de Clubes da Fifa, o formato atual da competição será repetido, com apenas um representante sul-americano, o campeão da Libertadores, e o torneio será disputado no Japão, em dezembro.

 

Fonte: Por Felipe Zito e Martín Fernandez — São Paulo e Rio de Janeiro

Está prevista para esta segunda-feira uma reunião da diretoria do São Paulo para discutir o momento do time, que não vence há sete jogos e se afastou da briga pelo título do Brasileiro após liderar boa parte do campeonato. A tendência é que seja definida a demissão do técnico Fernando Diniz.

Se confirmada a saída do treinador, o diretor-executivo Raí também deixará o cargo. Ele foi mantido na função na troca de administração, no começo de janeiro, mas com acordo para permanência apenas até o fim do Brasileiro. Rui Costa já foi contratado pelo presidente Julio Casares, mas ainda não se envolveu na rotina do futebol.

Após a derrota para o Atlético-GO por 2 a 1 no domingo, Diniz disse que não pensava em pedir demissão.

Além dos maus resultados, o momento é tido como favorável para uma troca de comando no futebol tricolor.

Com os tropeços recentes, o São Paulo é quarto colocado e está a sete pontos do Internacional, líder do campeonato, com cinco jogos para o fim do torneio. O próximo jogo da equipe está marcado apenas para o dia 10 de fevereiro, já que o clássico contra o Palmeiras foi adiado porque o rival viaja para a disputa do Mundial de Clubes.

Agora longe da taça, resta ao São Paulo assegurar uma vaga entre os quatro melhores para que se classifique à fase de grupos da Libertadores – atualmente, está cinco pontos à frente do Fluminense, o quinto colocado.

Pesa nesse contexto, também, o fato de que não haverá pré-temporada neste ano. O Paulista começa quatro dias depois do fim do Brasileiro, e esperar até lá para trocar o treinador tiraria do novo profissional tempo para se adaptar ao clube.

O elenco do São Paulo folga nesta segunda-feira, dia seguinte à derrota para o Atlético-GO por 2 a 1. Os jogadores se reapresentam nesta terça.

 

 

Fonte: Por André Hernan — São Paulo

A busca pela glória eterna tem seu capítulo final na tarde deste sábado, quando Palmeiras e Santos entram no gramado do Maracanã, a partir das 17h (de Brasília), para decidir quem será o campeão da Copa Libertadores.

A finalíssima já teria um peso gigantesco por si só, mas ganhou o "plus" de ser protagonizada por dois clubes do mesmo estado, ainda mais no estádio mais histórico do Brasil, em jogo único.

E uma decisão completamente diferente de qualquer outra já vista na história da Libertadores. Uma final sem abraço, sem aglomerações, sem a presença do público, a parte que fez o futebol ser um esporte tão amado no Brasil e no mundo. Tudo isso, claro, por causa da pandemia do novo coronavírus, que já matou mais de 200 mil brasileiros e muitos mais ao redor do planeta.

O combo de tensão, expectativa e obsessão pelo maior troféu das Américas faz a rivalidade centenária entre Peixe e Verdão chegar ao ápice.

O Palmeiras busca conquistar sua segunda Libertadores na história, guiado pelo técnico Abel Ferreira, Weverton, Gustavo Gómez, Rony e companhia. A última vez que conquistou a América foi em 1999, quando comandado por Felipão, Marcos, Paulo Nunes e Alex.

O Santos, por sua vez, pode se tornar o clube brasileiro com mais títulos da Libertadores se passar pelo Palmeiras. O Peixe sagrou-se campeão nos anos de 1962 e 1963, liderado por um esquadrão com Pelé, Pepe e companhia, e em 2011, quando a geração de Neymar e Paulo Henrique Ganso fez história.

É, realmente, uma final de outro mundo, como a Conmebol tem chamado.

O campeão garante passagem de ida ao Catar, país que sedia o Mundial de Clubes nesta temporada. No caminho de Santos ou Palmeiras na semifinal está Tigres, do México, ou Ulsan, da Coreia do Sul.

Palmeiras – Técnico: Abel Ferreira

Abel Ferreira possui praticamente força máxima para escalar o Palmeiras para a decisão deste sábado. Depois de lesão muscular contra o River Plate, o capitão Gustavo Gómez está de volta e inclusive chega ao Maracanã com 90 minutos jogados contra o Ceará.

O treinador ainda conta novamente com Rony. Desfalque por conta da condição física diante de Flamengo, Ceará e Vasco, o atacante trabalhou normalmente nos dois treinos no Rio de Janeiro e deve voltar ao time na competição em que tem brilhado.

Santos – Técnico: Cuca

Cuca terá o que tem de melhor à disposição para a grande decisão contra o Palmeiras. O time conta com o retorno de Alison, recuperado de Covid-19, e deve ser escalado com o quarteto ofensivo, formado por Lucas Braga, Kaio Jorge, Marinho e Soteldo.

O jogo marca a despedida de Lucas Veríssimo, já negociado com o Benfica. Diego Pituca, negociado com o Kashima Antlers, também dá adeus caso o Peixe não seja campeão. Se o tetra for conquistado, o volante fica à disposição no Mundial de Clubes.

Quem está fora: Jobson, Carlos Sánchez e Raniel (departamento médico)

 

  • Árbitro: Patricio Loustau (Argentina);
  • Árbitros assistentes: Ezequiel Brailovsky e Diego Bonfa (ambos da Argentina);
  • VAR: Mauro Vigliano (Argentina).

 

Fonte: Por Bruno Giufrida, Gabriel dos Santos e José Edgar de Matos

Com a permanência assegurada na Série B, o Cruzeiro cumprirá tabela nos jogos contra Náutico, às 16h deste domingo, no Independência, e Paraná, às 21h30 de sexta-feira, no estádio Durival Britto, em Curitiba. Ao mesmo tempo em que prepara o planejamento de 2021, ainda sem ter certeza quanto à permanência do técnico Luiz Felipe Scolari, a diretoria tenta encontrar soluções em curto prazo para colocar em dia os salários do departamento de futebol e dos colaboradores do setor administrativo.

Uma das principais fontes de receitas do clube em 2020 foi a negociação de direitos econômicos de atletas. O balancete de janeiro a setembro contabilizou R$18 milhões em vendas, 22% da arrecadação total de R$82 milhões. Isso mostra que os jovens formados na Raposa continuam visados no mercado da bola, apesar da má campanha do time na Série B - 13º, com 47 pontos em 36 rodadas.
Mas o que poderia ser enxergado como respiro financeiro virou problema em cenários específicos. O volante Jadsom Silva e o 
atacante Zé Eduardo não se conformaram com os salários atrasados e acionaram a Justiça. Eles não conseguiram a liminar de rescisão indireta do contrato de trabalho, porém estão sem clima para retornar à Toca.
 
A situação de Zé Eduardo é curiosa. No primeiro semestre, o jogador disputou o Campeonato Mineiro pelo Villa Nova. Depois, seguiu para o América-RN, também por empréstimo. Com nove gols em 11 jogos por esses clubes, foi requisitado pela diretoria celeste, que repassou 10% dos direitos econômicos ao clube potiguar como compensação pela liberação antecipada.
 
Zé Eduardo, contudo, não conquistou espaço nos treinamentos. Embora tenha sido relacionado para alguns compromissos, só esteve em campo por 20 minutos, no empate por 0 a 0 com o Oeste, pela 15ª rodada, na Arena Barueri, na Grande São Paulo. O técnico Ney Franco acabou demitido, e o substituto, Luiz Felipe Scolari, não deu oportunidade ao jovem de 21 anos.
 
O América-RN, então, mostrou-se interessado em contar novamente com Zé Eduardo, mas o Cruzeiro só o cederia novamente mediante duas condições: livrar-se do pagamento da maior parte dos salários e ter de volta os 10% de taxa de vitrine. O Dragão não aceitou.
Sem perspectivas de ser utilizado na Toca, Zé Eduardo tentou forçar a saída para o América-RN e acabou colocado para treinar separado do grupo principal. Depois de quase três meses, decidiu recorrer à Justiça. Seu processo tem valor superior a R$2 milhões.
 
No caso de Jadsom Silva, a ação corre em sigilo. Contudo, antes de tomar a medida drástica, o volante foi sondado pelo Ludogorets, maior clube da Bulgária na atualidade, que se dispôs a pagar 700 mil dólares - R$3,8 milhões - por 50% dos direitos. O Cruzeiro, segundo apurou a reportagem, pediu cerca de R$13 milhões. Os europeus recuaram.

Em julho, o Athletico-PR já havia tentado, sem sucesso, contratar Jadsom com uma oferta de R$3 milhões por 30% do “passe”. Antes do litígio judicial, o meio-campista de 19 anos jogou 41 partidas pela Raposa na temporada 2020.
 
Em janeiro, quando era administrado pelo conselho gestor, o clube também lidou com debandada no elenco por causa de salários atrasados. Jogadores como o goleiro Rafael, o zagueiro Fabrício Bruno, o volante Éderson e os atacantes David e Fred buscaram os seus direitos na Justiça.
 

Felipão

 
Em meio aos desafios de gestão, cuja principal preocupação é a dívida superior a R$1 bilhão, o Cruzeiro pode ter que correr atrás de um novo treinador para 2021, pois Felipão voltou a colocar em xeque a continuidade em Belo Horizonte. Em entrevista ao canal de televisão WinSports, da Colômbia, ele se mostrou aberto a analisar convites de outras instituições.
 
“Vou pensar numa situação se saio ou se fico, dependendo de uma ou outra situação de convite, porque o primeiro trabalho, o trabalho que foi idealizado por mim e pelo Cruzeiro, foi que, nesses três meses, saíssemos da dificuldade maior, para uma dificuldade média e aí tanto o Cruzeiro como eu seguiríamos suas vidas”.
 
Scolari tem contrato com o Cruzeiro até dezembro de 2022. Se decidir sair, não terá de pagar indenização. Contudo, em uma eventual demissão sem justa causa, o clube precisará arcar com multa de R$10 milhões, de acordo com o portal UOL. Na Série B, o treinador dirigiu o time em 20 partidas: nove vitórias, sete empates e quatro derrotas (aproveitamento de 56,66%).
 
 
Fonte: Bruno Haddad/Cruzeiro)
 
Página 1 de 9
Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink