Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Foi pouco tempo, mas diversos serviços populares ficaram indisponíveis nesta terça-feira (17) por causa de uma falha técnica no serviço de nuvem do Google. Nomes como Spotify, Snapchat e Pokémon Go ficaram, por pelo menos 40 minutos, fora da internet. Mas o que, exatamente, esses aplicativos têm a ver com o Google?

Um dos maiores desafios para quem cria um aplicativo ou serviço na web hoje pode ser resumido com a palavra "escala". É difícil saber com qual velocidade seu serviço vai crescer, quanto tempo vai levar para chegar ao primeiro milhão de usuários.

Para os empreendedores da web, a "nuvem" é uma solução quase mágica para esse problema: você paga pelo que for necessário, e sua infraestrutura cresce junto como em um buffet por quilo, sem que seja necessário investir para criar uma infraestrutura antes que a demanda chegue, nem deixar capacidade ociosa quando ela não é necessária.

Se você entende a nuvem como a possibilidade de acessar seus arquivos de qualquer lugar, a nuvem para quem cria serviços na web é sinônimo de "infraestrutura elástica": ela cresce se necessário, mas também diminui fora dos picos de acesso.

Por outro lado, quem tem melhores condições de oferecer esses serviços são alguns poucos provedores que já necessitam de uma grande infraestrutura de processamento e tecnologia para alimentar os seus próprios serviços. Logo, o Google -- que necessita de uma infraestrutura gigante para alimentar a busca, o YouTube, o Gmail e outros produtos -- é um dos principais nomes do mercado de infraestrutura elástica.

Outro gigante desse mercado é a Amazon. Em 2017, o mesmo problema aconteceu quando um dos serviços de nuvem da Amazon apresentou dificuldades técnicas, derrubando Netflix, Pinterest e - de novo - o Spotify.

Curiosamente, a tecnologia de nuvem foi criada para diminuir o impacto de problemas técnicos. Com ela, um serviço existe em vários computadores ao mesmo tempo, podendo "migrar" de um sistema para outro sem dificuldade (daí a ideia de ser "flexível como uma nuvem"). Quando algo afeta as bases dessa tecnologia, porém, a tendência é que muitos serviços caiam ao mesmo tempo.

Em outras palavras, os prestadores de serviços na web optaram por diminuir o risco de falhas pontuais deixar a infraestrutura a cargo de terceiro (como a Amazon e o Google), mas criaram uma situação em que certas falhas podem derrubar vários serviços de uma só vez.

Temos mais dificuldade para ver as vantagens dessa troca -- porque nós não vemos os problemas que nunca aconteceram, nem sabemos quanto esses serviços custariam a mais se tivessem que manter uma infraestrutura tradicional --, mas o custo são eventos como o desta terça e o da Amazon no ano passado: perder diversos serviços de uma só vez.

(Fonte G1/Colunista: Altieres Rohr)

Para melhorar o abastecimento dos bairros Tropical I, II e Ipiranga, a atual gestão do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep) construiu mais uma represa, porém, apesar das cercas, avisos e sinalizações, algumas pessoas insistem em arriscar a vida tomando banho no local. Para melhorar o abastecimento dos bairros Tropical I, II e Ipiranga, a atual gestão do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep) construiu mais uma represa, porém, apesar das cercas, avisos e sinalizações, algumas pessoas insistem em arriscar a vida tomando banho no local. 

“As pessoas têm invadido a área da represa e utilizado a mesma para mergulhos, colocando a vida em risco, pois, além de ser uma represa muito profunda, existe uma bomba de sucção que pode sugar até um adulto, imagina uma criança”, alerta a educadora ambiental, Cerni Serra.

O Saaep se preocupa com a segurança da população e chama atenção para o fato de que o uso recreativo da lagoa também torna o processo de tratamento mais demorado, afetando o abastecimento da população.O operador de Estação de Tratamento de Água (ETA) José Francisco Nogueira explica que “quando começam a banhar acumula o lixo na água, suja muito a água, tem que abaixar a vazão na ETA. Aí tem que diminuir, também, nas torneiras”. 

A Prefeitura de Parauapebas solicita aos pais e familiares que fiquem de olho nas crianças e nos filhos adolescentes, para evitar alguma tragédia e impedir que a diversão de alguns seja um problema para todos.

(Assessoria de Comunicação - Ascom | Saaep | PMP)

A pequena e bela Conceição do Araguaia, com pouco mais de 46 mil habitantes, localizada no sul do estado, bem na fronteira com o Tocantins, vem se destacando como um dos principais polos turísticos do Pará. A cidade é banhada pelo Rio Araguaia e nos meses de junho e julho é visitada por milhares de turistas de várias partes do País, que vão desfrutar das lindas praias de água doce que só aparecem no verão, quando o rio seca.

O balneário mais movimentado da cidade é conhecido como Praia das Gaivotas e tem vários quilômetros de extensão. No Ano passado, durante a temporada de veraneio, segundo as autoridades, a praia recebeu um público de mais de 40 mil pessoas em uma única noite para assistir o show do cantor Leonardo.

Um dos principais diferenciais de Conceição do Araguaia em relação a outras cidades da região é o investimento que a atual gestão vem fazendo no turismo. Um investimento de forma planejada e que tem trazido ótimos resultados para a população da cidade. Conceição sempre teve potencial turístico, mas este segmento nunca havia sido tratado como prioridade.

Jair Martins, prefeito do município, avalia que em momento em que todo o País vive uma profunda crise econômica e o índice de desemprego é altíssimo, era necessário criar mecanismos para movimentar a economia do município e gerar novos postos de trabalho para os conceicionenses. “A cidade tem um grande potencial natural para a atividade turística, faltava apenas aproveitá-lo de forma responsável”, disse.

A pequena e bela Conceição do Araguaia, com pouco mais de 46 mil habitantes, localizada no sul do estado, bem na fronteira com o Tocantins, vem se destacando como um dos principais polos turísticos do Pará. A cidade é banhada pelo Rio Araguaia e nos meses de junho e julho é visitada por milhares de turistas de várias partes do País, que vão desfrutar das lindas praias de água doce que só aparecem no verão, quando o rio seca.

O balneário mais movimentado da cidade é conhecido como Praia das Gaivotas e tem vários quilômetros de extensão. No Ano passado, durante a temporada de veraneio, segundo as autoridades, a praia recebeu um público de mais de 40 mil pessoas em uma única noite para assistir o show do cantor Leonardo.

Um dos principais diferenciais de Conceição do Araguaia em relação a outras cidades da região é o investimento que a atual gestão vem fazendo no turismo. Um investimento de forma planejada e que tem trazido ótimos resultados para a população da cidade. Conceição sempre teve potencial turístico, mas este segmento nunca havia sido tratado como prioridade.

Jair Martins, prefeito do município, avalia que em momento em que todo o País vive uma profunda crise econômica e o índice de desemprego é altíssimo, era necessário criar mecanismos para movimentar a economia do município e gerar novos postos de trabalho para os conceicionenses. “A cidade tem um grande potencial natural para a atividade turística, faltava apenas aproveitá-lo de forma responsável”, disse.

(Fonte: Zé Dudu)

Os 12 meninos e o técnico do time “Javalis Selvagens” falaram nesta quarta-feira (18) sobre o medo, a fome e a alegria de encontrar os mergulhadores britânicos durante as duas semanas em que ficaram presos na caverna Tham Luang, na Tailândia. Eles também contaram que tentaram escavar para achar uma saída.

Na primeira aparição pública, o grupo relatou como sobreviveu ao resgate dramático que mobilizou mais de mil pessoas na província de Chiang Rai. Os meninos, que têm entre 11 e 16 anos, e o técnico, de 25 anos, também fizeram uma homenagem ao mergulhador Saman Kunan, que morreu durante os esforços de resgate.

Fome

Diferentemente do que tinha sido divulgado, eles não levaram comida para a cavidade subterrânea. Ekkapol Chantawong, o técnico, contou que depois de dois dias isolados começaram a sentir mudanças no corpo, já que não comiam nada.

“Bebíamos a água que caía das pedras”, disse Pornchai Khamluan, de 15 anos.

O mais novo do grupo contou que não tinha força física e que tentava não pensar em comida para não sentir mais fome do que já sentia. Segundo os médicos, os garotos perderam em média 2 kg no período em que ficaram presos e recuperaram no hospital uma média de 3 kg cada um.

Chegada Dos Mergulhadores: "Milagre"

Sobre a chegada dos dois mergulhadores ingleses, que os encontraram após nove dias de buscas, Adul Sam-on, de 14 anos, o único a falar inglês no grupo e o primeiro a se comunicar com eles, disse que foi "um milagre" terem sido encontrados e que todos ficaram muito felizes.

 “Foi um choque. O técnico pediu para mantermos calma”, disse.

Ele contou que usou uma tocha para ir em direção às vozes que escutavam.

Os meninos disseram que perderam a noção do tempo dentro da caverna e que, por isso, perguntaram aos mergulhadores há quanto tempo estavam ali.

Tentaram Escavar

O técnico disse que todos concordaram em entrar na caverna em 23 de junho após um treino. Eles estavam curiosos sobre o lugar e esperavam sair logo, porque tinham uma festa de aniversário para ir. Mas a água subiu e acabaram ficando presos. Eles buscaram, então, um lugar seguro para passar a noite.

O treinador afirmou que, no início, eles não estavam tão assustados, porque imaginavam que, ao amanhecer, o nível da água teria baixado, o que não aconteceu.

Um dos meninos relatou que tentaram ficar calmos e "pensar em soluções" para sair da caverna.

“Tentamos cavar, pensando que não podíamos esperar as autoridades”, mas não adiantou, disse o técnico Ekkapol Chantawong.

Um dos meninos contou que o grupo escavou cerca de 3 ou 4 metros na tentativa de encontrar uma saída.

Um deles disse ter ficado "com medo de não voltar para casa".

No Hospital

Durante o período de recuperação no hospital, eles viram o jogo final da Copa da Rússia. A maioria dos meninos torceu para a França, que ganhou da Cróacia por 4 a 2. E um deles elogiou o ataque da seleção francesa.

 

Os meninos e o técnico foram para a coletiva, que aconteceu em uma sala da administração da província, com o uniforme do grupo. O clima da entrevista era descontraído e os meninos se apresentaram sob aplausos.

Uma médica que acompanhava o grupo afirmou que os garotos mostraram um "espírito forte" desde o momento em que estavam presos na caverna. No início da coletiva, foram mostradas imagens do momento em que eles se despediram dos médicos.

Sonhos e Lições

Os meninos também falaram do aprendizado que tiveram durante a experiência na caverna. Um dos menores afirmou ter “aprendido o valor de muitas coisas e valorizar a si mesmo”. Outro disse que está decidido a “viver cada minuto da vida”.

“Serei mais forte”, sintetizou um deles.

Entre os sonhos, muitos disseram que querem ser jogadores de futebol profissionais. Um deles quer concluir os estudos e outro quer se tornar funcionário da Marinha tailandesa, que atuou no resgate do grupo.

Os meninos ainda pediram desculpas aos pais por terem entrado na caverna.

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou novo marco regulatório para suplementos alimentares. A regulamentação, segundo a entidade, vai contribuir para o acesso de consumidores a produtos seguros e de qualidade, além de ajudar a reduzir a assimetria de informações no mercado – sobretudo em relação à veiculação de alegações sem comprovação científica.

Segundo a Anvisa, uma resolução, a ser publicada nos próximos dias no Diário Oficial da União, trará os requisitos sanitários gerais dos suplementos alimentares, incluindo regras de composição, qualidade, segurança e rotulagem.

A agência também vai publicar uma instrução normativa com a lista de ingredientes permitidos e as alegações autorizadas. O texto será atualizado periodicamente e vai estabelecer limites mínimos e máximos para cada substância, de acordo com grupo populacional – crianças, gestantes e lactantes, por exemplo.

Será publicada ainda uma resolução que trata de aditivos e coadjuvantes de tecnologia permitidos para esses produtos e uma outra resolução sobre estudos necessários para comprovar a segurança e a eficácia de probióticos (micro-organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefício à saúde).

“As empresas terão cinco anos para adequarem os produtos que já estão no mercado à nova norma. No entanto, os suplementos alimentares novos já deverão ser comercializados de acordo com as novas regras”, informou a Anvisa.

Debate

Antes de regulamentar o tema, a agência realizou diversas reuniões com setores interessados no tema e recebeu opiniões, críticas e sugestões da sociedade civil e de entidades por meio de seis consultas públicas. (Agência Brasil)

 

(Fonte: Correio Portal De Carajás

O mundo celebra hoje (18) o centenário de Nelson Mandela, um dos maiores líderes do século 20.

O primeiro presidente negro da África do Sul, que teve papel determinante no fim do sistema de segregação racial conhecido como “apartheid”, completaria 100 anos nesta quarta-feira (18). O homem, também chamado de Madiba, que nasceu livre para correr pelos campos ao redor da cabana onde morava e que passou 27 anos atrás das grades por seu engajamento na luta contra o racismo deixou lições para a humanidade.

Várias homenagens especiais serão realizadas no mundo inteiro em memória ao centenário. Uma extensa programação foi preparada e inclui exposições, debates, iniciativas de incentivo à educação, ao voluntariado, publicação de livros, lançamento de filmes, músicas e concertos em tributo ao líder que dedicou sua vida à luta pela liberdade e abriu caminho para a consolidação da democracia no continente africano.

Por sua contribuição à luta antirracista, o 18 de julho foi transformado pelas Nações Unidas (ONU) no Mandela´s Day, o Dia Internacional Nelson Mandela – pela liberdade, justiça e democracia, uma forma de lembrar a dedicação e seus serviços à humanidade, com forte atuação também no enfrentamento ao vírus HIV e na mediação de conflitos.

Em entrevista exclusiva à Agência Brasil, o jornalista português António Mateus, que durante 10 anos trabalhou como correspondente da Agência Lusa em Moçambique e na África do Sul, destaca que teve o privilégio de conhecer Mandela e "beber na fonte" ensinamentos como a dedicação à tolerância, o fascínio pelo diferente e a capacidade de não julgar os outros.

"A noção de que a liderança deve ser feita de forma transparente e a serviço do povo; o fascínio pelos mais novos e a noção de que as crianças são o patrimônio que a humanidade constrói e que serão o repositório da nossa própria existência; o carinho pelo mais velhos e sua sabedoria acumulada, o respeito pela diversidade de culturas, religiões, raças, gêneros. É quase um caleidoscópio de referências", afirmou Mateus.

António Mateus lembra que conviveu com Mandela desde a sua libertação, em 1990, até a saída da vida pública, nos anos 2000. "Tive um imenso privilégio. Aliás, todos nós, os jornalistas que convivemos com ele. Foram dez anos absolutamente extraordinários. Ele mudava a vida das pessoas que conviviam com ele".

Segundo o jornalista, Mandela dizia que a vida é como um tijolo. “Podemos usar para atirar na cabeça do outro, para fazer um muro ou para fazer uma ponte". Para Mandela, a solução passava pela construção de pontes. 

Mateus acredita que as lições de Mandela permanecem atuais. "Temos de inverter a marcha de tanta coisa negativa para a qual o mundo está se encaminhando. Desde o Brasil, Portugal, Europa, Oriente Médio. Mandela deixou referências que são atuais em todos os países e continentes, de que é urgente acordarmos e começar a mudança em nós próprios. A viagem começa mesmo em nós".

António Mateus é autor dos livros Mandela, a construção de um homem e Mandela - O Rebelde Exemplar, ambos publicados em Portugal.

Agência Brasil: Como o senhor acha que Mandela encararia o atual cenário político mundial?
António Mateus: Eu fiz essa pergunta ao presidente da Fundação Mandela, Sello Hatang, que esteve com ele até seus últimos momentos de lucidez. E ele me disse que, nos últimos dias, quando via os noticiários, Mandela sentia uma profunda tristeza e cansaço. Porque ele deu tanto de si para ver um mundo melhor, que ele ficava desconsolado. Por outro lado, via com muito positivismo as pessoas no contexto mundial que estão envolvidas a apontar os erros desses mesmos líderes. Posturas como as de Donald Trump, em todos os níveis, são uma vergonha ao lado da memória de Nelson Mandela. São vergonha para a humanidade inteira.

Agência Brasil: Como foi vivenciar o momento da libertação de Mandela?
Mateus: Quando Mandela foi libertado, o país quase caiu em guerra. Eu via coisas pavorosas. Existia um nível de barbaridade imensa. Mandela dizia que faz parte dos iluminados compartilhar a luz com os outros e que a nossa missão é também construir pontes para os que estão perdidos. Não é uma abordagem evangelizadora, é mais humanizante, pois ele dizia que os adversários dele, os promotores do apartheid, eram pessoas que tinham perdido a noção do humanismo. E que eles precisavam de ser ajudados nesse caminho. Essa abordagem do Mandela era absolutamente extraordinária, pois não estamos habituados a assumir para nós a responsabilidade de mostrar aos outros quando eles estão no caminho errado. Normalmente nós gritamos aos outros que eles estão no caminho errado. Mostrar dá muito mais trabalho. Ele sempre foi persistente nessa abordagem construtiva, mesmo com os maiores opositores. Mandela dizia: com eles [os opositores] é que nós temos que construir pontes.

Agência Brasil: O que a Europa tem a aprender com Mandela?
Mateus: Nós, na Europa, não olhamos para os imigrantes que vem pra cá. Os imigrantes são uma riqueza em termos humanos, são pessoas que sabem fazer outras coisas, que vêm determinadas a trabalhar e fazer com que suas vidas saiam do zero. Isso é uma benção para nós todos, deveria ser. Tantos brasileiros que vieram para Portugal, tantos negócios, tantas lojas que abriram aqui. Depois, foram embora de volta. E agora estão a voltar! E essa mobilidade da população em escala mundial é uma riqueza para nós todos. O Mandela dizia: “abracem os mais frágeis, pois somos tão fortes quando os mais frágeis estão ao nosso lado".

Agência Brasil: Como era conviver com Mandela?
Mateus: Ele era extramente cavalheiro. Nunca sentava numa sala se houvesse uma senhora em pé, mesmo nas coletivas de imprensa. Ele ficava em pé até os seguranças arranjarem cadeiras para todas as mulheres da sala. E não passava nunca na frente de uma mulher. Tinha uma noção muito clara de que os valores de atenção aos outros eram o bilhete de identidade, de apresentação dele como ser humano. Ele, ao elevar a dignidade das pessoas com que lidava no dia a dia, criava um ambiente mais propício para as pessoas buscarem o melhor de si mesmas nas relações com os outros.

Agência Brasil: Algo o irritava?
Mateus: Ele dava o melhor de si o tempo inteiro, mas não era hipócrita. Se ele não gostava de alguma coisa, dizia logo que não gostava. Mas dizia de forma cortês, construtiva. Lidava mal com o atraso das pessoas. Afirmava que o tempo era o bem mais precioso de uma pessoa. “Tempo é vida", ele dizia. Não tolerava atrasos.

( Fonte: Agência Brasil )

Encerra no dia 20 de julho a Campanha nacional de vacinação contra a gripe no Pará. A Campanha precisou ser mais uma vez adiada, pois não atingiu a meta de cobertura vacinal de 90% dos grupos prioritários nos municípios paraenses.

Devem ser vacinadas as crianças a partir de seis meses e com menos de cinco anos, idosos com mais de 60 anos de idade, mulheres grávidas em qualquer idade gestacional ou que tiveram bebês há até 45 dias, trabalhadores de saúde e professores das áreas pública e privada. Também devem tomar a vacina os indígenas aldeados, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que cumprem medidas socioeducativas, detentos e funcionários do sistema penitenciário, além de pessoas com doenças crônicas.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, até o momento a cobertura vacinal é de 82%, com 1,3 milhão de doses aplicadas. A cobertura mais baixa está entre as crianças, com 72,39%. "Já foram alcançadas as metas entre as mulheres puérperas, com 93,48%; entre os professores, com 91,59%, e entre os idosos, com 90,62%", explica a coordenadora estadual de imunização, Jaíra Ataíde.

Gripe

 É uma infecção viral aguda, que começa geralmente com febre alta, seguida de dores musculares, na garganta e na cabeça, além de coriza e tosse seca. A vacina é segura e protege contra três vírus que causam a gripe: Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B, que nos casos graves podem levar à morte.

De acordo com o Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, o quadro da cobertura vacinal mostra mulheres puérperas (com 93,48%), professores (91,59%), idosos com mais de 60 anos (90,62%), trabalhadores de saúde (89,45%), indígenas (89,43%%), gestantes (82,17%) e crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade (72,39%).

A situação da campanha no Pará melhorou, mas muitos municípios ainda não atingiram a meta do Ministério da Saúde. A cobertura vacinal em alguns municípios é a seguinte: Ananindeua (55,78%), Belém (74,60%), Cametá (87,27%), Santarém (69,75%), Breves (82,56%), Capanema (72,07%), Barcarena (76,49%) e Castanhal (81,89%).

(Fonte: G1 Pará)

Manifestantes ligados à Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar do Estado do Pará (Fetraf) fecharam a BR-155 por volta das 4 horas da manhã de segunda-feira (16) e só liberaram a rodovia por completo à meia noite desta terça-feira (17), depois de o grupo receber a visita do superintendente do Incra em Marabá, Valciney Gomes, que apresentou um documento atendendo parte das reivindicações dos manifestantes.

A coordenadora da Fetraf estadual, Vivian Oliveira, apresentou à reportagem do blog as principais pautas da reivindicação do movimento. “Sem dúvida alguma a nossa pauta é “reforma agrária”. Acreditamos que o sul do Pará está abandonado pelo governo federal, principalmente quando se trata de ações do Incra. Nós bloqueamos a BR-155, reunimos nosso povo e a intenção ontem era pressionar o desbloqueio e o desarquivamento da área e a suspenção da liminar da Fazenda Estrela de Maceió, o que conseguimos. Mas não nos contentamos apenas com isso, queremos a celeridade do processo” explicou a coordenadora.

Segundo Vivian, somente na Fazenda Estrela de Maceió existem dezenas de famílias que estão há mais de 13 anos em áreas já deveriam ter sido negociadas com o governo federal e, de uma hora para outra, surgiu a notícia de que o Incra não tem mais interesse em realizar reforma agrária nessas áreas. “Os agricultores cobram em pauta mais agilidade nos projetos de agricultura familiar e serviços sociais para a região, assim como celeridade nos processos de assentamentos”, destacou.

A presidente da Colônia Sertão Bonito, Cida Dias, disse que o assentamento está localizado no município de Conceição do Araguaia e comporta 38 famílias, as quais cobram por iluminação de qualidade, melhorias nas estradas e emissão da posse da fazenda.

Durante toda manhã desta terça-feira, cerca de 150 pessoas ficaram concentradas às margens da BR-155, porém não interditaram a pista. As caravanas ficaram de seguir viagem para seus assentamentos às 14h30 de hoje.

 

(Fonte: Blog Zé Dudu)

O que ontem era um boato e deixou a sociedade canaense temerosa, hoje, terça-feira (17), tornou-se realidade e deixou a cidade triste. Conforme nota emitida no final da manhã, pela Fiepa (Federação das Indústrias do Estado do Pará), em sua pagina oficial no Instagram, a Unidade Canaã dos Carajás do Senai (Serviço Nacional Aprendizagem Industrial) está encerrando suas atividades no município. A informação foi confirmada, via e-mail, pela Assessoria de Comunicação da Fiepa.

A Fiepa é porta-voz dos interesses do setor industrial perante a sociedade e ao poder público, participando ativamente das principais ações que determinam os rumos da economia paraense.

Na opinião do empresário Marcelo Siqueira, o fechamento da instituição representa o reflexo do abandono político no município. “Acho que é mais um retrocesso para Canaã e é o retrato do abandono político por parte do governo e dos vereadores para com a cidade. A gestão pública não sabe o que fazer ou não se importa”, declara ele.

A notícia também não agradou aos jovens que se encontram atualmente no mercado de trabalho, após terem sido qualificados as salas de aulas do Senai, como é o caso da Liandra Nascimento, que hoje possui o diploma de assistente administrativo. “Logo essa unidade que proporcionou a mim e a outros jovens tantos conhecimentos. Ela precisa continuar funcionando e formar mais pessoas. Desse jeito, o Brasil nunca vai pra frente”, desabafa a jovem, de 18 anos.

Instituição de direito privado, mantido e administrado pela indústria, o Senai é a maior instituição de educação profissional da América Latina. Está presente em todos os Estados do Brasil, com 1.022 unidades fixas e móveis. Em mais de sete décadas de existência, já qualificou, nacionalmente, 68,2 milhões de pessoas. Trabalha em 28 áreas da indústria brasileira, desde a iniciação profissional até graduação e pós- graduação. Além de tudo isso, a instituição oferece transferência de tecnologia e inovação para as demandas do setor produtivo.

No Pará desde 1953, o SENAI atua com 15 unidades fixas e 21 unidades móveis, tendo qualificado, em mais de seis décadas, 700 mil pessoas para o mercado de trabalho. Além disso, a instituição oferta Cursos a Distância (EAD) de iniciação profissional, modalidade pelo qual realizou, só em 2015, 12.892. Atua em 20 áreas da indústria.

A unidade se instalou em Canaã há 11 anos e foi a grande responsável pela capacitação de milhares de pessoas. “O Senai trouxe muito desenvolvimento para a cidade em matéria de conhecimento, seu trabalho é reconhecido. A cidade e as empresas prestadoras de serviço só têm a perder com o fechamento da instituição”, reforça Myllena Sousa.

“Eu fico triste em saber que é mais uma porta que se fecha para aqueles que almejavam algum curso na área industrial e também por aqueles que, por não possuírem condições financeiras para custear os estudos, por meio do Senai estavam na expectativa de conseguir alguma bolsa”, lamenta Larissa Paiva.

Confira o Comunicado da Fiepa

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Unidade Canaã dos Carajás, esclarece que está em processo de encerramento de suas atividades no município. A difícil decisão foi tomada em virtude da baixa demanda aos serviços do Senai Canaã dos Carajás, por parte das empresas e comunidade da região onde ele está instalado, o que consequentemente resulta na insustentabilidade desta unidade. Desta forma, foi preciso tomar a decisão do desligamento e/ou transferência de colaboradores para outras unidades do Senai no Pará. Informamos que as demandas de Canaã dos Carajás serão atendidas pela unidade de Parauapebas.

(Fonte: Ze Dudu)

Uma nova ponte rodoferroviária deverá ser construída no Rio Tocantins, em Marabá. Esse foi um dos dois bônus “dados” pelo governo federal para conceder a renovação da concessão da Estrada de Ferro Carajás (EFC) para a mineradora Vale.

Para diminuir a insatisfação do governo e de parlamentares do Pará, o governo federal decidiu destinar recursos que serão arrecadados com o leilão de um trecho da Ferrovia Norte-Sul para a região. O bônus de outorga do trecho, que será licitado neste ano, será de R$ 1,097 bilhão, e pode ser ainda maior se houver disputa no leilão.

Essa foi a forma que o presidente Michel Temer encontrou para evitar que o governador do Pará, Simão Janete, prossiga na decisão de entrar na Justiça contra a decisão, anunciada no início do mês, de renovar a concessão da Estrada de Ferro Carajás, que passa pelos Estados do Pará e Maranhão, ligando o Porto do Itaqui, em São Luís (MA) e Marabá e Parauapebas. Em troca, a Vale ficou responsável por construir trecho da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), entre Goiás e Mato Grosso. Os investimentos estimados são da ordem de R$ 4 bilhões. A bancada do Pará considera ilegal transferir os aportes para o Centro-Oeste, sendo que o trecho renovado é de uma ferrovia que passa pelo Estado paraense.

Todo o dinheiro arrecadado com o leilão de outra ferrovia, a Norte-Sul, vai para o Fundo Nacional Ferroviário, que terá como prioridade a aplicação de recursos no Pará, disse o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. “Tivemos uma reunião nesta segunda de manhã (ontem) para discutir a questão logística de aproveitamento do Porto de Barcarena e da Ferrovia Paraense”, afirmou o ministro.

“Vamos garantir a logística no Estado do Pará, o que vai viabilizar e facilitar o acesso ao Pacífico, já que Barcarena é o porto mais próximo do Canal do Panamá”, acrescentou.

PRESSÃO

A decisão foi tomada na segunda-feira, 16, no Palácio do Planalto. Participaram o candidato ao governo do Pará e o ex-ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (MDB-PA), o senador Jader Barbalho (MDB-PA), integrantes da federação da agricultura, da indústria e do comércio do Pará, além de técnicos da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) e do PPI.

Para o ex-ministro e candidato a governador, a criação do fundo representa uma vitória do Estado, que havia ficado de fora dos planos do governo na área de ferrovias.

Senadores do Pará já tinham procurado Temer, no início do mês, para cobrar que a contrapartida para a Vale renovar a concessão de Carajás fosse o traçado final da Norte-Sul. A linha de 477 km de extensão, prevista para ligar Açailândia (MA), onde a Norte-Sul acaba atualmente, até o Porto de Vila do Conde, em Barcarena, é um projeto tão ou mais antigo que a Fico.

O ex-ministro Helder Barbalho confirmou que esse será o trecho escolhido para os investimentos. Ele já estava previsto desde a retomada das obras da Norte-Sul, em 2006, no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O dinheiro do leilão também vai pagar os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental (EVTEA) para a construção do perímetro da Norte-Sul no Pará, a serem feitos pela EPL, e a ponte rodoferroviária de Marabá. Segundo Barbalho, esses dois itens devem custar R$ 1,2 bilhão e serão pagos com dinheiro da Vale. “O fundo será criado e gerido pelo governo federal, mas o dinheiro será ‘carimbado’ para não haver risco de que uma mudança de governo mude os planos.”

NORTE-SUL

Subconcessão cuja outorga será destinada ao fundo diz respeito a dois trechos da Ferrovia Norte-Sul, que serão licitados em conjunto, para uma só empresa. Um deles é o Tramo Central, entre Porto Nacional (TO) e Anápolis (GO), com 100% da infraestrutura construída. O outro fica entre Ouro Verde de Goiás (GO) e Estrela D’Oeste (SP), com mais de 90% da construção concluída. Juntos, eles somam 1.537 quilômetros de extensão.

A construção da Norte-Sul começou em 1987. O traçado inicial tinha extensão de 1,5 mil quilômetros entre Açailândia (MA) e Anápolis (GO), mas o projeto foi ampliado e previa a construção de trechos ao norte e ao sul do País. O trecho de 720 km da Norte-Sul entre Açailândia e Palmas (TO) já é operado pela Vale.

A informação foi confirmada à reportagem do blog no início da tarde desta terça-feira, 17, pelo ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua.

VALE? SEM COMENTÁRIOS

Por meio de sua assessoria de Imprensa, a Vale informou que não vai comentar sobre a duplicação da ponte rodoferroviária sobre o Rio Tocantins, atrelada à renovação da concessão da Estrada de Ferro Carajás (EFC)

Por outro lado, encaminhou seu posicionamento oficial sobre o processo de renovação da concessão, que transcrevemos a seguir: “A Vale informa que está participando do processo de prorrogação antecipada das suas concessões ferroviárias, que expiram em 2027.

A aprovação para a prorrogação antecipada das concessões será submetida ao Conselho de Administração após a análise das contrapartidas requeridas pelo Governo Federal, a serem oficializadas após a etapa de audiências públicas.

A Vale manterá o mercado informado caso haja qualquer nova informação relevante relacionada a tal processo”.

(Fonte: Zé Dudu-Ulisses Pompeu – de Marabá)

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_UNAMAgk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2018gk-is-100.jpglink

Vídeos

Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016