Mãe que estava intubada se emociona ao encontrar a filha recém-nascida pela primeira vez Destaque

Mãe que estava intubada se emociona ao encontrar a filha recém-nascida pela primeira vez Foto Pró-Saúde

Após 39 dias do nascimento da filha, a cozinheira Brenda Keury Vieira, de 26 anos, finalmente teve o primeiro contato corpo a corpo com sua bebê. A pequena Luna Emanuelly veio ao mundo por meio de uma cesariana de emergência, realizada enquanto a mãe estava intubada, lutando contra a Covid-19 no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, no interior da Amazônia.

Brenda Keury Vieira, de 26 anos, encontra a filha pessoalmente pela primeira vez

O encontro inesquecível ocorreu no mês de julho após Luna receber alta hospitalar. Bastante emocionada, Brenda recebeu a bebê dos braços da avó. “Agora só quero agradecer a Deus porque é muita felicidade. É uma princesa da mamãe. Agora vou me recuperar e cuidar dessa menina”, declarou a mãe enquanto fazia carinho na filha pela primeira vez. A família, residente do Estado de Rondônia, estava na região à trabalho.

Alta da pequena Luna no Hospital Regional do Baixo Amazonas

A bebê de Brenda deixou o hospital homenageada com um corredor de palmas preparado pelos profissionais do HRBA, hospital público do Governo do Pará gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde. Devido as complicações da doença, Brenda só havia visto sua filha, até o momento, por videochamada, realizada graças ao projeto de humanização Visita Virtual, do HRBA.

Mãe em estado gravíssimo

Brenda foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI Covid-19) do HRBA em maio, transferida do município de Novo Progresso. A unidade é referência para atendimentos de alta complexidade em diversas especialidades, para uma população estimada em mais de 1,3 milhão de pessoas, residentes em 30 municípios do oeste do Pará, Baixo Amazonas e Xingu. Grávida de 7 meses, com obesidade, positiva para Covid-19 e com intensa dificuldade respiratória, precisou ser intubada pela equipe médica já no dia seguinte.

Em estado gravíssimo, no mês de junho, Brenda apresentou perda de líquido amniótico e, com 80% do pulmão comprometido e diversas outras complicações, as equipes de obstetrícia e neonatal decidiram interromper a gestação para garantir a segurança da criança e da mãe, com a realização de uma cesariana de emergência.

“Era um caso extremamente grave e, numa reunião entre as equipes médicas, optamos por interromper a gestação. Foi uma das decisões mais difíceis de tomar, pois elas corriam muitos riscos”, explicou a médica intensivista do HRBA, Lívia Corrêa e Castro. “A partir do momento que a Brenda soube que a bebê estava viva, teve ainda mais forças para lutar. É uma verdadeira história de superação”, complementou a profissional.

Luna nasceu prematura, pesando 1,3 kg e medindo 39 cm. A pequena precisou de ventilação mecânica, sendo imediatamente encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTI Neonatal), onde recebeu toda a assistência necessária. Todos os testes de Covid-19 realizados na bebê tiveram resultado negativo, porém, ela permaneceu internada para alcançar o peso e as condições ideais, devido as complicações da prematuridade.

“Como a mãe não podia estar presente na internação da bebê, já que estava com a saúde muito debilitada, nossa equipe fez sessões de vídeochamada para que ela pudesse acompanhar o desenvolvimento e a reação do tratamento da bebê. Isso gerou interação entre o binômio mãe e filha”, contou Valdenira Cunha, médica neonatologista do HRBA. Recuperada e com mais de 2 kg, Luna recebeu alta e, acompanhada da avó, pôde finalmente conhecer a mãe em segurança.

O Hospital Regional do Baixo Amazonas é uma unidade de referência, escolhida pelo Governo do Pará, para atendimento a pacientes graves da Covid-19.

“Convivemos neste mais de um ano de pandemia com muitas perdas. Para nós, profissionais de saúde, histórias como a da Brenda representam superação. A alta da Luna é a celebração da vida, é a simbologia da vitória dos profissionais de saúde sobre a Covid-19. Temos esperança, existe muita luta ainda, mas conseguiremos vencer essa batalha contra a Covid-19”, ressaltou Hebert Moreschi, diretor Hospitalar da Pró-Saúde, que atua no HRBA.

O Regional do Baixo Amazonas é reconhecido como um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil e possui a mais alta certificação nacional, ONA 3 – Acreditado com Excelência, que assegura o padrão de segurança e qualidade no atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Este ano, em meio ao enfrentamento de uma das mais graves crises sanitárias dos últimos tempos, o HRBA demonstrou sua expertise de gestão e excelência ao conquistar o 1º lugar no 4º Seminário Internacional de Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde.

Avalie este item
(0 votos)

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/00.Novo_Projeto_-_2021-09-24T142218530gk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016