Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Neste sábado, 4, foram notificados mais 249 casos de pessoas que testaram positivo para o novo coronavírus no município.

A conscientização de manter o distanciamento social e as recomendações de higiene são as melhores formas de diminuir o contágio. Agende seu exame PCR pelo site https://testesmoleculares.com.br h.

Proteja você e sua família. Não esqueça, o uso de máscara é obrigatório. 

Acompanhe o detalhamento dos casos:

1.Mulherde23anos.Isolamento domiciliar.PCR.

2 . Mulher de 60 anos. Isolamento domiciliar. PCR

3 . Mulher de 23 anos. Isolamento domiciliar. PCR

4 . Mulher de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

5 . Homem de 22 anos. Isolamento domiciliar. PCR

6 . Mulher de 29 anos. Isolamento domiciliar. PCR

7 . Mulher de 39 anos. Isolamento domiciliar. PCR

8 . Homem de 28 anos. Isolamento domiciliar. PCR

9 . Homem de 49 anos. Isolamento domiciliar. PCR

10 . Mulher de 41 anos. Isolamento domiciliar. PCR

11 . Mulher de 28 anos. Isolamento domiciliar. PCR

12 . Mulher de 31 anos. Isolamento domiciliar. PCR

13 . Homem de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

14 . Mulher de 47 anos. Isolamento domiciliar. PCR

15 . Homem de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

16 . Homem de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

17 . Homem de 38 anos. Isolamento domiciliar. PCR

18 . Homem de 59 anos. Isolamento domiciliar. PCR

19 . Mulher de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

20 . Homem de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

21 . Homem de 32 anos. Isolamento domiciliar. PCR

22 . Homem de 29 anos. Isolamento domiciliar. PCR

23 . Mulher de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

24 . Homem de 38 anos. Isolamento domiciliar. PCR

25 . Homem de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

26 . Homem de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

27 . Homem de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

28 . Mulher de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

29 . Mulher de 32 anos. Isolamento domiciliar. PCR

30 . Mulher de 45 anos. Isolamento domiciliar. PCR

31 . Mulher de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

32 . Homem de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

33 . Mulher de 39 anos. Isolamento domiciliar. PCR

34 . Mulher de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

35 . Mulher de 48 anos. Isolamento domiciliar. PCR

36 . Homem de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

37 . Mulher de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

38 . Homem de 39 anos. Isolamento domiciliar. PCR

39 . Homem de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

40 . Mulher de 40 anos. Isolamento domiciliar. PCR

41 . Mulher de 40 anos. Isolamento domiciliar. PCR

42 . Homem de 54 anos. Isolamento domiciliar. PCR

43 . Mulher de 10 anos. Isolamento domiciliar. PCR

44 . Mulher de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

45 . Mulher de 41 anos. Isolamento domiciliar. PCR

46 . Homem de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

47 . Mulher de 22 anos. Isolamento domiciliar. PCR

48 . Mulher de 44 anos. Isolamento domiciliar. PCR

49 . Mulher de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

50 . Mulher de 81 anos. Isolamento domiciliar. PCR

51 . Mulher de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

52 . Homem de 32 anos. Isolamento domiciliar. PCR

53 . Homem de 58 anos. Isolamento domiciliar. PCR

54 . Homem de 7 anos. Isolamento domiciliar. PCR

55 . Mulher de 10 anos. Isolamento domiciliar. PCR

56 . Homem de 50 anos. Isolamento domiciliar. PCR

57 . Mulher de 50 anos. Isolamento domiciliar. PCR

58 . Mulher de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

59 . Mulher de 49 anos. Isolamento domiciliar. PCR

60 . Homem de 59 anos. Isolamento domiciliar. PCR

61 . Mulher de 40 anos. Isolamento domiciliar. PCR

62 . Homem de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

63 . Mulher de 39 anos. Isolamento domiciliar. PCR

64 . Mulher de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

65 . Homem de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

66 . Homem de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

67 . Homem de 15 anos. Isolamento domiciliar. PCR

68 . Mulher de 19 anos. Isolamento domiciliar. PCR

69 . Mulher de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

70 . Mulher de 43 anos. Isolamento domiciliar. PCR

71 . Homem de 54 anos. Isolamento domiciliar. PCR

72 . Homem de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

73 . Mulher de 19 anos. Isolamento domiciliar. PCR

74 . Homem de 41 anos. Isolamento domiciliar. PCR

75 . Mulher de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

76 . Mulher de 5 anos. Isolamento domiciliar. PCR

77 . Homem de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

78 . Homem de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

79 . Mulher de 37 anos. Isolamento domiciliar. PCR

80 . Mulher de 7 anos. Isolamento domiciliar. PCR

81 . Homem de 30 anos. Isolamento domiciliar. PCR

82 . Mulher de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

83 . Mulher de 23 anos. Isolamento domiciliar. PCR

84 . Mulher de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

85 . Mulher de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

86 . Mulher de 32 anos. Isolamento domiciliar. PCR

87 . Mulher de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

88 . Homem de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

89 . Homem de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

90 . Homem de 30 anos. Isolamento domiciliar. PCR

91 . Homem de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

92 . Homem de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

93 . Mulher de 47 anos. Isolamento domiciliar. PCR

94 . Mulher de 48 anos. Isolamento domiciliar. PCR

95 . Homem de 65 anos. Isolamento domiciliar. PCR

96 . Mulher de 46 anos. Isolamento domiciliar. PCR

97 . Mulher de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

98 . Mulher de 19 anos. Isolamento domiciliar. PCR

99 . Homem de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

100 . Homem de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

101 . Homem de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

102 . Mulher de 39 anos. Isolamento domiciliar. PCR

103 . Mulher de 41 anos. Isolamento domiciliar. PCR

104 . Homem de 51 anos. Isolamento domiciliar. PCR

105 . Homem de 29 anos. Isolamento domiciliar. PCR

106 . Mulher de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

107 . Mulher de 43 anos. Isolamento domiciliar. PCR

108 . Mulher de 31 anos. Isolamento domiciliar. PCR

109 . Mulher de 11 anos. Isolamento domiciliar. PCR

110 . Mulher de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

111 . Homem de 53 anos. Isolamento domiciliar. PCR

112 . Homem de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

113 . Mulher de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

114 . Homem de 51 anos. Isolamento domiciliar. PCR

115 . Homem de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

116 . Homem de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

117 . Homem de 8 anos. Isolamento domiciliar. PCR

118 . Homem de 14 anos. Isolamento domiciliar. PCR

119 . Homem de 55 anos. Isolamento domiciliar. PCR

120 . Mulher de 39 anos. Isolamento domiciliar. PCR

121 . Mulher de 37 anos. Isolamento domiciliar. PCR

122 . Mulher de 12 anos. Isolamento domiciliar. PCR

123 . Mulher de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

124 . Mulher de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

125 . Homem de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

126 . Homem de 30 anos. Isolamento domiciliar. PCR

127 . Homem de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

128 . Mulher de 55 anos. Isolamento domiciliar. PCR

129 . Mulher de 49 anos. Isolamento domiciliar. PCR

130 . Mulher de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

131 . Mulher de 28 anos. Isolamento domiciliar. PCR

132 . Homem de 52 anos. Isolamento domiciliar. PCR

133 . Mulher de 39 anos. Isolamento domiciliar. PCR

134 . Mulher de 32 anos. Isolamento domiciliar. PCR

135 . Homem de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

136 . Mulher de 46 anos. Isolamento domiciliar. PCR

137 . Mulher de 15 anos. Isolamento domiciliar. PCR

138 . Homem de 17 anos. Isolamento domiciliar. PCR

139 . Mulher de 41 anos. Isolamento domiciliar. PCR

140 . Homem de 78 anos. Isolamento domiciliar. PCR

141 . Homem de 23 anos. Isolamento domiciliar. PCR

142 . Homem de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

143 . Homem de 38 anos. Isolamento domiciliar. PCR

144 . Homem de 17 anos. Isolamento domiciliar. PCR

145 . Homem de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

146 . Homem de 49 anos. Isolamento domiciliar. PCR

147 . Mulher de 52 anos. Isolamento domiciliar. PCR

148 . Mulher de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

149 . Mulher de 31 anos. Isolamento domiciliar. PCR

150 . Mulher de 18 anos. Isolamento domiciliar. PCR

151 . Homem de 11 anos. Isolamento domiciliar. PCR

152 . Mulher de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

153 . Homem de 7 anos. Isolamento domiciliar. PCR

154 . Homem de 31 anos. Isolamento domiciliar. PCR

155 . Homem de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

156 . Mulher de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

157 . Homem de 42 anos. Isolamento domiciliar. PCR

158 . Homem de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

159 . Homem de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

160 . Homem de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

161 . Mulher de 51 anos. Isolamento domiciliar. PCR

162 . Homem de 30 anos. Isolamento domiciliar. PCR

163 . Homem de 51 anos. Isolamento domiciliar. PCR

164 . Homem de 39 anos. Isolamento domiciliar. PCR

165 . Mulher de 41 anos. Isolamento domiciliar. PCR

166 . Mulher de 30 anos. Isolamento domiciliar. PCR

167 . Homem de 38 anos. Isolamento domiciliar. PCR

168 . Mulher de 37 anos. Isolamento domiciliar. PCR

169 . Homem de 44 anos. Isolamento domiciliar. PCR

170 . Homem de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

171 . Mulher de 28 anos. Isolamento domiciliar. PCR

172 . Mulher de 16 anos. Isolamento domiciliar. PCR

173 . Mulher de 46 anos. Isolamento domiciliar. PCR

174 . Mulher de 25 anos. Isolamento domiciliar. PCR

175 . Mulher de 30 anos. Isolamento domiciliar. PCR

176 . Mulher de 51 anos. Isolamento domiciliar. PCR

177 . Mulher de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

178 . Mulher de 52 anos. Isolamento domiciliar. PCR

179 . Mulher de 30 anos. Isolamento domiciliar. PCR

180 . Mulher de 13 anos. Isolamento domiciliar. PCR

181 . Homem de 12 anos. Isolamento domiciliar. PCR

182 . Homem de 31 anos. Isolamento domiciliar. PCR

183 . Mulher de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

184 . Homem de 12 anos. Isolamento domiciliar. PCR

185 . Mulher de 9 anos. Isolamento domiciliar. PCR

186 . Homem de 21 anos. Isolamento domiciliar. PCR

187 . Mulher de 42 anos. Isolamento domiciliar. PCR

188 . Mulher de 32 anos. Isolamento domiciliar. PCR

189 . Homem de 12 anos. Isolamento domiciliar. PCR

190 . Mulher de 9 anos. Isolamento domiciliar. PCR

191 . Homem de 14 anos. Isolamento domiciliar. PCR

192 . Mulher de 7 anos. Isolamento domiciliar. PCR

193 . Mulher de 23 anos. Isolamento domiciliar. PCR

194 . Mulher de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

195 . Homem de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

196 . Mulher de 29 anos. Isolamento domiciliar. PCR

197 . Homem de 45 anos. Isolamento domiciliar. PCR

198 . Mulher de 32 anos. Isolamento domiciliar. PCR

199 . Homem de 13 anos. Isolamento domiciliar. PCR

200 . Homem de 59 anos. Isolamento domiciliar. PCR

201 . Homem de 37 anos. Isolamento domiciliar. PCR

202 . Homem de 8 anos. Isolamento domiciliar. PCR

203 . Mulher de 23 anos. Isolamento domiciliar. PCR

204 . Homem de 22 anos. Isolamento domiciliar. PCR

205 . Mulher de 42 anos. Isolamento domiciliar. PCR

206 . Mulher de 43 anos. Isolamento domiciliar. PCR

207 . Mulher de 38 anos. Isolamento domiciliar. PCR

208 . Homem de 42 anos. Isolamento domiciliar. PCR

209 . Mulher de 64 anos. Isolamento domiciliar. PCR

210 . Mulher de 63 anos. Isolamento domiciliar. PCR

211 . Homem de 48 anos. Isolamento domiciliar. PCR

212 . Mulher de 49 anos. Isolamento domiciliar. PCR

213 . Mulher de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

214 . Mulher de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

215 . Mulher de 49 anos. Isolamento domiciliar. PCR

216 . Mulher de 27 anos. Isolamento domiciliar. PCR

217 . Homem de 34 anos. Isolamento domiciliar. PCR

218 . Mulher de 59 anos. Isolamento domiciliar. PCR

219 . Mulher de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

220 . Homem de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

221 . Homem de 22 anos. Isolamento domiciliar. PCR

222 . Mulher de 0 anos. Isolamento domiciliar. PCR

223 . Homem de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

224 . Mulher de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

225 . Homem de 31 anos. Isolamento domiciliar. PCR

226 . Homem de 38 anos. Isolamento domiciliar. PCR

227 . Homem de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

228 . Homem de 22 anos. Isolamento domiciliar. PCR

229 . Mulher de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

230 . Mulher de 29 anos. Isolamento domiciliar. PCR

231 . Mulher de 18 anos. Isolamento domiciliar. PCR

232 . Mulher de 44 anos. Isolamento domiciliar. PCR

233 . Homem de 36 anos. Isolamento domiciliar. PCR

234 . Homem de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

235 . Mulher de 26 anos. Isolamento domiciliar. PCR

236 . Mulher de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

237 . Homem de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

238 . Mulher de 35 anos. Isolamento domiciliar. PCR

239 . Mulher de 14 anos. Isolamento domiciliar. PCR

240 . Mulher de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

241 . Homem de 33 anos. Isolamento domiciliar. PCR

242 . Mulher de 24 anos. Isolamento domiciliar. PCR

243 . Homem de 54 anos. Isolamento domiciliar. PCR

244 . Mulher de 55 anos. Isolamento domiciliar. PCR

245 . Mulher de 20 anos. Isolamento domiciliar. PCR

246 . Homem de 13 anos. Isolamento domiciliar. PCR

247 . Homem de 29 anos. Isolamento domiciliar. PCR

248 . Homem de 28 anos. Isolamento domiciliar. PCR

249 . Mulher de 23 anos. Isolamento domiciliar. PCR

Senadores cobraram nesta semana que a Câmara dos Deputados vote a proposta de emenda à Constituição (PEC) que extingue o foro especial de julgamento para autoridades dos três poderes e do Ministério Público (PEC 10/2013). O texto foi remetido em 2017 e já foi aprovado nas comissões, mas ainda não foi pautado para o Plenário.

A PEC preserva o foro especial — conhecido popularmente como foro privilegiado — apenas para os presidentes da República, da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF). Todas as demais autoridades (parlamentares, ministros, juízes, governadores, procuradores e comandantes das Forças Armadas, entre outros) seriam julgadas a partir da primeira instância em caso de crimes comuns. A estimativa é que a medida atinja mais de 50 mil autoridades.

"Igualdade"

A cobrança surgiu na última terça-feira (30), quando o Senado votava o projeto de lei contra as fake news (PL 2.630/2020). O senador Alvaro Dias (Podemos-PR), autor da PEC, lembrou que a Câmara ainda não se manifestou sobre o assunto.

— Fazemos aqui o apelo para que a Câmara dos Deputados incorpore esta velocidade do Senado na votação desta matéria para aprovar o fim do foro privilegiado.

Nesta quinta-feira (2), nas redes sociais, outros senadores fizeram eco à reivindicação. O relator da PEC, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), questionou se há interesse em fazer o tema avançar, e citou o presidente da República, Jair Bolsonaro.

“Como votará a base do presidente nessa questão? Por que não há um grande movimento pelo fim do foro privilegiado?”, provocou.

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) afirmou que o foro especial fere a igualdade entre os cidadãos e estimulou os seguidores a se manifestarem em prol da iniciativa.

“Penso que sem a pressão legítima da sociedade sobre os parlamentares, essa PEC continuará dormindo. Trata-se de um inadmissível desrespeito ao povo brasileiro que, mesmo pagando tantos impostos, tem enorme dificuldade em ter acesso à Justiça comum”, escreveu.

Já o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) se dirigiu ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e pediu que ele “desengavete” a PEC.

“O Brasil merece ter políticos honestos que não precisam de foro privilegiado”.

Junho de 2013

A PEC contra o foro especial foi apresentada no início de 2013, e ganhou relevância após os protestos de junho daquele ano em várias cidades do Brasil, que expressaram descontentamento com a classe política. A PEC ganhou um relator, entrou em calendário especial para votação mais rápida e recebeu algumas emendas. No entanto, ficou parada pelos três anos seguintes.

Apenas no fim de 2016 a PEC ganhou tração, com a relatoria de Randolfe, o quarto senador designado para a função. Os debates e votações no Senado se estenderam até os primeiros meses de 2017. No fim de maio ela foi aprovada e enviada para a Câmara.

Apesar de já ter pareceres favoráveis da Comissão de Constituição e Justiça e de uma comissão especial formada para discutir o tema (em ambos os casos sem nenhuma alteração em relação ao texto do Senado), a PEC ainda não foi levada para o Plenário. No ano passado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sinalizou que pautaria a proposta no início da agenda de 2020, mas isso não se concretizou.

Fonte: Agência Senado

Devido à pandemia do novo coronavírus, o alistamento militar obrigatório foi prorrogado até 30 de setembro e pode ser feito pela internet.

Os documentos necessários são o RG e CPF. Quem não tiver o RG, pode apresentar a Certidão de Nascimento ou Casamento.

Para outros serviços, como alistamento militar para os cidadãos que perderam o prazo; Atestado de Desobrigação; requerimento de certificados de Dispensa de Incorporação e agendamento de Compromisso à Bandeira, para os cidadãos que não puderam fazer devido à pandemia, entre em contato com a Junta de Serviço Militar pelo WhatsApp: (94) 99279-5127.

Texto: Sara Dias

Arte/Ascom

Assessoria de Comunicação/PMP

Mesmo diante do momento difícil provocado pela pandemia do coronavírus, o governo municipal tem buscado dar continuidade aos serviços que buscam melhorar a vida da população, com todo cuidado e segurança. Por isso, as obras educacionais também não pararam. Duas delas, que estavam prontas, foram mobiliadas e entregues à comunidade nesta sexta-feira, 3. São as escolas de educação infantil Pingo de Gente, no bairro da Paz, e Jakson de Souza e Silva, no bairro Beira Rio.

Por medidas de segurança, as inaugurações foram feitas por meio de lives e transmitidas pelas TVs locais, com o mínimo de participantes possível. A primeira a ser inaugurada foi a Pingo de Gente, no final da manhã. A escola possui uma ampla infraestrutura composta por dez salas de aulas, sala de leitura, sala de vídeo, brinquedoteca, playground, cozinha, refeitório, pátio coberto, bloco administrativo e banheiros acessíveis e atenderá mais de 500 alunos com idades entre 3 e 5 anos.

Construída numa área com mais de 1,5 mil metros quadrados, a unidade educacional, que já existia desde 1997, é um sonho antigo da comunidade do bairro, pois sempre funcionou em espaços locados e adaptados. “Onde funcionávamos antes tínhamos grandes limitações, não era um espaço tão propício para o ensino e aprendizagem. Quero agradecer muito ao governo municipal por ter nos proporcionado esse momento transformador, um ambiente transformador, no qual nós podemos agora ter mais possibilidades com mais espaços educativos”, agradeceu Valdelucia Melo, diretora da escola.

Helena Nogueira, mãe da pequena Laura, de 5 anos, comemorou o fato de sua filha poder estudar em uma escola com uma boa infraestrutura. “Aqui as crianças terão mais conforto, vão poder se divertir mais, fazer as atividades com mais facilidade porque tem mais recurso e o conforto que antes não tinha. Fico feliz por saber que há uma preocupação com a educação infantil”.

Escola Jakson de Souza

A unidade educacional que homogenia um grande profissional da área do Direito, que construiu e contribuiu para a história de Parauapebas, foi inaugurada às 15 horas. Construída por meio de parceria entre os governos municipal e federal, por meio do programa Proinfância, possui uma infraestrutura ampla e confortável, contendo oito salas de aula, sala multiuso, fraldário, refeitório, brinquedoteca, parquinho, entre outros espaços.

A Jakson de Souza irá beneficiar mais de 240 crianças com idades entre 1 e 5 anos, durante dois turnos de funcionamento. “Nós, família e amigos, estamos imensamente gratos por essa homenagem, que é uma maneira de manter o nome e a memória do Jackson vivos porque quem o conheceu sabe que ele foi uma figura atuante desde a época de escola, quando participava de grêmio escolar, jogos”, emocionou-se durante a inauguração a viúva do homenageado, Simone Moreira dos Santos.

Obras de qualidade

“Foi um esforço conjunto, em que o governo municipal se empenhou ao máximo para entregar à comunidade duas novas escolas neste padrão de qualidade, em que as crianças sairão daqui com ensinamentos capazes de fazer com que elas se tornem homens e mulheres que mudarão a sociedade”, disse o secretário-adjunto de Educação, Antonino Brito.

Em seus discursos durante as inaugurações, o prefeito Darci Lermen falou sobre a importância da educação infantil. “A educação é uma construção permanente realizada na escola e em casa. É na educação infantil onde tudo começa, o gosto pela leitura, pelo conhecimento. É por isso que pensamos em oferecer o melhor para nossas crianças”, destacou o chefe do Executivo, que mencionou outras obras educacionais: “Reformamos todas as escolas, as quadras escolares, estamos construindo mais escolas nos bairros Cidade Jardim, Alto Bonito, Complexo VS10”.

Texto: Messania Cardoso
Fotos: Orion Lima, Elienai Araújo e Kelson Araújo

Nesta sexta-feira, 3, Parauapebas registra 148 casos de pessoas contaminadas com o coronavírus. Também alcança 5.742 pessoas recuperadas da Covid-19.

A luta contra o vírus continua, e é preciso que cada um faça sua parte. Se você ainda não fez o exame PCR, é só agendar pelo site https://testesmoleculares.com.brFique em casa. Se precisar sair, use máscara.

 

- Histórico de casos registrados hoje:

1 Mulher de 32 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

2 Homem de 42 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

3 Mulher de 33 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

4 Homem de 29 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

5 Mulher de 32 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

6 Homem de 33 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

7 Homem de 25 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

8 Homem de 34 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

9 Mulher de 31 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

10 Homem de 29 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

11 Homem de 40 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

12 Homem  de 27 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

13 Homem de 41 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

14 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

15 Homem de 40 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

16 Homem  de 33 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

17 Homem de 45 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

18  Homem de 37 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

19  Homem de 38 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

20  Homem de 31 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

21  Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

22  Homem de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

23  Homem de 46 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

24  Homem de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

25  Mulher de 48 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

26 Homem de 29 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

27 Homem de 34 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

28 Homem de 22 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

29 Homem de 55 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

30 Homem de 40 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

31 Homem de 27 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

32 Homem de 27 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

33 Homem de 45 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

34 Homem  de 59  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

35 Mulher de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

36 Homem de 32 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

37 Homem de 44 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

38 Homem de 45 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

39 Homem de 19 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

40 Mulher de 32 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

41 Homem de 28 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

42 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

43 Homem de 34 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

44 Homem de 46 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

45 Homem de 33 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

46 Homem de 28 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

47 Mulher de 37 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

48 Homem de 29 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

49 Homem de 51 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

50 Homem de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

51 Homem de 33 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

52 Homem de 28 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

53 Homem de 22  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

54 Homem de 40 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

55 Homem  de 28 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

56 Homem indígena de 7  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

57 Mulher indígena de 5 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

58 Homem indígena de 49  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

59 Mulher indígena  de 16 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

60 Homem indígena de 2 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

61 Homem indígena de 10 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

62 Mulher indígena de 3 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

63 Homem indígena de 6 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

64 Homem de 44 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

65 Homem de 24 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

66 Homem de 21  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

67 Homem de 45 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

68 Homem de 32 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

69 Homem de 43 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

70 Homem de 38 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

71 Homem de 49 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

72 Homem de 35 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

73 Homem de 28 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

74 Homem de 38 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

75 Mulher de 43  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

76 Homem  de 35  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

77 Mulher de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

78 Homem de 37 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

79 Homem de 37 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

80 Homem de 41 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

81 Homem  de 27 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

82 Homem  de 42  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

83 Mulher de 45 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

84 Homem de 22 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

85 Homem  de 42  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

86 Homem  de  47 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

87 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

88 Homem de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

89 Homem  de 34 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

90 Homem de 41 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

91 Homem de 31 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

92 Homem de 38 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

93 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

94 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

95 Homem de 43 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

96 Homem de 41 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

97 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

98 Homem de 37 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

99 Homem de 29 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

100 Homem de 48  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

101 Homem de 53  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

102 Homem de 26 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

103 Homem  de 30  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

104 Homem de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

105 Homem  de 27 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

106 Mulher de  42 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

107 Homem  de 42 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

108 Homem  de 17 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

109 Homem de 61 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

110 Mulher de 21 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

111 Mulher de 22 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

112 Homem de 34 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

113 Mulher de 42 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

114 Homem de 77 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

115 Homem de 50 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

116 Homem de 29 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

117 Homem de 34 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

118 Homem de 38 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

119 Homem de16 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

120 Mulher de 3  anos.     Isolamento domiciliar.  TR

121 Mulher de 17 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

122 Mulher de 25 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

123 Homem de 45 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

124 Mulher de 60 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

125 Homem de 21 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

126 Mulher de 39 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

127 Homem de 17 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

128 Mulher de 29 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

129 Homem de 24 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

130 Homem de 41 anos.     Isolamento domiciliar.  PCR

131 Mulher de 21 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

132 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

133 Homem de 56 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

134 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

135 Mulher de 32 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

136 Mulher de 35 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

137 Homem de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

138 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

139 Homem de 42 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

140 Homem de 41 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

141 Homem de 47 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

142 Homem de 33 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

143 Homem de 25 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

144 Homem de 34 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

145 Homem de 30 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

146 Homem de 36 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

147 Homem  de 40 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

148 Homem de 33 anos.     Isolamento domiciliar.  TR

 

Ludmilla lança, nesta sexta-feira (3), a música e o clipe de Cobra Venenosa, que foram anunciados dias depois da briga dela com Anitta. Em conversa com o R7, a cantora diz que a canção não é para os haters, mas aproveita para mandar um recado para eles.

"Melhorem! Vamos usar a energia para construir um mundo melhor, mais plural, acolhedor das diferenças. Eu sempre fui alvo de comentários. A diferença é que agora isso é algo público e que eu ocupo um lugar em que minha voz é mais ouvida e amplificada. Por isso mesmo faço questão de sempre me manifestar contra qualquer tipo de preconceito", dispara.

A cantora pede para as pessoas respeitarem melhor as diferenças e diz que, apesar de ter ganhado o Prêmio Multishow na categoria Melhor Cantora e ser a mulher negra com mais seguidores do Instagram do Brasil, o racismo é o que motiva as diversas críticas que recebe.

"O racismo é uma questão estrutural. É essa estrutura que a gente tem que movimentar e refazer. Por isso não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Por essa reação, a gente percebe que ainda há um incômodo com pretos em posição de destaque, em posição de poder. Mas não vão nos silenciar. Vamos continuar falando, chamando para a mudança e agindo para ser parte da transformação que queremos ver", explica.

Apesar disso, Ludmilla conta que, a composição que escreveu há três anos, não é para os haters. Ela dedica a música para as pessoas que a fortalecem e apoiam em meio aos ataques na internet.

"A faixa é muito mais sobre quem está do nosso lado nos fortalecendo, apoiando e acolhendo do que qualquer coisa. Essas pessoas são o antídoto que a gente precisa para curar o veneno que encontramos no dia a dia. Quis exaltar isso", conta.

Alcione, Emicida e Mumuzinho são algumas pessoas que demonstram apoio à amiga e colega.  A dona de Verdinha diz que comentários racistas e preconceituosos são "inaceitáveis".

"É muito bom me sentir parte de uma comunidade, me sentir acolhida e amparada. É assim que a gente se fortalece para continuar existindo e resistindo."

Uma outra forma que Ludmilla encontra para lidar com as críticas é aprendendo a utilizar sua voz e seu lugar. Ela vê isso como uma possível solução para mudar algumas questões sociais.

"Estou aprendendo o lugar que ocupo e a importância de usar a minha voz. Estou sempre buscando aprender porque quero me posicionar, trazer minha verdade e ajudar a mudar o que precisamos mudar", entrega.

As críticas foram tão grandes na época que a própria Anitta pediu para os internautas pararem com os xingamentos. Ao ser questionada sobre como vê a posição de Anitta, Ludmilla comenta que "qualquer pessoa que queira uma sociedade justa tem de se pocionar contra o preconceito". 

Ludmilla e Brunna Gonçalves anunciaram na quarta-feira (1º) que testaram positivo para a covid-19. A doença já foi negativada no organismo delas, porém, a cantora se assustou diante do resultado.

"Levamos um susto na hora porque sabemos da gravidade da situação. Mas tivemos há muito tempo e já estamos com a taxa negativada", esclarece.

Lumdilla está aproveitando o isolamento social para ficar com a família. Ela conta que a rotina de shows não a permite ter muito tempo para passar com eles, mas afirma que já está "morrendo de saudade de estar no palco".

"Estou aproveitando para ficar com minha família. Com a rotina intensa de shows que tenho, nem sempre consigo ficar com eles como gostaria. Agora, estou tendo essa oportunidade. Também estou trabalhando bastante, teve o lançamento de Cobra Venenosa. E estou fazendo a preparação para minha estreia como atriz na segunda temporada de Arcanjo Renegado."

Ludmilla também adianta que os fãs podem esperar "muita surpresa" para os próximos meses. Apesar de ter tido que rever datas devido à pandemia da covid-19, ela afirma que existe muita novidade para vir. 

Cobra Venenosa, que tem a participação do Dj Will 22, ultrapassou a marca de 15 milhões de visualizações na prévia que Lumilla publicou nas redes sociais e se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter.

 

Fonte: Gabriela Piva, do R7 

Cientistas determinaram que um dos maiores buracos negros conhecidos tem um apetite descomunal. Descoberto em 2018 e conhecido como J2157, ele tem massa 8 mil vezes maior que Sagittarius A*, o buraco negro no centro de nossa galáxia, e devora diariamente uma quantidade de matéria equivalente à massa do Sol.

Quando descoberto, os cientistas estimavam que J2157 teria 20 bilhões de vezes a massa do Sol e devoraria o equivalente à metade da massa de nossa estrela diariamente. Novas observações permitiram refinar os dados, e mostram que além de 'comer' mais, o tamanho do buraco negro também é muito maior do que se imaginava: são 34 bilhões de massas solares.

"Se o buraco negro no centro da Via Láctea quisesse crescer até este tamanho, ele teria de devorar dois terços de todas as estrelas de nossa galáxia, disse o astrônomo Christopher Onken, da Universidade Nacional Australiana, que participou da pesquisa.

A origem de J2157 é um mistério. Localizado a mais de 12 bilhões de anos-luz de nós, ele é o maior buraco negro já encontrado neste período, quando o universo tinha apenas 10% da idade atual. Os cientistas não sabem como algo tão imenso pode ter surgido tão cedo após o Big Bang, já que sua formação deveria exigir muito tempo e matéria.

Entretanto, ele não é o maior buraco negro já encontrado. Há monstros ainda maiores, como o encontrado no coração da galáxia Holm 15A, a 700 milhões de anos-luz de distância de nós e com tamanho equivalente a 40 bilhões de massas solares. E TON 618, a 10,4 bilhões de anos-luz, é ainda maior, com 66 bilhões de massas solares.

 

Fonte: https://olhardigital.com.br

 

Nesta quinta-feira (2), o secretário da Fazenda, Waldery Rodrigues, anunciou que o governo está analisando a possibilidade de prorrogar a redução temporária do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre o crédito.

 

O IOF sobre operações de crédito já havia sido reduzido a zero pelo governo para operações contratadas de 3 de abril a 3 de julho. A medida resultou em redução de 7,1 bilhões de reais da receita.

 

Na coletiva de imprensa em que o ministro da Fazenda anunciou a possibilidade de prorrogação da redução, foi explicado que a nova estimativa para os gastos com o Auxílio Emergencial a informais e vulneráveis (254,2 bilhões), corresponde a um “valor impactante”, que representa mais que o dobro de despesa discricionária para este ano todo.

 

Waldery também destacou que no próximo dia 10 a Secretaria de Política Econômica irá revisar sua grade de parâmetros, incluindo a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB). Por enquanto, a estimativa oficial do governo é de retração de 4,7% para a economia neste ano.

 

Redução do IOF 

 

No dia 1º de abril, o secretário da Receita Federal havia anunciado a redução do IOF a zero por 90 dias. Antes dessa medida, o IOF para operações de crédito era de 3% ao ano. Agora, a expectativa é que um novo prazo seja acrescentado nessa redução.

 

Segundo o órgão, a medida foi adotada para diminuir o custo do crédito em um momento em que o governo iniciava um amplo número de linhas de crédito com juros reduzidos para ajudar a enfrentar a crise financeira gerada pela pandemia de Covid-19.

 

Na época, o secretário também anunciou o adiamento do recolhimento das contribuições para o Pis-Pasep, do pagamento da Cofins e também da contribuição patronal das empresas para a Previdência Social.

 

Essas contribuições que ficaram em aberto, foram adiadas para serem pagas nos meses de agosto e outubro.

 

Fonte: Reuters

No próximo sábado, 04, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Coordenação de Imunização, inicia a varredura vacinal do combate ao sarampo. A ação será realizada nos bairros de Parauapebas com maior incidência da doença, além da zona rural do Município.

A meta da Prefeitura é atingir cerca de 90% dos imóveis em cada bairro, no horário das 08h às 16h, durante todos os finais de semana do mês de julho, ofertando em cada casa vacina tríplice viral, que imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola.

Bairros que receberão a ação:

  • 04 e 05 de Julho - Cidade Jardim, Paz e Primavera;
  • 11 e 12 de Julho - Alto Bonito, Nova Carajás e Cidade Jardim;
  • 18 e 19 de Julho - Betânia, VS10;
  • 25 e 26 de Julho - Vs10 e Vila Paulo Fonteles;

“Crianças correm um maior risco para desenvolver complicações graves da doença. Com a superação da meta, esperamos que seja registrada uma redução no número de casos nessa faixa etária”, destaca a diretora da Vigilância em Saúde, Anna Carla Tomaz.

“Contamos com a ajuda da população, abrindo seus lares para a equipe que estará devidamente identificada e capacitada para realizar o bloqueio vacinal em todos os moradores das residências visitadas. Todas as vacinas são gratuitas”, ressalta a coordenadora de Imunização, Núbia Lima.

“É muito importante que, em caso de dúvida, os munícipes procurem auxílios dos profissionais da Saúde, que estão à disposição, ofertando um atendimento de qualidade e humanizado para os cidadãos”, reforça o Secretário Municipal de Saúde, Gilberto Laranjeiras.

 Boletim

Na última segunda-feira, (29), o informativo epidemiológico de monitoramento dos casos de Sarampo, emitido internamente pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), mostra que Parauapebas registra 03 casos confirmados da doença, 120 casos suspeitos que estão em investigação, aguardando resultado laboratorial e 02 que foram descartados.

Campanha

No mês de fevereiro do ano de 2020, ocorreu a Campanha Nacional de Combate ao Sarampo, meta estabelecida para a campanha foi alcançada, desde então a Prefeitura mantém os postos de vacinação abastecidos para que as pessoas possam se imunizar, e vem frequentemente intensificando ações para que os munícipes procurem um posto de vacinação e se proteja da doença.

Quem tomar a primeira dose precisa retornar aos postos de saúde 30 dias depois para se submeter à segunda dose. Para quem já foi vacinado e tem comprovação na carteira não há necessidade de novas doses.

Texto: Nívea Lima

Aos 31 anos, a engenheira pernambucana Juliana Coelho vai assumir o comando da fábrica da FCA Fiat Chrysler, em Goiana (PE), chamada de Polo Automotivo Jeep. É a primeira mulher a ocupar esse cargo no grupo na América Latina.

A fábrica, inaugurada em 2015, é considerada uma das mais modernas da FCA no mundo. Produz atualmente os utilitários-esportivos Renegade e Compass, da Jeep, e picape Fiat Toro.

Juliana substituirá o também engenheiro italiano Pierluigi Astorino, de 38 anos, que vai assumir o cargo de diretor de manufatura do grupo América Latina.

Ela fez parte do primeiro time de funcionários da Jeep e, desde então, vem construindo carreira ascendente na empresa. Já exerceu os cargos de supervisora e gerente da área de pintura e gerente do setor de montagem de veículos. Mais recentemente chefiou a área de VLM, responsável por novos desenvolvimentos na manufatura para a América Latina na fábrica de Betim (MG).

"Cresci com o DNA Jeep e essa experiência no Vehicle Line Manufacturing me deu a oportunidade de entender melhor a região da América Latina, de adquirir uma bagagem interessante para essa nova etapa", diz Juliana. "Estou feliz em estrear esse novo ciclo na FCA, é um desafio e eu gosto de desafios".

Segundo a FCA, Juliana se destacou pelo conhecimento técnico e pela habilidade de liderar equipes. Agora, ela terá como missão dar continuidade ao trabalho de aperfeiçoar a produção da Jeep, que em 2019 conquistou a certificação Prata do World Class Manufacturing, se tornando a planta que alcançou esse nível em menor tempo de operação na América Latina.

"Vamos continuar evoluindo dando ênfase ao desenvolvimento de produtos, a contínua melhoria de processos e investindo nas nossas pessoas, sem dúvida um dos principais diferenciais da Jeep", afirma a engenheira.

 

Fonte: Agência Estado - Economia

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016