O Hospital Público Geral de Castelo dos Sonhos “José Trevian Sobrinho” (HGCS) será reaberto na próxima segunda-feira (25), no regime de porta aberta (sem necessidade de encaminhamento) para atendimento de Urgência e Emergência em Clínica Médica e Pediatria, retornando ao seu perfil original. Desde sua entrega pelo governo do Estado, em 17 de julho de 2020, a unidade funcionou para atendimento exclusivo de pacientes de Covid-19 durante alguns meses, atendendo os moradores de Castelo dos Sonhos, distrito de Altamira, e de outras localidades da região.

Contando com 20 leitos, o HGCS tem capacidade para atender 20 mil pessoas, incluindo moradores do distrito de Cachoeira da Serra e das aldeias indígenas do entorno, nas áreas de Clínica Médica, Pediatria, Ortopedia, Ginecologia e Obstetrícia e Clínica Cirúrgica.

O Hospital tem perfil de baixa complexidade, restrito a internações de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) referenciados pela Atenção Básica dos municípios. Seu objetivo é facilitar o acesso à saúde para a população de localidades às margens das rodovias BR-230 (Transamazônica) e BR-163 (Santarém-Cuiabá).

Segundo o secretário adjunto de Estado de Saúde Pública, Sipriano Ferraz, a reabertura do Hospital de Castelo dos Sonhos corresponde à primeira etapa de funcionamento da unidade. “Esperamos que em até 45 dias já possam ser realizadas cirurgias”, informou.

Retaguarda para Covid-19 – Sipriano Ferraz também ressaltou o trabalho que vem sendo desenvolvido na região da Calha Norte, no Oeste do Pará, com ampliação do transporte aeromédico e retaguarda de leitos.

O secretário adjunto acompanhou o governador Helder Barbalho, que cumpriu agenda de trabalho na região, na divisa com o Estado do Amazonas. Sipriano Ferraz destacou que muitos municípios compram insumos no Amazonas, incluindo oxigênio, e devido à proximidade há um contato direto entre as populações de municípios dos dois estados. “Estamos notando um aumento no número de pacientes precisando de internação aqui nesses municípios. Por isso, estamos reforçando a nossa retaguarda de leitos e também o transporte aeromédico”, informou.

Antes desse reforço, havia um avião e um helicóptero, e hoje já são quatro helicópteros disponíveis, e já foi solicitado mais um avião. “Vamos trabalhar com dois aviões asa fixa e quatro helicópteros transferindo pacientes dos municípios da Calha Norte, que não têm condições básicas para manter um paciente com desconforto respiratório”, disse o secretário adjunto.

Sobre a retaguarda de leitos, Sipriano Ferraz informou que em Juruti há 10 leitos de UTI e15 leitos clínicos, o que pode ser ampliado para até 30 leitos clínicos. Itaituba conta com 60 leitos de UTI e 54 leitos clínicos, e Santarém passa de 20 para 40 leitos de UTI, e de oito para 20 leitos clínicos. “Estamos reforçando a nossa rede, mas sem deixar de reforçar à população a necessidade de manter as medidas preventivas, como uso de máscara, distanciamento social e higienização das mãos com álcool em gel. A situação é séria. Não é brincadeira, e a gente não pode se descuidar”, reiterou. (Texto: Roberta Vilanova).

 

Fonte: Por Governo do Pará (SECOM)

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink