Carajas o Jornal

Carajas o Jornal

Foi transladado ontem sexta-feira  para o município de Rondon do Pará sua terra natal o corpo da Roseni Fernandes Morais, 37 anos, natural de Rondon do Pará.

Casada há apenas três meses com Gilson Vieira Siqueira, ela era vendedora de uma loja de Confecções naquele mesmo bairro, morreu horas após dar entrada com traumatismo craniano encefálico na UPA do Cidade Jardim em Parauapebas, após sofrer acidente de trânsito ao cair da moto que pilotava em um quebra-mola localizado em frente a Escolinha do Flamengo naquele mesmo bairro onde a vitima  morava e trabalhava.

De acordo com o esposo de Roseni Fernandes, na hora do acidente ela pilotava uma moto e ao passar no quebra mola perdeu o controle da mesma e caiu batendo do a cabeça no asfalto.

Socorrida pelo SAMU a vitima foi encaminhada para  atendimento médico mas não resistiu entrado em óbito por volta da 22h30 daquela mesma noite.

(Caetano Silva)

Sobre a divisão de treino ABC ou ABCDE, eu estava pensando em escrever um artigo sobre esse assunto com mais detalhes e embasamento científico, mas como estou sem tempo vou na grosseria mesmo baseado na minha experiência e conhecimento teórico. 

ABC 2x ou ABCDE? 

Apenas divisão dos grupos musculares no treinamento não diz nada sobre INTENSIDADE e VOLUME de treino, mas sabemos que 72 horas é uma boa média para recuperação de um grupo muscular para um NATURAL.

Nos meus tempos de natural eu sempre procurei treinar o mais intenso que podia, mas também alternando com períodos de recuperação, periodizando o treinamento e variando a intensidade e volume de treino. Não importa se era ABC 2x por semana ou ABCDE, o que mudava era que durante a divisão de um grupo muscular por semana eu conseguiria aumentar a intensidade do treino, e isso faz toda diferença. 

Para quem faz uso de Hormônios 

Um hormonizado pode ter um grande ganho de força e uma recuperação mais rápida durante o ciclo, por isso pode aumentar a intensidade do treinamento. Mas após algumas semanas ou meses do ciclo (mesmo em cruise) sua força e rendimento tendem a diminuir devido ao quadro hormonal desfavorável pós-ciclo. Portanto, também é importante periodizar seu treinamento, alterando volume e intensidade em conjunto com o planejamento de ciclo e dieta. Logo após o ciclo é interessante reduzir o volume de treino (de um ABCDE ou ABCD2x para uma ABC1x ou ABCD1x por exemplo, também reduzindo séries e repetições, e aumentando tempo de descanso entre treinos e séries), tentando manter a intensidade no período logo após o ciclo para manter os ganhos, mas com o tempo, ir reduzindo a intensidade a fim de melhorar a recuperação e evitar um quadro de overtraining

Para quem não faz o uso de Hormônios 

Um NATURAL tende a manter um rendimento mais equilibrado já que não sofre com essas variações hormonais agressivas causadas pelo uso exógeno de hormônios. Por isso, sofre menos com perda de força e rendimento com o tempo, mas também ficará mais limitado nos ganhos de força, massa muscular e no tempo de recuperação pós-treino que ocorrem durante os ciclos. Isso não significa que tenha que treinar menos intenso, mas sim, que deve treinar pesado respeitando os limites e sinais do seu corpo. Mantendo uma dieta equilibrada e com descanso periódico não haverá grandes problemas.


Fonte: dicasdetreino.com.br

Evento: Comício de Valmir Mariano - “Onda Azul 55”.

Local: Rua A com a Rua 1, Bairro Primavera.

Data: Sábado (24/09).

Horário: 19 horas.

Realizações de Valmir Mariano no Bairro Rio Verde:

Obras realizadas no bairro Primavera:

- Construção e inauguração do Hospital Geral de Parauapebas Manoel Evaldo Benevides;

- Reforma do Hospital Municipal Doutor Theóphilo Soares de Almeida Filho;

- Reforma e ampliação das escolas João Prudêncio de Brito;

- Repavimentação de ruas e avenidas;

- Revitalização de iluminação pública;

- Instalação de câmeras de videomonitoramento;

O motorista do ônibus que atropelou e matou uma adolescente no fim da tarde desta sexta-feira (23) ainda não prestou depoimento à polícia sobre o ocorrido. A informação foi confirmada pela Polícia Civil na manhã deste sábado (24).

O acidente foi no Tapanã. População ficou revoltada com o crime. (Foto: divulgação)

Ainda na noite de ontem, após o acidente, policias militares informaram que o condutor, ainda não identificado, seria encaminhado à Polícia Civil para prestar depoimento. Entretanto, a Polícia Civil informou que o motorista do coletivo não se apresentou na Unidade Integrada do Pro Paz (UIPP) do Tapanã. O órgão acredita que ele deverá se apresentar com um advogado a partir de segunda-feira (26), quando encerra o período em que o motorista pode ser autuado em flagrante.

O acidente ocorreu na rodovia do Tapanã.  Após a morte da jovem, moradores da Terceira Rua do bairro bloquearam a via em protesto e incendiaram um ônibus. A pista foi liberada após negociação com a Justiça.

O corpo da jovem continua no Instituto Médico Legal (IML).

(DOL)

Um misterioso carro, dessa vez de cor branca, ocupado por 4 homens encapuzados foi um dos elementos presentes em 2 homicídios na tarde de ontem (23), em Belém (leia mais na página 07). O primeiro aconteceu na rua Santos dos Santos, no bairro do Tapanã, e apresentou características evidentes de execução. A vítima, Everton Lisboa Pereira, 19 anos, levou 2 tiros na cabeça – um deles disparado à queima-roupa. Ele não tinha passagem pela polícia. O corpo foi removido por peritos do Instituto Médico Legal e o caso será investigado pela Unidade Integrada do Pro Paz do bairro, onde foi registrado o Boletim de Ocorrência Policial.

O cabo PM Kayo Rosemberg, da 2ª Companhia do 24º Batalhão de Policiamento Militar, ressaltou que a guarnição foi acionada por volta das 15h30. Os policiais chegaram ao local e constaram que a vítima já estava morta. Havia poucas informações sobre o crime. “Relataram que foram 4 pessoas encapuzadas dentro de um táxi que passou e atiraram”, frisou. Logo após o assassinato, os policiais militares intensificaram as rondas pelo bairro, à procura do veículo, que na verdade não foi confirmado ser um táxi, e sim um carro branco.Everton Lisboa foi assassinado praticamente na porta da casa onde morava com a família. A delegada Maria Lucia, da Divisão de Homicídios, esteve no local e deu início às investigações. “A família relatou que ele não sofria ameaças de morte e que não estava envolvido com drogas. Isso tudo será apurado”, disse a delegada. “As investigações serão feitas por policiais civis da UIPP do Tapanã, onde o pai da vítima já registrou a ocorrência”, pontuou Maria Lucia.

Peritos não identificaram arma usada no crime

O perito criminal Ivanildo Rodrigues apontou que a vítima foi surpreendida e o atirador se aproximou por trás. “Ela recebeu 2 disparos. Um deles feito a uma certa distância e outro bem próximo da vítima”, explicou o perito. Everton não teve tempo sequer para se defender ou correr. “Caiu logo no primeiro disparo, que acertou a nuca”, afirmou Ivanildo.

O segundo tiro foi dado quando Everton já estava no caído no chão. Contudo, não foi possível identificar qual o tipo de arma usada no crime, se foi revólver ou pistola.Dezenas de moradores acompanharam o trabalho da perícia. Apesar dos olhares curiosos, ninguém quis dar entrevista. Nem mesmo os familiares da vítima.

(Denilson D'almeida/Diário do Pará)

 

Da redação

 

Ontem à tarde sexta-feira 23, o candidato a prefeito Marcelo Catalão do 25 e seus candidatos a vereadores surpreenderam a população de Parauapebas com uma grande caminhada pelos bairros da cidade com aproximadamente 10 mil pessoas. A caminhada teve inicio no bairro Tropical, passando pelas casas populares, Altamira, Cidade Nova e finalmente no bairro Primavera onde os houve uma parada na Rua A para o discurso final de Marcelo.

Uma festa da democracia foi sentida pelo povo que acenava das suas casas e dando um sinal de positivo para Marcelo Catalão na caminhada, “Nós estamos aqui para representar o Novo momento da politica de Parauapebas, nosso povo está cansado de tudo que já sentiram na pele, quero honrar esse compromisso que todos estão tendo comigo, nosso objetivo é fazer o maior e melhor mandato da história de Parauapebas” disse Marcelo em discurso.

Os pré-candidatos a vereadores da coligação, empolgados com o crescimento de Marcelo Catalão, tem trabalhado unidos em prol desse projeto. Destaque positivo para a candidata a vereadora Andréia Lima que tem apresentado grandes projetos aos munícipes e feito grandes reuniões por onde passa; “Eu já tenho uma grande experiência com projetos pela minha passagem nos diversos órgãos do governo do estado, onde estive por muitos anos, agora, eu apenas estou trazendo essa experiência para nosso município, não tenho duvidas que, eu e minha equipe de gabinete faremos um grande trabalho na câmara de Parauapebas”, destacou Andréia Lima.

Acompanhe as fotos da grande caminhada.

Fotos. Carlos Refribom.

Marcelo Catalão e seu vice Dr José Roberto finalizaram a caminhada na rua A. Muita empolgação no trabalho do NOVO.

Andréia Lima tem se destacado nessas eleições positivamente e tem apresentado projetos para o legislativo.

O ex-deputado Claudio Almeida, candidato a vereador estava presente na caminhada.

 

Por Ulisses Pompeu –  de Marabá

Cerca de 120 cadeirantes cadastrados junto à Secretaria Municipal de Saúde de Marabá para receber medicamentos e insumos – garantidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) – vivem um drama que se transformou em um seriado sem fim. Muitos deles acabam tendo agravamento da saúde e contraem várias doenças.

Nesta sexta-feira, 23, um grupo de cadeirantes foi ao Ministério Público para reclamar – pela undécima vez apenas este ano – do descaso da Secretaria de Saúde em relação à entrega de medicamentos. Um deles, Luiz Antônio Golfeto, falou em nome do grupo e desabafou. Indignado, disse à reportagem que a entrega dos insumos a que têm direito por lei nunca foi normalizada, mas piorou mais ainda nos três últimos meses, quando começaram a faltar em maior escala.

Disse que além de vir pela metade necessária para um mês, os produtos agora são de baixa qualidade, o que causa grandes problemas para os usuários. “Os tamanhos não são adequados, as sondas não prestam e o orifício é muito áspero, causando sangramento na gente. A xilocaína 2% está em falta e a que oferecem é terrível, não desliza como a original”.

Como recebem os materiais pela metade, os cadeirantes são obrigados a ir para a farmácia comprar os produtos que são garantidos pelo governo federal, o qual repassa verba específica ao município para o número de cadeirantes cadastrados. “Antes, a gente não andava tanto no Ministério Público. Lá mesmo pela Secretaria de Saúde e outros setores da Prefeitura o problema era resolvido. Mas desde a gestão do Maurino para cá a coisa piorou e precisamos pedir socorro para a promotora Lilian Viana Freire”, conta Luiz Antônio. Ele informa, ainda, que quando chegam à Farmácia da Secretaria Municipal de Saúde, os responsáveis pelo setor alegam que os remédios estão em falta, e que não foram comprados pelo município por falta de dinheiro. “Eu preciso de 200 sondas todo mês, 4 pacotes de gazes, 90 uripens, 1 água burricada, 1 álcool e 2 pacotes de 100 unidades de saco coletor. Ou vem pela metade ou não vem nada. Aí a gente recorre à farmácia, fica pedindo para amigos ou há aqueles que não têm para quem pedir e ficam sem e acabam adoecendo. Isso é grave, muito grave”, desabafa Golfeto.

Ailton Barbosa Teles, Luiz Gonzaga Mendes de Souza e Luiz Cláudio Dias Cordeiro Chaves, também cadeirantes, confirmaram as informações de Luiz Antônio e amentaram o descaso do município para com a decisão judicial em primeira instância e mesmo depois de ter perdido no Tribunal de Justiça do Estado. Maysa Assunção, esposa de Joanan Lima, explica que o marido ficou tetraplégico há seis anos e desde então passou a precisar de sondas e outros produtos garantidos pelo governo federal e que devem ser entregues pelo município, como remédios de uso contínuo, como Bacoflen, Cibutinina, entre outros, além dos produtos descritos acima por Golfeto. Todavia, não vem recebendo nada há mais de seis meses. A família é carente, mora no bairro Nossa Senhora Aparecida (Coca Cola) e a saída tem sido reutilizar as sondas antigas, o que pode causar infecção grave. “Sempre falta e a gente pede socorro para outras pessoas. Agora mesmo meu marido está sem usar os medicamentos há três meses”, desabafa, dizendo que o casal tem uma filha de sete anos de idade.

Pelo descumprimento da decisão judicial, a promotora Lílian Viana Freire, titular da 13ª Promotoria de Justiça de Marabá, explica que deverá ingressar com outra ação pedindo aplicação de multa ao município de Marabá por  descumprir decisão judicial. Ela explicou que o processo foi sentenciado em primeira instância, o município recorreu, mas perdeu no TJPA, tendo transitado em julgado desde março deste ano. A sentença foi mantida e o município tem a obrigação de fornecer, de forma contínua e regular, os medicamentos e acessórios às pessoas com deficiência em quantidade determinada pelos médicos e manter o estoque que resguarde o serviço, o que não está acontecendo. “A multa diária que foi aplicada é de R$ 2.000,00, e deve ser levado em consideração o prazo inicial das denúncias e os procedimentos abertos aqui no Ministério Público”, alerta a promotora.

Versão da PMM

Em nota enviada ao Blog na manhã desta sexta- feira, 23, sobre o caso dos cadeirantes, a Prefeitura se manifestou da seguinte forma: “a secretária de Saúde, Juliana Versiani de Souza, determinou que seja feito levantamento de medicamentos e insumos que estão em falta, para que sejam adquiridos no menor espaço de tempo”.

 

Fonte: zedudu.com.br

Calça jeans, estampada, legging, colorida, pantalona... Os modelos encontrados são diversos e, na maioria, favoritos entre as mulheres que adoram moda. Democrática, a peça é um curinga que combina com infinitas ocasiões e agrada todos os estilos. Quer montar um look especial?

A fashionista e blogueira do Monalisa de Batom, Mi Camacho, apresentou alguns truques na última edição do Guia de Estilo Posthaus para quem quer incrementar aquele visual básico. Confira algumas dicas:

Calça Legging - conforto e praticidade   

O modelo saiu da academia e invadiu os looks do dia a dia. Nas produções casuais ela surge com tecidos, texturas e detalhes diferenciados, e que deixam a peça ainda mais interessante. Aproveite para abusar do volume na parte de cima, pois a modelagem super justa da calça valoriza o corpo. “Para combinar, prefira blusas mais soltinhas ou casacos amplos e alongados”, indica Mi. Também vale investir em botas para completar o visual.

Calça Colorida para um look fun

Para quem busca um visual autêntico, a peça com tons marcantes é ideal! Mas escolha um tom que esteja de acordo com o seu estilo. “Neste look eu escolhi um modelo vermelho que é moderno e fashion”, afirma a apresentadora do Guia de Estilo Posthaus. O visual ainda permite mesclar com itens de impacto, como um colete de pelos, jaqueta de couro ou acessórios. Mas é sempre importante evitar exageros e, para equilibrar a produção, a dica é combinar a calça colorida com peças neutras, com tons de cinza, preto ou branco.

Calça Pantalona para um estilo retrô

Esse é um estilo universal, que faz referência aos anos 70 e nunca sai de moda. Confortável, elegante e com um caimento esvoaçante, ela pode ser usada em todas as ocasiões. Se a pantalona for estampada, deixa o look ainda mais moderno. “O modelo ganha ainda mais destaque com uma peça geométrica”, explica a fashionista. Caso a peça não seja colorida, para combinar, está liberado o uso de cores nas blusas ou casacos. Outro truque é usar sapatos de salto alto, que ajudam a alongar as pernas e dar o efeito leve para a calça.

 

Fonte: vilamulher.com.br

O trabalho da concessionária contará com equipes extras para resolver situações emergenciais no dia da eleição 

Com o intuito de garantir maior segurança no que diz respeito ao fornecimento de energia elétrica, a Celpa montou um plano de ação para as eleições 2016, nos municípios do sudeste e sul do Pará. Com base em um conjunto de operações, a ideia é evitar contratempos nas áreas de grande concentração de eleitores e nos locais onde ocorrerão as apurações dos votos. O plano também estabelece que situações emergenciais sejam resolvidas no menor tempo possível.  Para isso, a concessionária disponibilizará dezenas de equipes de plantão em todo o Estado, para solucionar qualquer eventualidade. 

Só em Marabá, a empresa disponibilizará cerca de dez equipes para atender demandas para regularização no fornecimento de energia, caso ocorram. Operadores atuarão de sobreaviso nas subestações Marabá e Cidade Nova. Essas estações atendem diversos bairros da cidade. As linhas de transmissão de Marabá, Morada Nova e Cidade Nova também receberão uma atenção espacial no dia da eleição. Além desses pontos, a concessionária firmou uma parceria para dar suporte operacional nas sedes do Tribunal Regional Eleitoral-TRE de Marabá, Parauapebas, Tucuruí e Redenção. Os representantes da concessionária que estiverem nesses locais terão contato direto com a Central de Operações da empresa, caso surjam ocorrências. 

De acordo com o executivo da área de Serviços de Rede da Celpa, Carlos Ivan Dias, a empresa também se preocupou com o trabalho preventivo. “Além de profissionais extras que atuarão nos casos de eventualidades, nós também iniciamos ações de inspeções em todos os circuitos que atenderão os locais de votação. Com isso, esperamos evitar qualquer tipo de imprevisto e oferecer a segurança necessária, para que o eleitor escolha os representantes com o máximo de conforto”, explica o executivo.   

O esquema de atendimento diferenciado também contará com operadores para atuar nas subestações de Parauapebas e Carajás. As localidades ainda contarão com profissionais da manutenção pesada durante o período da eleição. As subestações de Redenção, Xinguara e Conceição do Araguaia também terão profissionais em sobreaviso. O trabalho também terá equipes de manutenção de alta tensão, que ficarão de sobreaviso para resolver qualquer contratempo nas linhas de transmissão. Todo esse trabalho também se estenderá ao município de Tucuruí.

Serviço: em caso de qualquer eventualidade, a população deve ligar para a Central de Atendimento da empresa, que está disponível 24 horas: 0800 091 01 96. 

Atenciosamente,

Relacionamento com a Imprensa e Mídias Sociais

 

Jamylle Vieira / Anselmo Monteiro/ Ansleíria Ferreira/ Núbia Pereira

Telefones: (91) 3210.6703 /3210.6781/ 9 8871.2147/ 9 8100.8842

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Blog: blogdacelpa.com.br

O ciclo recessivo iniciado no segundo trimestre de 2014 caminha para a estabilização, de acordo com estudo divulgado hoje (23) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

A tendência é que o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), soma dos bens e serviços produzidos no país, mostre mais uma queda no terceiro trimestre e, no quarto trimestre, já tenha um resultado, “senão positivo, já estável”, ou seja, pare de cair. A avaliação é do economista Leonardo Mello de Carvalho, autor do estudo.

Embora o PIB do segundo trimestre tenha voltado a registrar retração, a análise do Ipea do ritmo de queda dos componentes do PIB, pelo lado da demanda e da oferta, e de outros indicadores de atividade, consegue identificar uma redução “bastante disseminada” desse ritmo de queda.

“A gente consegue identificar uma desaceleração nessas variáveis, inclusive com alguns setores já apresentando desempenho positivo ao longo de 2016”, disse Carvalho.

É o caso, por exemplo, da produção industrial. O setor industrial teve avanço de 0,3% no segundo trimestre, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), interrompendo sequência de cinco quedas consecutivas, o que reflete a melhora no cenário da indústria ao longo de 2016.

No lado do PIB, Carvalho destacou os resultados dos investimentos, que voltaram a crescer na comparação com o trimestre anterior, após dez períodos de queda.

“Se ainda não se consegue falar que a recessão acabou, acho que dá, sim, para dizer que a economia caminha para uma etapa de estabilidade, que o pior da crise já foi superado, com base nessa trajetória de queda mais suave da maioria dos indicadores e crescimento já em alguns”, reiterou.

De acordo com o Ipea, embora o PIB no segundo trimestre tenha mostrado recuo, o ritmo de retração nos dois primeiros trimestres de 2016, em termos anualizados (-2%), ficou bem abaixo daquele apresentado ao longo de 2015, quando o PIB caiu a uma taxa média anual de 5,9%.

Setores

Na indústria, a melhora tem sido disseminada. Com base na pesquisa mensal do IBGE, Leonardo Carvalho disse que a produção de bens de capital cresceu durante os seis primeiros meses do ano, mostrando pequena acomodação em julho em função do segmento de equipamentos de transportes: “É um setor que apresentou uma recuperação ao longo de 2016, com crescimento durante todo o semestre”.

Também o setor de bens intermediários apresentou incremento. Esse é um setor importante, porque produz insumos, tem o maior peso dentro da indústria e acaba puxando todo o resultado industrial.

O Ipea notou também recuperação “surpreendente”, nos últimos três meses, da produção de bens duráveis, com crescimento sempre na comparação com o mês anterior:”Por estar muito ligado, ainda, a consumo, a gente vai conviver por algum tempo com fraca demanda interna, ligada a consumo das famílias”

Carvalho acredita que pode estar havendo estímulo positivo das exportações, que têm melhorado o desempenho desses setores, além de um processo de ajustamento de estoques, que permite responder tanto à demanda externa, como também a algum tipo de melhora, embora discreta, da demanda interna.

“Essa melhora da produção industrial começou mais centrada em setores que têm uma relevância maior em relação à exportação, desde o quarto trimestre do ano passado. E essa melhora de desempenho tem se disseminado entre as demais atividades, ao longo deste ano”, segundo a análise.

Emprego

O economista do Ipea afirmou, entretanto, que para dizer que está havendo uma melhora efetiva da economia, o emprego tem um peso grande, porque está ligado ao fraco desempenho do consumo das famílias: “Acho que um ponto importante para você consolidar essa estabilização e depois iniciar uma recuperação propriamente dita vai, como sempre, depender da recuperação da demanda interna”.

O analista lembrou que o investimento é um componente que, historicamente em períodos de crise, costuma responder mais rápido que a demanda interna, porque esta depende do consumo das famílias que, por sua vez, está relacionado ao mercado de trabalho.

A desocupação continua aumentando no país, com queda do rendimento real. A soma desses dois fatores a uma trajetória de preços ainda elevada restringe o início de recuperação do consumo, afirma Carvalho.

Ele acredita que haverá uma piora no mercado de trabalho nos próximos trimestres, “porque ele possui uma dinâmica que responde com defasagem em relação à atividade econômica.

Os empresários esperam para ter certeza se, realmente, a recessão vai piorar, se será uma coisa mais intensa, para iniciar as demissões.

Então, tanto na entrada como na saída da crise, a resposta do mercado de trabalho demora um pouco mais para acontecer”. Isso vai fazer com que o desempenho do mercado de consumo permaneça deprimido.

Investimentos

Leonardo Mello de Carvalho informou que o crescimento acumulado dos investimentos nos sete primeiros meses de 2016, sem comparar com igual período de 2015, alcança 11,6%. Considerou natural que ocorra ainda nos próximos meses alguma acomodação.

O Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) aponta redução de 10% nos investimentos entre os meses de junho e julho, na comparação com ajuste sazonal.

O economista avaliou que esse resultado tem a ver com a queda de 2,7% da produção de bens de capital que ocorreu, impactada pela produção de caminhões e ônibus.

Excluindo esse componente da produção de bens de capital, julho teria sido um mês de estabilidade, ressaltou Carvalho. Por isso, ele disse que, apesar desse resultado, o diagnóstico de estabilização não se altera em termos tendenciais.

Esclareceu que o cálculo de investimentos é uma conta de oferta total, usada para medir a produção doméstica de bens de capital e as importações de bens de capital, de cujo resultado se retira o que foi exportado. Em julho, todos os três componentes contribuíram para a queda.

 

Fonte: exame.abril.com.br

Sul e Sudeste do Pará

Loading
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.2018.Sophos_2019gk-is-100.jpglink
https://carajasojornal.com.br/modules/mod_image_show_gk4/cache/Publicidade.galpogk-is-100.jpglink

Vídeos

FAMAP, a escolha inteligente
08 Julho 2019
Em parauaebas, aluno chamou a atenção dos vereadores, no momento em que fazia uso da tribuna. de Carajás O Jornal
18 Abril 2017
Alunos da Rede Estadual de Ensino, assistem aula no meio da rua em Parauapebas
13 Abril 2017
Novo Ministro do STF3
11 Fevereiro 2017
Tiroteio em Redenção deixa população assustada
01 Dezembro 2016
Nesse domingo os paraenses vivenciam o #CIRIO2016, a maior festividade Religiosa do Brasil
09 Outubro 2016
Dr. Hélio Rubens fala sobre o caso de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas
08 Outubro 2016
MARCHA PARA JESUS: Milhares de jovens nas ruas de Parauapebas
08 Outubro 2016
Corrupção é um problema de todos, você também pode combater!
06 Outubro 2016
Joelma agradece pela presença e participação em seu show na FAP 2016
12 Setembro 2016
Jake Trevisan agradecendo toda população de Parauapebas no Carajás O Jornal
06 Setembro 2016
Cantor Açaí no evento da Imprensa na FAP a pedido de Marola Show, canta para a Rainha, primeira e segunda princesa da FAP 2016.
01 Setembro 2016