A Justiça estadual deferiu o pedido liminar do Ministério Público do Estado e determinou aos partidos políticos, com representação nos Municípios de Rondon do Pará e Abel Figueiredo,  a obrigação de evitar aglomeração de pessoas nos locais de realização das convenções partidárias, bem como a obrigação de adotar as medidas sanitárias de combate à covid-19, previstas no Decreto Estadual nº 800/2020 e nos Decretos Municipais editados nos referidos municípios, que regulamentam as medidas sanitárias restritivas a serem adotadas por todos, bem como do Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais 2020, recém elaborado pelo Tribunal Superior Eleitoral.

A decisão atendeu ao pedido da promotora de Justiça titular de Rondon do Pará e promotora Eleitoral junto a 51ª Zona (Rondon do Pará e Abel Figueiredo), Daliana Monique Souza Viana, ajuizado em ação civil pública no dia 11 de setembro.

O objetivo da ação foi promover a adequação dos partidos políticos, durante a realização das convenções partidárias, às normas de prevenção ao contágio e à disseminação do novo coronavírus, com a implementação efetiva das recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e decretos estaduais e municipais que tratam sobre o tema. De acordo com o novo calendário eleitoral estabelecido por conta da pandemia, o prazo para definição pelos partidos de candidatos aos cargos de prefeito, vice prefeito e vereadores termina no dia 16 de setembro.

A medida judicial foi motivada após chegar ao conhecimento do Ministério Público que os diretórios municipais dos partidos PSDB, PODEMOS, DEM, PDT e SOLIDARIEDADE, bem como dos partidos MDB, REPUBLICANOS, PSC e PSD, todos da comarca de Rondon do Pará, divulgaram por meio de redes sociais, a realização de suas convenções conjuntas, convidando “filiados, correligionários e simpatizantes” para as respectivas convenções nos dias 14 e 15 de setembro.

“Ante a realização de tais eventos, mostra-se necessária a adoção de medidas para evitar a possível proliferação do novo coronavírus com a ocorrência de aglomerações, em razão das chamadas públicas à população para comparecimento às convenções”, enfatizou na ação a promotora de Justiça Daliana Viana.

Em caso de descumprimento da decisão, foi fixada multa no valor de R$ 10 mil.

 

Fonte: Texto: Assessoria de Comunicação

Até agora, o pagamento de 11 lotes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), na modalidade emergencial, já foram liberados. Os depósitos já foram feitos aos nascidos de janeiro a novembro. As próximas liberações acontecerão para os nascidos em dezembro.

Os valores estão sendo pagos diretamente nas poupanças digitais abertas pela Caixa. Na conta, o trabalhador poderá realizar diversas movimentações, como pagar boletos e realizar compras online, por exemplo.

Quem nasceu em janeiro, fevereiro, março e abril já pode efetuar o saque em espécie. No próximo sábado, dia 19 de setembro, os saques em dinheiro serão liberados aos nascidos em maio.

Os beneficiários terão o valor disponível em conta poupança social da Caixa. Ele poderá ser usado em pagamento de boletos ou compras pelo cartão de débito virtual e QR Code.

Quem não quiser receber o saque emergencial deve avisar com dez dias de antecedência.

O saque emergencial do FGTS foi criado para para ajudar os trabalhadores durante pandemia do novo coronavírus e tem o limite de R$ 1.045, que pode ser de conta ativa ou inativa.

Confira o calendário que o valor estará disponível em conta digital e o calendário de saque e transferência abaixo.

Calendário de pagamento

  • 29 de junho: nascidos em janeiro
  • 6 de julho: nascidos em fevereiro
  • 13 de julho: nascidos em março
  • 20 de julho: nascidos em abril
  • 27 de julho: nascidos em maio
  • 3 de agosto: nascidos em junho
  • 10 de agosto: nascidos em julho
  • 24 de agosto: nascidos em agosto
  • 31 de agosto: nascidos em setembro
  • 8 de setembro: nascidos em outubro
  • 14 de setembro: nascidos em novembro
  • 21 de setembro: nascidos em dezembro

Calendário de saque e transferência

  • 25 de julho: nascidos em janeiro
  • 8 de agosto: nascidos em fevereiro
  • 22 de agosto: nascidos em março
  • 3 de outubro: nascidos em junho
  • 5 de setembro: nascidos em abril
  • 19 de setembro: nascidos em maio
  • 17 de outubro: nascidos em julho
  • 17 de outubro: nascidos em agosto
  • 31 de outubro: nascidos em setembro
  • 31 de outubro: nascidos em outubro
  • 14 de novembro: nascidos em novembro
  • 14 de novembro: nascidos em dezembro

Saque emergencial do FGTS de R$1.045

A Caixa liberou o calendário de pagamentos de R$1.045 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os depósitos começaram no dia 29 de junho e seguirão válidos até 21 de setembro, conforme nascimento dos trabalhadores. No entanto, quem receber terá que esperar semanas ou até meses para sacar o dinheiro.

O Governo anunciou em abril que liberaria um saque emergencial do FGTS para apoiar os trabalhadores durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Têm direito ao dinheiro trabalhadores que possuem contas ativas (do emprego atual) ou inativas (de empregos anteriores) no FGTS. A data em que o valor cai na poupança digital depende do mês de aniversário do trabalhador.

 

Fonte: 

O Governo Federal liberou o novo calendário de pagamento do auxílio emergencial de R$ 300. Mães chefes de família recebem R$ 600 por parcela. O benefício será liberado em 6 dias!

O cronograma será iniciado dia 17 de setembro, com o pagamento sendo feito para os beneficiários do Bolsa Família. O cronograma desse grupo segue o do programa federal, divulgado no início de 2020.

Assim como nos calendários anteriores para beneficiários do Bolsa Família, o pagamento segue de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS). Ou seja, dia 17 de setembro o pagamento ocorre para quem tem NIS terminado em 1. No dia 18, para quem tem NIS terminado em 2 e assim sucessivamente.

O auxílio emergencial e o Bolsa Família não são benefícios cumulativos. Ou seja, o beneficiário dos dois recebe apenas o que tem pagamento maior. Até agora, foi divulgada apenas a data de pagamento para esse grupo. Os beneficiários que fizeram cadastro pelo site ou pelo app ou inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) ainda não tiveram os detalhes do calendário divulgados.

Veja abaixo o calendário completo da sexta parcela de pagamento do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família. O pagamento é de R$ 300 – ou de R$ 600, para mães chefes de família.

  • 17 de setembro: NIS de final 1
  • 18 de setembro: NIS de final 2
  • 21 de setembro: NIS de final 3
  • 22 de setembro: NIS de final 4
  • 23 de setembro: NIS de final 5
  • 24 de setembro: NIS de final 6
  • 25 de setembro: NIS de final 7
  • 28 de setembro: NIS de final 8
  • 29 de setembro: NIS de final 9
  • 30 de setembro: NIS de final 0

Auxílio prorrogado até dezembro

O presidente Jair Bolsonaro anunciou a prorrogação do auxílio emergencial por quatro meses no valor de R$ 300. A extensão do auxílio foi oficializada por meio de medida provisória e terá que ser aprovada por deputados e senadores no Congresso Nacional.

“Não é um valor o suficiente muitas vezes para todas as necessidades, mas basicamente atende. O valor definido agora há pouco é um pouco superior a 50% do valor do Bolsa Família. Então, decidimos aqui, até atendendo a economia em cima da responsabilidade fiscal, fixá-lo em R$ 300”, disse Bolsonaro. 

Neste ano, o Executivo depositou cinco parcelas de R$ 600 para os beneficiários do auxílio, visando ajudar os brasileiros de baixa renda, trabalhadores informais, MEIs, autônomos e desempregados.   

O presidente Jair Bolsonaro já havia informado sobre a redução do valor do benefício e argumenta que, se o valo pode parecer pouco para os brasileiros afetados pela pandemia, “é muito para quem paga, no caso, o Brasil”.  

De acordo com cálculos feitos pela equipe econômica, o custo mensal do benefício foi de R$ 50 bilhões por mês durante a primeira fase do programa. 

 

Fonte: 

O Governo Federal liberou o novo calendário de pagamento do auxílio emergencial de R$ 300. Mães chefes de família recebem R$ 600 por parcela. O benefício será liberado em 6 dias!

O cronograma será iniciado dia 17 de setembro, com o pagamento sendo feito para os beneficiários do Bolsa Família. O cronograma desse grupo segue o do programa federal, divulgado no início de 2020.

Assim como nos calendários anteriores para beneficiários do Bolsa Família, o pagamento segue de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS). Ou seja, dia 17 de setembro o pagamento ocorre para quem tem NIS terminado em 1. No dia 18, para quem tem NIS terminado em 2 e assim sucessivamente.

O auxílio emergencial e o Bolsa Família não são benefícios cumulativos. Ou seja, o beneficiário dos dois recebe apenas o que tem pagamento maior. Até agora, foi divulgada apenas a data de pagamento para esse grupo. Os beneficiários que fizeram cadastro pelo site ou pelo app ou inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) ainda não tiveram os detalhes do calendário divulgados.

Veja abaixo o calendário completo da sexta parcela de pagamento do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família. O pagamento é de R$ 300 – ou de R$ 600, para mães chefes de família.

  • 17 de setembro: NIS de final 1
  • 18 de setembro: NIS de final 2
  • 21 de setembro: NIS de final 3
  • 22 de setembro: NIS de final 4
  • 23 de setembro: NIS de final 5
  • 24 de setembro: NIS de final 6
  • 25 de setembro: NIS de final 7
  • 28 de setembro: NIS de final 8
  • 29 de setembro: NIS de final 9
  • 30 de setembro: NIS de final 0

Auxílio prorrogado até dezembro

O presidente Jair Bolsonaro anunciou a prorrogação do auxílio emergencial por quatro meses no valor de R$ 300. A extensão do auxílio foi oficializada por meio de medida provisória e terá que ser aprovada por deputados e senadores no Congresso Nacional.

“Não é um valor o suficiente muitas vezes para todas as necessidades, mas basicamente atende. O valor definido agora há pouco é um pouco superior a 50% do valor do Bolsa Família. Então, decidimos aqui, até atendendo a economia em cima da responsabilidade fiscal, fixá-lo em R$ 300”, disse Bolsonaro. 

Neste ano, o Executivo depositou cinco parcelas de R$ 600 para os beneficiários do auxílio, visando ajudar os brasileiros de baixa renda, trabalhadores informais, MEIs, autônomos e desempregados.   

O presidente Jair Bolsonaro já havia informado sobre a redução do valor do benefício e argumenta que, se o valo pode parecer pouco para os brasileiros afetados pela pandemia, “é muito para quem paga, no caso, o Brasil”.  

De acordo com cálculos feitos pela equipe econômica, o custo mensal do benefício foi de R$ 50 bilhões por mês durante a primeira fase do programa. 

 

Fonte: 

O Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aprovou nesta terça-feira (8) uma suspensão temporária de 120 dias para que agentes financeiros façam os pagamentos de financiamento imobiliário de habitação popular ao fundo. A reunião foi realizada por videoconferência.

A medida foi apresentada pelo Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), atendendo pedido dos bancos e financeiras, em virtude da pandemia do novo coronavírus. As instituições financeiras haviam suspendido pagamentos de parcelas para moradias, mas os repasses ao FGTS não foram pausados.

Agora, ficou especificado que seriam usados na pausa de 120 dias até R$ 3 bilhões para atender quem concedeu financiamento ao público-alvo das políticas de moradia social: pessoas físicas das faixas 1,5 e 2 do programa Casa Verde e Amarela, com renda bruta mensal de R$ 4 mil.

O ministério fez estudos também para um cenário de pausa de 180 dias, mas a pasta considerou o impacto oneroso demais.

A medida vale para parcelas a vencer a partir de setembro e devem pagas até 31 de dezembro. Assim, o ministério justifica que não haverá perdas para o balanço final do FGTS, pois os pagamentos parcelado teriam a devida atualização monetária.

Segundo o estudo do MDR, o FGTS teria condições financeiras de arcar com a medida sem venda antecipada de títulos públicos e usando excedente de operações compromissadas, que totalizam mais de R$ 5,7 bilhões.

A medida foi aprovada por unanimidade.

 

Fonte: G1

Prestes a completar 91 anos (em 16 de outubro), Fernanda Montenegro revela que fez uma "forte análise de consciência" nos últimos quatro meses de isolamento social. E tal processo se deu em família, por conta das gravações de Gilda e Lúcia, primeiro episódio do seriado Amor e Sorte, que estreia nesta terça-feira (8), às 22h45min, na RBS TV.

Na trama, Fernanda vive Gilda, que é  levada pela filha Lúcia (Fernanda Torres) a uma casa em região isolada, para que fiquem seguras em meio à pandemia do coronavírus. Com personalidades opostas, e depois de anos sem contato direto, as duas entram em confronto durante a convivência.  O episódio é um projeto em família. Foi gravado na casa da região serrana do Rio de Janeiro onde Fernanda cumpre o isolamento social ao lado da filha Fernanda Torres, do genro Andrucha Waddington, que assina a direção, e dos netos. Em entrevista a GZH, por videoconferência, a atriz destaca o quanto Amor e Sorte a ajudou a repensar sua vida e fala sobre o atual momento do país.

Este episódio fala sobre amor, perdão e relações familiares. Tem alguma questão que você reflete em sua própria vida?


Esse especial cravou para sempre um momento de realização artística, de comunhão familiar e de aceitação de uma nova possibilidade de sobrevivência diante de uma tragédia como esse vírus que está no mundo. Deram um espaço para a gente poder ir para a natureza e foi tudo consumado na série pelo acaso. E o acaso sempre tem a última palavra, como diz a Simone de Beauvoir. A gente tem os filhos, que vão para as suas vidas, tomam seus rumos, mas nesses quatro meses juntos nos encontramos de uma forma amorosa mesmo, essencial, muito humana. Isso tem um pouco na feitura da nossa série. E saímos mais completos, mais experimentados diante da vida e da sobrevivência nesse momento. 

O que estamos enfrentando a ajudou a construir sua personagem?


Ajudou sim. No roteiro, a ação age sobre o seu excesso diante da vida, na sua atividade ou no seu emocional. À medida que você recua desse projeto de ação e resultado, vai para o meio do mato e vê que pode viver sem aquilo tudo, sem aquela ansiedade de produtividade, de exibição da sua fome de talento e de produção. Vamos recuar? Não acho que nas posições fundamentais, como física e culturalmente, mas a gente está meio desesperado e esse vírus está fazendo a gente pensar a respeito. Depois da (gripe) espanhola, por incrível que pareça, vieram Hitler e Mussolini, então precisamos ter cuidado com o que está vindo aí. Em volta, está muito ruim em matéria de política, de atendimento social, de tudo. 

 Estamos vivendo em um momento de tensão, incerteza e vendo pessoas tristes. O humor é uma saída para enfrentar tudo isso?


O humor traz o raciocínio em cima da dor. E não é que pare de sentir (dor), mas isso te leva à ação, sair da toca e ir adiante. Acho que no momento está faltando o humor que seja uma defesa e também uma arma sadia. Penso que talvez  fosse legal fazer um trabalho conjunto como o (jornal carioca) Pasquim, pegando humoristas desta estirpe, em uma frente não tão individualizada, mais aglutinada. Fizemos um pouco disso no nosso episódio de Amor e Sorte. 

Você falou recentemente que o Brasil vai vencer esse atual momento pela arte. A pandemia será um ponto de transição para maior valorização da arte no país?


Essa pandemia vamos deixar de lado. A condenação ao redor da cultura é uma imbecilidade, é uma pretensão, é um retrocesso gigantesco e trágico, porque nós (os artistas) não vamos acabar. A cultura de um país é o que o homem pode aspirar de transcendência. Não pode viver sem essa transcendência, nem quando ele saiu da gruta, sempre se expressou de forma além da praticidade, da produtividade, isso não deixa de ser cultura. Deixa a imbecilidade se propor, estamos completamente vivos, atuantes e não deixamos de existir. Não seremos os que vão ficar no fundo da terra, não seremos mesmo. É um ciclo que vai passar. Estamos produzindo com a maior dificuldade, sob maior interferência. Isso já aconteceu muitas vezes na história. Não sei porque chegamos a esse ponto, mas somos imorredouros e não estou assustada. É só ter paciência. A nossa transcendência cultural é viva, latente e produtiva. Nesses meus anos de vida, nunca vi algo assim, mesmo no período militar. O que se criou lá, em um tempo de contestação, é algo extraordinário em todas as áreas das artes. Nenhum regime ditatorial alcançou isso que estamos vivendo nesse momento com o Congresso aberto, é um momento mágico negativo (risos). É só esperar, não vai durar, não tem como durar. Há um corte em toda e qualquer possibilidade de criatividade artística no país, nenhuma zona da criatividade tem algum prestígio durante o atual governo. Tivemos isso com o Congresso fechado. Não vamos ficar no meio do caminho, é uma questão de tempo.

Você já trabalhou com  Jorge Furtado (que assina a criação da série) em outros projetos. Que características dele destaca?


O Jorge é um cara de uma humanidade comovedora, ele está na vida, no encontro do ser humano com outro, todo seu talento de criador é voltado para humanidade, humanismo, para a consciência social. Sempre com um humor muito criativo. Eu tive o prazer de trabalhar com ele e sua equipe e estou às ordens. A hora que quiser, se eu estiver andando e falando, pode contar comigo. 

Que balanço faz desses últimos meses?
A cada dia, uma nova era. É exaustivo isso, e imagina com a minha idade. Seria bom se a bendita vacina aparecesse em setembro mesmo, seria uma esperança, nova vida. Que venha até o Natal, como presente, porque eu não tenho muito tempo. Os vivos da minha idade ou perto disso, estamos apreensivos. Queríamos viver em um mundo diferente antes de ir para outro lugar. Há esperança de que vamos ter chance, então a gente acorda e canta. É isso.

 

Fonte: https://gauchazh.clicrbs.com.br

Até agora, um total de nove lotes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), na modalidade emergencial, já foram liberados aos nascidos de janeiro a setembro. O próximo pagamento será feito amanhã, dia 08 de setembro, aos nascidos em outubro.

Os valores estão sendo pagos diretamente nas poupanças digitais abertas pela Caixa. Na conta, o trabalhador poderá realizar diversas movimentações, como pagar boletos e realizar compras online, por exemplo.

Os nascidos em janeiro, fevereiro e março já podem efetuar o saque em espécie.  No próximo sábado, dia 05 de setembro, os saques em espécie serão liberados para quem nasceu em abril.

Os beneficiários terão o valor disponível em conta poupança social da Caixa. Ele poderá ser usado em pagamento de boletos ou compras pelo cartão de débito virtual e QR Code.

Quem não quiser receber o saque emergencial deve avisar com dez dias de antecedência.

saque emergencial do FGTS foi criado para para ajudar os trabalhadores durante pandemia do novo coronavírus e tem o limite de R$ 1.045, que pode ser de conta ativa ou inativa. Veja o calendário que o valor estará disponível em conta digital e o calendário de saque e transferência abaixo.

Calendário de pagamento

  • 29 de junho: nascidos em janeiro
  • 6 de julho: nascidos em fevereiro
  • 13 de julho: nascidos em março
  • 20 de julho: nascidos em abril
  • 27 de julho: nascidos em maio
  • 3 de agosto: nascidos em junho
  • 10 de agosto: nascidos em julho
  • 24 de agosto: nascidos em agosto
  • 31 de agosto: nascidos em setembro
  • 8 de setembro: nascidos em outubro
  • 14 de setembro: nascidos em novembro
  • 21 de setembro: nascidos em dezembro
 

Calendário de saque e transferência

  • 25 de julho: nascidos em janeiro
  • 8 de agosto: nascidos em fevereiro
  • 22 de agosto: nascidos em março
  • 5 de setembro: nascidos em abril
  • 19 de setembro: nascidos em maio
  • 3 de outubro: nascidos em junho
  • 17 de outubro: nascidos em julho
  • 17 de outubro: nascidos em agosto
  • 31 de outubro: nascidos em setembro
  • 31 de outubro: nascidos em outubro
  • 14 de novembro: nascidos em novembro
  • 14 de novembro: nascidos em dezembro

Saque emergencial do FGTS de R$1.045

Caixa liberou o calendário de pagamentos de R$1.045 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os depósitos começaram no dia 29 de junho e seguirão válidos até 21 de setembro, conforme nascimento dos trabalhadores. No entanto, quem receber terá que esperar semanas ou até meses para sacar o dinheiro.

O Governo anunciou em abril que liberaria um saque emergencial do FGTS para apoiar os trabalhadores durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Têm direito ao dinheiro trabalhadores que possuem contas ativas (do emprego atual) ou inativas (de empregos anteriores) no FGTS. A data em que o valor cai na poupança digital depende do mês de aniversário do trabalhador.

 

Fonte: 

Em substituição ao tradicional desfile do Dia da Independência, o presidente Jair Bolsonaro participará na manhã desta segunda-feira (7) de um evento fechado no Palácio da Alvorada. A versão enxuta da cerimônia deve ter o hasteamento da Bandeira Nacional e uma breve apresentação da Esquadrilha da Fumaça por cerca de dez minutos.

À noite, Bolsonaro planeja um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão. Para o evento da manhã, às 10h, em frente ao Alvorada, foram convidadas algumas das principais autoridades de Brasília, como os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, além de ministros de Estado.

Após o desentendimento entre Maia e o ministro da Economia, Paulo Guedes, se tornar explícito na última semana, o presidente da Câmara optou por não comparecer à celebração no Palácio da Alvorada. Segundo a assessoria de Maia, ele embarcou para o Rio nesta sexta-feira (4) e só deve retornar à capital federal amanhã (7), no fim do dia. No ano passado, ele também não compareceu ao desfile do 7 de Setembro porque estava em viagem ao Catar.

De acordo com a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), a solenidade é restrita para as autoridades convidadas e imprensa. Há um mês, o Ministério da Defesa determinou o cancelamento do desfile de 7 de setembro, que comemora o 198º aniversário da Proclamação da Independência.

Na portaria, a pasta destacou que, em razão da pandemia da covid-19, não é recomendável pelas autoridades sanitárias "a promoção de eventos que possam gerar aglomerações de público, devido ao risco de contaminação". "As condições atuais indicam que tal recomendação deva ainda vigorar durante o mês de setembro, abrangendo, assim, o período de celebração do 198º Aniversário da Proclamação da Independência do Brasil", afirma o documento.

Como foi em 2019

No ano passado, Bolsonaro usou a data de 7 de Setembro para tentar melhorar a imagem e reagir a pesquisas que mostravam um aumento da reprovação da gestão. Na véspera, ele conclamou as pessoas a saírem de verde e amarelo nas ruas, numa demonstração de apoio ao governo e ao que chamou de "patriotismo".

Bolsonaro acompanhou o tradicional desfile do Dia da Independência na Esplanada dos Ministérios, ao lado do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, o bispo Edir Macedo, e o dono do SBT e apresentador, Silvio Santos. Também estiveram presentes no palanque presencial os empresários Marcelo de Carvalho, apresentador e vice-presidente da RedeTV!, e Luciano Hang, dono da Havan.

O evento de 2019 foi marcado pela quebra de protocolo por Bolsonaro, que desceu do palanque presidencial e percorreu a Esplanada dos Ministérios acompanhado de seguranças e ministros, o que pegou os agentes de surpresa.

Em diversos momentos, o presidente caminhou abraçado ao então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Bolsonaro e Moro cumprimentaram o público, que respondia aos gritos de "mito" e "Moro". Hoje, eles são investigados num inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que apura se o chefe do Executivo tentou interferir politicamente na Polícia Federal (PF). O ex-juiz federal saiu do governo em abril e levantou uma série de acusações contra Bolsonaro.

 

Fonte: https://noticias.uol.com.br

A Caixa abrirá 770 agências hoje (5), das 8h às 12h, para atendimento aos beneficiários do auxílio emergencial e do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os trabalhadores com data de nascimento entre janeiro e abril poderão fazer o saque em espécie do FGTS e os beneficiários nascidos de janeiro a setembro poderão sacar em dinheiro o auxílio emergencial.

A relação de agências que estarão abertas pode ser conferida no site do banco.

A Caixa reforça que todas as pessoas que procurarem atendimento durante o funcionamento das agências serão atendidas e que não é preciso chegar antes do horário de abertura.

Auxílio Emergencial

A partir deste sábado, 4 milhões de beneficiários nascidos em setembro poderão sacar o benefício nas máquinas de autoatendimento, nas unidades lotéricas e nos correspondentes Caixa Aqui, além de transferir valores para contas da Caixa ou de outros bancos, de acordo com o Ciclo 1 do calendário de pagamentos.

Os ciclos de crédito em conta e saques em espécie seguem até dezembro para o pagamento das cinco parcelas definidas pelo Governo Federal para o público do Cadastro Único (CadÚnico) e para quem se cadastrou pelo App Caixa | Auxílio Emergencial ou pelo site.

Saque Emergencial do FGTS

A partir deste sábado (5), os trabalhadores nascidos em abril que tiveram o crédito do saque emergencial do FGTS e que não movimentaram a conta poupança social digital ou que tenham saldo remanescente já poderão sacar o benefício em dinheiro ou transferir os valores.

Na próxima terça-feira (8), a Caixa credita o saque emergencial do FGTS para os trabalhadores nascidos em outubro. Nessa etapa, o valor estará disponível para cerca de 5 milhões de trabalhadores, no montante de aproximadamente R$ 3,2 bilhões.

Como realizar o saque em espécie

É preciso fazer o login no App Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”. Depois, o trabalhador deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora. O código deve ser utilizado nos caixas eletrônicos da Caixa, nas unidades lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Cartão de débito virtual

Com o cartão de débito virtual é possível fazer compras pela internet, aplicativos e sites de qualquer um dos estabelecimentos credenciados.

Para utilizar o cartão, o beneficiário precisa gerá-lo. Depois, entrar no aplicativo e acessar o ícone cartão de débito virtual. Feito isso, o usuário deverá digitar a senha do Caixa Tem. Em seguida, aparecerão os seguintes dados: nome do cidadão, número e validade do cartão, além do código de segurança. Ao lado do código, é preciso clicar em “gerar”. Assim o cartão ficará disponível. O código de segurança vale para uma compra ou por alguns minutos. Para realizar uma nova compra é preciso gerar um novo código.

Pagamento nas maquininhas

Além da possibilidade de uso do cartão de débito virtual, disponível para compras online, o Caixa Tem oferece a opção “pague na maquininha”, forma de pagamento digital que pode ser utilizada nos estabelecimentos físicos habilitados. É uma funcionalidade por leitura de QR Code gerado pelas maquininhas dos estabelecimentos e que pode ser facilmente escaneado pela maioria dos telefones celulares equipados com câmera.

Quando o cliente seleciona a opção “pague na maquininha”, no aplicativo, automaticamente a câmera do celular é aberta. O usuário deve então apontar o telefone para leitura do QR Code gerado na maquininha do estabelecimento.

 

Fonte: Agência Brasil - Brasília

O número de desempregados diante da pandemia do novo coronavírus voltou a crescer na segunda semana de agosto, após leve queda na semana anterior. De acordo com a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta sexta-feira (4), em uma semana o contingente de desempregados aumentou em cerca de 300 mil pessoas, chegando a 12,9 milhões o total de trabalhadores em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho.

Com o aumento, a taxa de desemprego passou de 13,3% para 13,6%. Todavia, o IBGE considera que houve estabilidade do indicador e atribui o crescimento da população desocupada à retomada da busca por emprego diante da crescente retomada das atividades econômicas pelo país.

 Desemprego volta a crescer após leve queda na primeira semana de agosto, segundo o IBGE — Foto: Economia/G1

Desemprego volta a crescer após leve queda na primeira semana de agosto, segundo o IBGE — Foto: Economia/G1

Segundo o IBGE, cerca de 1,6 milhão de pessoas voltaram a pressionar o mercado em busca de trabalho na segunda semana de agosto, na comparação com a anterior. Uma parcela dessa população conseguiu se ocupar, mas a restante foi para a desocupação.

Esse número vem da queda de 28,1 milhões para 27,1 milhões no número de pessoas que gostaria de trabalhar, mas não procurou trabalho no período. Também reduziu de 18,3 milhões para 17,7 milhões o grupo de pessoas que gostaria de trabalhar, mas não procurou devido à pandemia ou por falta de trabalho no local onde vive.

“Embora pouco significativo, tivemos um leve aumento da população ocupada e da desocupada, e uma discreta diminuição da população fora da força de trabalho. Isso sugere, como já tínhamos observado na semana anterior, uma leve retomada das atividades econômicas e da recuperação do emprego”, avaliou a coordenadora da pesquisa, Maria Lúcia Vieira

A população ocupada e não afastada do trabalho foi estimada em 75,1 milhões de pessoas, aumentou de cerca de 400 mil pessoas em relação à semana anterior, mas que também é considerado como estabilidade pelo IBGE.

Já na comparação com a primeira semana de maio, quando esse contingente era estimado em 63,9 milhões, houve alta de 17,5%, o que corresponde a um acréscimo de 11,2 milhões de pessoas ocupadas no mercado de trabalho.

Informalidade volta a ter leve alta

O IBGE destacou que essa leve retomada do mercado de trabalho também pode ser vista nos dados de informalidade. Aumentou em cerca de 100 mil o número de trabalhadores informais na comparação com a primeira semana de agosto. Com isso, chegou a 29 milhões o número de informais em atividade no país e a taxa de informalidade ficou em 34,1%.

São considerados como trabalhadores informais pelo IBGE aqueles empregados no setor privado sem carteira assinada, trabalhadores domésticos sem carteira, trabalhadores por conta própria sem CNPJ e empregadores sem CNPJ, além de pessoas que ajudam parentes.

Informalidade se mantém estável, segundo o IBGE — Foto: Economia/G1

Em 3 meses, nº de afastados pela pandemia caiu 74%

O levantamento do IBGE mostrou, ainda, que cerca de 4,3 milhões de trabalhadores continuavam afastados do trabalho devido ao isolamento social imposto pela pandemia na segunda semana de agosto. Esse número é 74% menor que o registrado na primeira semana de maio, quando o contingente de afastados chegou a 16,2 milhões de pessoas.

Em relação à semana anterior, caiu em cerca de 400 mil pessoas o total de afastados do trabalho devido o isolamento social, o que corresponde a uma redução de 8,5% e enfatiza o avanço da reabertura das atividades econômicas pelo país.

Proporcionalmente, apenas 5,2% dos trabalhadores ocupados ainda estavam afastados do local de trabalho devido o isolamento social. Na primeira semana de maio, esse percentual era de 19,8%.

Na comparação com a primeira semana de maio, número de afastados pela pandemia caiu 74% — Foto: Economia/G1

Pnad Covid X Pnad Contínua

O levantamento foi feito entre os dias 9 e 15 de agosto por meio da Pnad Covid19, versão da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua realizada com apoio do Ministério da Saúde para identificar os impactos da pandemia no mercado de trabalho e para quantificar as pessoas com sintomas associados à síndrome gripal no Brasil.

Apesar de também avaliar o mercado de trabalho, a Pnad Covid19 não é comparável aos dados da Pnad Contínua, que é usada como indicador oficial do desemprego no país, devido às características metodológicas, que são distintas. Os dados da Pnad Contínua mais atuais são referentes a julho, e apontaram uma alta do desemprego para 13,3%, com queda recorde no número de ocupados.

 

Fonte: Por Daniel Silveira, G1

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/00.Novo_Projeto_-_2021-09-24T142218530gk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016