As integrantes das primeiras turmas do curso de estética promovido pela Secretaria Municipal da Mulher (Semmu) receberam certificado de conclusão na sexta-feira, 18. Elas aprenderam várias técnicas e estão aptas para o mercado de trabalho, três alunas já decidiram que vão empreender no segmento.

“Já aluguei uma sala e em breve vou começar a trabalhar. Eu não tinha isso em mente no início do curso de estética, mas durante as aulas eu vi que é uma área que gera muito resultado, afinal, todo mundo quer andar bonito”, destacou Bruna Souza, uma das 28 alunas.

O curso foi ministrado na Casa da Mulher, iniciou dia 13 de maio e teve carga horária de 100 horas. Entre os diversos procedimentos estéticos aprendidos pelas alunas estão: técnicas de esfoliação, cuidados com o corpo, hidratação, massagem relaxante e Criolipólise.

De acordo com a secretária da Mulher, Edileide Batista, o curso faz parte das políticas públicas desenvolvidas pela Semmu que tem como objetivo contribuir para que as mulheres atendidas pela rede da secretaria se tornem mais autônomas e independentes.

“Qualquer mulher pode se inscrever nos cursos oferecidos pela Casa da Mulher, mas a prioridade é para aquelas atendidas por nossa rede, especialmente as que dão entrada no Centro de Referência da Mulher (CRM)”, explica Edileide. 

Rede de Atendimento à Mulher

A Semmu conta com uma rede completa de atendimento à mulher, composta pelos seguintes órgãos: Centro de Referência da Mulher, que oferece atendimento psicológico e social; Casa da Mulher, que disponibiliza cursos e capacitações; Centro de Assessoria Jurídica à Mulher, onde as mulheres contam com apoio de advogadas para processos como de pensão alimentícia; Casa Abrigo, local onde as mulheres que correm risco de morte são abrigadas pela prefeitura.  

Com a implantação do Centro de Atenção ao Homem (HAV) a rede será ampliada e passará a fazer um atendimento específico para os autores da violência, em parceria com a Justiça. Saiba mais sobre esse assunto clicando aqui.

 

Texto: Karine Gomes 
Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Parauapebas será o primeiro município do Pará a implantar um centro de reabilitação para Homem Autor de Violência (HAV) e o primeiro do Brasil a bancar a iniciativa que, até então, tem sido desenvolvida em outros estados somente pelo judiciário. Os atendimentos no centro serão realizados por uma equipe multiprofissional da Secretaria Municipal da Mulher (Semmu).

“O nosso município sai mais uma vez na frente, até mesmo de grandes cidades, e ganha muito com a implantação desse centro. Muitas vezes as políticas de atendimento e as informações são voltadas somente ao público feminino, e esquecemos que os principais autores de violência, que devem ser conscientizados, são os homens”, destaca a assessora jurídica da Semmu, Cristiane Andrade.

“A Semmu vai realizar, por meio de grupos reflexivos, atendimento ao público do programa, que é formado por homens enviados pela justiça. O objetivo é a reeducação e a ressocialização. O atendimento será feito por nossa equipe formada por assistentes sociais, psicólogos e apoio administrativo”, explicou Paula Melo, adjunta da Semmu.

Capacitação

Os profissionais que atuarão no centro passam por capacitação realizada no Ceup, entre os dias 9 e 11 deste mês, em parceria com o Tribunal de Justiça (TJ) do Pará. A capacitação conta também com a participação de representantes dos seguintes órgãos: PM, Guarda Municipal, OAB, Ministério Público e Defensoria Pública.

De acordo com o cronograma da capacitação serão abordados os seguintes assuntos: conflito e suas implicações na violência de gênero; o que é o Programa Núcleo de Atendimento à Família e aos Autores de Violência Doméstica (NAFAVD); o atendimento para autores de violência.

Grupo Reflexivo de Homens

O Grupo Reflexivo de Homens atende à recomendação da Lei Maria da Penha para criação de espaços de “educação” e “reabilitação” para os autores de violência. O projeto ganhou importante reforço com a Lei nº 13.984/2020, que inseriu, entre as medidas protetivas de urgência, o comparecimento do agressor em programas de recuperação e reeducação, bem como o seu acompanhamento psicossocial por meio de atendimento individual e/ou grupo de apoio.

O projeto tem por objetivo promover reuniões que possibilitem aos envolvidos a atribuição de um novo sentido à sua passagem pela Justiça, e assim ajudá-lo a perceber-se como sujeito ativo na construção da dinâmica de violência, a partir de uma perspectiva de gênero. A ideia é viabilizar a abertura para mudanças de comportamentos e atitudes que contribuam para a construção de uma sociedade sem violência. 

 

Texto: Karine Gomes 
Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

As atividades de aprimoramento e capacitação realizadas pela Secretaria Municipal da Mulher (Semmu), por meio da Casa da Mulher, foram retomadas e mais de 500 mulheres se inscreveram para cursos e oficinas que iniciaram nesta terça-feira, 11. As atividades estavam suspensas até então em função do pico da pandemia.

A dona de casa Silvanira Ferreira, 63 anos, é uma das nove mulheres que participam da oficina de arranjo de flores realizada finalizada nesta quarta-feira (12). Ela, que adora fazer artesanato e é engajada nas atividades promovidas pela Semmu, parabeniza a ação, “isso faz muito bem pra gente, eu, que vivo sozinha, encontro aqui motivação, amizade e aprendizado”.    

De acordo com a assistente social Rayene da Silva, coordenadora técnica da Casa da Mulher, 45 mulheres serão beneficiadas neste primeiro momento, mas novas turmas serão formadas, “em função da pandemia estamos limitando as turmas para somente dez pessoas: a professora e mais nove alunas. Cremos que em breve vamos poder ampliar esse número e atender mais gente, a procura está imensa”, pontua.

Estão programadas para maio as oficinas de Arranjo de Flores, de Reutilização de Material para Confecção de Bolsa e o curso livre de Designer de Sobrancelha. O curso profissionalizante de Estética Corporal iniciará amanhã, 13, e seguirá até o dia 18 de junho.

“O fortalecimento da rede de atendimento à mulher é um ganho enorme para a sociedade. Muitas mulheres precisam de renda para sustentar suas famílias, outras encontram na vida profissional o empoderamento. É por isso que investimos na oferta de cursos e oficinas profissionalizantes. O nosso objetivo é ajudar mulheres em situação de vulnerabilidade social a conquistar mais autonomia e independência”, explica a secretária da Mulher, Edileide Bastista.

Mais informações sobre cursos disponibilizados pela Casa da Mulher podem ser obtidas pelo número 3346-5982 ou na sede, localizada à rua F, nº 88, bairro União.

 

Texto: Karine Gomes

Assessoria de Comunicação/PMP

Com o tema "Cultivar a Paz: Desconstruir Mitos e Preconceitos em Torno da Violência Contra as Mulheres", a campanha dos 16 Dias de Ativismo de 2018 chama atenção para o eixo IV do Plano Estadual de Políticas para as Mulheres, que visa promover diversas ações segundo a perspectiva de gênero com impactos na sociedade para a promoção de mudanças culturais, desconstrução de mitos, preconceitos e cultivando, sobretudo, o respeito à diversidade e à cultura da paz.

Em Parauapebas, a campanha começou hoje, 19, e segue até dia 7 de dezembro. Oficinas, rodas de conversa, apresentações culturais, passeata, reuniões, simpósio, palestras, panfletagem e ação cidadania. A campanha promove o fortalecimento da autoestima e o empoderamento feminino, apoio às ações da saúde em defesa dos direitos das mulheres, elaboração de materiais informativos que estimulam atividades práticas da população masculina em relação à situação da violência contra as mulheres, além da parceria com universidades, conselhos, secretarias municipais, Poder Judiciário e demais instituições de defesa dos direitos. 

Realizadas pelo governo municipal, por meio da Secretaria da Mulher (Semmu) em conjunto com demais secretarias e parceiros, os 16 Dias de Ativismo também busca sensibilizar, envolver gestores, profissionais, líderes comunitários e religiosos, operadores do direito, organizações não governamentais e governamentais, movimentos ligados aos direitos humanos, bem como toda a sociedade de Parauapebas em ações preventivas, educativas e de formação frente à situação da violência contra as mulheres.

A CAMPANHA

Os 16 Dias de Ativismo é uma campanha mundial. O período compreende datas que fazem parte da luta pela equidade de gênero e raça. No Brasil, ela inicia em 20 de novembro, quando se comemora o Dia Nacional da Consciência Negra. Em seguida, dia 25 de novembro, é o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher. Outra importante data que faz parte desse período é o Dia mundial de Combate à Aids, em 1° de dezembro.

A data do Massacre das Mulheres de Montreal, 6 de dezembro, fundamenta a Campanha do Laço Branco, que no Brasil é considerado “O Dia Nacional de Mobilização dos Homens Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres”. O dia 10 de dezembro marca o fim das ações da campanha. 

As datas simbólicas servem para que o assunto não seja esquecido, mas é essencial frisar que a luta pelo fim da violência contra as mulheres é diária. O desenvolvimento de políticas públicas é fundamental para que hajam leis e que elas sejam cumpridas. 

Outro ponto importante é o papel do cidadão como fiscalizador do cumprimento das leis. Para que essas ações sejam erradicadas, é preciso que a sociedade participe e colabore com as discussões propostas na campanha, abrace a causa e se oponha a qualquer tipo de violência de gênero.


Confira a programação da campanha aqui: Programação dos 16 Dias de Ativismo da Semmu

Garantir às mulheres hipossuficientes e/ou em situação de violência doméstica/familiar o exercício de seus direitos, com acesso ao judiciário gratuito por meio de atendimento especializado. Esse é o intuito do Centro de Assessoria Jurídica à Mulher (Ceajum), que celebrou no dia 21 deste mês nove anos de existência.

Desde a sua inauguração, em 17 de setembro de 2019, já foram atendidas 20.688 mil mulheres e impetradas 3.133 mil ações. Diariamente, são atendidas sete mulheres, em média, totalizando perto de 140 atendimentos mensais. Entre ajuizamentos de ações, protocolos de petições intermediárias, acompanhamento em audiências e delegacia, visitas domiciliares e outros, são totalizados 122 procedimentos mensais.

Durante esses nove anos de existência, o Ceajum ajudou a mudar pra melhor a vida de muitas parauapebenses. A coordenadora do centro, Ana Regina, diz que os desafios são superados diariamente e que o momento é de celebrar as conquistas. “Normalmente, as mulheres procuram a gente por uma demanda espontânea. Elas conhecem o centro, são informadas por meio das ações realizadas pela Secretaria Municipal da Mulher [Semmu], mas também tem mulheres encaminhadas pela delegacia e outros centros de atendimento que fazem parte da rede de parceiros da prefeitura”, explica.

“As mulheres são atendidas por uma equipe profissional capacitada e em um local aconchegante, onde elas se sentem acolhidas e à vontade para relatar seus problemas. O fato de o centro possuir sede própria e funcionar ao lado de uma delegacia também é muito importante e nos assegura que as mulheres estão amparadas. Esse atendimento é um ganho para Parauapebas, pois o Ceajum é referência no sul e sudeste do Pará”, ressalta a secretária da Mulher, Ângela Silva.

CONVÊNIO

O Ceajum foi implantado pelo Convênio nº. 189/2007, celebrado entre a União, por meio da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR), e município de Parauapebas, por meio da Semmu. O endereço foi escolhido de forma estratégica, para proporcionar às mulheres vítimas de violência mais facilidade ao procurar um atendimento jurídico. 

O Ceajum está localizado na av. Brasil, s/n, esquina com a rua J, bairro Jardim Canadá, ao lado da Delegacia de Polícia Civil. 


Texto: Rayssa Pajeú   
Fotos: Helder Messiahs e Arquivo/Ascom   
Assessoria de Comunicação - Ascom | PMP

Realizados anualmente pela Secretaria Municipal da Mulher (Semmu), os jogos olímpicos para as mulheres de Parauapebas têm o intuito de integrar, entreter e incentivar a prática do esporte feminino no município, além de estimular a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida das parauapebenses. As competições também fortalecem a estima e incentivam o trabalho em equipe.

As mulheres podem escrever seus times nas modalidades de handebol, futsal, voleibol, karatê e xadrez. As inscrições terão início nesta segunda-feira, 13, e podem ser feitas até dia 24, das 8h às 14h, na Semmu, localizada no 1º andar do prédio da prefeitura municipal. Quem preferir pode encaminhar a ficha de inscrição diretamente para o e-mail da secretaria: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

A abertura da Olimpíada será dia 31 deste mês e a competição seguirá até 23 de setembro.

Serviço:

Inscrição para Olimpíada da Mulher

Data: 13 a 24 deste mês

Hora: 8h às 14h

Local: Semmu (1º andar do prédio da Prefeitura de Parauapebas)

(Da Redação)

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016