Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Com o emprego em alta e um grande plano de investimentos públicos a caminho, Parauapebas tende a registrar, neste ano, uma grande procura de empresários pelo Distrito Industrial do município. “O espaço que temos hoje vai ficar pequeno para tudo o que vai acontecer este ano no distrito”, prevê o secretário municipal de Desenvolvimento, Edmar Milhomem.

Neste ano, sete empresas já manifestaram interesse em se instalar no polo, sendo que um oitavo empreendimento está de “malas e cuias” preparadas para aportar na cidade, depois de receber a concessão do título do terreno. É a Semerc, fábrica de móveis de aço para hospitais – a única do sul e sudeste do Pará.

A empresa vai gerar mais de 130 empregos diretos e indiretos, pois também fabrica outros produtos de metal e trabalha com montagem industrial, serviço de usinagem, tornearia e solda. O proprietário Márcio Viana informa que a Semerc ainda faz montagem de central de distribuição de oxigênio hospitalar e a prestação de serviços de engenharia.

Para tornar o Distrito Industrial mais atraente, desde 2019 a prefeitura conta com o apoio técnico da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), responsável pelo plano de trabalho que começou a ser executado nas áreas de infraestrutura e logística para garantir, inclusive, segurança jurídica às empresas.

“O Distrito Industrial já recebeu várias melhorias da prefeitura, como o asfaltamento da área, instalação de internet, energia, cercamento e agora vamos partir para garantir o pleno fornecimento e abastecimento de água naquela área”, informa Edmar Milhomem.

Além disso, acrescenta o secretário de Desenvolvimento, a frente do distrito será revitalizada, com seguranças na portaria e instalação de portões eletrônicos, para maior controle da entrada e saída de veículos. Outra preocupação é com a manutenção constante da área, a fim de manter o local limpo e organizado.  

Outra providência tomada pela Seden foi conversar com uma rede de combustível para instalação de um posto às proximidades do polo. “Nós precisamos pensar em tudo, do menor ao maior detalhe, para convencer as empresas de que vale a pena se instalar em Parauapebas”, diz Milhomem.

 

Texto: Hanny Amoras

A alimentação está diretamente ligada com o nosso bem-estar físico e emocional. Grandes quantidades de gorduras e de açúcar no organismo podem reduzir a disposição, o que piora as sensações de estresse e de ansiedade. Mas há também ingredientes que contribuem com a melhora da mente. 

Segundo Luanna Caramalac Munaro, especialista em adequação nutricional e comportamental, são os alimentos que induzem a produção de triptofano, aminoácido precursor da serotonina – hormônio que regula e melhora o sono, o humor e o apetite. "Os vegetais verde-escuros contêm muitas fontes de magnésio e complexo B, nutrientes que auxiliam e modulam a saúde mental", ela comenta. Confira quais ingredientes beneficiam a mente: 

1. Aveia
Também fonte de magnésio, o alimento estimula o equilíbrio eletrolítico e a saúde do sistema nervoso central. 

2. Banana madura
A fruta ajuda no controle da pressão arterial e promove a disposição física e mental. 

3. Brócolis 
O legume fortalece a imunidade, previne doenças cardíacas e tem propriedades antioxidantes. 

4. Chocolate amargo
O alimento contém magnésio e atua como relaxante muscular. Mas atenção: chocolate branco ou a versão ao leite não valem como substitutos. 

5. Couve
A folha ajuda a desintoxicar organismo, regular o intestino e a saúde dos ossos. 

6. Espinafre
O vegetal é rico em ácidos graxos essenciais, que atuam na formação das células e nos processos metabólicos. 

7. Escarola
Cheio de fibras, o ingrediente melhora a absorção de nutrientes e possui ação anti-inflamatória. 

8. Feijão 
O grão é fonte de selênio, que contribui com a redução do estresse, e vitaminas do complexo B. 

 

Fonte: POR NATHALIA FABRO

Dono da maior torcida do Brasil, o Flamengo sempre se apresentou como uma forte marca aliada para marketing. Nos últimos anos, a proporção se tornou maior ainda, por conta dos títulos conquistados e consequente ascensão. Apesar disso, indo na contramão, o clube se encontra atualmente com pendências a tratar relacionadas a patrocínios, afinal, dois dos espaços mais nobres do uniforme da equipe de futebol estão vazios: as mangas e as costas.

Antes ocupada pela MRV, a parte posterior do uniforme ficou vaga na camisa desde a estreia no Campeonato Carioca de 2021, na última terça-feira (02), contra o Nova Iguaçu. No entanto, em dezembro do ano anterior, já era de conhecimento da diretoria que a renovação com a empresa ligada à área de construção civil não seguiria.

Quanto ao outro espaço, anteriormente ocupado pela Buser, o Flamengo negocia há cerca de nove meses, porém, nada concreto até então. Em julho de 2020, o presidente Rodolfo Landim se pronunciou e garantiu que o clube tinha um leque de opções para fechar acordo.

– A gente está conversando com mais de uma empresa sobre isso, não tem definição, a gente está avaliando propostas. Manga e calção já estão bem avançados, mas temos algumas alternativas e a turma do marketing está no meio do processo de negociação -, disse ele na ocasião.

Segundo informação da repórter Gabriela Moreira, o Fla cobra R$ 10 milhões por cada um dos espaços, fator que pode emperrar os acertos. Sem os patrocínios, o Flamengo se vê longe da previsão orçada, que é de R$ 149 milhões. Vale destacar que a quantia apresenta um aumento de R$ 40 milhões em relação à anterior. Logo, se a ideia era superar, o clube terá trabalho, uma vez que, até o atual momento, o cenário tem sido mais negativo.

 

Fonte: https://colunadofla.com

 

Elizeu Barbosa é morador do Complexo VS-10 e se mostra satisfeito com os serviços oferecidos pela Unidade de Saúde (UBS), inaugurada no dia 2 de março de 2020, para atender a população da localidade.

“O postinho da VS10 é uma benção em nossa vida, para os moradores daqui que antes tinha que sair daqui para outros bairros. A minha mãe deu um AVC e ela passou mal e graças a Deus e o atendimento aqui do postinho VS10 ela foi atendida há tempo, senão ela não estaria mais aqui conosco. A fisioterapia dela a gente tinha que se reunir para pagar sem ter condição e hoje ela pode fazer aqui no postinho da VS10. Então, minha oração hoje é gratidão ao Senhor por cada funcionário, por cada pessoa que eles têm se doado, eles têm oferecido amor aos pacientes”, diz Elizeu Barbosa, usuário da UBS VS10.

Funcionando há um ano, a Unidade já realizou 22.634 mil atendimentos. Para celebrar os bons resultados, a equipe da UBS proporcionou uma manhã especial aos usuários, na última terça-feira, 3, que contou com palestras sobre temas ligados à saúde.

“É com muita alegria que hoje nós comemoramos um ano com mais de 22 mil pacientes atendidos. Isso gera uma grande satisfação em nós. Temos vários serviços aqui; pediatria, ultrassonografia, psicólogos, ginecologista e isso faz com que a gente a cada dia mais se envolva para prestar a população um melhor atendimento possível”, destacou Dhatilane Mergulhão, gerente da Unidade de Saúde.

Além dos serviços citados por Dathilane, os usuários ainda contam com atendimentos de fisioterapia, serviço social e de nutrição. A UBS também disponibiliza exames laboratorial, distribuição e administração de medicamentos, vacinas, curativos, acolhimento com classificação de risco, consultas médicas e de enfermagem, visitas domiciliares e atividades em grupo. A Unidade de Saúde da VS-10, ainda é polo de atendimento para pacientes da Covid-19, com oferta de testes e monitoramento dos casos positivos.

“Essa unidade veio para atender o anseio população aqui do complexo que tem aproximadamente 40 mil habitantes. Um grande investimento do governo municipal para proporcionar, com sua equipe multidisciplinar, mais qualidade nos atendimentos de saúde”, declara Gilberto Laranjeiras, secretário de saúde de Parauapebas.

O secretário concluiu destacando que a rede de atenção básica será ampliada em 2021. ” Estamos comprometidos em trabalhar cada vez mais para melhorar o atendimento de saúde no município. Vamos inaugurar, se Deus quiser neste ano, outras unidades. A do bairro Rio Verde, Cidade Jardim e Nova Carajás", afirma Laranjeiras.

 

Texto: Nívea Lima

Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Por volta das 18h40de de terça-feira, 2, a GU passava pelo baixão do bairro Novo Brasil onde acabou enquadrado no artigo 33 da lei 11.343/06 do código Penal Brasileiro (CPB), podendo responder de 5 a 15 anos de prisão, o jovem João Francisco Frazão Braz de 19 anos de idade, preso por policiais do 23° Batalhão de Policia Militar de Parauapebas.

Segundo informações ele estaria comercializando maconha no bairro Novo Brasil, o flagra se deu quando os PMs faziam ronda na área vindo a se deparar com o até então suspeito que tinha um pouco de maconha no bolso. Segundo a polícia o resto da droga estava escondido aonde ninguém poderia imaginar, em cima de uma árvore.

Perguntado se em sua residência havia mais entorpecente João Francisco respondeu que sim, e em seguida levou a guarnição ao local indicado pelo mesmo onde mostrou a droga que estava escondida em uma árvore, em um pé de manga totalizando 75 papelotes de maconha.

Para a polícia o acusado disse que é usuário e que havia comprado R$ 100 reais da erva e como estava com uma dívida de roupas resolveu vender o entorpecente onde cada papelotes custaria 10 reais. Mediante o flagrante João Francisco que até então não tinha nenhuma passagem pela polícia foi encaminhado para 20° Seccional Urbana de Polícia Civil e entregue aos cuidados do delegado plantonista Dufree Abade que o enquadrou na forma da lei.

 

Fonte: Neide Folha

O ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, chegaram num consenso para a presidência do Banco do Brasil.

Os três indicaram o atual presidente da Caixa Seguridade, Eduardo Dacache, para presidir o BB, após André Brandão entregar o cargo.

A intenção é que o aval dos três dê força para a indicação de Dacache. Mas a indicação final será do presidente Jair Bolsonaro. Integrantes do governo avaliam que Dacache tem grande chance de assumir o cargo.

Dacache foi escolhido porque tem mais de 30 anos de atuação no setor financeiro, incluindo passagens pela Caixa, pelo Banco Safra e pelo Santander.

De acordo com interlocutores do ministro, Guedes vê em Dacache um nome que manteria o “alto nível” de administração do BB. Guedes avaliou que Dacache tem condizido bem a Caixa Seguridade e está tocando o processo de abertura de capital da instituição financeira.

Combustível: Bolsonaro diz que vai apurar se há 'algum interesse' para forçar Brasil a importar diesel

O martelo ainda não foi batido porque há outros nomes disputando a vaga de presidente do BB, de acordo com fontes que acompanham o assunto.

Um nome defendido por pessoas ligadas ao Palácio do Planalto é do vice-presidente de Assuntos Corporativos do BB, Mauro Ribeiro Neto, assim como o do vice-presidente da rede de varejo do Banco do Brasil, Carlos Motta dos Santos.

Com queda de 4,1% do PIB: Brasil deixa grupo das dez maiores economias do mundo

André Brandão pediu para deixar a direção do BB na semana passada, depois de desentendimentos com Bolsonaro. O problema começou em janeiro, quando o executivo anunciou um plano de demissão voluntária e fechamento de 361 agências, inclusive com a saída do banco de alguns municípios.

 

Fonte: Manoel Ventura e Geralda Doca

 

Quando o rover Perseverance da Nasa começar a pesquisar a superfície de Marte nos próximos meses, o explorador robótico vai procurar por sinais de vida antiga no planeta vermelho. "Percy", como ela é conhecida pela equipe que a monitora, vai coletar as amostras e enviá-las para o nosso planeta em missões futuras. 

A expectativa em torno do projeto é grande, uma vez que Perseverance é a primeira missão astrobiológica da Nasa.

Enquanto as amostras de Marte podem revelar o passado do planeta, a experiência com a espaçonave pode contribuir em outras viagens e ajudar a responder a uma pergunta que intriga os humanos há milênios: existe vida além da Terra?

Em 2017, a Nasa anunciou que os mundos oceânicos, como as luas de Titã e Enceladus, de Saturno, e a lua de Europa, de Júpiter, podem ser os lugares mais prováveis de encontrar vida fora do nosso planeta.

Duas missões devem ser realizadas ainda nesta década para explorar Titã e Europa num esforço para entender se esses mundos poderiam hospedar vida dentro de seus oceanos e reservatórios subsuperficiais. A Europa Clipper está programada para ser lançada em 2024, enquanto Dragonfly está prevista para 2027.

"A Perseverance levará as pessoas a pensar em termos de astrobiologia e da estratégia de procurar sinais de vida passada", disse Jorge Núñez, astrobiólogo do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, que trabalha em equipes tanto para a Perseverance quanto para a Dragonfly.

"As missões para planetas exteriores, como Europa e Libélula, levarão muito tempo. Mas temos que estar abertos ao que talvez possamos encontrar em termos de possibilidades de vida. Essas missões fazem parte desta estratégia de entender como os ambientes evoluem. A vida é uma coisa mais comum, ou é rara? E o que há lá fora?".

Fósseis em Marte

Atualmente, Marte parece um lugar inóspito para os humanos - e suas tempestades de poeira globais também não foram muito gentis com os robôs anteriores. O planeta é um deserto congelado com uma fina atmosfera. É difícil imaginar a existência de vida lá.

No entanto, 3,9 bilhões de anos atrás, a história era diferente.

A cratera de Jezero, onde a Perseverance desembarcou, já foi cheia de água e pode ter sido cercada por praias de areia branca, como indicado por um "anel de banheira" de minerais deixados para trás no leito seco do lago hoje. Um delta de rio se alimentou de um lado do lago e outro canal de transbordamento surgiu do lado oposto. 

Nos próximos dois anos, o Perseverance percorrerá o leito da cratera e o delta do rio, estudando rochas, minerais e sujeira e suas composições químicas. Microfósseis de vida microbiana antiga podem estar presos dentro deles.

"Estudamos a formação, preservação e detecção de sinais de vida e evolução planetária em amostras geológicas", disse o astrobiólogo Ken Williford, cientista assistente do projeto.

"Os instrumentos usados em missões como essa são uma espécie de versões portáteis de instrumentos que temos em laboratórios como o meu e outros laboratórios que trabalham em rochas antigas e medem a química e formas preservadas nelas", acrescentou Williford, que também é o diretor do abcLab no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia. O "abc" no abcLab é a abreviação de astrobiogeoquímica.

As rochas são ricas em informações, pois preservam dados de quando foram formadas. Elas incluem pistas sobre química, mudanças climáticas e de organismos que estavam presentes naquela época. 

Embora grande parte do trabalho de laboratório se concentre na Terra, essa abordagem também pode ser usada para interpretar possíveis sinais de vida em outros lugares, como Marte.

Usando o conjunto avançado de instrumentos e câmeras do Perseverance, a equipe de cientistas terá a melhor visão de todas as rochas em Marte que podem revelar o passado do planeta.

"Estamos procurando composições e formas realistas que ocorram juntas", disse Williford. "A vida baseada no carbono é feita de matéria orgânica. Eles fossilizam, são enterrados, esmagados e espremidos e transformados em gosma orgânica como óleo ou carvão."

Essa gosma vira rocha, então "a matéria orgânica antiga pode ser os corpos muito antigos de micróbios marcianos", disse.

Vida microbiana 

Os cientistas não esperam encontrar fósseis como os pertencentes aos dinossauros em Marte, mas a vida microbiana é uma possibilidade maior do que alguma vez existiu em Marte.

Na terra, por exemplo, a vida microbiana existiu por muito tempo antes que tipos mais complexos de vida evoluíssem. No registro fóssil mais antigo do nosso planeta, os cientistas estudam a escória fossilizada do lago em vez de ossos ou conchas.

Esse material é basicamente um grupo de bactérias fotossintéticas que aderem ao sedimento, formando esteiras microbianas. Depois que a água em seu ambiente seca, os minerais são deixados para trás e sepultam esses micróbios, formando estromatólitos.

É o caso das rochas ao longo da costa do Lago Salda, na Turquia, que foram formadas por micróbios que retêm minerais e sedimentos na água.

Estromatólitos são os fósseis mais antigos da Terra. Essas rochas em camadas podem ser rastreadas há 3,5 bilhões de anos.

"Seria emocionante se encontrarmos camadas enrugadas de rocha que se parecem com estromatólitos em Marte", disse Williford.

Williford está empolgado com o Perseverance para explorar as margens do antigo lago, onde a água se encontrava com a terra.

"Todos os limites são importantes", afirmou. "A vida adora viver em interfaces, onde há desequilíbrio, onde as coisas estão um pouco fora de equilíbrio. A vida prospera nessas áreas e espera colocá-las em equilíbrio.”

Mesmo que os pesquisadores da Nasa usem os instrumentos do Perseverance para medir a composição química e os padrões das rochas e, em seguida, encontrem sugestões de que a vida pode ter estado envolvida na formação delas, essas serão apenas bioassinaturas potenciais.

Devolver amostras deles à Terra e estudá-los com instrumentos maiores, melhores e mais poderosos em ambientes como o abcLab é a melhor maneira de confirmar evidências de vida passada em Marte, se é que alguma vez existiu, ponderou Williford.

Muito parecido com quando as primeiras amostras lunares foram devolvidas à Terra em 1969 após o pouso bem-sucedido da missão Apollo 11, o retorno de amostras de Marte levará a uma "revolução científica transformadora", considerou ele.

Dragonfly 

A missão Dragonfly (Libélula, em português) não chegará a Titã até 2035, dada a distância extraordinária entre a Terra e Saturno, mas a espera deve valer a pena.

O Dragonfly será um drone do tamanho de um veículo espacial que voará pela espessa atmosfera de Titã para observar os diversos ambientes da lua, que incluem um oceano de água líquida subterrânea, bem como nuvens, chuva, rios e lagos compostos de metano.

Titã é a única lua com uma atmosfera densa, que é quatro vezes mais densa que a da Terra. A lua também é rica em matéria orgânica, que cai da atmosfera como neve nas planícies.

A lua gelada tem uma temperatura média de superfície de 143°C negativos.

Os cientistas sabem que compostos orgânicos complexos estão presentes em Titã, mas quanto essa química pré-vida progrediu? Existem blocos de construção de vida em Titã que são muito semelhantes ao que já existia na Terra antes do início da vida.

“Titã é semelhante à Terra no sentido de que tem uma atmosfera e um ciclo hidrológico, mas é um ciclo do gás natural, como o metano e o etano”, disse Núñez. 

"Mas você ainda vê características semelhantes. Além dessa química orgânica bem na superfície, temos essa atmosfera de gás natural. As reações do sol tornam esses produtos químicos mais complexos. A Dragonfly vai procurar uma química prebiótica."

Embaixo das conchas de gelo da lua há um oceano de água líquida. Buracos na camada sugerem que compostos orgânicos da superfície podem estar interagindo na água.

Enquanto a vida se expandiu em todos os lugares da Terra por bilhões de anos, apagando exatamente onde a vida se originou, Titã é diferente.

"Titã é um laboratório natural que nos permite explorar como essa química inicial surgiu", disse Núñez.

Europa

Europa é outra lua gelada que possivelmente esconde um oceano subterrâneo, e a missão Europa Clipper irá explorar se esse oceano pode abrigar vida. Ao longo de 45 voos planejados pela lua, a espaçonave se moverá de 2.700 quilômetros da superfície para apenas 25 quilômetros acima dela.

A espaçonave orbitará Júpiter para estudar Europa e carregará nove instrumentos, incluindo câmeras e radar de penetração no gelo, para avaliar a camada de gelo da lua e o oceano.

As missões anteriores observaram plumas explodindo através da casca de gelo.

"Europa é o lugar mais provável para encontrar vida em nosso sistema solar hoje porque acreditamos que há um oceano de água líquida abaixo de sua superfície, e sabemos na Terra que há água em todos os lugares onde encontramos vida", disse Robert Pappalardo, cientista do projeto, em um vídeo da Nasa .

"Europa poderia ter os ingredientes para sustentar a vida? Se há vida na lua Europa, é quase certo que ela seja completamente independente da origem da vida na Terra. Isso significaria que a origem da vida deve ser muito fácil em toda a galáxia e além."

Se as plumas capturadas em imagens pelo Telescópio Espacial Hubble estão realmente enviando colunas de água para o espaço, "então poderíamos voar através dessas plumas com uma espaçonave e literalmente prová-la para entender a composição do interior de Europa", disse ele.

Europa é intrigante para os cientistas porque a vida ainda pode estar presente nessa lua. 

“Podemos estar realmente olhando para um corpo que está atualmente vivo, atualmente ativo e atualmente passando por sua geologia”, disse Claudia Alexander, gerente do projeto da missão Galileo entre 1999 e 2003. 

"Existem muitas evidências agora espalhadas na superfície, um material vermelho, que sugere que algo está acontecendo lá. É um ambiente que é habitável para qualquer tipo de forma de vida? Teremos instrumentação suficiente para realmente localizar exatamente como os mecanismos funcionariam para reabastecer os nutrientes em um oceano subterrâneo".

 

Fonte: Ashley Strickland, da CNN

Em conversa no quarto cordel do BBB21, na quarta-feira (3), Gilberto comentou com Sarah a respeito da conversa que teve mais cedo com Carla Diaz sobre o Jogo da Discórdia, de segunda-feira (1º), e sobre as indicações ao paredão do último domingo (28).

O brother comentou que talvez ele e Sarah sejam considerados como os “vilões da segunda temporada” pelo público.

“Estou achando que nós podemos ser os vilões da segunda temporada”. Sarah discordou do palpite do amigo: “A gente? Sinceramente eu não acho. Foi o que você falou, se a gente ficar muito neutro… A gente tem que falar o que a gente sente”.

A sister continua comentando a respeito da possibilidade de alguns participantes acabarem “vestindo um personagem” em alguns momentos do jogo, possivelmente em referência à própria Carla Diaz, de quem os dois vêm desconfiando de certas atitudes na casa.

“Ninguém aqui é 100%. Você também faz coisas que não faz lá fora, calcula coisas que não calcularia lá fora. Analisa pessoas, julga pessoas. Coisa que não faria lá fora. Tem pessoas que tentam vestir um personagem de vez em quando”, disse Sarah.

“Normal você vestir um personagem durante um tempo. Você quer ser aquela pessoa”, diz ela, que completa: “Aqui também funciona desse jeito, você quer impressionar o público. Alguns conseguem segurar mais, outros não”, completou a consultora de marketing.

 

Fonte: https://istoe.com.br

 

O Google anunciou nesta terça-feira (3) que deixará de usar o histórico específico de navegação das pessoas para vender anúncios na internet a partir do ano que vem.

A companhia anunciou em 2020 que deixaria de autorizar a coleta de cookies de terceiros em seu navegador Chrome, um mecanismo que permite rastreamento através de diferentes sites (entenda mais abaixo).

Agora, a gigante das buscas afirmou que não criará identificadores alternativos para rastrear as pessoas enquanto elas navegam na web, que serviriam para substituir os cookies de terceiros.

Para continuar oferecendo publicidade direcionada para as pessoas com base em seus interesses, o Google afirmou que trabalha em uma abordagem que "esconde" as pessoas "no meio da multidão", agrupando usuários com comportamentos similares.

A decisão do Google é relevante pelo fato de ser a maior empresa de publicidade digital do mundo.

Esse mercado é a principal fonte de receitas da companhia – o negócio gerou US$ 46,2 bilhões no 4º trimestre de 2020, o que representa 82% de seu faturamento.

Os rastreadores são utilizados para oferecer anúncios na web especificamente direcionados, o que aumenta as chances de interessarem as pessoas.

O rastreamento individualizado é alvo de críticas por especialistas que defendem a privacidade. O tema também aparece em leis que regulamentam a proteção de dados, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

A novidade não muda a maneira com que o Google lida com dados proprietários – aqueles que uma empresa recebe diretamente de um usuário e que não resultam de um intercâmbio de informações.

Se um anunciante quiser mostrar publicidade para um usuário específico no YouTube e usar o endereço de e-mail dessa pessoa para encontrá-la, por exemplo, nada irá mudar.

A diferença é que esse mesmo anúncio não vai poder ser exibido quando o usuário estiver navegando em outros sites (o que seria possível com cookies de terceiros).

O que são cookies?

O anúncio do Google está relacionado com uma novidade no navegador Chrome, anunciada em 2020, que passou a bloquear cookies de terceiros. O plano da empresa é parar de usar essa tecnologia de rastreamento até 2022.

Os cookies são dados armazenados pelo navegador a pedido dos sites na internet.

São pequenos arquivos enviados por sites que ficam armazenados no navegador do seu computador que contam às empresas algumas informações de comportamento.

É com eles que o seu navegador pode contar a um site que você já esteve ali ou que adicionou um item ao carrinho de compras em uma loja virtual, por exemplo.

Cookies de rastreamento armazenam números identificadores que anúncios publicitários podem ler para associar cliques e visitas a um mesmo internauta.

Os cookies de terceiros permitem um intercâmbio de informações entre diferentes sites, para oferecer publicidade personalizada com base num histórico de navegação amplo.

Com o bloqueio de cookies de terceiros no Chrome, havia a expectativa de o Google criar novos mecanismos de rastrear os usuários para oferecer publicidade personalizada – o que não irá acontecer, de acordo com o anúncio desta quarta (3).

Alternativa

Para continuar entregando publicidade digital com base nos interesses das pessoas, o Google afirmou estar desenvolvendo soluções que consideram a privacidade.

Uma tecnologia da companhia analisa os hábitos de navegação dos usuários em seus próprios dispositivos e permite que os anunciantes direcionem seus anúncios para grupos agregados de usuários com interesses semelhantes, em vez de usuários individuais.

Na prática, em vez de vender anúncios com base no histórico de um indivíduo, a companhia irá analisar históricos de várias pessoas e reuni-las em grupos com interesses similares para vender a publicidade.

O Google disse que planeja iniciar testes para que anunciantes comprem espaços publicitários usando essa tecnologia no segundo trimestre desse ano.

Os esforços centrados em privacidade não são exclusividade da gigante das buscas. Empresas como a Apple e navegadores como o Firefox se posicionam contra a utilização dos cookies de terceiros.

Por outro lado, empresas menores que utilizam rastreamento entre sites acusam a Apple e o Google de usar a privacidade como pretexto para mudanças que prejudicam os concorrentes.

Processos contra o Google

O Google é alvo de 3 processos nos EUA por práticas anticompetitivas. Todos se relacionam em alguma medida com o poder da companhia no mercado de publicidade digital.

Em uma dessas ações, as autoridades dizem que a empresa teria mantido sua posição no mercado de buscas on-line ao abusar de seu poder em outras áreas como o de assistentes de voz, carros conectados e publicidade digital.

O Google nega as acusações e diz que "as pessoas usam o Google porque querem – não porque são forçadas ou porque não conseguem encontrar alternativas".

 

Fonte: Por G1

Com o tombo histórico de 4,1% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020, o Brasil saiu do ranking das 10 maiores economias do mundo e caiu para a 12ª colocação, segundo levantamento da agência de classificação de risco Austin Rating. Em 2019, o Brasil ficou na 9ª posição.

De acordo com o ranking, o Brasil foi superado em 2020 por Canadá, Coreia e Rússia.

O comparativo considera o PIB dos países em valores correntes, em dólares. Veja quadro abaixo:

Nem todos os países, no entanto, divulgaram os dados oficiais ou finais do PIB de 2020. O ranking definitivo das maiores economia do mundo deve ser divulgado em abril, após a divulgação dos resultados consolidados pelo FMI (Fundo Monetário Internacional).

"Teria uma chance da Rússia ter um número muito ruim e cair bastante, daí o Brasil voltaria para 11º, acho que no máximo isso. Austrália dificilmente vai superar o Brasil porque a diferença é muito grande", afirma Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating.

O levantamento mostra ainda que o resultado do PIB do Brasil em 2020 ficou na 21ª colocação num comparativo entre as 50 maiores economias do mundo. Os maiores tombos foram registrados pelo Peru (-11,1%), Espanha (-11%) e Reino Unido (-9,9%). Da lista, apenas 3 países tiveram crescimento na comparação com 2019: Taiwan (3,1%), China (2%) e Turquia (1,6%).

Com base nas projeções do FMI para 2021, a Austin estima que o Brasil pode cair para a 14ª posição no ranking das maiores economias do mundo, sendo superado também pela Austrália e Espanha, considerando um cenário de alta de 3,3% do PIB brasileiro no ano e uma taxa de câmbio média de R$ 5,2456 por dólar.

Entre 2010 e 2014, o Brasil se manteve na 7ª posição. No pior momento, em 2003, ficou na 14ª posição. O ranking da Austin Rating faz o comparativo das maiores economias do mundo desde 1994.

PIB ano a ano — Foto: Anderson Cattai/G1

 

 
Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink