A promotoria de Justiça de Juruti e o Instituto Juruti Sustentável (IJUS), com a parceria do Tribunal de Justiça do Pará,  iniciam a partir do dia 11 de setembro  o projeto Juruti Solidário, para apoio ao enfrentamento das consequências socioeconômicas da pandemia do novo coronavírus.  O projeto terá a duração de dois meses e terá como beneficiários 265 famílias previamente cadastradas de 30 comunidades do município, para recebimento de alimentos. Os recursos serão oriundos do IJUS e dos valores de transações penais depositados em conta judicial da comarca.

A manifestação de covid-19 em Juruti continua, associada ao baixo índice de isolamento social no município, conforme dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública, que inclui Juruti entre os 60 menores índices do Pará. Um dos setores afetados é o econômico, com a redução de várias atividades, a exemplo do fechamento da feira do produtor rural, que impactou o escoamento da produção, e também pela paralisação da comercialização para os programas governamentais como a da merenda escolar, diante do fechamento das escolas.

Nesse contexto, o Instituto Juruti Sustentável propôs o projeto à promotoria de Justiça de Juruti, que acompanha a execução para garantir a legalidade das ações e que não seja utilizado para fins políticos ou eleitorais. De acordo com o promotor de Justiça Thiago Ribeiro Sanandres, trata-se de esforço conjunto, com a parceria do poder Judiciário.

O projeto deve distribuir quatro toneladas de alimentos na forma de cestas básicas, sendo a primeira entrega prevista para o dia 11 de setembro, e a segunda, após a prestação de contas. Para a vinculação das famílias beneficiadas, foi utilizado o cadastro da Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento, de produtores familiares da feira do produtor rural, com 265 famílias, de 30 comunidades da zona rural.

Os recursos no total de R$ 30.874,30 para execução do projeto virão em parte do IJUS, e do valor de R$25 mil a serem destinados em duas parcelas, referentes a transações penais que resultaram em depósitos judiciais, que serão utilizados para a aquisição de alimentos.  A promotoria de Juruti solicitou a destinação dos valores em saldo da conta bancária da comarca ao Juiz Vilmar Durval Macedo Junior, que deferiu o pedido do MPPA em favor do Instituto, que irá gerenciar a aquisição e entrega.

O IJUS deve apresentar a lista de nomes e CPFs das famílias vulneráveis de agricultores vinculadas à feira do produtor, e após quinze dias da distribuição, apresentar relatório com a devida prestação de contas e notas fiscais de aquisição dos produtos. Deve garantir ainda que a entrega seja feita sem aglomeração, respeitando as normas de distanciamento e higiene.

 

Texto: Assessoria de Comunicação

A saúde dos idosos neste período de isolamento social exige maior atenção e cuidados redobrados. Devido o risco de transmissão do novo coronavírus é necessário manter o distanciamento social, mas o apoio da família é essencial, seja na ajuda com compras de supermercado e farmácia ou contatos virtuais para um bom bate papo.

Veja outras dicas e cuide de quem você ama!

– Manter o isolamento social

- É fundamental evitar o contato físico, pois os idosos fazem parte do grupo de risco e estão mais vulneráveis à contaminação.

- Realizar ligações diárias

- Cuidar do emocional é essencial neste período. Ligações, videochamadas e mensagens são meios de manter o contato com os idosos, assim eles não se sentem tão solitários.

- Cuidados com a saúde

- É importante conversar e saber se os idosos estão se alimentando bem, tomando as medicações de forma correta e se as vacinas estão em dia.

- Seguir as orientações de higiene

- Não compartilhe objetos.

- Se você mora com idosos na mesma casa e precisa sair para trabalhar ou acompanhá-los em alguma atividade, assim que voltar para casa, siga as recomendações de lavar bem as mãos, tirar os sapatos e trocar as roupas.  Evite beijos, abraços e apertos de mão.

 

Texto: Liliane Diniz

Atendendo pedido do Ministério Público do Pará (MPPA), o juiz da comarca de Parauapebas, Lauro Fontes Junior, determinou na última sexta (28) a suspensão do Decreto Municipal nº 855/2020 que permitia o retorno das aulas na rede de ensino privada de Parauapebas.

O Decreto nº 855/2020 foi publicado pela prefeitura municipal no início de agosto, permitindo, exclusivamente, o retorno das aulas na rede ensino privada, inclusive de ensino infantil e fundamental. Os efeitos do ato administrativo passaram a valer a partir de 5 de agosto de 2020 com 30% da capacidade por sala de aula.

O Promotor de Justiça, Emerson Costa de Oliveira, havia ajuizado Ação Civil Pública (ACP) para a anulação do decreto no último 6 de agosto. Em dos principais argumentos na ACP, o promotor apontou o desvio de finalidade, avaliando que os efeitos do decreto atenderiam unicamente interesses financeiros, especialmente de empresários donos de escolas particulares, em detrimento do direito à educação.

‘’A finalidade deveria ser o interesse público, porém fica claro que o decreto visa interesses privados, com riscos desproporcionais e desnecessários à saúde pública. Sabe-se que a maioria das escolas estão cobrando apenas percentual da mensalidade (...), daí o interesse dos proprietários das escolas nesse prematuro retorno presencial. Maior prova de que o interesse é meramente financeiro é que o Prefeito permitiu apenas o retorno das escolas particulares, proibindo o retorno das escolas públicas’’, frisou o promotor.

O juiz da comarca de Parauapebas, Lauro Fontes Junior, ao deferir a Ação Civil Público do MPPA, ressalta a competência do Poder Executivo em ‘’projetar e planificar’’ o retorno das atividades escolares, cabendo ao Poder Judiciário ‘’verificar a regularidade dos atos normativos e de administração do Poder Público em relação às causas, os motivos e à finalidade que os ensejam’’. Em relação ao Decreto nº 855/2020, o juiz reconhece que o ato administrativo está desvirtuado do atual contexto sanitário em Parauapebas.

O último boletim da Secretaria Municipal de Saúde, de ontem (30), aponta para 20.060 casos confirmados, 166 óbitos e 13.982 recuperados.

 

Texto: Renan Monteiro, Assessoria de Comunicação


Edição: Edyr Falcão

O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) e o Ministério Público Federal (MPF) e enviaram nesta quarta-feira (26) ao Município de Oriximiná recomendação para que seja mantida a proibição de realização das atividades econômicas de turismo e de pesca esportiva, por conta da pandemia da covid-19.

A medida foi tomada visando proteger a população, sobretudo as populações tradicionais que vivem na região. Oriximiná é um dos municípios de maior sociodiversidade do Brasil e conta com a presença de muitos povos indígenas, comunidades quilombolas e ribeirinhas.

As especificidades imunológicas e epidemiológicas tornam os povos indígenas particularmente suscetíveis ao novo coronavírus, destacam o MPF e o MPPA, que também ressaltam que os turistas e pescadores esportivos são pessoas oriundas especialmente de regiões do Brasil e do exterior nas quais ainda há intensa transmissão comunitária da covid-19, o que torna a proibição temporária das atividades econômicas de turismo e pesca esportiva ainda mais necessária.

Além disso, muitas dessas atividades se desenvolvem especialmente nos rios Erepecuru, Mapuera, Katxpakuro e médio e alto Trombetas, regiões tradicionalmente ocupadas por muitos indígenas, quilombolas e ribeirinhos, de modo que a reabertura da atividade, neste momento, os exporia a acentuado risco de infecção pelo novo coronavírus, registram o MPPA e o MPF.

A recomendação leva em conta, também, que muitas vezes as atividades de pesca esportiva adentram em regiões reconhecidas exclusivamente como Terra Indígena Katxuyana-Tunayana, o que as torna ilegais, e que a portaria nº 419/2020 da Fundação Nacional do Índio (Funai) já proíbe a entrada de não indígenas nas Terras Indígenas, também como uma forma de prevenção à disseminação da covid-19 entre os povos.

O MPPA e MPF apontam, ainda, que parte significativa dessas atividades não possui nem mesmo licenciamento ambiental junto à secretaria municipal de Meio Ambiente, o que dificulta ainda mais qualquer controle sanitário sobre elas.

Foi estabelecido o prazo de cinco dias para o atendimento à recomendação. O prazo começa a valer assim que a prefeitura receber oficialmente o documento.

Sobre as recomendações – Recomendações são instrumentos do Ministério Público que servem para alertar agentes públicos sobre a necessidade de providências para resolver uma situação irregular ou que possa levar a alguma irregularidade. O não acatamento infundado de uma recomendação, ou a insuficiência dos fundamentos apresentados para não acatá-la total ou parcialmente pode levar o Ministério Público a adotar medidas judiciais cabíveis.

 

Fonte: https://www2.mppa.mp.br

O novo ciclo de pagamentos do auxílio emergencial de R$ 600 tem início nesta sexta-feira, dia 28. No ciclo dois, serão pagos os valores referentes à quinta, quarta, terceira ou segunda parcela, dependendo do mês de recebimento da primeira. O benefício também será pago aos novos aprovados, que ainda receberão a primeira parcela.

Nesta sexta, serão beneficiados aqueles que se inscreveram no site ou aplicativo do auxílio emergencial nascidos em janeiro. O ciclo dois segue até o dia 30 de setembro.

Vale lembrar que o calendário foi estabelecido de acordo com o mês de nascimento dos beneficiários e possui duas datas. A primeira corresponde à data de depósito do dinheiro na poupança social da Caixa.

Entretanto, nesse primeiro momento, o auxílio poderá ser utilizado somente para pagar boletos e compras, utilizando o cartão de débito virtual ou QR Code pelo aplicativo Caixa Tem. Somente depois de algumas semanas, são liberados o saque em espécie nas agências Caixa e transferência para outras contas de preferência do beneficiário.

Confira o calendário do ciclo dois de pagamentos do auxílio emergencial:

Depósito em conta

  • 28 de agosto – Nascidos em janeiro
  • 2 de setembro – Nascidos em fevereiro
  • 4 de setembro – Nascidos em março
  • 9 de setembro – Nascidos em abril
  • 11 de setembro – Nascidos em maio
  • 16 de setembro – Nascidos em junho
  • 18 de setembro – Nascidos em julho
  • 23 de setembro – Nascidos em agosto
  • 25 de setembro – Nascidos em setembro
  • 28 de setembro – Nascidos em outubro e novembro
  • 30 de setembro – Nascidos em dezembro

Saque e transferência

  • 19 de setembro – Nascidos em janeiro
  • 22 de setembro – Nascidos em fevereiro
  • 29 de setembro – Nascidos em março
  • 1º de outubro – Nascidos em abril
  • 3 de outubro – Nascidos em maio
  • 6 de outubro – Nascidos em junho
  • 8 de outubro – Nascidos em julho
  • 13 de outubro – Nascidos em agosto
  • 15 de outubro – Nascidos em setembro
  • 20 de outubro – Nascidos em outubro
  • 22 de outubro – Nascidos em novembro
  • 27 de outubro – Nascidos em dezembro

Novas medidas devem ser anunciadas em breve

O Governo Federal deve anunciar novas medidas voltadas para a geração de emprego e renda ainda nesta semana. Entre elas, estão a prorrogação do auxílio emergencial, os programas Renda Brasil, substituto do Bolsa Família, e Pró-Brasil, que visa estimular o crescimento econômico após a pandemia, além de mais uma etapa da reforma tributária.

Na última terça-feira, 25, o presidente Jair Bolsonaro lançou o novo programa habitacional do governo. Trata-se do Casa Verde Amarela, que é uma reformulação do Minha Casa Minha Vida e irá fornecer financiamento habitacional com condições facilitadas, como uso do FGTS e taxas de juros mais acessíveis.

 

Fonte :https://editalconcursosbrasil.com.br

A rede estadual de ensino alcançou 99,89% de participação das suas escolas na primeira etapa do Censo Escolar 2020. Das 10.874 unidades de ensino do Pará previstas, 10.667 realizaram a declaração da 1ª Etapa do Censo, ou seja, 98,10%. No caso específico da rede estadual, das 901 escolas previstas, 900 declararam. Em breve, o Sistema EducaCenso estará disponível para as unidades realizarem retificações, caso haja necessidade. 

No que tange o número de matrículas, especificamente da rede estadual, foram declaradas pelas escolas 557.185 das 560.243 previstas, alcançando o percentual de 99,45%.

A primeira Etapa do Censo Escolar consiste no preenchimento da matrícula inicial, quando ocorre a coleta de informações sobre os estabelecimentos de ensino, gestores, turmas, alunos e profissionais em sala de aula.

O Censo é o principal instrumento de coleta de informações da educação básica e o mais importante levantamento estatístico educacional nessa área. Coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), é realizado em colaboração entre as secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas. No Pará, este processo é coordenado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Para o coordenador estadual do Censo Escolar, Evandro Feio, a 1ª Etapa do Censo é importante, pois subsidia o repasse de recursos do Governo Federal para o Estado executar as ações e políticas educacionais planejadas para o ano letivo. “É com base no número de matrículas declaradas pelas escolas que é feita a distribuição de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), para a execução de programas na área da educação”, explica o coordenador. 

O alcance expressivo dos números deste ano se deve ao monitoramento e a mobilização da Secretaria de Estado de Educação, por meio da Coordenação Estadual do Censo juntamente à outras instituições, como a União Nacional do Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e as Associações de Municípios e Conselho Estadual de Educação, que colaboraram na sensibilização das escolas das redes ensino do Pará.

 

Fonte: Por Lilian Guedes (SEDUC)

O Produto Interno Bruto (PIB) do Pará deve encerrar o ano de 2021 acima do nível pré-pandemia (2019), ficando atrás apenas do Mato Grosso do Sul. A lista positiva traz ainda o Rio de Janeiro e Goiás, todos puxados por commodities agrícolas e minerais, mas sobretudo, pelo equilíbrio fiscal, como é o caso do estado paraense.

“Mesmo com a pandemia, o Estado conseguiu controlar as despesas. Não podemos dar aumento ao servidor, então a despesa com o pessoal manteve-se estabilizada. O único grupo de gastos que cresceu em 2020 foi o de investimentos, já que conseguimos estabilizar as despesas primárias para 2021 mesmo neste cenário de crise, enfim, existe um equilíbrio fiscal que permite que o Pará tenha esse fôlego” - Josynélia Raiol, secretária adjunta de Modernização e Gestão Administrativa da Seplad.

De acordo com a secretária adjunta, o Estado não sofreu os reflexos da pandemia porque os investimentos continuaram em diversas áreas da economia. “A necessidade de realizar e manter o investimento no Estado, mesmo diante da pandemia, permitiu a manutenção de muitos empregos e a geração de novos postos de trabalho, principalmente na área da construção civil, permitindo que nossa economia se mantivesse aquecida. Além disso, nossas obras de infraestrutura pelo Estado não pararam e os investimentos continuaram”, observa a gestora. 

Para se ter ideia, em 2019, o bom desempenho das contas públicas do Estado se refletiu no superávit primário de cerca de R$ 1 bilhão, superando em muito a previsão da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de alcançar superávit de R$ 11 milhões.

Considerado um dos principais indicadores da saúde financeira do Estado, o resultado primário é a diferença entre receitas e despesas, excluindo as receitas e despesas com juros, e demonstra a sustentabilidade da política fiscal em execução pelo Governo, ou seja, a capacidade dos estados em gerar receitas para pagar contas usuais (como despesas correntes e investimentos), sem que o pagamento do serviço da dívida pública seja comprometido. 

“A economia do Estado é baseada no tripé minério, agronegócio e comércio. Por exemplo, só no caso do minério, tivemos um aumento de 25% nas exportações, em relação ao ano passado, então, com as
exportações aumentando, toda cadeia que gira em torno dela também foi beneficiada. Já no agronegócio também tivemos alta com a exportação de carne para China, além de outros produtos, como soja e cacau, que foram muito melhores que no ano passado. Em paralelo à isso, enfrentamos a pandemia em uma situação financeira confortável, porque tivemos um bom superávit no passado e ótima arrecadação em janeiro e fevereiro deste ano. Neste sentido, tivemos recursos para fazer gastos com saúde, funcionalismo público e com o Fundo Esperança, nos meses de abril, maio e junho, por exemplo”, explica o secretário de Estado de Fazenda, René Sousa, destacando que a pior queda da receita do Estado foi registrada em maio e ficou em 15%.

Outro ponto positivo destacado pelo secretário foram os crescimentos nas receitas do Imposto sobre a circulação de mercadorias e serviços (ICMS). 

“Nos começamos o ano muito bem e tivemos queda, em relação a 2019, apenas em abril. Iniciou-se um vigorosa recuperação em junho e, em julho, tivemos a maior arrecadação, um recorde de 1 bilhão e 189 milhões, o que deve ser ultrapassado em agosto, com 1 bilhão e 200 milhões. Devemos ser um dos maiores crescimentos do Brasil”, observa René.

O secretário lembra que o auxílio emergencial do Governo Federal e o pagamento em dia do funcionalismo público do Estado também puxaram números positivos da economia paraense, devido ao consumo no comércio. Por outro lado, ele também lembra que, só no primeiro trimestre deste ano, o Estado já investiu R$ 900 milhões em todas áreas, com recursos próprios.

 

Fonte: Por Bruno Magno (CPH)

Um levantamento esta semana mostrou que, pela primeira vez na pandemia, a transmissão da Covid-19 pode estar começando a desacelerar no Brasil. Mas por que nossa curva de casos e mortes está demorando tanto pra cair? E por que o perfil da epidemia aqui é tão diferente do perfil de outros países?

Os países da Europa rapidamente rapidamente instituíram medidas de distanciamento, e isso fez com que atingisse o controle da pandemia. Já a curva que sobe aos poucos e depois fica em um platô alto é uma criação brasileira, como afirmou, domingo passado, na GloboNews, o doutor Drauzio Varella.

"Quanto tempo vai durar essa curva em platô? Ninguém sabe. Nenhum outro país teve essa curva. Nenhum outro. Qual o outro pais que está assim nas condições do Brasil? Agora que nós vamos ver. Até o fim do ano, nós vamos estar ainda com a epidemia assim desse jeito? Vamos. Talvez esteja melhor, talvez não esteja nessa velocidade, talvez esse platô comece a cair, mas ele não vai cair de um dia pro outro, de mil mortes por dia para zero. Não vai acontecer", disse Drauzio.

Em certas regiões do Brasil, é tão alto o número de pessoas que já teve o vírus e ficou imune que isso explicaria, agora, uma possível queda de casos. O Ministério da Saúde destacou, esta semana, uma leve tendência de queda também no número de mortes: de 2% em comparação com a semana anterior.

Enquanto não surja um remédio com eficácia comprovada, ou então apareça uma vacina eficiente, as medidas de prevenção precisam ser rigorosamente obedecidas. Elas são os únicos recursos que temos no momento pra que a curva da epidemia brasileira saia do platô incômodo em que está, de estabilidade lá no alto, e finalmente comece a descer.

 

Fonte: https://g1.globo.com

Os depósitos de nada menos que 8 (oito) lotes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), na modalidade emergencial, já foram feitos. Quem nasceu em janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho, julho ou agosto já têm acesso ao dinheiro. Mas quando sacar? Há ainda novos lotes a serem abertos? Veja tudo!

Os beneficiários terão o valor disponível em conta poupança social da Caixa. Ele poderá ser usado em pagamento de boletos ou compras pelo cartão de débito virtual e QR Code.

Quem não quiser receber o saque emergencial deve avisar com dez dias de antecedência.

O saque emergencial do FGTS foi criado para para ajudar os trabalhadores durante pandemia do novo coronavírus e tem o limite de R$ 1.045, que pode ser de conta ativa ou inativa. Veja o calendário que o valor estará disponível em conta digital e o calendário de saque e transferência abaixo.

Calendário de pagamento

  • 29 de junho: nascidos em janeiro
  • 6 de julho: nascidos em fevereiro
  • 13 de julho: nascidos em março
  • 20 de julho: nascidos em abril
  • 27 de julho: nascidos em maio
  • 3 de agosto: nascidos em junho
  • 10 de agosto: nascidos em julho
  • 24 de agosto: nascidos em agosto
  • 31 de agosto: nascidos em setembro
  • 8 de setembro: nascidos em outubro
  • 14 de setembro: nascidos em novembro
  • 21 de setembro: nascidos em dezembro

Calendário de saque e transferência

  • 25 de julho: nascidos em janeiro
  • 8 de agosto: nascidos em fevereiro
  • 22 de agosto: nascidos em março
  • 5 de setembro: nascidos em abril
  • 19 de setembro: nascidos em maio
  • 3 de outubro: nascidos em junho
  • 17 de outubro: nascidos em julho
  • 17 de outubro: nascidos em agosto
  • 31 de outubro: nascidos em setembro
  • 31 de outubro: nascidos em outubro
  • 14 de novembro: nascidos em novembro
  • 14 de novembro: nascidos em dezembro
 

Saque emergencial do FGTS de R$1.045

A Caixa liberou o calendário de pagamentos de R$1.045 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os depósitos começaram no dia 29 de junho e seguirão válidos até 21 de setembro, conforme nascimento dos trabalhadores. No entanto, quem receber terá que esperar semanas ou até meses para sacar o dinheiro.

O Governo anunciou em abril que liberaria um saque emergencial do FGTS para apoiar os trabalhadores durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Têm direito ao dinheiro trabalhadores que possuem contas ativas (do emprego atual) ou inativas (de empregos anteriores) no FGTS. A data em que o valor cai na poupança digital depende do mês de aniversário do trabalhador.

 

Fonte: 

A Receita Federal abriu nesta segunda-feira (24) as consultas ao quarto lote de restituições do Imposto de Renda de Pessoa Física 2020, relativo a 2019.

O crédito bancário para mais 4,47 milhões de contribuintes será realizado no dia 31 de agosto, totalizando o valor de R$ 5,7 bilhões.

As consultas podem ser feitas:

  • na página da Receita na internet;
  • pelo telefone 146;
  • no aplicativo da Receita para tablets e smartphones.

No quarto lote, a restituição será paga:

  • em 31 de agosto;
  • 4.479.172 contribuintes;
  • no valor de R$ 5,7 bilhões.

No quarto lote também serão contemplados contribuintes com prioridade legal, no valor de R$ 248 milhões:

  • idosos acima de 80 anos (6.633);
  • contribuintes entre 60 e 79 anos (36.155);
  • contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave (4.308);
  • contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério (17.787).

Este é o penúltimo lote regulares de restituições do ano. De acordo com o calendário da Receita, o 5º e último lote será pago no dia 30 de setembro.

Malha fina

Para saber se está na malha fina, os contribuintes podem acessar o "extrato" do Imposto de Renda no site da Receita Federal no chamado e-CAC (Centro Virtual de Atendimento).

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/00.Novo_Projeto_-_2021-09-24T142218530gk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016